1. ArchDaily
  2. Europa

Europa: O mais recente de arquitetura e notícia

Prêmio Mies van der Rohe 2022 divulga lista de projetos finalistas

A Comissão Europeia e a Fundação Mies van der Rohe anunciaram recentemente a uma segunda lista de projetos indicados ao Prêmio Mies van der Rohe de 2022. Isso significa que, com estas 85 novas obras selecionadas, a lista completa de participantes para o Prêmio Mies van der Rohe de 2022 conta atualmente com 532 projetos de arquitetura realizados nos últimos 2 anos e meio. Deste total sairá a lista de 40 finalistas, a qual será anunciada em janeiro de 2022. Os projetos vencedores, por sua vez, serão revelados apenas em abril do próximo ano, com a cerimônia de premiação prevista para ser realizada durante o seguinte mês de maio.

Kirkkonummi Library (Fyyri) - Finland ©Tuomas Uusheimo. Image Courtesy of EU Mies AwardHarbor Building Belgium ©Karin Borghouts. Image Courtesy of EU Mies AwardPatio of the Faculty of Fine Arts Spain ©Jesús Granada. Image Courtesy of EU Mies AwardAlbania - VIlla Mara ©Genti Onuzi. Image Courtesy of EU Mies Award+ 10

A arquitetura vernacular pode se tornar um fetiche?

Quando falamos de arquitetura vernacular, na maioria dos casos, estamos nos referindo a uma forma de se construir específica de uma determinada região—ou uma arquitetura que incorpora sistemas construtivos e materiais locais. As características que definem a arquitetura vernacular, portanto, variam enormemente de lugar para lugar, compreendendo exemplos que vão desde as Casas Colmeias de Harran, na Turquia, às tradicionais casas malaias encontradas em todo o sudeste da Ásia. Dito isso, a arquitetura vernácula continua sendo hoje uma das principais fontes de inspiração para muitos arquitetos e arquitetas ao redor do mundo.

Tulou dwellings, China. Image © Flickr user Slices of Light licensed under CC BY-NC-ND 2.0Reed Houses in Ma'dan, Iraq. Image © Flickr user davidstanleytravel licensed under CC BY 2.0Putucos. Image © Nicolás ValenciaWarka Village, Cameroon. Image © WarkaWater, via CicloVivo+ 9

Preparando as cidades para o pior cenário: os desafios urgentes das mudanças climáticas

O recente agravamento das mudanças climáticas e os decorrentes desastres naturais que cada dia mais frequentemente assolam o nosso planeta, juntamente com a contínua exploração predatória dos recursos naturais e os poucos esforços que têm sido feitos para diminuir a emissão de gases do efeito estufa, levantam uma preocupação crescente sobre o futuro da vida nas cidades. Para além de todos os esforços necessários para minimizarmos o agravamento das mudanças climáticas em curso, se faz iminente que comecemos a pensar e desenvolver estratégias que nos permitam preparar nossas cidades para os inevitáveis desafios que estão chegando, como aumento dos níveis das marés e das inundações por um lado, e a seca e o calor extremo de outro. Pensando nisso, o artigo a seguir nos convida a pensar e refletir como poderíamos construir cidades mais resilientes, permitindo que as mesmas se adaptem e se transformem em resposta aos desafios do futuro.

Bryggervangen and Sankt Kjeld’s Square in Copenhagen. Imagem © SLAThe Oasys by Mask Architects. Imagem Cortesia de Genc Design StudioLinear park regenerates Mexico City's historic Grand Canal. Imagem © Onnis LuquQunli Stormwater Wetland Park in Chinaby Turenscape. Imagem Cortesia de Turenscape+ 7

As cidades estão encolhendo: vida e morte do espaço urbano na sociedade contemporânea

Na maioria dos casos, o planejamento urbano é uma prática desenvolvida com base na suposição de que toda cidade cresce, ou que pelo menos, deveria crescer. Entretanto, a realidade nos mostra que nem sempre tudo parece funcionar como o previsto, e que em nossa sociedade hoje, muitas cidades estão passando por um processo inverso, de decrescimento ou despovoamento. E isso não significa dizer que em cidades que decrescem o planejamento urbano seja algo desnecessário, muito pelo contrário, neste caso esta prática talvez seja ainda mais importante—além do fato de que ela deve assumir novos conceitos, critérios e estratégias capazes de fazer frente a este grande desafio. O fenômeno do despovoamento é um processo de declínio urbano generalizado que pode ter as mais diversas e complexas causas que vão desde mudanças significativas nos meios de produção, fenômenos migratórios, conflitos ou esgotamento dos recursos naturais. Buscando somar evidências e colaborar com o desenvolvimento do profuso debate que gira em torno do tema atualmente, a seguir apresentaremos algumas das principais abordagens que algumas cidades em processo de despovoamento tem incorporado em suas estratégias de planejamento urbano.

<a href="https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Altena_Burg_20051030.jpg">Dr.G.Schmitz</a>, <a href="https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0">CC BY-SA 3.0</a>, via Wikimedia Commons. ImageAltena, former industrial city in GermanySetnom from Chile, CC BY 2.0 <https://creativecommons.org/licenses/by/2.0>, via Wikimedia Commons. ImageSewell mining town in ChileAnina, mining town in Romania. Image © Tudor ConstantinescuHristina Stojanovic. ImageThe mining city of Bor+ 6

Já existem modelos viáveis de moradias de qualidade a preços acessíveis

Este artigo foi publicado originalmente no Common Edge.

Na reedição desta semana, o autor Walter Jaegerhaus explora o desafio da habitação nos EUA, traçando uma linha do tempo da evolução de diferentes soluções arquitetônicas de todo o mundo. Buscando "inspirar arquitetos de hoje a criar novas opções de habitação" e esperando "que os EUA possam novamente abraçar suas origens experimentais e testar novas ideias e métodos", o artigo destaca exemplos da Europa e das Américas.

Habitat 67, Montreal, por Moshe Safdie. Imagem cortesia de Creative CommonsSchlangenbader Straße Housing, Berlim, de Georg Heinrich. Imagem cortesia de Creative CommonsCube Houses, Rotterdam, de Piet Bloom. Imagem cortesia de Creative CommonsExposição Internacional de Construção, Viena. Via Der Tagesspiegel. Imagem cortesia de Creative Commons+ 17

Cidades dentro de cidades: as Chinatowns ao redor do mundo

A atual geografia humana de nosso planeta foi moldada ao longo dos séculos através de intensos processos migratórios e intercâmbios culturais. O constante movimento de bens e pessoas pelos quatro cantos do globo, inteiras comunidades que ao se afastar de seus lugares de origem levaram consigo traços de sua cultura e sociedade, acabou finalmente por influenciar o processo de desenvolvimento da arquitetura e construção de cidades ao redor do mundo. Isso significa também que,  no processo de estabelecimento em um novo território, muitas destas comunidades costumam reproduzir seus antigos padrões que geralmente, resultam na formação de pequenos enclaves que muito de distinguem das cidades onde se encontram.

© Andrea Badino via Unsplash© Wikimedia User Enoch Lau under Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported license© Wikimedia User chensiyuan under the Creative Commons Attribution-Share Alike 4.0 International license© NYC DOT+ 13

Conheça os vencedores do Prêmio Europeu de Intervenção no Patrimônio Arquitetônico 2021

O Prêmio Europeu de Intervenção no Patrimônio Arquitetônico (AHI), organizado pelo Colégio de Arquitetos da Catalunha (COAC) e pela Associação de Arquitetos para a Defesa da Intervenção no Patrimônio Arquitetônico (AADIPA), acaba de anunciar os vencedores da sua última edição, em ocasião da Bienal Internacional de Intervenção no Patrimônio Arquitetônico de 2021.

Evolução da planta residencial: da Revolução Industrial ao período entre Guerras

A introdução de novas técnicas e materiais, juntamente com as inovações na infraestrutura, resultantes da revolução industrial, abriu o caminho para a habitação vertical. Investigando especificamente um período de tempo em que um fluxo populacional foi direcionado para as cidades e as divisões de classes sociais foram questionadas, este artigo analisa a evolução da planta residencial na Europa entre 1760 e 1939.

Estudando a transformação da unidade habitacional durante a revolução industrial até o período entre guerras, este artigo destaca quatro exemplos proeminentes que repensaram os layouts tradicionais e responderam aos desafios de sua época. Ainda hoje influentes, os modelos mencionados, restaurados para uso, fazem parte do tecido urbano do século XXI. Localizados em Londres, Paris, Amsterdã e Moscou, as plantas mostram os padrões de bem-estar interior em constante mudança, diretamente ligados a uma metamorfose mais ampla, equalizando e proporcionando o crescimento das populações urbanas. Descubra a evolução das unidades habitacionais, desde as casas geminadas até as cidades-jardim da Inglaterra; o Bloco de Haussmann, uma vida vertical para uma burguesia moderna; a Extensão de Amsterdã, das Alcovas aos Blocos de Habitação Social; e a Transition Type House na Rússia.

Ilustração antiga da Rue de la Paix, em Paris, antes da inauguração da Rue de l'Imperatrice. Criado por Provost, publicado em L'Illustration, Journal Universel, Paris, 1868. Imagem via Shutterstock/ by Marzolinovia BirminghamLiveA rue des Moineaux em 1860 (clichê Marville) antes da abertura da avenue de l’Opera. Imagem via Urban Forms: The Death and Life of the Urban Block by Ivor Samuels, Phillippe Panerai, Jean Castex, Jean Charles DepauleResidências "Eigen Haard", Spaarndammerplantsoen, Amsterdã, Estado Original, 1915. Imagem via Wikimedia+ 21

New European Bauhaus abre chamada de ideias para o futuro do ambiente construído

Em setembro passado, a União Europeia lançou a New European Bauhaus, uma iniciativa destinada a transformar o ambiente construído em algo mais sustentável e com maior valor social. O projeto, moldado por meio de um processo de co-design sem precedentes, convida agora arquitetos, estudantes, especialistas e cidadãos a compartilhar ideias, exemplos e desafios que ajudarão a definir as etapas concretas do movimento.

Transformação de 530 habitações por Lacaton & Vassal + Frédéric Druot + arquitetura Christophe Hutin. Imagem © Philippe RuaultPonte Pedonal e Ciclo Lille Langebro de WilkinsonEyre. Imagem © Rasmus HjortshõjCopenHill Energy Plant and Urban Recreation Center by BIG. Imagem © Rasmus HjortshõjAuditório e Centro de Congressos Plasencia by Selgascano. Imagem © Iwan Baan+ 7

Belgrado brutalista pelas lentes de Alexey Kozhenkov

O brutalismo é um estilo arquitetônico profundamente divisor - uma subcategoria do movimento modernista que apresentava acabamentos de concreto à vista, formas incomuns e uma estética sem dúvida única. Com especial protagonismo no Brasil e no Reino Unido, exemplos emblemáticos desse estilo também podem ser encontrados na Europa Oriental – particularmente, no território anteriormente conhecido como Iugoslávia.

© Alexey Kozhenkov"Prédio TV" - on Block 28. Imagem © Alexey Kozhenkov© Alexey Kozhenkov© Alexey Kozhenkov+ 9

Prêmio EU Mies van der Rohe 2022 divulga lista de obras selecionadas

O Prêmio da União Europeia para a Arquitetura Contemporânea, Prêmio Mies van der Rohe, acaba de anunciar as primeiras 449 obras para concorrer na sua edição de 2022. Selecionados em 279 cidades de 41 países, os projetos foram nomeados por especialistas europeus independentes, associações nacionais de arquitetura e pelo Comitê Consultivo do Prêmio.

Copenhill/ Dinamarca ©Rasmus Hjortshoj. Imagem cortesia do Prêmio Mies van der RoheRequalificação da Frente Marítima da Cidade da Horta / Portugal ©Filipe Goncalves. Imagem cortesia do Prêmio Mies van der RoheBiblioteca Central de Oslo / Noruega ©EINAR ASLAKSEN. Imagem cortesia do Prêmio Mies van der RoheGudlaug Baths / Islândia ©Ragnar Th Sigurðsson_Arctic Images. Imagem cortesia do Prêmio Mies van der Rohe+ 15

GRAFT projeta estação modular de carga rápida para veículos elétricos

GRAFT e Brandlab criaram um protótipo para uma estação de carregamento ultrarrápida para o E.ON Drive na Europa. O sistema extensível e modular foi concebido para se adaptar a diferentes locais e condições de estacionamento. Imaginando a escala para o futuro, o projeto se concentra na experiência do usuário e no design integrado, à medida que os postos de abastecimento evoluem e veículos elétricos se tornam cada vez mais comuns. O projeto apresenta uma estrutura de cobertura de aço que pode ser personalizada com diversos materiais, painéis solares e iluminação responsiva.

Cortesia de GRAFTCortesia de GRAFTCortesia de GRAFTCortesia de GRAFT+ 6

De metodologias lúdicas a cenários fictícios: 5 jovens escritórios da Europa

Cinco novos escritórios de arquitetura, com sede em Portugal, Espanha, França e República Checa, foram escolhidos pelo New Generations, uma plataforma que observa o que há de mais inovador dentre os arquitetos europeus, proporcionando um espaço para troca de conhecimento e confronto, teoria e produção. Desde a sua fundação em 2013, a New Generations trouxe à público mais de 300 escritórios promissores de arquitetura, apresentando um cenário diversificado de studios e ateliês dedicados às mais diferentes atividades culturais, promovendo festivais, exposições, chamadas abertas, entrevistas e oficinas.

O brutalismo na arquitetura religiosa, pelas lentes de Stefano Perego

Iglesia parroquial de la Resurrección de Cristo, por los arquitectos Günther Domenig y Eilfried Huth. Oberwart, Austria. (1966-1969). Image © Stefano PeregoTemplo Nacional de María, Madre y Reina, también conocido como Santuario del Monte Grisa, por el arquitecto Antonio Guacci. Trieste, Italia (1963-1965). Image © Stefano PeregoCatedral de San Buenaventura, por el arquitecto Miroslav Matasović. Banja Luka, Bosnia y Herzegovina (1972-1973). La torre del reloj fue construida posteriormente en 1990-1991. Image © Stefano PeregoCatedral de Cristo Rey, por los arquitectos Adalberto Libera y Cesare Galeazzi. La Spezia, Italia (1956-1975). Image © Stefano Perego+ 22

Carregada de grande carga simbólica, a arquitetura religiosa é conhecida tanta pela monumentalidade de seus edifício quanto pela riqueza de seus espaços interiores. Escala, materialidade e luz são alguns dos principais elementos utilizados por arquitetos e projetistas quando se trata de manipular e criar espaços de contemplação e prece, características espaciais capazes de conduzir os fiéis à uma experiência sagrada através do espaço.

8 Casas na Croácia que renovam a arquitetura tradicional do país

© Bosnić+Dorotić
© Bosnić+Dorotić

A Croácia é um encontro de culturas. Localizada ao longo do Mar Adriático, faz fronteira com cinco países e possui uma das mais ricas biodiversidades da Europa. O ambiente construído reflete influências da Europa Central e do Mediterrâneo, bem como dos Impérios Romano e Bizantino. Hoje, novos projetos residenciais reinterpretam o passado do país, ao passo que arquitetos e designers procuram reimaginar o que o futuro reserva.

© Jure Živković© Ivan Dorotić© Jan Stojkovic© Jure Živković+ 12

De questões urbanas a moradias multifamiliares: 4 jovens escritórios europeus

New Generations é uma plataforma europeia que analisa os escritórios emergentes mais inovadores do continente, proporcionando um novo espaço de troca de conhecimentos, teoria e produção. Desde 2013, a New Generations já envolveu mais de 300 práticas em um programa diversificado de atividades culturais como festivais, exposições, chamadas públicas, vídeo-entrevistas, workshops e formatos experimentais.

Praga: uma janela para o mundo

Poucas cidades no mundo são capazes de combinar a riqueza de sua história e a leveza da vida moderna tão bem quanto Praga. Chamada de “a mãe de todas as cidades”, Praga foi uma das poucas cidades poupada da destruição generalizada durante a Segunda Guerra Mundial e, como resultado disso, seu patrimônio arquitetônico abarca estruturas construídas ao longo de quase um milênio. Como centro político, cultural e econômico do país, a cidade se tornou uma das metrópoles mais visitadas de toda a Europa, um lugar incrível onde o passado e futuro convivem em perfeita harmonia.

© Alex Shoots Buildings© Ondřej Bouška© Ester Havlová© BoysPlayNice+ 13