Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Artigos

Artigos

Painéis de madeira: As diferenças entre MDF, MDP, Compensado e OSB

Temos visto uma maior atenção com a utilização da madeira na construção civil de alguns anos para cá. Com todas as preocupações em relação à sustentabilidade e a pegada de carbono nas edificações, novos métodos construtivos têm sido desenvolvidos junto a possibilidades inovadoras no uso deste material. De fato, a madeira pode ser considerada um material renovável, desde que a exploração seja sustentável, e se tomado alguns cuidados no seu manejo, permitindo que as florestas se regenerem naturalmente. Mas é a versatilidade da madeira é o que a torna tão onipresente nas edificações. De tábuas, vigas, assoalhos, até a telhas e isolantes térmicos e acústicos, a madeira pode estar presente em diversas etapas da obra e com distintos graus de processamento e acabamento.

OSB. Image © ArchDaily Compensado. Image © ArchDaily Aglomerado. Image © ArchDaily MDF. Image © ArchDaily + 26

17 Casas que se transformaram em museus através de reuso adaptativo

Ao longo da história de um edifício, é possível que este assuma funções diferentes daquela para a qual foi originalmente pensado. É o caso, por exemplo, das casas que viraram museus, seja por terem se tornado ícones da arquitetura, seja porque em algum momento perderam sua função original e passaram por uma renovação para abrigar um espaço expositivo.

MoDA projeta edifício inspirado em colônias de formigas para a Attabotics

Render. Cortesia de Modern Office of Design + Architecture Render. Cortesia de Modern Office of Design + Architecture Render. Cortesia de Modern Office of Design + Architecture Render. Cortesia de Modern Office of Design + Architecture + 25

A nova sede da Attabotics em Calgary, projetada pelo escritório Modern Office of Design + Architecture, materializa sistemas de fluxos complexos em uma estrutura que é, ao mesmo tempo, esteticamente ousada e programaticamente eficiente. O projeto busca inspiração na organização espacial das colônias de formigas, traduzidas formalmente para o sistema robótico de armazenamento e recuperação da empresa.

As veias do Brasil: arco-íris das bacias hidrográficas do território nacional

O impressionante mapa colorido como o arco-íris (acima) mostra o padrão de rede dos caminhos feitos por cada corpo hídrico brasileiro, registrados em todos os 27 Estados utilizando bases públicas de dados.

O maior conjunto identificado em azul é a Bacia do Rio Amazonas, assim como você pode ver todas as outras cores as 08 bacias que compõe a hidrografia brasileira a partir das quais a Agência Nacional de Águas (ANA) entende a gestão e regulação dos recursos hídricos no Brasil, criando as bases para leis e demais regulações pertinente à todos.

Projeto Kamyaran propõe novo conceito de escola voltada para a cidade

A cidade curda de Kamyaran - localizada na fronteira entre Curdistão e o Irã - é uma cidade em desenvolvimento que sofreu um terremoto devastador há alguns anos. Ela está situada em um distrito privado de instalações modernas com a maior parte da renda dos residentes adquirida com o transporte de produtos através da fronteira comum com o Iraque e a Turquia. Os investidores da região enfrentam vários desafios, um dos quais é a quantidade de projetos necessários para melhorar o status da cidade.

Em vez de projetar duas edificações diferentes em dois locais separados, o CAAT Studio propôs a Kamyaran Escola-Cidade, um novo conceito que funde uma escola primária e um espaço público em uma grande instalação que visa melhorar a vida social e cultural de seus moradores.

© CAAT Studio © CAAT Studio © CAAT Studio © CAAT Studio + 11

O que o arquiteto e urbanista pode fazer (segundo a legislação)

O campo da arquitetura é absolutamente amplo e oferece muitas alternativas de carreira após a formação acadêmica. De atividades relacionadas ao "núcleo" do campo, como projeto de edificações, projeto urbano e restauro do patrimônio, a ocupações que flertam com outras áreas do conhecimento, como por exemplo a fotografia, o design gráfico e o cinema, o arquiteto pode se dar ao luxo de transitar entre estas áreas sem que, com isso, deixe de ser um arquiteto.

18 Projetos de arquitetura voltados para crianças

A arquitetura para crianças não necessariamente se reflete em brincadeiras para eles. No caso dos jardins infantis, parques e escolas, o processo projetual é realizado por adultos, no entanto, os fiéis usuários são as crianças. Portanto, os arquitetos têm a responsabilidade de garantir que o entorno construído ofereça a oportunidade de brincar, explorar e aprender no espaço físico.

Com isso em mente, apresentamos 18 espaços projetados especialmente para crianças - ambientes que talvez possam inspirar aos futuros Fosters, Hadids e Le Corbusiers.

Como o espaço transforma a arte: instalações site specific

Quando pensamos em galerias, museus e espaços expositivos em geral é comum que nos venha à mente a imagem de um lugar fechado, iluminado, com paredes brancas e piso neutro, provavelmente em madeira. A ideia de pensar espaços expositivos como espaços “puros”, seja para dar foco à obra de arte em si, seja para permitir que exista a rotatividade das exposições, talvez seja a maior diretriz na produção de espaços expositivos nas últimas décadas. No entanto, da mesma forma em que a arte transforma o espaço, o espaço também pode ser um agente transformador da arte. É com essa reflexão que emergem produções artísticas pensadas para um espaço específico, mais conhecidas como instalações site specific.

5 Cidades que são exemplos de caminhabilidade

Caminhar é mais do que um movimento mecânico: é apropriar-se cotidianamente do espaço da cidade. Estar no ambiente urbano de forma ativa, percebendo a cidade e os detalhes que dela fazem parte. Essa escolha, no entanto, nem sempre depende apenas da vontade das pessoas; está atrelada também a fatores externos, como as condições físicas e sociais dos indivíduos e a existência ou não de infraestruturas que permitam essa opção.

Do parque ao edifício: 16 projetos de uso público no Brasil

Parque Urbano da Orla do Guaíba / Jaime Lerner Arquitetos Associados. Imagem: © Arthur Cordeiro
Parque Urbano da Orla do Guaíba / Jaime Lerner Arquitetos Associados. Imagem: © Arthur Cordeiro

Dentre os diversos programas nos quais a prática de arquitetura e urbanismo atua, talvez os projetos para espaços públicos sejam aqueles que mais estimulam os profissionais a concentrarem uma carga discursiva que convoca a toda a multidisciplinaridade característica do ofício. Propor o desenho de espaços que serão utilizados e apropriados pela vida cotidiana pública reflete os ideais e reflexões sobre como os arquitetos imaginam que deve ser a vida nas cidades, e abre espaço para a discussão coletiva a respeito desse tema.

O idealismo por trás do planejamento urbano norte-americano

O Show de Truman é um filme de comédia dramática de 1998 estrelada por Jim Carrey como Truman Burbank, a estrela principal - ainda que inconsciente - de um reality show em uma cidade cenográfica vigiada 24 horas por dia. A cidade de Truman, Seahaven, é um gigantesco estúdio de televisão construído para filmar a vida de Truman através de milhares de câmeras escondidas que transmitem a vida do pacato cidadão para bilhões de espectadores ao redor do mundo.

Um degrau para cada pé: conheça as escadas Santos Dumont

Convencional, helicoidal, curva, em “U”, tipo marinheiro... são vários os modelos e possibilidades para o projeto de escadas nos projetos, de acordo com as possibilidades de espaço e as intenções projetuais. Mas as escadas Santos Dumont apresenta características peculiares se comparada às demais? Batizada com o nome de seu criador, inventor e pioneiro da aviação brasileira, este modelo configura-se como um “meio-termo” entre a típica escada inclinada e a vertical , de modo que sua inclinação é bem mais acentuada que uma escada convencional e seus degraus apresentam recortes que variam entre a pisada esquerda e direita, permitindo redução de comprimento e economia espacial. 

Como serão os banheiros no futuro?

A automação residencial, desde assistentes virtuais controlados por voz a termostatos controlados por aplicativos, introduziu o futuro de maneira rápida e inesperada em nossas próprias casas. À medida que a tecnologia continua a progredir, a maneira como interagimos com o ambiente provavelmente se tornará cada vez mais futurista - até em espaços tão pessoais quanto os banheiros de nossas casas. Embora a perspectiva de uma vida pessoal altamente digitalizada possa ser assustadora para alguns, outros veem o potencial dessa tendência para melhorar não apenas o conforto, mas também a saúde e a segurança. Abaixo, descrevemos algumas das tecnologias que esperamos ver nos banheiros do futuro.

Demolir ou recuperar? 20 projetos de remodelação no Brasil

Um dos principais desafios das cidades contemporâneas é a renovação da infraestrutura existente visando acomodar o crescente número de habitantes urbanos. Passando à escala da arquitetura, do objeto construído, recuperar antigas estruturas para lhes atribuir novos usos e funções parece ser também um desafio e uma grande oportunidade dos tempos atuais. Nunca se construiu no ritmo que se constrói hoje no mundo, mas não se deve perder de vista as qualidades daquilo que já está construído e que pode ser reaproveitado.

Cobogós e azulejos: designer mapeia afetivamente a arquitetura de Olinda

No Centro Histórico de Olinda (PE), a arquitetura furta formas e cores da natureza: os furos dos cobogós nas varandas lembram folhas leves e frutos redondos; os portões de gradil espiralam com um quê de galho retorcido de flor. Há também cor de terra e de céu no chão: quintais, cozinhas e salas de casas coloniais são ladrilhadas em marrom e azul.

O que as escolas mais inovadoras do século XXI têm? 8 exemplos que você precisa conhecer

Se pensarmos como era o sistema educativo antigamente, percebemos que tanto a pedagogia aplicada nas escolas, como as infraestruturas escolares, eram muito diferentes do sistema atual. O modelo educativo do século XX poderia ser definido como similar ao 'modelo espacial das prisões, sem interesse nenhum em estimular uma formação integral, flexível e versátil', como já foi exposto há algum tempo aqui no ArchDaily.

Entretanto, agora, nos encontramos em uma época em que as transformações sociais, econômicas e os avanços na tecnologia têm criado uma sociedade mais global na qual a informação e a aprendizagem são cada vez mais acessíveis. Esta mudança radical tem transformado a sociedade em que vivemos, tornando obsoleto o modelo educativo atual baseado em um ensino rígido e unidirecional.

Desta maneira, existem escolas que não somente romperam com o modelo de ensino tradicional, mas também, traçaram novas referências educativas internacionais, explorando novos paradigmas e abrindo novas possibilidade dentro do desenho dos espaços educacionais. Posto que a arquitetura como os modelos educativos costumam refletir a ideologia de uma sociedade, como se define a escola do século XXI?

Vittra Telefonplan / Rosan Bosch. Image Hakusui Nursery School / Yamazaki Kentaro Design Workshop. Image Cortesía de Yamazaki Kentaro Design Workshop Kwel Ka Baung School / A.gor.a Architect. Image Cortesía de Agora Architects Jardim de Infância de Cultivo / Vo Trong Nghia Architects. Imagem © Hiroyuki Oki + 31

Casas brasileiras: 16 residências com planta livre

Desde que Le Corbusier formulou, na década de 1920, os cinco pontos para uma nova arquitetura, a planta livre tem sido adotada como solução para projetos de arquitetura residencial. A princípio, seu surgimento esteve ligado à libertação das paredes de sua função estrutural, possibilitada pelos pilotis - outro dos cinco pontos elaborados pelo arquiteto franco-suíço. A planta livre, então, possibilitou não só uma conexão mais direta entre os espaços, sem barreiras físicas, mas também a diversidade de possibilidades na distribuição e divisão de espaços.

Como será o campo quando todo mundo estiver vivendo na cidade?

Em fevereiro de 2020, o Guggenheim de Nova Iorque irá inaugurar uma exposição idealizada por Rem Koolhaas e desenvolvida dentro do AMO, o estúdio de pesquisa e design do OMA. Intitulada de “Countryside, The Future”, a exposição é o resultado de uma das principais linhas de pesquisa desenvolvidas por Koolhaas ao longo dos últimos anos; o impacto de um mundo cada vez mais urbanizado nas áreas não urbanas.

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.