Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Sustentabilidade

Sustentabilidade: O mais recente de arquitetura e notícia

Árvores na paisagem urbana - um guia para planejadores e autoridades

09:00 - 14 Setembro, 2019
Árvores na paisagem urbana - um guia para planejadores e autoridades, Cortesia de Tree and Design Action Group
Cortesia de Tree and Design Action Group

Tree and Design Action Group é um grupo que compartilha a visão coletiva de que a localização das árvores, e todos os benefícios que elas trazem, pode ser garantida para as gerações futuras se influenciarmos o planejamento, projeto, construção e gestão de nossa infraestrutura e espaços urbanos.

As árvores fazem os lugares funcionarem e parecerem melhores. Além de desempenhar um papel no microclima de nossos bairros, as árvores também podem ajudar a criar condições para o sucesso econômico. O guia Trees in the Townscape apresenta uma abordagem para a arborização urbana, disponibilizando às autoridades e profissionais, princípios e referências necessários para alcançar o potencial da vegetação no ambiente urbano.

Estruturas de madeira são o futuro dos arranha-céus?

11:30 - 11 Setembro, 2019
Estruturas de madeira são o futuro dos arranha-céus?, Rendering of HAUT. Imagem Cortesia de Team V Architectuur
Rendering of HAUT. Imagem Cortesia de Team V Architectuur

Ao longo dos últimos anos, o desenvolvimento de novas tecnologias e o aumento da procura por materiais e sistemas construtivos mais sustentáveis têm impulsionado o uso de estruturas de madeira na arquitetura do século XXI. Sistematicamente, a madeira se firmou como uma alternativa ao concreto e o aço, passando a ser amplamente utilizada também em projetos de arranha-céus e edifícios em altura. Ao longo dos últimos seis anos foram construídos - ou estão sendo construídos - mais de 44 edifícios em altura com estruturas de madeira. Segundo definição do Council on Tall Buildings and Urban Habitat, podem ser considerados arranha-céus edifícios construídos com estruturas de madeira com mais de quatorze pavimentos ou cinquenta metros de altura. Exemplos notáveis já foram notícia aqui no Archdaily Brasil, como o Edifício T3 desenvolvido em parceria entre a Michael Green Architecture e o DLR Group e a Torre HAUT, projetada pelo Team V Architectuur.

Cidade-esponja: a natureza é a solução para inundações

13:00 - 7 Setembro, 2019
Cidade-esponja: a natureza é a solução para inundações, Um sistema adequado seria capaz de coletar, armazenar e tratar toda água da chuva. Cortesia de CicloVivo
Um sistema adequado seria capaz de coletar, armazenar e tratar toda água da chuva. Cortesia de CicloVivo

Cidades que absorvem a água da chuva e permitem que a água siga seu fluxo natural. Deveria ser fácil, mas inventamos de canalizar nossas águas e não deixamos a própria natureza fazer a parte dela: absorver e purificar. Para o arquiteto chinês Kongjian Yu, essa é a questão central para solucionar um dos maiores problemas da atualidade em grandes centros urbanos: as inundações. 

Técnicas construtivas góticas inspiram o desenvolvimento de lajes leves de concreto na ETH Zurich

13:00 - 3 Setembro, 2019
Técnicas construtivas góticas inspiram o desenvolvimento de lajes leves de concreto na ETH Zurich, © ETH Zurich / Peter Rüegg.
© ETH Zurich / Peter Rüegg.

Com a intenção de maximizar os vãos disponíveis e diminuir custos de construção, pesquisadores do Departamento de Arquitetura da ETH de Zurique criaram uma laje de concreto que, com uma espessura de apenas 2cm, é estrutural e simultaneamente sustentável. Inspirado pela construção de abóbadas catalãs, este novo sistema de lajes substitui barras de aço reforçadas por nervuras verticais estreitas, reduzindo significativamente o peso da estrutura e garantindo a estabilidade para resistir às distribuições irregulares em sua superfície.

Ao contrário dos pisos de concreto tradicionais que são evidentemente planos, estas placas são projetadas para arquear e suportar cargas principais, reminiscente dos tetos abobadados encontrados em catedrais góticas. Sem a necessidade de reforços de aço e com menos concreto, a produção de CO2 é minimizada e os pisos de 2 cm resultantes são 70% mais leves do que suas contrapartes típicas de concreto.

via Block Research Group via Block Research Group via Block Research Group via Block Research Group + 5

Salvador e São Paulo investem em iniciativas para recuperar a Mata Atlântica

07:00 - 25 Agosto, 2019
O governo de Salvador está aumentando parques e incentivando a população a plantas árvores nativas, um esforço para revitalizar o entorno da Floresta Atlântica. Foto: Manu Dias/SECOM
O governo de Salvador está aumentando parques e incentivando a população a plantas árvores nativas, um esforço para revitalizar o entorno da Floresta Atlântica. Foto: Manu Dias/SECOM

E se você pudesse enviar uma mensagem de WhatsApp e uma van verde colorida entregasse mudas de árvores nativas diretamente para você? Em Salvador, a prefeitura faz exatamente isso. Pintada com a imagem de uma floresta brasileira biodiversa, esta van verde faz parte do programa "Disque Mata Atlântica". Desde que foi lançado em 2017, o programa já entregou 4.500 árvores para os moradores que desejam plantar em casa.

SURGE: um hub urbano que combina tecnologia, sustentabilidade e tradição

19:00 - 3 Agosto, 2019
SURGE: um hub urbano que combina tecnologia, sustentabilidade e tradição, Cortesia de Mingfei Sun
Cortesia de Mingfei Sun

O arquiteto chinês Mingfei Sun projetou um hub urbano de orientação ambiental para a cidade de Masdar, em Abu Dhabi. Intitulado SURGE, o projeto explora a imagética do poder da natureza, tornando-se um oásis de grande valor ecológico.

Utrecht cria 300 pontos de ônibus para pessoas e abelhas

07:00 - 3 Agosto, 2019
Utrecht cria 300 pontos de ônibus para pessoas e abelhas, © Barbra Verbij / Clear Channel
© Barbra Verbij / Clear Channel

O Conselho Municipal de Utrecht, nos Países Baixos, em colaboração com a agência de publicidade Clear Channel, transformou 316 pontos de ônibus em toda a cidade em “pontos de abelhas”. A adaptação envolveu a instalação de coberturas verdes nas estruturas, criando espaços adequados para as espécies vegetais ameaçadas.

© Barbra Verbij / Clear Channel © Barbra Verbij / Clear Channel © Barbra Verbij / Clear Channel © Barbra Verbij / Clear Channel + 6

Como as cidades podem ajudar e ser ajudadas pelas abelhas?

11:00 - 30 Julho, 2019
Como as cidades podem ajudar e ser ajudadas pelas abelhas?, Cortesia de COOKFOX
Cortesia de COOKFOX

A produção de alimentos depende diretamente das abelhas, e seu desaparecimento deve gerar efeitos catastróficos à humanidade. Por toda internet circulam textos alarmantes de como esses pequenos insetos estão morrendo. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), 75% dos cultivos destinados à alimentação humana no mundo dependem das abelhas. Por exemplo, um morango suculento e bem formado só é possível se dezenas de abelhas passem pela flor na época certa e o polinizem. Sem elas, ele pareceria mais como uma uva passa.

Cursos livres Escola da Cidade 2o. semestre – inscrições abertas

03:00 - 23 Julho, 2019
Cursos livres Escola da Cidade 2o. semestre – inscrições abertas, Cursos Livres Escola da Cidade – 2° semestre 2019 – inscrições abertas
Cursos Livres Escola da Cidade – 2° semestre 2019 – inscrições abertas

CURSOS LIVRES ESCOLA DA CIDADE – SEGUNDO SEMESTRE DE 2018

A Escola da Cidade abre inscrições para os Cursos Livres oferecidos no segundo semestre de 2019. Os cursos abordam temáticas variadas – como dança, teatro, fotografia, gênero, diagramas, sustentabilidade, história, violência, democracia e geoprocessamento – sempre articulados a questões de arquitetura, urbanismo e cidade.

Inscrições abertas até 16 de agosto

Para inscrições e informações mais detalhadas sobre os cursos acesse ec.edu.br

A atuação de José Luís Sert na América Latina: trânsitos e projetos.
Ministrado pela arquiteta e urbanista Dinalva Derenzo Roldan
24 de setembro a 29 de outubro, terças-feiras, 20h30 às 22h30

A cidade como invenção.
Ministrado

Como podemos reduzir a emissão de carbono em projetos de arquitetura?

11:00 - 18 Julho, 2019
Como podemos reduzir a emissão de carbono em projetos de arquitetura?, Westborough Primary School / Cottrell & Vermeulen Architecture Ltd.. Image © Anthony Coleman
Westborough Primary School / Cottrell & Vermeulen Architecture Ltd.. Image © Anthony Coleman

Estima-se que, desde a década de 70, as demandas de recursos do estilo de vida atual da sociedade excedam a capacidade biológica do planeta para atendê-las. Ou seja, estamos retirando e poluindo a natureza mais do que ela pode se recuperar naturalmente. Segundo o Banco Mundial, se a população mundial chegar mesmo ao número projetado de 9,6 bilhões de pessoas em 2050, serão necessários quase três Planetas Terra para proporcionar os recursos naturais necessários a fim de manter o atual estilo de vida da humanidade.

Diariamente uma quantidade enorme de dióxido de carbono é liberada na atmosfera, através da indústria, transporte, da queima de combustíveis fósseis e até mesmo pela respiração de plantas e seres vivos. À medida que as consequências das mudanças climáticas se tornam mais claras, tanto os governos quanto as empresas do setor privado vêm estabelecendo metas para as reduções de emissões de carbono. O dióxido de carbono é apontado como o principal gás do efeito estufa, e sua alta concentração na atmosfera leva à poluição do ar, chuvas ácidas, entre outras consequências.

10 Soluções de Fachadas Adaptativas para uma Arquitetura Resiliente

11:00 - 11 Julho, 2019
10 Soluções de Fachadas Adaptativas para uma Arquitetura Resiliente, Image Courtesy of TuDelft and the Spong3d project
Image Courtesy of TuDelft and the Spong3d project

O termo “resiliência” tem sido utilizado para os mais distintos assuntos. Sua definição científica é a capacidade de uma substância ou objeto retornar à forma depois de sofrer algum trauma. Ou seja, é bem diferente da resistência, pois trata-se da capacidade de adaptação e recuperação. Na ecologia, a resiliência trata da capacidade de um ecossistema em responder a uma perturbação ou a distúrbios, resistindo a danos e recuperando-se rapidamente. Já na arquitetura, desenhar algo tendo a resiliência em mente pode levar a diversas abordagens. Um projeto resiliente é sempre localmente específico. Prever os possíveis cenários típicos de uso da edificação e mesmo as situações de desastre que poderiam desafiar a integridade do projeto e dos ocupantes é um importante ponto de partida. Além disso, podemos abordar sobre as estruturas e materiais adaptáveis que podem “aprender” de seus ambientes e se reinventar continuamente. Se pensamos em programas e robôs com logaritmos que aprendem com o contexto, porque não podemos usar o mesmo raciocínio em nossas construções?

Selecionamos 10 materiais e soluções adaptativas que trabalham no conceito da Resiliência na Arquitetura e Construção. A pergunta que fica é se essas soluções algumas dia terão uma aplicação massiva ou serão apenas inovações pontuais.

Image Courtesy of Faulders Studio Image Courtesy of TuDelft and the Spong3d project Image Courtesy of TuDelft. ImageDouble Face © Alejandro Cartagena + 24

Drenagem urbana sustentável para a concretização de metas de ODS/ONU

13:00 - 4 Julho, 2019
Drenagem urbana sustentável para a concretização de metas de ODS/ONU, Renaturalização do rio Cheonggyecheon em Seul – Coréia do Sul  Fonte: https://www.koreapost.com.br/wp-content/uploads/2016/01/Rio-Cheonggyecheon-Seul.jpg. Cortesia das autoras
Renaturalização do rio Cheonggyecheon em Seul – Coréia do Sul Fonte: https://www.koreapost.com.br/wp-content/uploads/2016/01/Rio-Cheonggyecheon-Seul.jpg. Cortesia das autoras

Expressiva obra de recuperação do leito natural do rio Cheonggyecheon em Seul – Coréia do Sul e a revitalização urbanística de seu entorno caracterizam exemplo brilhante de Drenagem Urbana Sustentável. A desconstrução baseia-se na premissa da renaturalização, a qual, objetiva retornar ao balanço hídrico pré-urbanização (aumento do tempo de concentração e diminuição do pico de vazão), com alta permeabilidade, e demonstra inegável importância de preservação dos fundos de vale e Áreas de Preservação Permanente - APP's, no Brasil, determinadas pelo Código Florestal.

Soluções simples: como reformar interiores de forma mais econômica e consciente

18:00 - 3 Julho, 2019
Soluções simples: como reformar interiores de forma mais econômica e consciente, Eletrodutos para distribuição da rede elétrica aparente. Aplicação de papel de parede. Projeto: Apartamento 203. Image Cortesia de Apartamento 203
Eletrodutos para distribuição da rede elétrica aparente. Aplicação de papel de parede. Projeto: Apartamento 203. Image Cortesia de Apartamento 203

Também conhecidas como 'obras-secas', conceito cada vez mais utilizado nas reformas de interiores. São soluções simples que modificam a essência de ambientes internos, de maneira mais econômica e sustentável. Através da menor produção de entulhos e, consequentemente, menos desperdício de dinheiro, tempo e matéria-prima. Reunimos nesse guia 8 sugestões que podem auxiliar você a projetar reformas de interiores mais conscientes.

Aplicação de revestimento sobre revestimento. DEPOIS da Reforma de Banheiro em parceria com a Leroy Merlin Brasil.  Projeto: Apartamento 203. Image Cortesia de Apartamento 203 Aplicação de papel de parede. Elétrica projeta com distribuição da rede elétrica aparente. Projeto: Apartamento 203. Image Cortesia de Apartamento 203 DEPOIS da Reforma de Banheiro em parceria com a Leroy Merlin Brasil.  Projeto: Apartamento 203. Image Cortesia de Apartamento 203 Projeto: Apartamento 203. Image Cortesia de Apartamento 203 + 28

Cuiabá terá 82 pontos de ônibus em contêineres com energia solar e jardim suspenso

18:00 - 2 Julho, 2019
Cuiabá terá 82 pontos de ônibus em contêineres com energia solar e jardim suspenso, Foto: Gustavo Duarte / Prefeitura de Cuiabá
Foto: Gustavo Duarte / Prefeitura de Cuiabá

A prefeitura de Cuiabá inaugurou no mês passado o primeiro abrigo de espera de ônibus construído a partir do reaproveitamento de contêineres. O abrigo foi construído em um modelo público-privado, onde as empresas Pantanal Shopping e a Edificatto Arquitetura cederam a parada de ônibus para a prefeitura, em troca da exploração publicitária do espaço.