Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Notícias de Arquitetura
  3. OMA, BIG e UNStudio divulgam propostas para novo marco em Melbourne

OMA, BIG e UNStudio divulgam propostas para novo marco em Melbourne

OMA, BIG e UNStudio divulgam propostas para novo marco em Melbourne
OMA, BIG e UNStudio divulgam propostas para novo marco em Melbourne, The Lanescraper. Cortesia de BIG – Bjarke Ingels Group / Fender Katsalidis Architects
The Lanescraper. Cortesia de BIG – Bjarke Ingels Group / Fender Katsalidis Architects

Uma proeminente seleção, incluindo BIG, OMA e UNStudio, revelaram suas visões para o novo marco nos arredores do Melbourne Southbank. O projeto de U$ 2 bilhões será o maior projeto na história de Victoria, na Austrália, planejado como "um ambiente de uso misto" a ser "centrado em torno da inovação em arquitetura e design".

Os seis projetos selecionados incluem torres retorcidas, blocos interligados e bairros empilhados, todos concentrados no terreno do BMW Southbank, com 6.000 metros quadrados. Os projetos foram revelados em um simpósio público no dia 27 de julho, com palestrantes dos escritórios selecionados.

Urban Tree. Cortesia de MAD Architects / Elenberg Fraser Urban Tree. Cortesia de MAD Architects / Elenberg Fraser Stack. Cortesia de MVRDV / Woods Bagot Green Spine. Cortesia de UNStudio / Cox Architecture + 24

O projeto vencedor terá uma mistura de funções variadas, hotelaria, residencial, comercial, cultural e funções públicas, a ser desenvolvida por especialistas em propriedade de Melbourne, Beulah International. As seis equipes disputando desenvolveram suas visões ao longo dos últimos seis meses, sendo pré-selecionadas em abril.

Os projetos estarão em exposição no Beulah Pavilion em Melbourne até dia 01 de agosto, com o anúncio do projeto vencedor estimado para o mesmo mês.

Abaixo, reunimos as seis propostas completas com uma breve descrição do projeto. Mais detalhes podem ser encontrados no site oficial, aqui.

“The Lanescraper” por BIG – Bjarke Ingels Group / Fender Katsalidis Architects

The Lanescraper. Cortesia de BIG – Bjarke Ingels Group / Fender Katsalidis Architects
The Lanescraper. Cortesia de BIG – Bjarke Ingels Group / Fender Katsalidis Architects
The Lanescraper. Cortesia de BIG – Bjarke Ingels Group / Fender Katsalidis Architects
The Lanescraper. Cortesia de BIG – Bjarke Ingels Group / Fender Katsalidis Architects

“The Lanescraper” apresenta dois blocos, interligados para fornecer conectividade e rigidez estrutural, com os espaços entre a formação de uma série de vielas. Atingindo uma altura de quase 360 metros, a proposta apresenta uma variedade de comodidades residenciais, de comércios e culturais, incluindo escritórios, apartamentos com serviço e uma biblioteca.

Também é proposto um “auditório concêntrico de dois pavimentos”, com capacidade para mais de 3.000 pessoas, além de um “centro de experiência da BMW”, que ocupa quatro níveis, conectados por um vazio central e elevador de automóveis.

“The Beulah Propeller City” por Coop Himmelb(l)au / Architectus

The Beulah Propeller City. Cortesia de Coop Himmelb(l)au / Architectus
The Beulah Propeller City. Cortesia de Coop Himmelb(l)au / Architectus
The Beulah Propeller City. Cortesia de Coop Himmelb(l)au / Architectus
The Beulah Propeller City. Cortesia de Coop Himmelb(l)au / Architectus

“Beulah Propeller City” é uma cidade vertical de 335 metros de altura, dividida em quatro funções: espaço público, escritório, hotel e torre de apartamentos. A proposta possui 18 pavimentos de uso misto, comércio e espaço público de uso misto, incluindo espaços de exibição, cinemas e estúdios de gravação. Um hotel de 15 pavimentos dispõe de um terraço com jardim de inverno, completo com uma piscina e um caráter de floresta tropical.

47 pavimentos da proposta são dedicados a áreas residenciais, com apartamentos em panos de vidro do piso ao forro a uma altura mínima de 2,70 metros, com diversos tipos de apartamentos.

“Urban Tree” por MAD Architects / Elenberg Fraser

Urban Tree. Cortesia de MAD Architects / Elenberg Fraser
Urban Tree. Cortesia de MAD Architects / Elenberg Fraser
Urban Tree. Cortesia de MAD Architects / Elenberg Fraser
Urban Tree. Cortesia de MAD Architects / Elenberg Fraser

“Urban Tree” possui pequenas colinas verdes que conduzem a uma ideia de "aldeia na montanha", incluindo playground, obras de arte públicas e a presença da água. Acima, 43 pavimentos residenciais e 24 pavimentos do hotel estão contidos em uma torre de 360 metros de altura. A proposta também conta com um auditório com capacidade para 1.200 pessoas, sala de concertos com capacidade para 800 pessoas, biblioteca, cinema e espaço para escritório.

A característica mais exclusivo do programa é a "The Cloud", uma utilidade pública do hotel com 317 metros de altura, oferecendo vista panorâmica de 360 graus de Melbourne. “The Cloud” muda a aparência com transições diurnas e noturnas, iluminadas por um espetáculo de LED.

“Stack” por MVRDV / Woods Bagot

Stack. Cortesia de MVRDV / Woods Bagot
Stack. Cortesia de MVRDV / Woods Bagot
Stack. Cortesia de MVRDV / Woods Bagot
Stack. Cortesia de MVRDV / Woods Bagot

"Stack" é um arranha-céu de 359 metros de altura que compreende "bairros empilhadas conectadas de baixo para cima e vice-versa por elevadores, escadas e escadas rolantes criando uma cidade vertical interconectada". Cada torre vertical da proposta contém uma função exclusiva , fachada e personalidade, variando de fachadas abertas nos níveis do parque a fachadas transparentes em áreas de comércio público.

O centro do edifício contém uma piscina do hotel, completa com uma "janela da cidade subaquática" rodeada por um anfiteatro, terraços e escadas, enquanto um jardim tropical no topo do hotel oferece vista panorâmica sobre a cidade.

OMA / Conrad Gargett

OMA / Conrad Gargett. Cortesia de OMA
OMA / Conrad Gargett. Cortesia de OMA
OMA / Conrad Gargett. Cortesia de OMA
OMA / Conrad Gargett. Cortesia de OMA

A proposta do OMA e Conrad Gargett enfatiza a base do edifício, em vez de seu coroamento, inspirando-se nas arcadas históricas de Melbourne e nos mercados abobadados. A base é composta por uma cidade vertical de uso misto, dominada por elementos culturais, comerciais, educacionais e sociais, atravessada por grandes escadas rolantes expressas e vielas.

Acima da cidade vertical, a proposta possui espaços comerciais de escritório, um hotel, residências e comodidades de apoio. A função residencial está localizada no topo da torre, maximizando a vista da cidade e a luz natural.

“Green Spine” por UNStudio / Cox Architecture

Green Spine. Cortesia de UNStudio / Cox Architecture
Green Spine. Cortesia de UNStudio / Cox Architecture
Green Spine. Cortesia de UNStudio / Cox Architecture
Green Spine. Cortesia de UNStudio / Cox Architecture

"Green Spine" consiste em duas torres com geometrias retorcidas de fachadas de vidro e terraços. Uma torre residencial é elevada a 356 metros, coroada por um futuro Jardim Botânico acessível ao público, enquanto a torre de hotéis e escritórios atinge os 252 metros.

Concebido como uma extensão do Southbank Boulevard, a proposta fornece uma conexão de pedestres ao nível da rua até um recinto comercial e de entretenimento. A partir deste, o núcleo da torre é torcido para formar uma série de espaços ao ar livre ao longo da fachada, culminando no topo da torre residencial.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Cita: Walsh, Niall. "OMA, BIG e UNStudio divulgam propostas para novo marco em Melbourne" [OMA, BIG, and UNStudio Among Prominent Firms to Reveal Visions for Landmark Melbourne Southbank] 31 Jul 2018. ArchDaily Brasil. (Trad. Pereira, Matheus) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/899176/oma-big-e-unstudio-divulgam-propostas-para-novo-marco-em-melbourne> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.