1. ArchDaily
  2. Arquitetura Contemporânea

Arquitetura Contemporânea: O mais recente de arquitetura e notícia

Arquitetura errante: 4 projetos que abraçam o erro (para o bem e para o mal)

Na arquitetura moderna, projetar envolve analisar, prever e determinar espaços e funções com precisão, sem lugar para erro. Ao longo da segunda metade do século XX, esse caráter racionalizante e guiado pela máxima eficiência foi duramente criticado, e errar – no sentido de vaguear, percorrer sem rumo e sem destino – passou a ser reconhecido como parte inevitável da experiência humana.

Pruitt-Igoe. Imagem via Wikimedia usuário Cadastral (Public Domain)Esplanada dos Ministérios em Brasília. Imagem: © Joana FrançaParc La Villette. Imagem: Guilhem Vellut, via Flickr. Licença CC BY 2.0Escola de Arquitetura de Nantes. Imagem © Philippe Ruault+ 5

Os 5 pontos da arquitetura moderna e suas aplicações em projetos contemporâneos

Em 1926, Le Corbusier formula os cinco pontos que se tornariam os fundamentos para a arquitetura moderna. Concretizados em 1929 no emblemático projeto da Villa Savoye, os atributos apresentados por Corbusier — pilotis, planta livre, fachada livre, janelas em fita e terraço jardim — foram muito explorados na produção arquitetônica modernista e até hoje estão presentes nos mais variados projetos de arquitetura contemporâneos.

Os cinco pontos se tornaram uma espécie de diretriz para a “nova arquitetura”, como anunciava Corbusier. Com o passar das décadas, as novas tecnologias, materiais e necessidades da sociedade continuaram e continuam a atualizar aquelas soluções arquitetônicas prenunciadas há quase um século como rumos para uma nova arquitetura.

Unisociesc Bloco H / Metroquadrado. Imagem: © Pablo TeixeiraCasa Torreão / Bloco Arquitetos. Imagem: © Haruo MikamiÁgora Tech Park / Estúdio Módulo. Imagem: © Nelson KonCasa Jardim / Hayhurst and Co. Imagem: © Kilian O'Sulivan+ 41

10 Intervenções contemporâneas em museus históricos

Não são poucos os edifícios históricos ao redor do mundo que necessitam, não sem certa urgência, de um projeto de reforma, restauro ou reaproveitamento. Ao longo das últimas décadas, centenas de estruturas obsoletas foram reinventadas, expandidas ou re-significadas para acolher novos usos e programas, permitindo-as a seguir existindo em um mundo onde tudo aquilo que não é mais útil, desaparece. Museus são as principais entidades que "adotam" este tipo de edifícios, trazendo-os de volta à vida. Alguns edifícios históricos insistem em não se render às agruras do tempo, muitos deles passam a ser re-significados para abrigar novos usos. Eles se transformam, evoluem para assumir novas formas que dão voz a resiliência do legado histórico da humanidade. Projetos de intervenção e adaptação tem demonstrado que até mesmo diferentes estilos de arquitetura, ou diferentes camadas temporais sobrepostas, são muito bem vindas quando se trata de proteger o nosso patrimônio arquitetônico.

A seguir, listamos dez projetos que ilustram este tipo de intervenção arquitetônica, onde passado, presente e futuro se sobrepõe para recriar e dar novo significado a estruturas históricas que um dia, estiveram ameaçadas de desaparecimento.

Great Court and Dome of the British Museum. Image © Eric Pouhier via Wikimedia Commons (CC BY-SA 3.0)Exterior of Jewish Museum. Image © Nathaniel Samson via Wikimedia Commons (CC BY-SA 3.0)Facade of Museum de Fundatie. Image © Michielverbeek via Wikimedia Commons (CC BY-SA 3.0)Facade of Moritzburg Museum. Image © Mtth.k via Wikimedia Commons (CC BY-SA 3.0)+ 11

Arquitetura Paulistana: módulo 14

O arquiteto Marco Artigas organiza, em parceria com a Escola da Cidade, o módulo 14 do o curso livre ARQUITETURA PAULISTANA .

O curso é estruturado a partir de visita a obras de arquitetura contemporânea, na cidade de São Paulo, sempre na companhia da arquiteta ou do arquiteto que desenvolveu o projeto.
Será realizada uma aula inaugural pública, de apresentação do curso para explicar a dinâmica das visitas.
A escolha das obras tem como ponto de partida a sua relação com a cidade, as diferentes escalas de construção e os diversos usos dos edifícios. O curso considera a diferença de

Transpondo fronteiras: a nova arquitetura moderna do Paraguai

O Paraguai que conhecemos hoje já não é mais aquele de outrora, e assim como o país se transformou ao longo do último século, sua arquitetura passou por um radical processo de mudança durante os últimos cem anos. A herança cultural indígena do povo Guaraní esteve, por muito tempo, onipresente em todo território e como a principal referência na produção e organização do ambiente construído do país. Mais tarde, o colonialismo viria para transformar para sempre as relações entre o povo e seus assentamentos urbanos. Há alguns anos porém, este pequeno país latino-americano começou a redescobrir o seu próprio passado através de novas práticas de arquitetura, principalmente, em projetos de pequena escala.

Congresso Internacional Critic|all IV

Está aberta a Chamada de Artigos para o congresso internacional Critic|all IV, dedicado aos temas relacionados à crítica e à teoria da arquitetura e do urbanismo. O Critic|all é organizado pela ETSAM-UPM (Madri) e sua quarta edição será em parceria com a FAUUSP e o Grupo de Pesquisa PC3.

Sob o tópico # dual-ectics, propomos colocar em prática o mecanismo de comparação como um instrumento básico para a construção da cultura e da teoria da arquitetura, abordando a questão do declínio do dual diante dos múltiplos.

Os professores Tom Avermaete (ETH) e Gareth Doherty (GSD Harvard) são palestrantes confirmados para o evento.

O

Guia de arquitetura de Belo Horizonte: 25 lugares para conhecer na capital mineira

Em 1897 foi instituída a Cidade de Minas Gerais, que em 1901 passou a ser chamada de Belo Horizonte. O projeto urbanístico de Aarão Reis para a capital mineira deu origem à primeira cidade moderna planejada no Brasil. A malha ortogonal que define quarteirões, grandes corredores e diferentes zonas urbanas foi inspirada em outros modelos de cidades, como Paris e Washington, com a presença de ideais modernizantes e republicanos que inspiraram a hierarquização do território.

Guia de arquitetura de Lisboa: 24 lugares para conhecer na capital portuguesa

Eleita Capital Europeia da Cultura em 1994 e Capital Ibero-Americana da Cultura 2017, Lisboa tem sido destino de turistas de muitas partes do mundo nos últimos anos. Com uma programação cultural pujante, a cidade é sede de importantes acontecimentos relacionados à arte, à música, ao cinema, e, como não poderia faltar, à arquitetura. A Trienal de Arquitectura de Lisboa e o Open House - evento que organiza visitas guiadas gratuitas a edifícios marcantes de cidades ao redor do mundo - são alguns desses acontecimentos de relevância no campo arquitetônico, responsáveis por divulgar, debater e refletir questões ligadas à área.

Moradias Infantis de Rosenbaum e Aleph Zero é eleita uma das 25 melhores obras do século XXI

O projeto Moradias Infantis de Marcelo Rosembaum e Aleph Zero foi eleito uma das 25 melhores obras de arquitetura construídas no século XXI. Localizado em Formoso do Araguaia, no estado de Tocantins, o projeto ficou com a 24ª posição na lista publicada pelo jornal inglês The Guardian.

Curso Livre Arquitetura Paulistana - M13

O curso é estruturado a partir de visita a obras de arquitetura contemporânea, na cidade de São Paulo, sempre na companhia da arquiteta ou do arquiteto que desenvolveu o projeto.
Será realizada uma aula inaugural pública, de apresentação do curso para explicar a dinâmica das visitas.
A escolha da obra a ser visitada adota os seguintes parâmetros: local, escala, autor(a) e uso.
Em todas as visitas são discutidos temas relacionados à vida prática da arquitetura nos escritórios, ao ensino, às novas tecnologias, ao processo de trabalho e à relação daquele projeto com a cidade.

Marco Artigas é formado pela Escola da

6 Edifícios históricos com extensões contemporâneas em vidro

Cortesia de KPMB architectsCortesia de KOKOCortesia de Ricardo Bofill Taller de ArquitecturaCortesia de Duccio Malagamba+ 7

Quando uma extensão em um edifício histórico é solicitada, os arquitetos geralmente optam por intervenções em vidro, transparentes e reflexivas. Alguns decidem permanecer neutros e sutis ao lidar com uma estrutura antiga, enquanto outros escolhem um design arrojado e aberto para manifestar seu caráter contemporâneo. Como cada projeto tem sua motivação e raciocínio conceitual, os resultados são diversos.

Continue lendo para conhecer alguns exemplos relevantes, cada um respondendo a um programa diferente.

Modelagem Paramétrica e Fabricação Digital com Grasshopper

DESCRIÇÃO
Não perca a última edição do nosso curso em São Paulo!

SOBRE O CURSO:
Vamos abordar o desenvolvimento, controle, viabilização e fabricação de geometrias complexas através da associação de parâmetros do projeto usando Grasshopper, o mais avançado software de modelagem generativa para Arquitetura e Design.

QUEM PODE FAZER?
O curso é introdutório, então arquitetos, designers, engenheiros ou qualquer pessoa interessada em ferramentas de modelagem paramétrica poderá acompanhar sem precisar de conhecimento prévio!

Venha aprender a projetar e fabricar seu protótipo do início ao fim!

Além das diretrizes básicas de modelagem paramétrica, os alunos terão a oportunidade de desenvolver e fabricar em escala um protótipo de própria

Modelagem Paramétrica com Grasshopper

Esse curso é uma introdução sobre o desenvolvimento, controle e viabilização de geometrias complexas através da associação de parâmetros do projeto usando Grasshopper, o mais avançado software de modelagem generativa para Arquitetura e Design.
Grasshopper é um plugin do Rhinoceros 3D que opera como uma interface gráfica de edição de algorítimos. Essa função faz com que seja possível criar uma receita do seu projeto que descreve passo a passo uma modelagem 3D que regula cada decisão tomada.
O controle sobre cada etapa de modelagem é responsável pela capacidade de fazer variações infinitas dos mesmo comandos, alterando apenas os paramêtros!
Destina-se a arquitetos, designers,

Viagem Técnica: Copenhague e Paris - empoderando profissionais para inovação

Viagem técnica leva arquitetos e estudantes para Copenhague e Paris

Renovar o leque de referências é primordial para aguçar a criatividade. Pensando nisso, o Espaço D (www.espaco-d.com) em parceria com o Spirale EcoBuilding Solutions (www.spirale.arq.br) e a PH NORTH Operadora (www.phnorth.com.br) estão à frente da viagem técnica Copenhagen + Paris 2018: Empoderando profissionais para a inovação. A iniciativa é voltada para arquitetos, estudantes, professores e interessados sobre arquitetura atual e inovação e tem como objetivo conhecer de perto algumas das empresas e escritórios de arquitetura mais modernos do mundo. A viagem começa no dia 28 de setembro e vai até o

Arquitectura Finlandesa em conferência na Trienal de Lisboa

ALA e AOR são os convidados desta conferência que se realiza dia 11 de Abril de 2018 no Palácio Sinel de Cordes onde está sediada a Trienal de Arquitectura de Lisboa. Estes dois ateliers de arquitectura desenvolvem a sua actividade em contexto Finlandês, um país com um Índice de Desenvolvimento Humano (HDI - Human Development Index) muito alto, ocupando a posição número 23 no ranking mundial. Erkko Aarti, sócio fundador, apresentará o trabalho da AOR Architects, e Antti Nousjoki, mostrará as obras dos ALA Architects. A conversa será moderada por Paula Melâneo, editora-chefe do J—A Jornal Arquitectos.

Dois ateliers,

Lançamento do livro "Rem Koolhaas nas metrópoles delirantes: entre a Bigness e o big business"

O evento lança o livro “Rem Koolhaas nas metrópoles delirantes: entre a Bigness e o big business” de Paolo Colosso e, aproveitando a ocasião, discute ações coletivas que tem os grandes centros urbanos como pauta, mas também como lugar por excelência das interações inventivas, da refeitura de vínculos, da produção de contranarrativas e, ainda, das subjetivações políticas. Isto num momento em que a reativação de espaços públicos e da vida urbana encontram condições adversas, mas ao mesmo tempo marcam a entrada em cena de novos personagens, cujos papeis ainda não sabemos quais serão. Na conversa com o autor estarão