Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projeto Urbano

Projeto Urbano: O mais recente de arquitetura e notícia

Um urbanismo que esqueceu o urbano: o legado de John Portman em Detroit

12:00 - 24 Setembro, 2018
Um urbanismo que esqueceu o urbano: o legado de John Portman em Detroit, Renaissance Centre em Detroit. Image via Wikimedia
Renaissance Centre em Detroit. Image via Wikimedia

Esse artigo foi publicado originalmente no Common Edge como "Will Detroit ever Fully Recover from John Portman's Renaissance Center?"

O Common Edge já publicou sobre a herança anti-urbana do arquiteto e empreendedor John Portman. Vale a pena entrar em mais detalhes sobre esses projetos, já que parece que aprendemos muito pouco com seus fracassos.

Vamos começar com Detroit. O Renaissance Center foi um dos seus maiores e mais celebrados projetos. Mas esse complexo de sete arranha-céus interconectados apresenta algumas questões difíceis para os planejadores urbanos hoje: pode o centro de Detroit se recuperar totalmente desse desenvolvimento gigantesco e mal pensado? E, mais importante, por que outras cidades não aprenderam com suas lições claras?

Minimizando a perda de dados entre o SIG e o BIM

12:00 - 6 Setembro, 2018
Minimizando a perda de dados entre o SIG e o BIM, via Wikimedia. ImageDom Luis Bridge / Porto, Portugal
via Wikimedia. ImageDom Luis Bridge / Porto, Portugal

Um fato infeliz da indústria AEC (arquitetura, engenharia e construção) é que, dentre todos os estágios do processo - do planejamento e projeto à construção e operações - dados críticos acabam sendo perdidos.

A realidade é que, quando você move dados entre fases, digamos, do ciclo de vida útil de uma ponte, você acaba levando esses dados entre sistemas de software que reconhecem apenas seus próprios conjuntos de dados. No minuto em que você traduz esses dados, você reduz sua riqueza e valor. Quando uma parte interessada do projeto precisa de dados de uma fase anterior do processo, arquitetos, planejadores e engenheiros geralmente precisam recriar manualmente essas informações, resultando em retrabalho desnecessário.

Módulos autônomos e móveis propõem um outro modo de habitar a cidade

16:00 - 25 Agosto, 2018
Módulos autônomos e móveis propõem um outro modo de habitar a cidade, "the org". Cortesia de Florian Marquet
"the org". Cortesia de Florian Marquet

Florian Marquet, arquiteto de Xangai, divulgou recentemente uma proposta para repensar a vida urbana a partir de espaços móveis autônomos. Apelidado de "org", seu projeto tem como objetivo rever o status quo do mercado imobiliário e oferecer um modelo mais equilibrado para a vida urbana. O sistema modular responderia às necessidades dos usuários com uma variedade de programas, de unidades para agricultura e cozinhas a áreas de trabalho flexíveis e dormitórios. Pensado para a fabricação, as unidades podem ser encomendadas instantaneamente por meio de um aplicativo.

"the org". Cortesia de Florian Marquet "the org". Cortesia de Florian Marquet "the org". Cortesia de Florian Marquet "the org". Cortesia de Florian Marquet + 10

Como o Parc de la Villette influenciou a maneira como projetamos nossos parques no século XXI

10:00 - 23 Agosto, 2018
Como o Parc de la Villette influenciou a maneira como projetamos nossos parques no século XXI,  © <a href='https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/50/LaVillette100911.jpg'> Creative Commons User Jean-Marie Hullot</a> licensed under <a href=’https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/deed.en/'>CC BY 3.0</a>
© Creative Commons User Jean-Marie Hullot licensed under CC BY 3.0

 © <a href='https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/6/6f/Do_pedalar_e_da_ciência.jpg'> Creative Commons User Alix Ferreira</a> licensed under <a href=’https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/'>CC BY-SA 4.0</a>  © <a href='https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/f6/Parc_de_La_Villette_%40_Paris_%2828926264776%29.jpg'> Creative Commons User Guilhem Vellut</a> licensed under <a href=’https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/'>CC BY 2.0</a>  © <a href='https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/d2/Folie_N8_%40_La_Villette_%40_Paris_%2833893431256%29.jpg'> Creative Commons User Guilhem Vellut</a> licensed under <a href=’https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/'>CC BY 2.0</a>  © <a href='https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/b/b4/Canal_%40_La_Villette_%40_Paris_%2833091237904%29.jpg'> Creative Commons User Guilhem Vellut</a> licensed under <a href=’https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/'>CC BY 2.0</a> + 11

Como seria um tradicional parque parisiense para você? Para muitos, só existe uma imagem capaz retratar com exatidão a essência deste espaço: A Sunday Afternoon on the Island of La Grande Jatte, de Georges Seurat. A famosa pintura retrata a burguesia desfrutando de um oásis natural, uma ilha verde em meio a uma cidade industrializada.

Transformar estacionamentos em habitações, o grande desafio para as novas gerações

07:00 - 10 Agosto, 2018
Transformar estacionamentos em habitações, o grande desafio para as novas gerações, © Gensler via LA Times
© Gensler via LA Times

Você está procurando um novo lugar para morar? Talvez seja a hora de ampliar a sua busca e dar uma olhadinha também nas garagens dos edifícios que está visitando. É muito provável que estas antigas estruturas para veículos se transformem na próxima menina dos olhos dos construtores e empreendedores. Somente nos Estados Unidos, considera-se que existam mais de meio bilhão de vagas de estacionamento em um país onde a população é de apenas 326 milhões de habitantes, isso é equivalente a uma área de 6.500 quilômetros quadrados de superfície. Ainda que a tendência mais razoável seja investir em um futuro "livre de carros", estas estruturas continuam pipocando ao redor do mundo. Considerando que as nossas estruturas urbanas estão sendo desenvolvidas para abrigar um número cada vez maior de veículos automotores, como poderíamos reverter estas estruturas no momento em que a demanda começar a diminuir?

Henning Larsen divulga proposta de recuperação da histórica zona portuária de Gdansk na Polônia

16:00 - 11 Julho, 2018
Henning Larsen divulga proposta de recuperação da histórica zona portuária de Gdansk na Polônia, Cortesia de Henning Larsen
Cortesia de Henning Larsen

O escritório Henning Larsen divulgou imagens do seu novo projeto urbano para o histórico Porto Imperial de Gdansk, na Polônia. O megaempreendimento de 400 mil metros quadrados procura transformar a antiga zona portuária, construída em 1844, em um “poderoso mecanismo de desenvolvimento econômico e social, um novo bairro de uso misto muito próximo ao centro histórico da cidade.

A antiga zona industrial portuária desempenhou um papel fundamental no desenvolvimento econômico e cultural da cidade de Gdansk e da Polônia em um cenário mais abrangente, atuando como um importante centro mercante na costa do mar Báltico. Como uma espécie de acupuntura urbana, o projeto da Henning Larsen procura reativar a histórica área portuária e reconecta-la ao contexto urbano através da inserção de novos percursos caminháveis e ciclovias, preservando o caráter desta área à beira-mar como uma importante zona comercial e de lazer para a população local.

Cortesia de Henning Larsen Cortesia de Ra2nski Cortesia de Ra2nski Cortesia de Plankton Group + 9

Hamonic + Masson Architects tem projeto premiado no concurso Imagine Angers

19:00 - 1 Maio, 2018
Hamonic + Masson Architects tem projeto premiado no concurso Imagine Angers, © Luxigon
© Luxigon

Hamonic + Masson Architects, com sede na França, foi selecionado como um dos vencedores do concurso Imagine Angers, que pediu às equipes que propusessem projetos inovadores para serem construídos em um dos seis terrenos diferentes da cidade de Angers, na França. As equipes vencedoras foram anunciadas pelo prefeito de Angers na MIPIM, uma conferência imobiliária realizada em Cannes. Outros arquitetos participantes incluem Manuelle Gautrand, Steven Holl, Duncan Lewis, XTU, Sou FUJIMOTO e OXO arquitetos.

UNStudio lança startup focada no bem estar das pessoas nas cidades do futuro

16:00 - 15 Abril, 2018
Cortesia de UNStudio
Cortesia de UNStudio

Um crescente número de novas tecnológicas nesse início de século abriu caminho à teorização e a implementação das chamadas Smart Cities, ambientes urbanos projetados com base em dados técnicos e concebidos para serem eficientes. Embora a maioria das inovações tecnologias estejam relacionadas à infraestrutura, uma nova startup chamada de UNSense acaba de ser lançada com uma abordagem voltada ao ser humano, com foco na saúde e no bem-estar das pessoas.

Fundada por Ben van Berkel, diretor do escritório holandês UNStudio, e com sede em um centro de inovação de Amsterdã, a UNSense pretende usar dados técnicos para projetar intervenções em espaços urbanos de modo a qualificar a saúde física, mental e social das pessoas. Como empresa irmã independente do UNStudio, a UNSense se especializará em tecnologia orientada ao usuário para desenvolver uma arquitetura focada nas pessoas - uma abordagem de "software" que oferece um contraponto ao "hardware" do UNStudio.

Cortesia de UNStudio Cortesia de UNStudio CitySense. Imagem Cortesia de UNStudio Solar Brick. Imagem Cortesia de UNStudio + 5

Projeto de uso misto com creches e lar para idosos vence concurso na França

19:00 - 24 Março, 2018
Projeto de uso misto com creches e lar para idosos vence concurso na França, © AIRSTUDIO
© AIRSTUDIO

O concurso internacional de arquitetura Imagine Angers pediu aos arquitetos que criassem soluções inovadoras para um dos seis terrenos na cidade de Angers, na França. A empresa de arquitetura WY-TO e Crespy & Aumont Architectes, sediada em Paris, entrelaçou a paisagem natural com um estilo de vida contemporâneo para todas as idades em seu projeto vencedor, o Arborescence.

Estaria o plano da Índia de construir 100 cidades inteligentes fadado ao fracasso?

07:00 - 14 Março, 2018
Estaria o plano da Índia de construir 100 cidades inteligentes fadado ao fracasso?, Skyline de Mumbai. Imagem <a href='https://pixabay.com/en/mumbai-bombay-cityscape-skyline-390543/'>via Pixabay</a> usuário PDPics (domínio público)
Skyline de Mumbai. Imagem via Pixabay usuário PDPics (domínio público)

A Missão Cidade Inteligente do governo indiano, lançada em 2015, prevê o desenvolvimento de cem "cidades inteligentes" até 2020 para apresentar soluções para a rápida urbanização do país; trinta cidades foram adicionadas à lista oficial na semana passada, levando o número total atual de iniciativas planejadas para noventa. A missão de US$ 7,5 bilhões abrange o desenvolvimento geral de infraestrutura básica — abastecimento de água, eletricidade, mobilidade urbana, habitação a preços acessíveis, saneamento, saúde e segurança — ao mesmo tempo que incluem "soluções inteligentes" baseadas em tecnologia para impulsionar o crescimento econômico e melhorar a qualidade de vida dos cidadãos nas cidades.

Em um país imerso em corrupção, a missão foi elogiada pelo uso transparente e inovador de um nacional "Desafio Municipal" para dar financiamento às melhores propostas dos órgãos municipais locais. Seu manifesto utópico e implementação, no entanto, são motivos de grande preocupação entre os planejadores urbanos e tomadores de decisão hoje, que questionam se a própria ideia de cidade inteligente indiana é inerentemente falha.

Richard Meier & Partners tem planos de concluir quatro novos projetos em 2018

07:00 - 7 Janeiro, 2018
Richard Meier & Partners tem planos de concluir quatro novos projetos em 2018, Cortesia de Richard Meier & Partners
Cortesia de Richard Meier & Partners

Este ano, o escritório Richard Meier & Partners deverá inaugurar quatro novos projetos internacionais. Estes edifícios de uso misto foram concebidos como volumes transparentes que fazem uso da luz e da sombra como importantes elementos projetuais, além de responderem especificamente a seus respectivos contextos urbanos.

COBE projeta novo centro de visitantes e produção da cervejaria LERVIG da Noruega

15:00 - 2 Janeiro, 2018
COBE projeta novo centro de visitantes e produção da cervejaria LERVIG da Noruega, Cortesia de COBE
Cortesia de COBE

Em breve, os moradores de Stavanger, Noruega, poderão o processo de fabricação da cerveja LERVIG em seu novo centro de visitantes e produção projetado pelo escritório dinamarquês COBE. Localizado em um antigo pier industrial, o edifício oferecerá uma série de novos serviços e espaços no centro de Stavanger, como jardins e um mercado de rua. Destes pontos, os visitantes poderão observar os tanques e o processo e fermentação acontecendo no interior do edifício.

Como as salas de concerto contemporâneas operam como catalisadoras de transformações urbanas

07:00 - 10 Dezembro, 2017
Como as salas de concerto contemporâneas operam como catalisadoras de transformações urbanas, Esquerda e inferior direita: Harpa Concert Hall, imagem Cortesia de Henning Larsen Architects; superior direita: Filarmônica de Paris, imagem © Danica O Kus
Esquerda e inferior direita: Harpa Concert Hall, imagem Cortesia de Henning Larsen Architects; superior direita: Filarmônica de Paris, imagem © Danica O Kus

Na série de vídeos desenvolvidos para o World Architecture Festival em novembro de 2017, o PLANE-SITE apresenta uma imersão nos projetos das salas de concertos contemporâneas. Os quatro vídeos realizados destacam os principais elementos da arquitetura contemporânea dos espaços musicais através de um painel multimídia interativo. Como exemplo, são apresentados os projetos do Harpa Concert Hall em Reykjavik, o Fórum Nacional da Música em Wroclaw e a Filarmônica de Paris. Os vídeos revelam que as salas de concertos contemporâneas nunca foram tão tecnológicas e multifuncionais como nos dias de hoje, e que a arquitetura tem proporcionado uma transformação efetiva das experiências musicais.

Esta série de vídeos serviu como ponto de partida para um debate aberto entre o público da WAF e seus palestrantes, moderado por Andres Ramirez do PLANE-SITE. Entre os convidados estavam Michel Cova da dUCKS scéno, Tateo Nakajima representando a Arup e Jacob Kurek do Henning Larsen Architects.

Da antiga cidade de Eridu à Metropolis de Fritz Lang: animação mostra a busca pela cidade ideal

07:00 - 6 Novembro, 2017

As cidades são um universo por si só; expandindo-se furiosamente, expelindo-se, zunindo no tempo e no espaço. Elas são agredidas, esquadrinhadas, levadas ao limite, incendiadas; São entranhas traiçoeiras que engendram guerras, vitórias banhadas em sangue e regozijo. O espaço construído sempre foi um reflexo dos medos, anseios e ideais de seus habitantes, e é, como tal, uma das primeiras e mais poderosas formas de expressão humana.

Neste ano, no dia mundial das cidades, assista a "The Perfect City", uma animação criada pelo designer Al Boardman para a nova série da BBC "Designed" do site BBC Culture. A série retrata a busca do "ideal" e do 'perfeito' no projeto do espaço urbano ao longo da história da humanidade. Narrado e dirigido pelo renomado crítico de arquitetura e escritor Jonathan Glancey, o vídeo mostra em apenas 2 minutos alguns dos principais exemplos do planejamento urbano na historia da humanidade, antigo e novo, bem sucedido e mal sucedido.

Projeto propõe solução para inundações, estacionamentos e áreas verdes em uma única estrutura

15:00 - 1 Outubro, 2017
Projeto propõe solução para inundações, estacionamentos e áreas verdes em uma única estrutura, Courtesy of THIRD NATURE
Courtesy of THIRD NATURE

A população global continua crescendo, gerando, consequentemente, um contínuo aumento no número de automóveis e de questões relacionadas às mudanças climáticas. Estima-se que cerca de 30% dos veículos parados em congestionamentos urbanos sejam motoristas à procura de vagas para estacionar. A cultura do carro tem pressionado as cidades para que se construam mais estacionamentos, impondo esta necessidade em detrimento de outras benfeitorias urbanas. Enquanto isso, as mudanças climáticas continuam a desafiar as nossas cidades a lidar com o escoamento das águas pluviais. A temporada de furacões no Atlântico em 2017 é prova disso - até a última segunda-feira, 13 tempestades tropicais se formaram no oceano Atlântico, custando 210 vidas até agora.

A THIRD NATURE, um escritório de arquitetura da Dinamarca, projetou uma solução para lidar com as questões urbanas modernas à relacionadas às inundações, estacionamentos e falta de espaços verdes através de seu projeto POP-UP. Uma série de espaços verdes, um estacionamento e um reservatório de água, sobrepostos de cima para baixo, respectivamente. A proposta utiliza o princípio de Arquimedes para armazenar água enquanto cria um espaço flutuante para abrigar os veículos.

Courtesy of THIRD NATURE Courtesy of THIRD NATURE Courtesy of THIRD NATURE Courtesy of THIRD NATURE + 14

Novo parque em Moscou por Diller Scofidio + Renfro reproduz microclimas artificialmente

15:00 - 29 Setembro, 2017
Novo parque em Moscou por Diller Scofidio + Renfro reproduz microclimas artificialmente, © Philippe Ruault
© Philippe Ruault

Como parte de uma série de projetos de desenvolvimento urbano espalhados por toda Moscou, o Zaryadye Park, o último a ser inaugurado ainda este mês, tem a missão de ampliar e qualificar os espaços verdes da cidade. Dirigido por Diller Scofidio + Renfro, este consórcio internacional projetou um novo espaço público que incentiva a integração e celebra a amplitude das regiões de toda a Rússia simulando artificialmente cada um de seus climas típicos: a estepe, a floresta, as zonas úmidas e a tundra.

"Receptividade" é tema de instalações construídas por estudantes na Dinamarca

16:00 - 24 Setembro, 2017

Em meados deste ano, a cidade de Fredericia, Dinamarca, recebeu a EASA [Assembleia Europeia de Estudantes de Arquitetura]. Maior rede de estudantes de arquitetura da Europa, a EASA é uma comunidade diversificada onde a linguagem comum é a arquitetura. O tema da EASA 2017 foi Hospitality - Finding the Framework. A ideia de hospitalidade - ou, em uma compreensão mais ampla, receptividade - serviu de base para 30 projetos realizados por grupos de estudantes ao longo de duas semanas.

Por que Jan Gehl não necessariamente odeia os arranha-céus

07:00 - 19 Setembro, 2017
Por que Jan Gehl não necessariamente odeia os arranha-céus, © <a href='https://www.flickr.com/photos/gruban/288465746/'>Flickr user gruban</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>CC BY-SA 2.0</a>
© Flickr user gruban licensed under CC BY-SA 2.0

Esse artigo foi originalmente publicado em Common Edge como "Jan Gehl on Why Tall Buildings Aren’t Necessarily Bad for Street Life."

Jan Gehl, o grande urbanista dinamarquês, tem muito em comum com Jane Jacobs. Durante a maior parte do último meio século, seu foco tem sido o desenvolvimento de cidades orientadas para as pessoas. O autor de uma série de livros, incluindo Life Between Buildings, Cities for People, Public Spaces—Public Life e, mais recentemente, How to Study Public Life, Gehl e seus colegas também serviram como consultores para as cidades de Copenhague, Londres, Melbourne, Sidney, Nova York e Moscou. Gehl Architects atualmente tem escritórios em Copenhague, Nova York e San Francisco. Conversei com Gehl sobre Jacobs, a loucura do planejamento urbano modernista e a forma urbana duradora da cidade de Nova York.