Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Mulheres Na Arquitetura

Mulheres Na Arquitetura: O mais recente de arquitetura e notícia

Grafton Architects vence o prêmio RIBA Royal Gold Medal 2020

O Royal Institute of British Architects (RIBA) concedeu a Medalha Real de Ouro de 2020 ao escritório irlandês Grafton Architects. Outorgada pelo RIBA todos os anos, a Medalha Real de Ouro é a maior honraria concedida à um arquiteto ou escritório de arquitetura no Reino Unido. Tanto é verdade que, o vencedor do prêmio deve ser aprovado por Sua Majestade, a Rainha Elisabeth II. Reconhecendo a significativa contribuição do escritório irlandês para a prática da arquitetura no Reino Unido e no mundo, os responsáveis pelo prêmio chamaram à atenção para o trabalho que vem sendo desenvolvido pela Gratton Architects ao longo das últimas décadas, principalmente por seus edifícios públicos excepcionais e a 'humanidade' de seus projetos.

© Brunetti © Ros Kavanagh Cortesia de Grafton Architects © Iwan Baan + 10

Universidade Federal de Alagoas concede à arquiteta Zélia Maia Nobre o título de Doutora Honoris Causa

A Universidade Federal de Alagoas, aprovou, por unanimidade, o Título de Doutora Honoris Causa à arquiteta Zélia de Melo Maia Nobre. Em um momento histórico para a arquitetura nordestina, a “dama do traço elegante”, ícone do movimento moderno regional, foi citada como a “primeira mulher a receber o título de Doutora Honoris Causa da UFAL”, nas palavras da Reitora Valéria Correia, presidente do Conselho Universitário.

Gênero e acesso à profissão: as mulheres na arquitetura

As discussões acerca do acesso de mulheres ao ensino superior e ao mercado de trabalho de forma geral, são tema de importância central ao pensar formas de estabelecer uma situação mais igualitária de condições de vida e protagonismo na sociedade contemporânea. Apesar de pautada em sensos e levantamentos ligados ao mercado formal de trabalho, trata-se de uma reflexão que informa um parâmetro geral das condições atuais da mulher frente às dificuldades produzidas por uma herança latente da estrutura patriarcal e moralista de hierarquias profissionais onde os protagonistas são, e foram historicamente, homens.

Pesquisadora francesa desenvolve novo método de reciclar materiais de construção

A arquiteta e pesquisadora baseada em Paris, Anna Saint Pierre, está repensando a preservação arquitetônica através de seu projeto Granito, que recebeu o prêmio de Melhor Design Consciente na edição deste ano do WantedDesign Brooklyn. Imagem © Anna Saint Pierre/Rimasùu
A arquiteta e pesquisadora baseada em Paris, Anna Saint Pierre, está repensando a preservação arquitetônica através de seu projeto Granito, que recebeu o prêmio de Melhor Design Consciente na edição deste ano do WantedDesign Brooklyn. Imagem © Anna Saint Pierre/Rimasùu

O projeto Granito, de Anna Saint Pierre, busca em estruturas demolidas os ingredientes para novos materiais arquitetônicos.

Rápidas mudanças urbanas acontecem sem muitos nem perceberem. Partes inteiras da história de uma cidade desaparecem da noite para o dia: o que antes era uma parede de pedra lavrada é agora vidro e metal polido. O canteiro de obras é sempre, primeiro, um local de demolição.

Este é o raciocínio que guia Granito, um projeto da jovem arquiteta francesa e pesquisadora de doutorado Anna Saint Pierre. Desenvolvido em resposta a um complexo de escritórios do final do século XX em Paris que passaria por um grande retrofit, envolvendo sua demolição, o trabalho se desdobra de um método de preservação de material que Saint Pierre chama de "reciclagem in situ". Sua proposta defende que a coleta individual dos painéis de granito da fachada cinzenta e sombria do edifício poderia formar a base de uma economia circular. “Não mais na moda”, essa pedra melancólica — todas as 182 toneladas — seria removida e pulverizada, para então ser incorporada no piso da cobertura. 

CAU realiza diagnóstico sobre equidade de gênero. Participe!

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil, através de sua Comissão para a Equidade de Gênero (CTEG), lançou um diagnóstico público para construção coletiva da pauta das mulheres, visando a superação dos desafios do exercício da arquitetura e urbanismo.

Guia “Mulheres na Cidade” mapeará locais e iniciativas voltadas para mulheres em São Paulo

Está aberta a campanha de financiamento coletivo para a criação do guiaMulheres na Cidade“. Idealizado por Carmen Guerreiro e Fernanda Carpegiani, comunicadoras e fundadoras do Formiga-me, o guia irá mapear locais em São Paulo que valorizam, acolhem e reúnem aprendizados femininos na capital.

Alunos e professores da UFAL lançam abaixo-assinado para dar à arquiteta Zélia Maia Nobre o título de Doutora Honoris Causa

Os alunos, professores e colaboradores da Faculdade de Arquitetura & Urbanismo & Design de Alagoas, encabeçados pelas professoras Adriana Capretz Borges da Silva Manhas, Josemary Omena Passos Ferrare e a aluna Cecília Oliveira do Nascimento Rossé, organizaram um abaixo-assinado on-line para conceder à professora Zélia de Melo Maia Nobre o Título de Doutora Honoris Causa da UFAL (Universidade Federal de Alagoas).

Assista Marielle Franco no debate "Arquitetura - Substantivo Feminino"

Hoje completa um ano do brutal assassinato da socióloga e vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco. Na semana anterior de seu assassinato, Marielle participou de uma série de debates organizada pelo CAU/RJ chamada "Arquitetura - Substantivo Feminino" com o objetivo de fortalecer as mobilizações do Dia Internacional da Mulher.

Julia Morgan: a fascinante história de pioneirismo de uma arquiteta muito à frente de seu tempo

Desde que foi fundado em 1851, o The New York Times tem por costume publicar obituários de pessoas famosas. Em sua quilométrica lista de pessoas influentes que já se foram desta para uma melhor, estão algumas das personalidades mais influentes do mundo. Entretanto, assim como o proprio NYT já admitiu, esta lista esteve históricamente dominada pela presença majoritária de apenas uma parcela destas pessoas famosas e influentes, escolhidas por gênero e raça, ou seja, homens ricos e brancos. Em busca de preencher esta lacuna, o The New York Times lançou no ano passado uma série chamada de “Overlooked”, contando a história de importantes mulheres que foram ignoradas desta seleta lista mortuária, entre elas estão Sylvia Plath e Emma Gatewood por exemplo.

Na ocasião da comemoração do dia Internacional da Mulher, o The Times publicou um obituário assinado por Alexandra Lange sobre a vida e legado de Julia Morgan, a primeira mulher a receber a licença de arquiteta no Estado da Califórnia, e “uma das mais prolíficas projetistas da história dos Estados Unidos".

The Hearst Wyntoon Estate; McCloud, CA (1919-1947) / Julia Morgan. Imagem cortesia de California Polytechnic State University, San Luis Obispo, Robert E. Kennedy Library, Sarah Holmes Boutelle Archive Julia Morgan foi a oitava pessoa a receber o prêmio postumamente, o qual vem sendo outorgado desde 1907. Imagem cortesia de The Chronicle Vista aérea de San Simeon em construção. Imagem cortesia de Cal Poly San Luis Obispo Mills College; Oakland, CA (1904-1925) / Julia Morgan. Imagem © Mills College, F. W. Olin Library, Special Collections + 6

12 Mulheres premiadas na arquitetura nos últimos 12 meses

Nos 12 meses que se passaram desde o Dia Internacional da Mulher de 2018, vimos muitas arquitetos tomarem a dianteira na arquitetura. Da curadoria de Shelley McNamara e Yvonne Farrell para a Bienal de Veneza de 2018 ao celebrado projeto de Frida Escobedo para o Serpentine Pavilion, as notícias dos últimos doze meses mostraram muitos sinais de mudança em uma profissão tradicionalmente dominada por homens.

O ArchDaily também esteve ocupado neste último ano, publicando matérias como mulheres na fotografia de arquitetura, sete mulheres influentes da Bauhaus e as mulheres redefinindo o sucesso na arquitetura. Além de notícias e editoriais, as listas de homenagens e cerimônias de premiação feitas por importantes instituições de arquitetura de todo o mundo também voltaram seus olhos a algumas das profissionais de maior destaque no mundo.

Dia Internacional da Mulher: cresce a maioria feminina na arquitetura no Brasil

O Brasil possui atualmente 167.060 arquitetos e urbanistas ativos e registrados no Conselho de Arquitetura e Urbanismo. A maioria, 63,10% (105.420) são mulheres (105.420), enquanto 36,90% (61.640) são homens (61.400). Em 2018, os percentuais eram respectivamente de 62% e 38%. Essa predominância tende a aumentar nos próximos anos, uma vez que a parcela de mulheres entre estudantes é bem maior: 67%. 

Sheila O'Donnell e Xu Tiantian são premiadas no Women in Architecture Awards 2019

Para o Women in Architecture Awards deste ano, a The Architectural Review e o Architects' Journal selecionaram Sheila O'Donnell como Arquiteta do Ano e Xu Tiantian para ganhar o Prêmio Moira Gemill de Arquitetura Emergente. O prêmio de Arquiteta do Ano reconhece a excelência em projeto especificamente no contexto de uma obra recém-concluída e o Prêmio Moira Gemmill de Arquitetura Emergente é concedido a arquitetas mulheres com menos de 45 anos que mostram excelência em projeto, indicando um futuro brilhante.

Tendências de Fevereiro 2019: Igualdade de Gênero

Quando os usuários do ArchDaily começam a coincidir em suas buscas por informação ou demonstram maior interesse por um tema em relação a outros, estes tópicos passam a ser uma tendência. A Igualdade de Gênero será uma das  tendências que influenciarão as discussões urbanas e arquitetônicas ao longo do ano.