Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Veneza

Veneza: O mais recente de arquitetura e notícia

Por que Veneza inunda e o que está sendo feito para evitar isso?

Ao longo de novembro de 2019, Veneza foi inundada pelos piores alagamentos da cidade em meio século. Fotografias e vídeos se espalharam pelo mundo mostrando a icônica Praça de São Marcos debaixo d'água, com uma onda de 2 metros de altura, ameaçando gerar danos irreparáveis a locais históricos, como a Basílica de São Marcos. Enquanto a cidade luta contra o aumento dos níveis de água desde o século V, as recentes inundações, no contexto das mudanças climáticas, estimularam o debate sobre como as cidades costeiras são vulneráveis ao aumento do nível do mar e como os danos podem ser mitigados.

Inundações na Praça de São Marcos, Veneza. Imagem via Shutterstock Porto em Veneza. Imagem via Shutterstock O projeto de infraestrutura do MOSE. Imagem via Shutterstock Becos inundados em Veneza. Imagem via Shutterstock + 6

Itália proíbe grandes cruzeiros de entrarem em Veneza

A partir de setembro, todos os navios com mais de mil toneladas serão proibidos de entrar na lagoa de Veneza. O governo italiano tomou a decisão após protestos em decorrência de acidentes - o mais recente deles ocorrido em junho de 2019, quando 5 pessoas ficaram feridas após a colisão entre um navio de cruzeiro, o cais e um pequeno barco turístico.

Cloudscapes / Transsolar & Tetsuo Kondo Architects

Cortesia de Transsolar & Tetsuo Kondo Architects Cortesia de Transsolar & Tetsuo Kondo Architects Cortesia de Transsolar & Tetsuo Kondo Architects Cortesia de Transsolar & Tetsuo Kondo Architects + 7

Veneza, Itália

Guia de arquitetura de Veneza: 11 visitas imperdíveis

 Il Fondaco dei Tedeschi / OMA. Imagem: © Delfino Sisto Legnani + Marco Cappelletti
Il Fondaco dei Tedeschi / OMA. Imagem: © Delfino Sisto Legnani + Marco Cappelletti

Veneza é certamente um dos destinos mais procurados da Europa por viajantes do mundo inteiro. A cidade tem atrativos em muitas áreas, da gastronomia à arte, passando evidentemente pela arquitetura, uma arte que acompanha a cidade e se faz evidente sobretudo nas Bienais de Arquitetura, que ocorrem desde 1980. Além da Bienal, a ilha tem muito a oferecer àqueles interessados em conhecer lugares que, por excelência, falam da relação entre passado e presente, da conservação da memória histórica, das novas técnicas a serviço de edifícios em constante relação com a água, etc. 

David Chipperfield projeta renovação de edifício histórico na Piazza San Marco de Veneza

A renovação do edifício histórico Procuratie Vecchie, em Veneza, por David Chipperfield Architects, está programada para começar em breve, após a permissão da Superintendência de Arqueologia, Belas Artes e Paisagem. Pela primeira vez em 500 anos, uma grande parte da Procuratie Vecchie na Piazza San Marco será disponibilizada ao público para receber atividades da Rede de Segurança Humana, apoiando comunidades vulneráveis.

© David Chipperfield Architects © David Chipperfield Architects © David Chipperfield Architects © David Chipperfield Architects + 6

Fotografias de Mayank Thammalla transformam os canais de Veneza em pinturas arquitetônicas

Nada é comum na cidade de Veneza. Seja a arquitetura de cores vivas que nos leva de volta ao seu período gótico e bizantino, ou o fato de que a cidade foi construída sobre a água, Veneza é um destino intrigante para o mundo todo.

A cada visita a Veneza, o arquiteto e fotógrafo londrino Mayank Thammalla descobria novas perspectivas cenográficas da cidade, muitas vezes escondidas sob sua arquitetura. Em sua recente série fotográfica Echoes of Venice, Thammalla usou os canais como sua tela de pintura, retratando a erosão das estruturas arquitetônicas da cidade a partir de reflexos nas ondulações da água.

Instalação Blurry Venice / Plastique Fantastique

Cortesia de Plastique Fantastique Cortesia de Plastique Fantastique Cortesia de Plastique Fantastique Cortesia de Plastique Fantastique + 11

Veneza, Itália
  • Arquitetos: Plastique Fantastique
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área: 212.0
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano: 2019

Cidade versus água: entenda como Veneza foi construída

Seja do ponto de vista do turista francês, da narrativa do filósofo Jean Paul Sartre, ou como ponto de partida das investidas desbravadoras de Marco Polo em suas Viagens, a cidade de Veneza faz parte de um imensurável repertório literário global, ocupando o lugar de objeto misterioso e belo que instiga qualquer um que se disponha a experienciá-la. Ela figura em livros de artes e história, quando o foco está nas grandes obras de arquitetura e artes visuais que a cidade carrega, ou quando há interesse nas divergentes e lendárias narrativas que dizem respeito à sua origem. Nos livros de ficção, a áurea calma de seus canais, as pequenas vielas, as cores e texturas de sua paisagem são plano de fundo para uma miríade de histórias imaginadas.

Exposição : A Paisagem do Trabalho

Com satisfação convidamos para a abertura da exposição: A paisagem do Trabalho/ Landscape of Work, trabalho realizado por equipe de professores e alunos da FAUSP, que recebeu Menção Honrosa na Bienal de Veneza 2018: Free Space.

Fotografias de Denise Scott Brown são expostas em Nova Iorque e Londres

A Carriage Trade Gallery, em Nova Iorque, inaugurou uma exposição que celebra a fotografia de Denise Scott Brown, destacando o significado da pop art no vernáculo americano. O projeto foi iniciado por Scott Brown e exibido pela primeira vez em Veneza em 2016, os recentes eventos em Londres e Nova Iorque foram organizados pela PLANE-SITE.

A exposição, intitulada “Photographs 1956-1966”, tem co-curadoria de Andres Ramirez e apresenta 10 fotografias, todas disponibilizadas para venda limitada. Além da mostra na Carriage Trade, uma exposição simultânea está sendo realizada nas Window Galleries da Central Saint Martins, em Londres.

Cortesia de Carriage Trade. Foto de Nicholas Knight. Cortesia de Carriage Trade. Foto de Nicholas Knight. Cortesia de Carriage Trade. Foto de Nicholas Knight. Cortesia de Carriage Trade. Foto de Nicholas Knight. + 24

Mega projeto de regeneração industrial na China traz lições para o mundo

Em todo o mundo, as cidades estão se rebelando contra a indústria pesada. Embora algumas razões variem dependendo das circunstâncias locais, um impulso global comum em direção à energia limpa, a mudança das economias desenvolvidas para os serviços financeiros, a automação e a economia GIG, estão deixando um rastro comum nos centros urbanos. De Pequim a Detroit, vastas estruturas de aço e concreto permanecerão como relíquias vazias da era do metal e do carvão.

A questão sobre o que fazer com esses terrenos baldios, com fornos defuntos, ferrovias, chaminés e lagos, pode ser uma das principais questões urbanas que as próximas gerações de arquitetos enfrentarão. O que pode ser feito quando a impraticabilidade dos complexos industriais, e a preciosa terra que ocupam desnecessariamente, colide com a energia incorporada, as memórias e as histórias que poucos gostariam de perder?

Cortesia de CCTN Design Cortesia de CCTN Design Cortesia de CCTN Design Cortesia de CCTN Design + 20

o jardim (a)temporal / Ocamica Tudanca arquitectos

Cortesía de Ocamica Tudanca arquitectos Cortesía de Ocamica Tudanca arquitectos Cortesía de Ocamica Tudanca arquitectos Cortesía de Ocamica Tudanca arquitectos + 23

Veneza, Itália

Capela de San Giorgio Maggiore / Andrew Berman Architect

© Adria Goula © Adria Goula © Adria Goula © Adria Goula + 18

Veneza, Itália

Como (não) projetar uma Bienal: "Freespace" é realmente um espaço livre?

© Italo Rondinella
© Italo Rondinella

Este artigo foi originalmente publicado pela Metropolis Magazine sob o título "Taking a Second Look at This Year's Nebulous Venice Architecture Biennale."

Uma das poucas verdades incontestáveis que emergiram durante a 16ª Bienal Internacional de Arquitetura de Veneza, inaugurada no último dia 26 de maio e aberta ao público até o próximo dia 25 de novembro, é que a sensibilidade e habilidade em projetar não necessariamente fazem de um arquiteto um bom curador de uma bienal.

Conheça o interior das Capelas do Vaticano na Bienal de Veneza com este vídeo do Spirit of Space

Norman Foster. Imagem Cortesia de Foster + Partners
Norman Foster. Imagem Cortesia de Foster + Partners

A Cidade do Vaticano participou da Bienal de Arquitetura de Veneza pela primeira vez este ano, convidando o público a explorar uma sequência de capelas exclusivas projetadas por renomados arquitetos, incluindo Norman Foster, Eduardo Souto de Moura e Carla Juaçaba. Localizadas nos bosques que cobrem a ilha de San Giorgio Maggiore, as obras oferecem interpretações da capela de 1920 de Gunnar Asplund, no Woodland Cemetery, em Estocolmo, um exemplo inspirador de arquitetura memorialista modernista, ambientado em um contexto similarmente arborizado.

Um novo vídeo produzido pela Spirit of Space oferece um breve tour virtual pelas estruturas que compõem o pavilhão da Santa Sé, permanecendo em cada uma delas apenas o tempo suficiente para mostrar diferentes ângulos e vistas. À medida que o público circula pelas capelas é possível perceber uma ideia do percurso em cada ambiente.

O resgate dos mosaicos de Veneza: projeto busca proteger a Basílica de São Marcos

Segundo patrimônio construído mais visitado da Europa, atrás apenas do Coliseu em Roma, a Basília de São Marcos em Veneza recebe anualmente mais de 5 milhões de visitantes. Suportando este contingente, os pisos de mosaico bizantino do século XI parecem, no entanto, sucumbir ao efeito das marés da cidade flutuantes.

As ondulações no chão da basílica são perceptíveis à olho - os pés já não as tocam há uma década, sendo permitido caminhar apenas sobre tapetes sintéticos - chegando a rachar nos pontos mais críticos, sobretudo no centro do edifício. Atualmente, apenas 20% das figuras geométricas de mármore e pedra são originais, o restante foi restaurando ao longo dos últimos 10 séculos pelos artesãos da Fábrica de São Marcos. 

oxymoron / Sauerbruch Hutton

© Jan Bitter © Jan Bitter © Jan Bitter © Jan Bitter + 18

Veneza, Itália
  • Arquitetos: Sauerbruch Hutton
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área: 20.0
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano: 2018