1. ArchDaily
  2. História

História: O mais recente de arquitetura e notícia

III Congresso Nacional para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural - CICOP Brasil 2021

O III Congresso Nacional para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural - CICOP Brasil 2021, é organizado pelo curso de Arquitetura e Urbanismo do Instituto Federal São Paulo- IFSP, Campus São Paulo, e pelo Departamento de História da Universidade Federal de São Paulo- UNIFESP, tendo como tema “Patrimônio cultural: fragmentos, somas, construções e distopias”.
O evento será totalmente gratuito e acontecerá em sua totalidade em ambiente virtual, entre os dias 09 e 12 de novembro de 2021.

A Comissão Organizadora do CICOP Brasil 2021 tem o prazer de convidar toda a comunidade interessada para participar por meio de submissão de artigos e solicita

Elo com o vivido: a memória e suas espacialidades

Tudo aquilo que é construído, pela força e trabalho físico e intelectual do homem, tem significado. É na matéria que encontramos resquícios de antigas civilizações, e a partir desses registros entendemos suas características, as tecnologias envolvidas e sua organização social. As cidades e os grandes centros urbanos têm camadas e camadas de acontecimentos que ficam registrados em suas ruas, edifícios, praças e parques. Muitas vezes, a depender do desenvolvimento do lugar, essas evidências vão sendo apagadas, desconsideradas e alteradas. 

Exposição do Kwame Akoto Bamfo noMemorial Nacional pela Paz e Justiça. Image © Equal Justice Initiative  Human PicturesMemorial das vítimas de feminicídio em uma cerca em frente ao Palácio Nacional da Cidade do México (2021). Image © Ixchel Cisneros SolteroA Clareira - Memorial em Utøya / 3RW Arkitekter. Image © Martin Slottemo LyngstadMuseu da Memória e dos Direitos Humanos / Mario Figueroa, Lucas Fehr e Carlos Dias. Image © Nico Saieh+ 20

Decoração e identidades feminina e masculina

Em 2021, a Casa Brasileira é o tema que norteia as ações do Museu do Ipiranga em parceria com o Wiki Movimento Brasil (WMB). A programação inclui maratonas de edição de verbetes que, neste ano, iniciam com encontros com pesquisadores da área, que falarão sobre as linhas de pesquisa que desenvolvem no Museu, seguidos de treinamento e assistência técnica sobre a plataforma. O segundo encontro desta série acontece no dia 23 de abril, sexta-feira, a partir das 14h, com o tema Decoração e identidades feminina e masculina.

“A Casa Brasileira é tema de pesquisa do Museu do Ipiranga há mais

Museu do Ipiranga apresenta pesquisas sobre a Casa Brasileira em série de eventos digitais com a Wikipédia

A temática será abordada em cinco encontros ao longo deste semestre, voltados para a produção e aprimoramento de verbetes na enciclopédia digital; com a presença de pesquisadores do Museu, as maratonas de edição trazem discussões como a construção das relações de gênero a partir dos espaços e objetos da casa, bem como as transformações históricas ocorridas nos interiores domésticos do Brasil

Até o dia 15 de maio, os participantes que mais colaborarem com a produção de verbetes concorrem a prêmios de até R$2.500,00 em vale-compras


Espaço que, de um ano para cá, passou a reunir tantas atividades

Interpretando a arquitetura: como o projeto sai do papel através de técnicas de análise

A arquitetura nunca é um acidente. É um esquema cuidadosamente planejado de padrões e estilos que respondem ao ambiente natural, celebram a materialidade e / ou são referenciais de movimentos estilísticos ao longo da história, isto é, todas as formas de entender porque os projetos foram feitos daquela maneira. Existem diferentes maneiras de analisar a arquitetura, por meio do uso de diagramas, padrões, relacionamentos e proporções, para citar alguns. Para arquitetos e leigos, existe um desejo subconsciente de uma estrutura de tomada de decisão no projeto. Como resultado, a arquitetura se tornou um exercício de auto posicionamento - um reflexo microcósmico do mundo ao nosso redor, visto nos projetos que construímos.

Lançamento do livro "Vales Imginários"

O Vale do Anhangabaú em nossos vales imaginários

Por João Nei de Almeida Barbosa

Qual a importância de certos monumentos para as nossas cidades? Podemos mensurar nossas lembranças ou qualificar seus sentidos em nosso olhar sobre o mundo?
Creio que toda cidade ou lugar tem algo que nos marca, que representa nossa identidade ou passagem. Se estamos longe, ao visualizá-los, nos sentimos reconfortados, acolhidos e de certa forma: em casa.
A cidade de São Paulo possui inúmeros marcos, mas certamente o mais representativo é o Vale do Anhangabaú, que também carrega a conotação histórica de origem. Retratado por artistas europeus desde o século

A escala das crianças: breve histórico sobre mobiliários infantis

Montessori Kindergarten in Xiamen / L&M DesignPhoto: 1931, Kaunas, Lithuania. Two children working on reading/writing words at Maria Varnienė's Children's House. The child on the left is Stasys Ragaišis, who later became a medical doctor.. Image via @montistory101Mi Casita Preschool and Cultural Center / BAAO + 4Mativ Design Studio. Image © Lesley UnruhPeter Keler - Puppenwagen, 19xx. Image via Wikimedia+ 53

Mobiliários infantils são aqueles - fixos ou móveis - desenhados pensando nas crianças, seja de acordo com os seus princípios ergonômicos e anatômicos, ou de forma a assessorá-las da forma mais adequada. Seguindo essa linha, podemos identificar dois tipos de móveis: (1) aqueles que facilitam a relação entre o cuidador e a criança e (2) os que permitem que a criança os utilize de forma independente.

A grande diferença entre esses dois tipos é que os primeiros possuem dimensões que se adaptam à ergonomia do adulto e o segundo são projetados para atender às necessidades ergonômicas da criança, em cada etapa de seu desenvolvimento. Como o crescimento das crianças ocorre de forma relativamente rápida, é comum que os móveis deste segundo grupo sejam multifuncionais ou mesmo extensíveis.

A história da arquitetura: do Neolítico à Mesopotâmia e Egito Antigo

Até onde chega os antigos registros escritos da história da humanidade, a “pré-história” pode ser estabelecida em um período de tempo que vai de 35.000 a.C. até 3000 a.C. no caso do Oriente Médio e até 2000 a.C. na Europa Ocidental. Segundo o que foi possível observar, os construtores de outrora detinham um profundo conhecimento à respeito das condições ambientais e das necessidades físicas do ser humano em sua busca por abrigo. Inicialmente organizados em grupos ou tribos, humanos utilizavam estruturas construídas com pele e ossos de animais para se proteger da chuva e do sol, do frio e do calor assim como das ameaças do mundo exterior. Milhares de anos se passaram e as cabanas primitivas evoluíram para se tornarem estruturas complexas construídas em paredes de tijolos ou com solo compactado, assumindo formas geométricas pontuadas por aberturas responsáveis pela ventilação e iluminação natural dos espaços interiores. 

Ao longo dos próximos meses, você poderá acompanhar aqui no ArchDaily uma série de pequenos artigos sobre a história da humanidade em busca de abrigo e como o habitat primitivo evoluiu para se transformar na arquitetura como a conhecemos hoje. Durante esta primeira semana, dedicaremos um pouco do nosso tempo para refletir sobre as estruturas das primeiras civilizações conhecidas pela humanidade: as Aldeias Neolíticas, a Mesopotâmia e o Antigo Egito.

Como as guerras moldaram nossas cidades

Quando ainda éramos nômades, travávamos nossas primeiras batalhas com paus e pedras. As causas podem ser diversas quando se trata de agredir membros da mesma espécie, desde a obtenção de recursos, território, vingança ou mesmo poder. As batalhas entre tribos distintas acompanharam o ser humano em sua evolução na terra. Desde a criação das cidades, a guerra e os equipamentos de combate utilizados em cada período foram importantes instrumentos a serem considerados durante o planejamento do centro urbano. 

O que a Roma Antiga tem para ensinar às metrópoles brasileiras?

Metrópole é uma palavra derivada do grego metropolis, união de meter (mãe ou ventre) e polis (cidade). Assim, a metrópole é a cidade mãe, a mais importante dentro de um contexto em que várias cidades estão interligadas, de forma que uma depende da outra para exercer as suas atividades de forma plena. Na maioria dos casos, temos conurbações entre vários aglomerados urbanos nas metrópoles.

II Congresso Nacional para Salvaguarda do Patrimônio Cultural

Patrimônio Cultural e Globalização: as problemáticas da preservação do patrimônio cultural no século XXI


A produção dos espaços construídos no passado e o acúmulo de valores e significados atribuídos pelo homem, com o passar do tempo, permitem o reconhecimento do passado de nossa sociedade e trazem a possibilidade de nos identificarmos como indivíduos integrantes de nossa comunidade na atualidade. As ações públicas e privadas voltadas para preservação do patrimônio cultural (material e imaterial) devem contribuir para a manutenção e permanência das diversas identidades culturais de forma coerente com seu passado e com a realidade de hoje. Porém, vivemos na atualidade uma

Cursos livres Escola da Cidade 2o. semestre – inscrições abertas

CURSOS LIVRES ESCOLA DA CIDADE – SEGUNDO SEMESTRE DE 2018

A Escola da Cidade abre inscrições para os Cursos Livres oferecidos no segundo semestre de 2019. Os cursos abordam temáticas variadas – como dança, teatro, fotografia, gênero, diagramas, sustentabilidade, história, violência, democracia e geoprocessamento – sempre articulados a questões de arquitetura, urbanismo e cidade.

Inscrições abertas até 16 de agosto

Para inscrições e informações mais detalhadas sobre os cursos acesse ec.edu.br

A atuação de José Luís Sert na América Latina: trânsitos e projetos.
Ministrado pela arquiteta e urbanista Dinalva Derenzo Roldan
24 de setembro a 29 de outubro, terças-feiras, 20h30 às 22h30

A cidade como invenção.
Ministrado

Toshiko Mori busca um diálogo que transcende tempo e espaço

Dando sequência à série de vídeos Time-Space-Existence que antecedem a Bienal de Veneza deste ano, o PLANE-SITE publicou uma nova conversa com a arquiteta e ex-diretora de arquitetura da Harvard GSD, Toshiko Mori. Cada vídeo destaca as ideias que impulsionam o trabalho desses conhecidos designers e arquitetos, com esse episódio focando na filosofia de comunicação visual de Mori, seu diálogo com a história e as considerações do futuro em seu trabalho.

Cortesia de Tashiko Mori Architect© Paul Warchol© Hiroshi Abe© Iwan Baan+ 15

Estudantes de arquitetura da Somália preservam digitalmente o patrimônio construído de seu país - antes que seja tarde demais

via Somali Architecture
via Somali Architecture

Desde o início da guerra civil em 1991, as paisagens política e arquitetônica da Somália, no Leste da África, têm sido instáveis. Enquanto os centros urbanos do país, como a capital Mogadíscio, ostentam um tecido diversificado de mesquitas históricas, cidadelas e monumentos ao lado de estruturas cívicas modernistas, as décadas de conflito resultaram na destruição de muitas estruturas importantes. E, embora a luta tenha diminuído substancialmente nos últimos anos, o futuro do patrimônio arquitetônico do país ainda está longe de alguma segurança.

Em resposta a isso, estudantes de arquitetura somali residentes no Reino Unido, Itália e Estados Unidos se uniram para criar o Somali Architecture, um projeto de pesquisa que arquiva e "reconstrói" digitalmente estruturas icônicas por meio de modelos 3D. O objetivo é “preservar a identidade e a autenticidade” da Somália por meio de sua arquitetura - existente e destruída. “Queremos que cada construção icônica do passado seja reinterpretada para um futuro mais coerente”, dizem os estudantes.

Veja a seguir uma seleção das estruturas que a Somali Architecture descobriu e reconstruiu até agora.

Musée de la Romanité Narbonne projetado por Foster + Partners está prestes a ser concluído

O Musée de la Romanité Narbonne (Museu Romano de Narbona) de Foster + Partners, se aproxima de sua conclusão com a fachada do edifício completamente construída. O museu busca se tornar uma das atrações culturais mais importantes da região sul da França, abrigando mais de 1000 artefatos romanos. O progresso desse plano foi celebrado em uma cerimônia de encerramento no dia 30 de janeiro de 2018, com a instalação das claraboias modulares VELUX Modular Skylights, representando o fim de uma etapa de construção da fachada.

Considerando que a cidade de Narbonne abriga uma grande quantidade de edifícios antigos, relíquias e sítios arqueológicos, a proposta de Foster + Partners, desenhada em colaboração com o especialista em museus Studio Adrien Gardere, se concentra na exposição principal do museu: uma coleção de mais de 1000 pedras funerárias romanas recuperadas das muralhas medievais da cidade no século XIX. As pedras devem ser colocadas no coração de uma estrutura retilínea simples, separando as galerias públicas dos espaços privados de pesquisa.

Museum Narbonne. Imagem Cortesia de Nigel Young / Foster + PartnersMuseum Narbonne. Imagem Cortesia de Nigel Young / Foster + PartnersMuseum Narbonne. Imagem Cortesia de Nigel Young / Foster + PartnersMuseum Narbonne. Imagem Cortesia de Nigel Young / Foster + Partners+ 17

Por que arquitetos são tão obcecados pela obra de Mondrian?

Na década de 1920, o artista holandês Piet Mondrian começou a pintar seus icônicos quadros com grids pretos e cores primárias. Extrapolando os limites das referências recorrentes no mundo da arte, propôs uma linguagem simples composta de linhas e retângulos coloridos que tornou-se conhecida como Neo Plasticismo, o qual explorava a dinâmica do movimento através da cor e das formas. Este conjunto de telas pintadas em vermelho, amarelo e azul, configuram um dos principais elementos do movimento De Stijl do início do Século XX. Quase um século depois, as abstrações de Mondrian seguem inspirando arquitetos ao redor do mundo.

O que há por trás desta simplicidade que seque cativando artistas, designers e arquitetos depois de tanto tempo?

Da antiga cidade de Eridu à Metropolis de Fritz Lang: animação mostra a busca pela cidade ideal

As cidades são um universo por si só; expandindo-se furiosamente, expelindo-se, zunindo no tempo e no espaço. Elas são agredidas, esquadrinhadas, levadas ao limite, incendiadas; São entranhas traiçoeiras que engendram guerras, vitórias banhadas em sangue e regozijo. O espaço construído sempre foi um reflexo dos medos, anseios e ideais de seus habitantes, e é, como tal, uma das primeiras e mais poderosas formas de expressão humana.

Neste ano, no dia mundial das cidades, assista a "The Perfect City", uma animação criada pelo designer Al Boardman para a nova série da BBC "Designed" do site BBC Culture. A série retrata a busca do "ideal" e do 'perfeito' no projeto do espaço urbano ao longo da história da humanidade. Narrado e dirigido pelo renomado crítico de arquitetura e escritor Jonathan Glancey, o vídeo mostra em apenas 2 minutos alguns dos principais exemplos do planejamento urbano na historia da humanidade, antigo e novo, bem sucedido e mal sucedido.