1. ArchDaily
  2. Roterdã

Roterdã: O mais recente de arquitetura e notícia

Primeiro "art depot" totalmente acessível do mundo é inaugurado em Roterdã

O Depot Boijmans Van Beuningen, primeiro depositório de arte totalmente acessível do mundo projerado pelo MVRDV, abriu suas portas ao público. A abertura oficial aconteceu hoje, 5 de novembro, e a partir de amanhã o público já poderá acessar as dependências do equipamento. Localizada no Museumpark no centro de Roterdã, Países Baixos, a estrutura possui salas de exposição, jardim no terraço, um restaurante e oferece uma visão dos bastidores do mundo dos museus, tornando as coleções de arte acessíveis ao público.

© Ossip van Duivenbode / MVRDV© Ossip van Duivenbode / MVRDV© Iris van den Broeke / MVRDV© Ossip van Duivenbode / MVRDV+ 36

Pavilhão Circular / Studio ACTE

© Rubén Dario Kleimeer
© Rubén Dario Kleimeer

© Rubén Dario Kleimeer© Rubén Dario Kleimeer© Rubén Dario Kleimeer© Rubén Dario Kleimeer+ 22

  • Arquitetos: Studio ACTE
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  13
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2021
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: BC materials, Burmaan

Preparando as cidades para o pior cenário: os desafios urgentes das mudanças climáticas

O recente agravamento das mudanças climáticas e os decorrentes desastres naturais que cada dia mais frequentemente assolam o nosso planeta, juntamente com a contínua exploração predatória dos recursos naturais e os poucos esforços que têm sido feitos para diminuir a emissão de gases do efeito estufa, levantam uma preocupação crescente sobre o futuro da vida nas cidades. Para além de todos os esforços necessários para minimizarmos o agravamento das mudanças climáticas em curso, se faz iminente que comecemos a pensar e desenvolver estratégias que nos permitam preparar nossas cidades para os inevitáveis desafios que estão chegando, como aumento dos níveis das marés e das inundações por um lado, e a seca e o calor extremo de outro. Pensando nisso, o artigo a seguir nos convida a pensar e refletir como poderíamos construir cidades mais resilientes, permitindo que as mesmas se adaptem e se transformem em resposta aos desafios do futuro.

Bryggervangen and Sankt Kjeld’s Square in Copenhagen. Imagem © SLAThe Oasys by Mask Architects. Imagem Cortesia de Genc Design StudioLinear park regenerates Mexico City's historic Grand Canal. Imagem © Onnis LuquQunli Stormwater Wetland Park in Chinaby Turenscape. Imagem Cortesia de Turenscape+ 7

Já existem modelos viáveis de moradias de qualidade a preços acessíveis

Este artigo foi publicado originalmente no Common Edge.

Na reedição desta semana, o autor Walter Jaegerhaus explora o desafio da habitação nos EUA, traçando uma linha do tempo da evolução de diferentes soluções arquitetônicas de todo o mundo. Buscando "inspirar arquitetos de hoje a criar novas opções de habitação" e esperando "que os EUA possam novamente abraçar suas origens experimentais e testar novas ideias e métodos", o artigo destaca exemplos da Europa e das Américas.

Habitat 67, Montreal, por Moshe Safdie. Imagem cortesia de Creative CommonsSchlangenbader Straße Housing, Berlim, de Georg Heinrich. Imagem cortesia de Creative CommonsCube Houses, Rotterdam, de Piet Bloom. Imagem cortesia de Creative CommonsExposição Internacional de Construção, Viena. Via Der Tagesspiegel. Imagem cortesia de Creative Commons+ 17

MVRDV projeta edifício de exposições no porto de Roterdã

O MVRDV acaba de lançar um projeto para o novo Centro de Exposições de Roterdã, implantado em pleno coração do maior porto da Europa. Com a expectativa de ser inaugurado já em 2024, o Harbour Experience Center—como está sendo chamado o mais recente projeto desenvolvido pelos arquitetos holandeses—é composto por cinco níveis expositivos sobrepostos, as quais permitirão aos visitantes enquadrarem belíssimas perspectivas sobre o skyline da cidade de Roterdam, além de contar com uma série de terraços jardins acessíveis através de uma escada exterior escultórica. O projeto é um desdobramento do FutureLand, um centro de informações temporário construído pelo MVRDV em 2009, cujo sucesso de púbico impulsionou o desenvolvimento do projeto de um edifício permanente para o local.

Cortesia de MVRDVCortesia de MVRDVCortesia de MVRDVCortesia de MVRDV+ 12

MVRDV desenvolve catálogo com soluções para requalificar coberturas de edifícios

Voltando a atenção para um recurso espacial ainda pouco explorado, o MVRDV produziu um catálogo com 130 ideias inovadoras para coberturas planas em Roterdã, apresentando uma potencialidade para o desenvolvimento da cidade. Encomendado pela prefeitura e desenvolvido em conjunto com o Rotterdam Rooftop Days, o Rooftop Catalogue ilustra como a requalificação de coberturas pode contribuir em questões como escassez de solo urbano e mudanças climáticas, ao passo que também aborda o lado prático de se reaproveitar esses espaços.

Cortesia de MVRDVCortesia de MVRDVCortesia de MVRDVCortesia de MVRDV+ 18

Uma nova camada de espaços públicos: explorando as coberturas dos edifícios

A medida que os ambientes urbanos se tornam cada vez mais densos, é preciso aproveitar ao máximo cada centímetro quadrado de área disponível. Pensando nisso, arquitetos e arquitetas do mundo todo recentemente descobriram o enorme potencial das coberturas existentes dos edifícios urbanos, na maioria das vezes, espaços subutilizados e de difícil acesso. Além do mais, coberturas e telhados chegam a somar juntas até 25% da área de superfície total disponível em uma cidade. Podendo ser utilizadas tanto como áreas verdes e cultiváveis quanto como espaços públicos e acessíveis, estes jardins suspensos estão sendo pouco a pouco incorporados à infraestutura urbana de várias cidades ao redor do mundo. Neste contexto, este artigo procura analisar em profundidade o real potencial desta estratégia para a criação de uma nova camada de espaços públicos acessíveis em cidades densamente ocupadas.

CopenHill by BIG. Image © Hufton+CrowGreen Cloud by ZHUBO-AAO. Image © John SiuRodeph Sholom School Playdecks by Murphy Burnham & Buttrick Architects. Image © Francis DzikowskiYOU+International Youth Community Shenzhen by officePROJECT. Image © Chao Zhang+ 10

Renovação do Armazém Fenix I / Mei architects and planners

© Marc Goodwin© Marc Goodwin© Marc Goodwin© Marc Goodwin+ 27

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  23000
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Adobe, AutoDesk, Forster, HCI Betonindustrie, KONE, +7

Mecanoo projeta novo Centro Marítimo em Roterdã

O escritório Mecanoo desenvolveu um novo projeto para o icônico Centro Marítimo no Rijnhaven em Roterdã. Localizado no meio da água, o projeto apresenta uma geometria orgânica que contrasta com a atmosfera industrial do porto circundante. Parcialmente subaquático, o projeto será um ponto de convergência para a ciência, a cultura e os negócios.

Cortesia de MecanooCortesia de PlompCortesia de PlompCortesia de Mecanoo+ 8

Mecanoo e SHoP convertem antiga fábrica no porto de Roterdã em conjunto de uso misto

Roterdã é uma cidade de história industrial que dependeu durante muito tempo de seu porto – um dos maiores da Europa. Transformações econômicas e sociais ao longo do século XX levaram ao abandono de parte de seu parque industrial e, nas últimas décadas, muitos destes equipamentos de grande escala passaram a abrigar programas comerciais e de entretenimento.

O exemplo mais recente é a antiga Fábrica Codrico, que receberá um novo plano diretor e edifícios projetados por Mecanoo, SHoP Architects, Office Winhov e Crimson Architectural Historians. Intitulado Codrico Terrain, o projeto visa celebrar o patrimônio industrial local e receber as mudanças para o futuro.

Cortesia de ATCHAINCortesia de Filippo BologneseCortesia de ATCHAINCortesia de Plomp+ 8

Iniciadas as obras do Museu das Migrações projetado pelo MAD em Roterdã

A MAD Architects acaba de dar início às obras daquele que será o primeiro projeto cultural construído pelo escritório na Europa, o Museu FENIX em Roterdã. Encomendado pela Fundação Droom en Daad como um projeto de revitalização do antigo depósito Fenix, o Museu da Migração nos convida a redescobrir a história esquecida de um edifício que já foi um dos maiores armazéns do mundo. Liderado pela equipe da MAD Architects, o projeto do museu visa construir pontes entre o passado, o presente e o futuro da cidade de Roterdã.

Cortesia de MAD ArchitectsCortesia de MAD ArchitectsCortesia de MAD ArchitectsCortesia de MAD Architects+ 19

Oficina de Aprendizagem de Moda Zadkine / Krill-Office for Resilient Cities and Architecture

© Frank Hanswijk© Frank Hanswijk© Frank Hanswijk© Frank Hanswijk+ 18

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  200
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Abet laminati, Baars & Bloemhoff, Forbo, Goelst, Holland Felt, +3

Museu Depot Boijmans Van Beuningen / MVRDV

© Ossip van Duivenbode© Rob Galastra© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode+ 16

Roterdã, Países Baixos
  • Arquitetos: MVRDV
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020

Preenchendo lacunas: a arquitetura dos espaços residuais

Em praticamente todas as cidades do mundo, sempre encontraremos algum tipo de espaço residual: terrenos vazios, áreas abandonadas, lacunas deixadas entre uma obra e outra, espaços em branco, sem uso. Nestas circunstancias, uma série de lotes urbanos acabam se tornando inadequados ou inaptos à construção de tipologias convencionais. Entretanto, estas mesmas limitações podem se tornar um terreno fértil para a nossa imaginação. Ressignificar um espaço esquecido, uma esquina desocupada, becos sem saída ou terrenos de formatos estranhos pode nos abrir uma nova frente de trabalho, criando novas oportunidades para o desenvolvimento urbano como um todo. Seja ampliando os espaços existentes de moradia ou acrescentando novas atividades e programas em áreas densamente povoadas, ocupar terrenos residuais pode ser uma valiosa contribuição para a ativação do espaço urbano.

House in Nada by FujiwaraMuro Architects. Image © Toshiyuki YanoSO&CO's multi-storey retail and office building in Ginza. Image © Takumi OtaSO&CO's multi-storey retail and office building in Ginza. Image © Takumi OtaO House by Hideyuki Nakayama Architecture. Image © Takumi Ota+ 8

Hotel The Bellhop / local architecture & urbanism

© Joey Van Dongen© Joey Van Dongen© Joey Van Dongen© Joey Van Dongen+ 40

  • Arquitetos: local-eu
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  500
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Louis Poulsen

OMA e LOLA divulgam novas imagens do novo Estádio do Feyenoord em Roterdã

Os arquitetos do OMA, em parceira com os paisagistas do LOLA, acabam de apresentar as mais recentes imagens do seu projeto para o moderníssimo novo estádio do Feyenoord, principal time de futebol da cidade de Roterdã. Inserido em uma nova área de desenvolvimento urbano, a Feyenoord City, o projeto de estádio “passou por uma grande reformulação de forma a garantir o cumprimento dos prazos de entrega e o custo-benefício da estrutra como um todo, reforçando o seu caráter simbólico como um novo ícone para a cidade de Roterdã.”

Cortesia de OMA e Beauty & The BitCortesia de OMA e Beauty & The BitCortesia de OMA e Beauty & The BitCortesia de OMA e Beauty & The Bit+ 17

Acervo de arte com floresta na cobertura do MVRDV está prestes a ser concluído

O acervo público de arte do Museu Boijmans van Beuningen, projetado pelo MVRDV, está quase concluído em Roterdã. Com inauguração prevista para setembro de 2021, imagens recentes mostram as primeiras 75 árvores no jardim da cobertura sendo plantadas.

© Fred Ernst© Fred Ernst© Arjen Ketting© Winy Maas+ 9

Powerhouse Company projeta edifício corporativo de madeira flutuante em Roterdã

A Powerhouse Company divulgou novas imagens o seu projeto para a sede da Global Commission on Adaptation. Chamado de Floating Office Rotterdam (FOR), o edifício da sede da GCA será inteiramente construído em estrutura de madeira além de ser auto-suficiente em energia. Com o início das obras de construção planejado para a primavera de 2020, a sede flutuante da GCA deverá ficar temporariamente implantada em Rijnhaven, em pleno coração da cidade de Rotterdam.