Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Notícias de Arquitetura
  3. Arranha-céus de 2018: alternativas ao arquétipo da torre de vidro

Arranha-céus de 2018: alternativas ao arquétipo da torre de vidro

Arranha-céus de 2018: alternativas ao arquétipo da torre de vidro
© Viktor Sukharukov
© Viktor Sukharukov

Seja como um objeto isolado ou parte de um conjunto de edifícios, arranha-céus são ícones excêntricos que habitam os principais centros urbanos do planeta. Uma metáfora da modernidade, do sucesso e da riqueza, arranha-céus são sinônimos da arquitetura das mais vibrantes cidades do mundo como Nova Iorque, Dubai e Singapura.

Cada vez mais altas e onipresentes nos quatro cantos do mundo, ainda há muito para se descobrir e explorar sobre estas estruturas. O ano de 2018 nos apresentou novas abordagens, tecnologias e localizações para a tipologia arquitetônica mais celebrada dos tempos modernos. Passando por novos materiais e formas, os projetos de edifícios em altura começaram a abordar aspectos que vão muito além da simples eficiência e altura, propondo superar novos desafios e explorando novas formas. A seguir apresentaremos alguns dos projetos mais inovadores e as principais tendências em projetos de arranha-céus apresentados ao longo deste ano:

Cortesia de Plompmozes © Rafael de la-Hoz Arquitectos © Virgile Simon Bertrand Cortesia de Zaha Hadid Architects + 13

Huamo Lot 10 / Kohn Pederson Fox Associates (KPF)

Cortesia de Plompmozes
Cortesia de Plompmozes

Autoproclamado como uma "nova forma de urbanismo participativo", o projeto de três torres desenvolvido pela KPF em Xangai foi concebido para abrigar salas comerciais e escritórios. Implantados ao redor de uma grande praça central, os três edifícios acolhem este espaço que será conhecido como o mais novo centro cultural da cidade. Imagens ultra-realísticas apresentam uma estrutura em balanço que rompe com a continuidade do edifício para apresentar este inspirador arranha-céu no horizonte da cidade Xangai.

W350 Project / Sumitomo Forestry Co. + Nikken Sekkei

Cortesia de Sumitomo Forestry Co.
Cortesia de Sumitomo Forestry Co.

Apresentado como o primeiro arranha-céu construído com estrutura de madeira, a torre de Tóquio será um edifício de uso misto com ênfase na sustentabilidade ambiental e social. Devido à freqüente atividade sísmica de Tóquio, a torre contará com um sistema híbrido de madeira e aço e deverá ser concluída até o ano de 2041. Pode até ser que demore muito para ser construído, mas este projeto deverá estabelecer um novo caminho para o futuro da arquitetura e das construção em madeira.

Federal Street Auckland / Woods Bagot + Peddle Thorp

Cortesia de Woods Bagot
Cortesia de Woods Bagot

Vencedores de um concorrido concurso internacional de arquitetura, Woods Bagot e Peddle Thorp foram selecionados para projetar o mais novo arranha-céus de Auckland, na Nova Zelândia. Inspirado na natureza, o projeto do edifício incorpora a primazia da geologia e a rica fauna do país.

Moscow Skyscraper / Sergey Skuratov Architects

Cortesia de Sergey Skuratov Architects
Cortesia de Sergey Skuratov Architects

A proposta de Sergey Skuratov para o arranha-céu "super alto", o mais alto de Moscou, está planejado para atingir uma altura máxima de 404 metros de altura e mais de 100 pavimentos. Como um complexo residencial multifuncional, o projeto deste elegante edifício parece até certo ponto inesperado, sugerindo uma nova e inovadora organização espacial no seu interior.

Morpheus Hotel / Zaha Hadid Architects (ZHA)

© Virgile Simon Bertrand
© Virgile Simon Bertrand

Inspirado nas tradicionais esculturas chinesas em jade e suas formas fluidas, o projeto do Hotel Morpheus adquire uma forma fluida e escultórica repleta de vazios, combinando espaços públicos dramáticos e generosos, habitações engenhosas e uma forte coesão formal. Através de sua engenharia inovadora, este projeto procura redefinir a tradicional tipologia de arranha-céu do século XXI.

Zhengzhou Twin Towers / gmp Architects

© ZMG China
© ZMG China

Contrapondo-se à horizontalidade da nova estação ferroviária junto à qual foram implantadas, as Torres Gêmeas de Zhengzhou funcionam como uma nova porta de entrada para o centro da cidade. O projeto procura integrar as torres ao contexto urbano, acolhendo a praça da estação e conectando-se a ela, acentuando os eixos urbanos e erguendo-se com imponência no skyline da cidade. Com seus 284 metros de altura, as torres gêmeas são significantemente mais altas que os edifícios a seu redor, criando portanto um marco na paisagem urbana de Zhengzhou.

Bank of Africa Tower / Rafael de la-Hoz Arquitectos

© Rafael de la-Hoz Arquitectos
© Rafael de la-Hoz Arquitectos

Projetado por Rafael de la-Hoz em parceira com o escritório local CHB Cabinet Hakim Banjelloun, o Bank of Africa Tower, de 250 metros de altura, conquistará o título de torre mais alta do continente, superando o Carlton Centre, em Joanesburgo. Visando as classificações LEED Gold e HQE, a torre começará a ser construída no dia 1 de novembro e deverá ser concluída em maio de 2022.

Green Spine / UN Studio + Cox Architecture

Cortesia de UN Studio
Cortesia de UN Studio

O UNStudio foi oficialmente anunciado como vencedor do concurso de projeto para um novo marco na cidade de Melbourne. Selecionado de uma série de escritórios de ponta, incluindo BIG, OMA e MAD Architects, a proposta do UNStudio para o projeto de U$ 2 bilhões inclui um par de torres trançadas chamadas Green Spine. Como o maior projeto monofásico da história de Victoria, na Austrália, o Green Spine foi projetado como um ambiente de uso misto de ponta, centrado em inovação em arquitetura e design.

Lakhta Center / RMJM

Arranha-céus de 2018: alternativas ao arquétipo da torre de vidro, © Viktor Sukharukov
© Viktor Sukharukov

O Lakhta Center, um complexo de 400 mil metros quadrados que inclui o maior arranha-céu da Europa, está próximo de sua conclusão em São Petersburgo. A torre de 462 metros de altura faz parte de um grande complexo que conta ainda com um estádio, um porto marítimo entre outros espaços públicos. Embora este ícone seja o primeiro arranha-céu de São Petersburgo, é também o edifício em altura mais setentrional do mundo.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Cita: Aggarwal, Vasundhra. "Arranha-céus de 2018: alternativas ao arquétipo da torre de vidro" [Skyscrapers of 2018: Soaring Beyond the Archetypal Crystal Tower] 22 Dez 2018. ArchDaily Brasil. (Trad. Libardoni, Vinicius) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/907782/arranha-ceus-de-2018-alternativas-ao-arquetipo-da-torre-de-vidro> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.