Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Arquitetura Japonesa

  1. ArchDaily
  2. Países
  3. Japão

Projetos mais recentes em Japão

Últimas notícias em Japão

O que as escolas mais inovadoras do século XXI têm? 8 exemplos que você precisa conhecer

Se pensarmos como era o sistema educativo antigamente, percebemos que tanto a pedagogia aplicada nas escolas, como as infraestruturas escolares, eram muito diferentes do sistema atual. O modelo educativo do século XX poderia ser definido como similar ao 'modelo espacial das prisões, sem interesse nenhum em estimular uma formação integral, flexível e versátil', como já foi exposto há algum tempo aqui no ArchDaily.

"A inovação parte de cada um de nós": entrevista com Junya Ishigami

Junya Ishigami é um dos mais proeminentes jovens arquitetos japoneses da atualidade, tendo conquistado reconhecimento por sua abordagem experimental em relação ao projeto. Sensível às especificidades locais, Ishigami coloca no centro do debate da arquitetura questões fundamentais à profissão, mas que por vezes passam batido na prática arquitetônica cotidiana. Tempo, tensão e liberdade de alguma forma permeiam sua produção, tornando-se aspectos visíveis em muitas de suas obras recentes.

Pelli Clarke Pelli projeta três torres para a regeneração do centro de Tóquio

Os arquitetos da Pelli Clarke Pelli Architects divulgaram seu primeiro projeto no Japão, um complexo em altura que contará com o edifício mais alto do país, com 330 metros de altura. O escritório dos EUA projetou três torres para o distrito de Toranomon-Azabudai, em Tóquio, como parte de um projeto de regeneração urbana da área central da capital.

Mapas CAD das maiores cidades do Brasil, Portugal e do mundo

Mapacad é um site que oferece downloads de arquivos .dwg de dezenas de cidades. Com 200 metrópoles em seu banco de dados, os fundadores da plataforma compartilharam conosco um conjunto com as maiores cidades do Brasil, Portugal e do mundo.

Em foco: Arata Isozaki

Arata Isozaki, arquiteto, professor e teórico japonês, completa hoje 88 anos de idade. Após se graduar pela Universidade de Tóquio em 1954, Isozaki trabalhou para Kenzo Tange, um de seus professores, antes de abrir seu próprio escritório. Apesar disso, ambos desenvolveram diversos projetos em colaboração até 1970. Isozaki ganhou a RIBA Gold Medal em 1986 e fundou a sede italiana de seu escritório, Arata Isozaki & Andrea Maffei Associates, em 2005. Este ano, foi reconhecido com o Prêmio Pritzker de Arquitetura

Diário de viagem por Tóquio: arquitetura e mangá

Viajar pelo Japão pode ser uma experiência impressionante para um turista ocidental - especialmente se este tiver alguma relação com a arquitetura. Além das enormes diferenças culturais, o país é conhecido por uma produção arquitetônica riquíssima - oito dos 42 laureados do Prêmio Pritkzer são japoneses - que mantém sua consistência desde os anos 1960.

Sou Fujimoto: 'Eu gosto de materiais brancos pois eles mudam junto com o contexto'

Sou Fujimoto esteve em São Paulo no último mês de março, para dar uma palestra na Expo Revestir 2019. Tivemos a oportunidade de entrevistá-lo e conversamos um pouco sobre sua abordagem projetual, trabalhos passados e futuros, exposições, entre outras coisas. Nascido no ano de 1971, na ilha de Hokkaido, no Japão, ele fundou seu escritório no ano de 2000, em sua cidade de formação. Possui obras em países como Estados Unidos, Reino Unido, China, Espanha, Grécia e Chile, além de diversas obras no Japão. Confira a entrevista a seguir:

Duas décadas da evolução de Tóquio, pelas lentes de Peter M. Cook

O fotógrafo de arquitetura britânico Peter M. Cook documentou a cidade de Tóquio e sua evolução por mais de vinte anos. Após registrar o desenvolvimento da cidade e seus edifícios com uma câmera de grande formato, seu primeiro livro de fotos foi publicado pela editora Hatje Cantz Verlag. As 100 fotografias monocromáticas revelam a história de uma das cidades mais icônicas do mundo.

Quando a luz encontra o concreto: reflexões sobre a obra de Tadao Ando

Quando perguntaram a Tadao Ando, arquiteto japonês vencedor do Prêmio Pritzker de 1995, qual seria o elemento mais consistente em sua obra, ele respondeu sem pestanejar: a luz. Através de sua arquitetura, Tadao Ando se apropria da luz e da sombra de uma forma quase coreográfica. Em determinados momentos, a sombra projetada em uma parede de concreto mais parece uma impressionante obra de arte. Em outros projetos são os reflexos na superfície d'água que transformam por completo a nossa compreensão do espaço. Sua abordagem arquitetônica enraizada na tradicional arquitetura japonesa e potencializada por um vasto vocabulário arquitetônico moderno, provocou profundas transformações em nossa disciplina durante a segunda metade do século XX colocando-o como uma das mais importantes figuras do regionalismo crítico. Cada um de seus projetos apresenta soluções individuais e profundamente conectadas à seus contextos específicos - como a Igreja da Luz, a Casa Koshino ou o Templo da Água-, aproximando a arquitetura tradicional japonesa à universalidade da arquitetura moderna. Ele foi capaz de reproduzir a luz difusa do interior das casas japonesas, filtrada pelas paredes de papel, através do uso criativo dos materiais e da simples configuração dos espaços.

O conceito “ma” para Arata Isozaki: um modo de ver o mundo

Arata Isozaki é o sétimo arquiteto japonês a ser laureado pelo Prêmio Pritzker. Para além da importância de sua produção arquitetônica, Isozaki teve papel fundamental na divulgação da cultura nipônica para o Ocidente. Em 1978, por exemplo, concebeu a exposição “Ma: Espaço-Tempo do Japão” para o Museu de Artes Decorativas de Paris, a qual tinha o propósito de apresentar a noção japonesa de espaço e tempo para o resto do mundo por meio do conceito “ma”. 

Carregando... Pode demorar alguns segundos