Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Reuso Adaptativo

Reuso Adaptativo: O mais recente de arquitetura e notícia

17 Casas que se transformaram em museus através de reuso adaptativo

Ao longo da história de um edifício, é possível que este assuma funções diferentes daquela para a qual foi originalmente pensado. É o caso, por exemplo, das casas que viraram museus, seja por terem se tornado ícones da arquitetura, seja porque em algum momento perderam sua função original e passaram por uma renovação para abrigar um espaço expositivo.

SOM propõe reuso adaptativo de antigo edifício projetado por Gio Ponti em Milão

© SOM
© SOM

O primeiro empreendimento da Skidmore, Owings & Merrill em Milão é uma reutilização adaptativa de um edifício dos anos 60, originalmente projetado pelos arquitetos Gio Ponti, Piero Portaluppi e Antonio Fornaroli. O escritório imaginou um desenho que renova a antiga sede da Allianz Milanese enquanto transforma o Complexo Corso Italia em um espaço contemporâneo de escritórios.

Arquitetos propõem reaproveitar tanques industriais na orla de Nova Iorque

Cortesia de STUDIO V Architecture e Ken Smith Workshop Cortesia de STUDIO V Architecture e Ken Smith Workshop Cortesia de STUDIO V Architecture e Ken Smith Workshop Cortesia de STUDIO V Architecture e Ken Smith Workshop + 27

Em Nova Iorque, ativistas e profissionais têm trabalhado por muitos anos para tentar salvar 10 tanques industrias desativados da demolição, propondo o uso alternativo dessas estruturas. Em parceria com o STUDIO V, o escritório de arquitetura e paisagismo Ken Smith Workshop criou uma proposta inventiva que reimagina essas relíquias industriais como um parque do século XXI, uma novidade na definição e configuração tradicional dos espaços públicos.

Museu de Londres projeta expansão em conjunto de edifícios do século XIX

O Museu de Londres divulgou o projeto de sua nova sede em West Smithfield. Projetada por Stanton Williams, Asif Khan e Julian Harrap Architects, as imagens mostram a transformação de um conjunto de antigos edifícios comerciais em um destino cultural. O projeto celebra o histórico conjunto de edifícios de West Smithfield, criando uma experiência única e memorável para os visitantes.

© Asif Khan © Asif Khan © Forbes Massie © Forbes Massie + 12

'KoolKiel': projeto desenvolvido pelo MVRDV busca inspiração na história do lugar

O MVRDV apresentou o projeto de um novo edifício de uso misto, desenvolvido em uma área pós-industrial na cidade de Kiel, na Alemanha. A proposta que contará com um total de 65.000 metros quadrados, foi concebida através de um sistema amplamente flexível, permitindo que o edifício se adapte às demandas futuras com o passar do tempo.

Apelidado de “KoolKiel”, a proposta do MVRDV incorpora um grande edifício térreo existente, anteriormente utilizado como depósito e posteriormente como gráfica, aonde foram impressos os famosos quadrinhos alemães Werner durante a década de 1980. A proposta atual, de transformar o local em um novo hub para indústrias e mídias criativas, influenciou decisivamente os arquitetos do MVRDV, o que os levou a criar um edifício dinâmico e divertido ao mesmo tempo que incorporam parte da história do lugar e do edifício existente.

© MVRDV © MVRDV © MVRDV Interior. Imagem © MVRDV + 20

A aposta do Japão na reutilização adaptativa para enfrentar uma crise imobiliária emergente

Meio século depois que a nova casa do subúrbio era o sonho de muitos jovens americanos, propriedades reformadas estão ganhando popularidade. Essa tendência se estende para além da América do Norte, com renovações estimulantes de estruturas existentes surgindo em todo o mundo, da Bélgica ao Quênia e à China. A atração por essa tipologia provavelmente está em sua multiplicidade; as renovações são novas e antigas, históricas e voltadas para o futuro, generativas e sustentáveis.

Em nenhum lugar esta tendência é mais visível e popular do que na habitação, onde a transformação é muitas vezes liderada pelos próprios proprietários. Vagamente agrupados sob termos como "fixer-upper" e "reutilização adaptativa", esses projetos começam apenas com os esqueletos estruturais e a história do edifício. Na escala pessoal, a renovação / reforma é uma oportunidade de trazer uma parte de si para sua casa - mas esses pequenos projetos juntos têm o potencial de reverter uma crise imobiliária?

Destaques da semana: reduzir, reutilizar, repensar

É muito comum, nos dias de hoje, sentir-se extenuado pela enorme quantidade de informações que consumimos, tanto consciente quanto inconscientemente. No mundo da arquitetura não é diferente, é preciso dedicar-se para acompanhar o feed diário do ArchDaily e por isso mesmo, entendemos que nem sempre é possível estar a par daquilo que é notícia no mundo. Mas isto que à primeira vista parece ser uma infinita linha de produção arquitetônica, não necessariamente vem ao encontro das mais recentes preocupações em nossa disciplina, aquelas voltadas à economia e compartilhamento de recursos.

Esta reflexão generosa, à respeito de como e para quem estamos construído nossos edifícios e cidades, encontrava-se oculta em meio a produção massiva que definiu a arquitetura durante o século XX, mas algo estava nascendo, mesmo que em estado embrionário - algo que está se tornando cada dia mais evidente nos dias de hoje. Cada vez mais, arquitetos estão incorporando processos e estratégias de sustentabilidade e/ ou reuso adaptativo. Os mais tradicionais prêmios e reconhecimentos do mundo da arquitetura estão operando uma efetiva mudança de direção em nossa disciplina, chamando à atenção não mais apenas aos mesmos grandes nomes, mas também para pequenos escritórios de arquitetura espalhados pelo mundo, aqueles que têm nos apresentado uma nova maneira de pensar e conceber a arquitetura.

O estereótipo do arquiteto foi por muito tempo o da obsessão pelo ego e pela novidade. Praticamente um sinônimo de egocentrismo e originalidade. Por outro lado, atualmente estamos testemunhando uma mudança de rumo à partir da prática de milhares e milhares de jovens profissionais. Os projetos que foram notícia nesta última semana nos ensinam a repensar a arquitetura à partir da redução e da reutilização, transformando a maneira como concebemos à arquitetura no século XXI. 

5 propostas para transformar a estação de ônibus de Preston em um novo centro da juventude

O Royal Institute of British Architects, juntamente com o Conselho Municipal de Lancashire, divulgou cinco propostas que buscam transformar a antiga Estação de Ônibus de Preston em um novo espaço público e centro da juventude. Cada projeto foi selecionado entre 100 propostas enviadas através de um concurso internacional de ideias que tinha como objetivo preservar a natureza brutalista do histórico edifício.

O aguardado plano de £13 milhões é um grande passo, considerando-se que a estação dos anos 1960, agora protegida pelo patrimônio histórico, quase foi demolida recentemente. Os esforços de reuso adaptativo são o resultado de uma bem sucedida campanha internacional que garantiu a continuidade da icônica estrutura.

Agora, a Prefeitura de Lancashire quer sua ajuda. Veja, a seguir, as cinco propostas finalistas e vote em sua favorita.