O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Mulheres Na Arquitetura

Mulheres Na Arquitetura: O mais recente de arquitetura e notícia

9 lições para enfrentar a Arquitetura depois de sair da universidade

06:00 - 11 Fevereiro, 2019

Você prepara seu trabalho final de graduação por um longo tempo. Sonha muito com a apresentação, com a banca, com o projeto, com sua maquete, com o memorial, com as suas palavras. Avança, mas crê que será péssimo. Logo sente que não, que será um êxito e que tudo terá valido a pena. E logo tudo se repete e tens vontade de suicidar-se. Que isso é uma montanha russa e não sabes quando tudo acabará. 

Até que chega o dia. Você apresentar seu projeto. Explica suas ideias. A banca faz perguntas. Você responde. Você percebe que sabe mais do que pensava e que nenhum de seus sonhos constantes durante o ano não estiveram perto do que realmente aconteceu no exame. A banca murmura. Acaba a apresentação e te pedem que saia por um tempo. Ali você espera uma eternidade, minutos que rastejam lentamente. Passa, por favor. A comissão recita uma breve introdução e você não pode deduzir se foi bem ou mal. A comissão vai direto ao ponto. Você passou! Parabéns, você é um novo colega e todos te felicitam pela sua realização. A alegria invade você, apesar do cansaço que vêm arrastando. A adrenalina baixa. Passam-se semanas ou meses para ter um descanso merecido. E você começa a se perguntar: e agora?

A universidade -essa instituição que te forma como profissional- te entrega o diploma e agora você enfrentará o mercado de trabalho pela primeira vez (se é que nunca trabalhou antes). Antes de sair e definir suas próprias métricas de êxito pessoal (o êxito já não é medido em avaliações acadêmicas), compartilhamos com você 9 lições para enfrentar o mundo, agora que você é uma arquiteta ou um arquiteto.

Mulheres na fotografia de arquitetura

13:00 - 10 Fevereiro, 2019
Mulheres na fotografia de arquitetura, © Leana Cagnotto
© Leana Cagnotto

Maioria em graduações de arquitetura em diversas partes do mundo, incluindo o Brasil, as mulheres superam os homens em número de profissionais em atividade, entretanto, sua representatividade vem, há décadas, sendo sistematicamente diminuída frente à atuação masculina. 

O debate sobre o papel das mulheres na arquitetura não é recente, contudo, ganhou força a partir de 2013 com a petição para que Denise Scott Brown fosse retroativamente reconhecida como vencedora do Prêmio Pritzker de 1991 - junto à Robert Venturi - e a consequente rejeição do pedido por parte do Prêmio. Desde então, o reconhecimento do papel das mulheres na arquitetura vem sendo tópico de diversos - e necessários - debates, palestras, simpósios e exposições em todo o mundo.

As tendências da arquitetura em 2019

07:50 - 4 Fevereiro, 2019
As tendências da arquitetura em 2019, © Alberto Cosi. ImageBamboo Sports Hall for Panyaden International School / Chiangmai Life Construction
© Alberto Cosi. ImageBamboo Sports Hall for Panyaden International School / Chiangmai Life Construction

Este é o momento no qual nos projetamos ao futuro para definir as metas e focos de nossa carreira ao longo do ano que começa. Com o objetivo de ajudar os arquitetos que consultam o ArchDaily diariamente, realizamos a seguinte lista com as ideias que mais ecoaram durante 2018 e que, portanto, serão os temas que devem seguir desenvolvendo-se durante 2019.

Apenas no ano passado, mais de 130 milhões de usuários descobriram no ArchDaily novas referências, materiais e ferramentas que permitem aprimorar o desenvolvimento da arquitetura e melhorar a qualidade de vida de nossas cidades e entornos construídos. Quando nossos usuários começam a coincidir em suas buscas de informação ou demonstram maior interesse por um tema em relação a outros, estes tópicos passam a ser uma tendência.

Projeto "Arquitetura na Periferia" ensina mulheres a construir suas casas

07:30 - 2 Fevereiro, 2019
Projeto "Arquitetura na Periferia" ensina mulheres a construir suas casas, © Arquitetura da Periferia, via Facebook. Cortesia de Portal Aprendiz
© Arquitetura da Periferia, via Facebook. Cortesia de Portal Aprendiz

É rijo como cal e madeira o espírito das mulheres que participam dos movimentos de luta por moradia no Brasil. Maioria em ocupações de territórios, elas coordenam com vigor as práticas organizacionais e políticas de assentamento e construção de habitação popular. Não é à toa que muitas das ocupações do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) ou do MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto) carregam nomes de mulheres como Dandara, liderança de um quilombo do período colonial.

Prêmio Moira Gemmill de Arquitetas Emergentes divulga lista de finalistas

19:00 - 1 Fevereiro, 2019
Prêmio Moira Gemmill de Arquitetas Emergentes divulga lista de finalistas, Stone Gardens / Lina Ghotmeh. Image © Joe Landou
Stone Gardens / Lina Ghotmeh. Image © Joe Landou

A lista de finalistas do Prêmio Moira Gemmill de Arquitetas Emergente, que reconhece a excelência em obras concluídas, foi anunciada. Parte do Women in Architecture Awards, organizado pelo The Architectural Review e The Architects 'Journal, o prêmio recebe seu nome em homenagem a Moira Gemmill (ex-diretora de design do Royal Collection Trust) e oferece £ 10.000 para apoiar o desenvolvimento profissional da(s) vencedora(s).

As quatro candidatas finalistas são da França, Espanha, China e Suíça. As vencedoras anteriores incluem Gloria Cabral, sócia do Gabinete de Arquitectura (2018); Rozana Montiel (2017); Gabriela Etchegaray, co-fundadora da Ambrosi Etchegaray (2016); e as fundadoras da vPPR Tatiana von Preussen, Catherine Pease e Jessica Reynolds (2015).

Weiden Secondary School / Karamuk Kuo. Image © Mikael Olsson Orsonnens / TEd'A Arquitectes. Image © Luis Diaz Diaz Dushan Lesiure Center / Xu Tiantian. Image © DnA Shimen Bridge / Xu Tiantian. Image © DnA + 6

Lina Bo Bardi e Tarsila do Amaral entre as artistas celebradas pela programação do MASP em 2019

07:30 - 19 Dezembro, 2018
Lina Bo Bardi e Tarsila do Amaral entre as artistas celebradas pela programação do MASP em 2019, Lina Bo Bardi. Estudo preliminar – esculturas praticáveis do belvedere Museu de Arte Trianon, 1968. Nanquim e aquarela sobre papel, 56,3 x 76,5 cm. Acervo MASP, doação Instituto Lina Bo e P. M. Bardi
Lina Bo Bardi. Estudo preliminar – esculturas praticáveis do belvedere Museu de Arte Trianon, 1968. Nanquim e aquarela sobre papel, 56,3 x 76,5 cm. Acervo MASP, doação Instituto Lina Bo e P. M. Bardi

O tema “Histórias das mulheres, histórias feministas” será pauta do programa de exposições do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand em 2019. Já estão confirmadas seis monográficas de artistas mulheres - Djanira da Motta e Silva, Tarsila do Amaral, Lina Bo Bardi, Anna Bella Geiger, Leonor Antunes, Gego - além de uma grande mostra coletiva que levará o título do eixo temático.

Uma introdução a sete mulheres influentes e inovadoras da Bauhaus

12:00 - 29 Novembro, 2018
Uma introdução a sete mulheres influentes e inovadoras da Bauhaus, © Gertrud Arndt, Bauhaus Archive, Berlin
© Gertrud Arndt, Bauhaus Archive, Berlin

Gropius, Mies van der Rohe, Albers, Klee, e Breuer são todos os nomes que lembram o excepcional talento artístico da escola Bauhaus. Mas um aspecto excepcional, ainda que menos conhecido da Bauhaus é que a escola de arte alemã experimental do início do século XX foi uma das primeiras instituições educacionais a aceitar abertamente mulheres qualificadas no programa.

Uma vez inseridas no programa, as mulheres não eram exatamente tratadas como iguais aos seus pares masculinos, mas em 1919 a aceitação dessas mulheres apaixonadas foi o início de uma onda de artesãs modernas que fizeram significativas contribuições, ainda que não tão reconhecidas, ao movimento Bauhaus. Uma introdução a sete dessas mulheres pode ser encontrada abaixo:

Laura Martínez de Guereñu obtém a primeira Bolsa Lilly Reich para igualdade na arquitetura

15:00 - 12 Outubro, 2018
Laura Martínez de Guereñu obtém a primeira Bolsa Lilly Reich para igualdade na arquitetura, Laura Martínez de Guereñu. Imagem © Eva Guillamet
Laura Martínez de Guereñu. Imagem © Eva Guillamet

A historiadora e crítica de projetos Laura Martínez de Guereñu foi selecionada na primeira edição da Bolsa Lilly Reich, tal como anunciou a Fundação Mies van der Rohe e a prefeitura de Barcelona nessa terça-feira.

"Queremos contribuir com esse grão de areia para corrigir a desigualdade das mulheres e sua invisibilidade. É uma obrigação e uma dívida de justiça que queremos materializar colocando o nome de Lilly Reich à essa iniciativa", declarou Janet Sanz, presidenta da Fundação Mies van der Rohe, no ato realizado nesta terça-feira com a presença de diretora Anna Ramos e da própria Laura Martínez de Guereñu.

6 Livros escritos por mulheres que tratam da cidade e suas dinâmicas

07:00 - 28 Setembro, 2018
6 Livros escritos por mulheres que tratam da cidade e suas dinâmicas, © Gabriel de Andrade Fernandes, via Flickr. Licença CC BY-SA 2.0
© Gabriel de Andrade Fernandes, via Flickr. Licença CC BY-SA 2.0

Historicamente relegadas à esfera do privado, foi somente a partir do século XX que a mulher passou, de fato, a exercer seu direito à cidade e sua dinâmicas. Até hoje, no entanto, esta apropriação é cerceada. Segundo pesquisa do Instituto Locomotiva deste ano, oito em cada 10 mulheres brasileiras têm medo de andar sozinhas à noite.

Além da questão da violência, se colocam como entraves para o pertencimento, circulação e ocupação livre do espaço público pelas mulheres a ausência de políticas que visem contemplar necessidades urgentes do gênero feminino, além de suas identidades e olhares.

A obra frequentemente esquecida de Denise Scott Brown

12:00 - 7 Junho, 2018
A obra frequentemente esquecida de Denise Scott Brown, Cortesia de Robert Venturi
Cortesia de Robert Venturi

Há algo irresistível no romance arquitetônico de Robert Venturi e Denise Scott Brown. Eles se conheceram quando ambos eram jovens professores da Universidade da Pensilvânia; Scott Brown realizava seminários em planejamento urbano e Venturi dava palestras sobre teoria da arquitetura. Como diz a história, Scott Brown argumentou em sua primeira reunião do corpo docente que a magistral biblioteca gótica veneziana de Frank Furness não deveria ser demolida para se construir uma praça (então uma opinião dissidente). Venturi se aproximou dela após a reunião, oferecendo seu apoio. Como Paul Goldberger escreveu sobre o casal em 1971, “à medida que seus pontos de vista estéticos se aproximavam cada vez mais, o mesmo acontecia com os seus sentimentos.” Nós, amantes da arquitetura, não podemos fazer nada a não ser esse casal de arquitetos.

4 Projetos que buscam aprofundar a discussão de raça na arquitetura

07:00 - 7 Junho, 2018
4 Projetos que buscam aprofundar a discussão de raça na arquitetura, Cortesia de Projeto Arquitetas Negras
Cortesia de Projeto Arquitetas Negras

Longe de se esgotarem, as discussões de raça e gênero na arquitetura estão apenas começando a tomar fôlego, e uma de suas repercussões são os projetos e iniciativas que buscam mapear e identificar arquitetas e arquitetos negros que, embora numerosos e em prolífica atividade, são pouco citados - e publicados.

Ainda raras e absolutamente necessárias, essas iniciativas são um importante passo em direção a um reconhecimento mais justo e igualitário no campo da arquitetura. A seguir, apresentamos quatro projetos investigativos que pretendem dar nome e lançar luz sobre estes profissionais e seus trabalhos. 

Uma cidade coletiva é uma cidade feminista

15:00 - 12 Abril, 2018
Uma cidade coletiva é uma cidade feminista, Berlim, 2015. Imagem © Ana Asensio
Berlim, 2015. Imagem © Ana Asensio

A Fundación Arquia, junto à arquiteta Ana Asensio, nos convida a pensar em como foram desenhadas -até agora- as cidades; espaços de fricção que foram concebidos sem igualdade de participação na tomada de decisões e que, portanto, nos levam a falar de feminismo.

Mulheres que estão ajudando a definir a arquitetura mundial

10:00 - 2 Abril, 2018
Mulheres que estão ajudando a definir a arquitetura mundial

"Onde estão as mulheres arquitetas?" Lamenta a professora e historiadora da arquitetura Despina Stratigakos em seu livro. O sentimento certamente ecoou e foi bem compreendido por muitas mulheres que trabalham na profissão e têm que romper diariamente algumas barreiras estabelecidas por uma disciplina, infelizmente, dominada por homens. Sabemos que o número de mulheres na prática da arquitetura é pequeno, e fica ainda menor quanto mais alto subirmos nas hierarquias da profissão.

É por isso que queremos reconhecer as mulheres que estão trilhando seus caminhos na profissão, liderando escritórios e ajudando a definir a arquitetura contemporânea. Para comemorar o Dia Internacional da Mulher este mês, lançamos uma chamada aberta para reconhecer as mulheres que estão se destacando na arquitetura e que, até o momento, não haviam sido publicadas por nós.

O que encontramos foi um grupo incrível de mulheres que nos impressionaram com seus projetos, sua ética de trabalho e sua dedicação à profissão. Essas mulheres não apenas projetam e constroem, mas também lideram equipes, gerenciam escritórios e, eventualmente, dão o salto para se tornarem suas próprias chefes, alcançando a liberdade para fazer as coisas do seu próprio jeito. 

Richard Meier é acusado de assédio sexual por 5 mulheres e afasta-se temporariamente de seu escritório

15:45 - 13 Março, 2018
Richard Meier é acusado de assédio sexual por 5 mulheres e afasta-se temporariamente de seu escritório, By <a rel="nofollow" href="http://blog.shankbone.org">David Shankbone</a> - <a rel="nofollow" href="http://blog.shankbone.org">David Shankbone</a>, <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0">CC BY 3.0</a>, <a href="https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=6792098">Link</a>
By David Shankbone - David Shankbone, CC BY 3.0, Link

O jornal New York Times detalhou as acusações de assédio sexual de cinco mulheres contra Richard Meier. As denúncias foram feitas por quatro mulheres que trabalharam com o arquiteto, incluindo duas mulheres que descrevem assédios ocorridos nos últimos dez anos. Uma quinta mulher, que não trabalhou na empresa, detalha um assédio com ele na década de 1980.

Em resposta às denúncias feitas pelo New York Times, o arquiteto de 83 anos disse que se ausentará por seis meses de sua empresa e emitiu a seguinte declaração: "Estou profundamente incomodado e envergonhado pelos relatos de várias mulheres que se ofenderam com minhas palavras e ações. Embora nossas lembranças possam diferir, peço sinceras desculpas por qualquer pessoa que tenha se ofendido pelo meu comportamento".

Mulheres ganham menos no escritório Foster + Partner

15:00 - 8 Março, 2018
Mulheres ganham menos no escritório Foster + Partner, Escritório Foster + Partners em Londres. Image © Marc Goodwin
Escritório Foster + Partners em Londres. Image © Marc Goodwin

A disparidade entre homens e mulheres em locais de trabalho tem sido motivo de preocupação dentro e fora do campo da arquitetura. Para aumentar a conscientização sobre a necessidade de igualdade salariam entre homens e mulheres, o governo britânico exigiu em 2017 que companhias do Reino Unido com mais de 250 funcionários publicassem relatórios anuais sobre as diferenças de remuneração entre os gêneros em seus escritórios.

Uma das maiores empresas de arquitetura do mundo, a Foster + Partners, com sede em Londres, divulgou seu relatório sobre questões de remuneração de gênero, tornando-se uma das primeiras empresas de arquitetura a fazer isso. O relatório revela que há pouca representatividade feminina em cargos superiores, resultando em uma diferença de remuneração em toda a empresa, e destaca o compromisso de incentivar a diversidade de gênero em todos os níveis da companhia.

As mulheres esquecidas da Bauhaus

12:00 - 8 Março, 2018
As mulheres esquecidas da Bauhaus, Bauhaus Dessau <a href='https://www.flickr.com/photos/naterobert/4682696561/in/photolist-88N3xB-npY611-6aqQwQ-nGatE5-nGrciN-npYjaj-nG9Qqe-nGvKkA-npYqJD-npYpNk-nGfnvR-nGsHjP-nGxkd4-nq42zc-nq3Uu3-nGfeXW-npYpCF-nEuDdb-nGaNzP-nEuCEh-9Y2jdg-9Y2mGM-9Y2gpt-9Y2odZ-9Y5fPQ-9Y2jVc-f8PAC-67iWjb-9Y2ipP-67eH1x-ny4LyP-9Y5cD3-nxNLFQ-nxNMPb-7ziahW-mXjKi-7PNctT-BsbHrS-AWNtto-pKx1ud-bM4Bo6-e8M3FW-BJJ9cs-88RfZU-nxNYsW-6psJce-bM4Bei-XmGiwz-5a8ubB-jskX71'>© Nate Robert via Flickr </a> Licença CC BY-SA 2.0. Image
Bauhaus Dessau © Nate Robert via Flickr Licença CC BY-SA 2.0. Image

* Este texto foi publicado originalmente no Yorokubu, em 25 de janeiro de 2018, com o título de "Las mujeres olvidadas de la Bauhaus". A tradução brasileira foi feita por Leandro Peredo

Quando Walter Gropius criou sua famosa escola de design e artes em 1919, Bauhaus, ele a criou como um lugar aberto a "qualquer pessoa de boa reputação, independentemente da idade ou do sexo". Um espaço onde não haveria “diferença entre o sexo belo e o sexo forte". A ideia deflagrava uma sociedade na qual a mulher pedia para entrar em espaços que anteriormente lhe haviam sido vetados. Se a educação artística que as mulheres então recebiam era transmitida dentro da intimidade de suas casas, na escola de Gropius elas foram bem-vindas e seu registro aceito. Tanto que o número de mulheres que se matricularam foi maior que o dos homens.

Ajude-nos a descobrir a nova geração de mulheres que está redefinindo a arquitetura mundial

10:00 - 8 Março, 2018
Ajude-nos a descobrir a nova geração de mulheres que está redefinindo a arquitetura mundial, Cortesia de Danae Santibáñez
Cortesia de Danae Santibáñez

No ArchDaily, queremos ver mais mulheres mostrando seus projetos ao mundo e recebendo o reconhecimento que merecem por seu trabalho. Hoje é celebrado o Dia Internacional da Mulher e, junto a nossas leitoras e leitores, queremos continuar dando visibilidade à valiosa contribuição que todos os dias milhares de companheiras de profissão oferecem ao campo da arquitetura. 

CAU/SP promove o debate "Qual é o lugar da mulher na profissão?"

16:00 - 7 Março, 2018
CAU/SP promove o debate "Qual é o lugar da mulher na profissão?"

No Dia Internacional da Mulher, 8 de março, o CAU/SP vai realizar um debate sobre o papel das mulheres no exercício profissional da Arquitetura e Urbanismo, sob o tema: Qual é o lugar da mulher na profissão?. Cerca de 60% dos profissionais do país são mulheres, em um total de 97.093 arquitetas e urbanistas, trabalhando em todo o território nacional. De acordo com as estatísticas mais recentes do CAU, as profissionais atuam principalmente nas atividades de projeto, execução e gestão.