1. ArchDaily
  2. América Latina

América Latina: O mais recente de arquitetura e notícia

Realidades incômodas da habitação social na América Latina

Concluindo a série de artigos sobre o estudo da habitação social na América Latina, Nikos A. Salingaros, David Brain, Andrés M. Duany, Michael W. Mehaffy e Ernesto Philibert-Petit apresentam uma reflexão sobre os altos preços da terra, grandes esquemas e desestabilização nacional. Confira, a seguir.

Arquitetura para as plantas: estufas e estruturas de cultivo

Orquidário do Parque Bicentenário . Image © vladimix [Flickr] bajo licencia CC BY-SA 2.0 Edifício do Jardim Botânico Cosmovitral. Image © Rosa Menkman [Flickr] bajo licencia CC BY 2.0 Estufa principal do Jardim Botânico Carlos Thays . Image © Mariana Etulain Orquidário do Jardim Botânico de Quito. Image © Pedro M. Martínez Corada [Wikimedia] bajo licencia CC BY-SA 4.0 + 11

As construções e estruturas destinadas ao cultivo de plantas - como as estufas e orquidários - são fundamentalmente espaços arquitetônicos que articulam o controle e a manipulação dos fatores ambientais como temperatura e umidade, permitindo adaptar esses parâmetros a demandas específicas das espécies mantidas - seja para seu cultivo, sua preservação ou sua exposição. Os projetos costumam variar segundo o uso e a localização geográfica da estrutura, sob influência de questões como o clima local, a altura das espécies a alojar, as demandas de ventilação, ou considerações como se a construção será temporária ou permanente, podendo por vezes se configurar a partir de sistemas de partes montáveis e desmontáveis. No entanto, existem alguns parâmetros comuns que atravessam esse tipo de construção. De forma geral, tendem a seguir uma linha similar em termos de materialidade e organização: para aproveitar os efeitos da radiação solar, as estufas apresentam com coberturas e fechamentos translúcidos, como vidro ou plástico, e se estruturam através de sistemas leves de peças que permitam grandes vãos, podendo ser de ferro, madeira, bambu, etc.

Estratégias de construção para habitação social na América Latina

<a href='https://www.plataformaarquitectura.cl/cl/758820/fundacion-mi-parque-avanzando-hacia-un-diseno-participativo-de-areas-verdes?ad_medium=gallery'>Avanzando hacia un diseño participativo de áreas verdes</a>. Image Cortesía de Mi Parque
Avanzando hacia un diseño participativo de áreas verdes. Image Cortesía de Mi Parque

O artigo a seguir faz parte de uma série desenvolvida por Nikos A. Salingaros, David Brain, Andres M. Duany, Michael W. Mehaffy e Ernesto Philibert-Petit, que explora as particularidades da habitação social na América Latina. Nesta ocasião, os autores lidam com o papel da participação nos processos de projeto e construção de um tecido urbano saudável baseado na experiência de Christopher Alexander. 

10 Obras icônicas do brutalismo na América Latina

via Usuário Flickr: Renovación República CC BY 2.0
via Usuário Flickr: Renovación República CC BY 2.0

A arquitetura brutalista responde a um momento histórico. Terminava a Segunda Guerra Mundial e das cinzas surge uma nova forma de Estado, junto com um nova ordem global que vai incluir, com maior protagonismo, a Estados periféricos. 

A arquitetura brutalista nasce como resposta a ideias de estados benfeitores, estados robustos que vão sustentar e dirigir a nova sociedade de massas. Como disse o crítico Michael Lewis "o brutalismo é a expressão vernacular do estado benfeitor".

Transpondo fronteiras: a nova arquitetura moderna do Paraguai

O Paraguai que conhecemos hoje já não é mais aquele de outrora, e assim como o país se transformou ao longo do último século, sua arquitetura passou por um radical processo de mudança durante os últimos cem anos. A herança cultural indígena do povo Guaraní esteve, por muito tempo, onipresente em todo território e como a principal referência na produção e organização do ambiente construído do país. Mais tarde, o colonialismo viria para transformar para sempre as relações entre o povo e seus assentamentos urbanos. Há alguns anos porém, este pequeno país latino-americano começou a redescobrir o seu próprio passado através de novas práticas de arquitetura, principalmente, em projetos de pequena escala.

Buenos Aires, Cidade do México e São Paulo entre as 50 melhores cidades para se investir em 2019

O Global Power City Index (GPCI) é um relatório anual no qual as principais cidades do mundo são ranqueadas conforme o seu poder de "magnetismo", ou seja, a capacidade que estas cidade tem para atrair investimentos, pessoas e capital. No relatório deste ano, o GPCI incluiu três cidades latino-americanas entre as cinquenta cidades mais atrativas para se investir.

Habitação social na América Latina: urbanismo como libertação do ideal de casa

Na continuação da série de artigos sobre o estudo da habitação social na América Latina, Nikos A. Salingaros, David Brain, Andrés M. Duany, Michael W. Mehaffy y Ernesto Philibert-Petit apresentam uma reflexão sobre a imagem idealizada da casa desejável e a importância de levar a sério as expectativas das pessoas.

Problemas e soluções para a habitação social na América Latina

Dando sequência à série de artigos sobre habitação social na América Latina, Nikos A. Salingaros, David Brain, Andrés M. Duany, Michael W. Mehaffy e Ernesto Philibert-Petit apresentam uma reflexão sobre os problemas e soluções para as favelas.

As cidades mais seguras da América Latina em 2019

Posição Mundial: 50. Imagem © Fabian Dejtiar Posição Mundial: 51. Imagem © Wikipedia user: Daviddavid00 Licensed under CC BY-SA 2.0 Posição Mundial: 40. Imagem © Flickr User: Eneas De Troya Licensed under CC BY 2.0 Imagen de <a href="https://pixabay.com/es/users/Poswiecie-461975/?utm_source=link-attribution&amp;utm_medium=referral&amp;utm_campaign=image&amp;utm_content=2790455">Poswiecie</a> en <a href="https://pixabay.com/es/?utm_source=link-attribution&amp;utm_medium=referral&amp;utm_campaign=image&amp;utm_content=2790455">Pixabay</a>. ImagePuesto Mundial: 41 + 9

O Índice de Cidades Seguras (SCI) da Unidade de Inteligência do The Economist classifica 60 cidades de todo o mundo com base em indicadores que abrangem segurança digital, segurança da saúde, infraestrutura e segurança pessoal.

Se observarmos a América Latina - deixando de lado a repetida liderança de Tóquio, seguida por Singapura, Osaka, Amsterdã e Sydney -, que posição as cidades de nosso continente ocupam em relação à segurança em 2019?

Novo masterplan para a Universidade de Lima explora novos métodos de aprendizado

Cortesia de Sasaki Cortesia de Sasaki Cortesia de Sasaki Cortesia de Sasaki + 10

A Universidade de Lima, a instituição mais influente do Peru, está expandindo seu campus, no coração da capital Lima, para oferecer uma nova experiência de aprendizado.

O objetivo principal do projeto é trazer toda a cidade universitária para o campus central em Lima. Essa abordagem vem da compreensão da importância das “cidades universitárias” como um valioso fator econômico. O masterplan busca tornar o campus o mais inclusivo possível, reestruturando todos os equipamentos para a permanência dos estudantes.

Estratégias de manutenção para habitação social na América Latina

Dando sequência à série de artigos de Nikos A. Salingaros, David Brain, Andrés M. Duany, Michael W. Mehaffy y Ernesto Philibert-Petit sobre o estudo da habitação social na América Latina, nesta ocasião os autores discutem as esratégias de manutenção dos conjuntos. 

Habitação social na América Latina: trabalhar com (ou contornar) o sistema

Dando sequência à série de artigos de Nikos A. Salingaros, David Brain, Andrés M. Duany, Michael W. Mehaffy y Ernesto Philibert-Petit sobre o estudo da habitação social na América Latina, nesta ocasião os autores discutem os processos de trabalho e o sistema operativo da construção. 

Estratégias de financiamento de pequena escala para habitação social na América Latina

Dando sequência à série de artigos de Nikos A. Salingaros, David Brain, Andrés M. Duany, Michael W. Mehaffy e Ernesto Philibert-Petit sobre o estudo da habitação social na América Latina, nesta ocasião os autores questionam as alternativas econômicas para enfrentar os custos de construção. 

A necessidade de materiais adaptáveis na habitação social latino-americana

A série de artigos de Nikos A. Salingaros, David Brain, Andrés M. Duany, Michael W. Mehaffy y Ernesto Philibert-Petit sobre o estudo da habitação social na América Latina continua, e nesta ocasião os autores questionam as escolhas dos materiais construtivos mais frequentemente empregados.