Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Noticias

Noticias

Um passeio solitário: construindo imagens da cidade em tempos de isolamento

Existem elementos estranhos de conexão que fazem parte desse fenômeno de distanciamento social: não apenas o mundo inteiro o está exoperienciando simultaneamente, mas também parecemos compartilhar um momento global de conscientização de que algo único está ocorrendo – algo que exige ser documentado e entendido.

Movidos por esse impulso e sob a orientação da fotógrafa e professora Erieta Attali, 16 estudantes da Cooper Union exploraram, através da fotografia, sua vida cotidiana agora governada pelo isolamento e pelo distanciamento social. Os registros mostram realidades distintas, específicas de onde os alunos estão passando o período de quarentena.

© Tomás Mor © Raymond Tan © Carmen Maldonado © Andrew Song + 85

Arquitetura pós COVID-19: a profissão, os escritórios e os autônomos

À medida que alguns países estão pouco a pouco retomando as suas atividades, abrandando as medidas de contenção e isolamento que nos foram impostas ao longo dos últimos meses, arquitetos do mundo todo estão procurando entender melhor como será a sua vida na chamada ‘nova normalidade’. Como uma ruptura drástica e repentina em nossos modos de vida, o surto de coronavírus nos apresentou uma nova forma de encarar o mundo, redefinindo o próprio conceito de “normalidade”, provocando uma mudança na maneira como nos relacionamos com o mundo a nossa volta. Impulsionados por uma série de questões latentes, estamos lidando com um fenômeno ainda muito recente, antecipando um futuro relativamente desconhecido.

Durante um bate papo informal, dois dos nossos editores tiveram a ideia de escrever um artigo colaborativo onde procuram investigar as principais tendências do atual momento, debatendo questões relacionas às incertezas do futuro e oferecendo a sua visão sobre como a atual situação poderá afetar a disciplina da arquitetura daqui para frente. Abordando uma possível mudança de paradigma, no cenário profissional e principalmente no ensino da arquitetura, este artigo escrito à quatro mãos por Christele Harrouk e Eric Baldwin visa lançar uma luz sobre este nebuloso momento que estamos atravessando.

Que vidros utilizar para evitar que aves se choquem com os edifícios

Você sabia que durante a segunda semana de maio é comemorado o dia mundial das aves migratórias?

Todos os anos, nessa data, são organizados festivais, eventos educacionais, exposições e excursões para celebrar e, acima de tudo, conscientizar sobre a conservação das aves migratórias. Essas espécies viram seus habitats transformados nas últimas décadas, em parte pela ação humana: projetistas e agentes imobiliários construíram e nutriram um imaginário urbano dominado por estruturas de vidro como símbolo de poder e progresso. Antes de prosseguir com a conquista do céu, vale a pena considerar algumas medidas a serem adotadas ao especificar materiais mais amigáveis ​​às espécies com as quais coabitamos.

Quão temporária deve ser a arquitetura emergencial?

Inundações, terremotos, tsunamis, furacões, conflitos armados, econômicos, sociais, pandemias. O número de refugiados no mundo cresce ano após ano. As soluções imediatas e temporárias, cada vez mais numerosas, transitam entre o "fazer o que se pode" e o "fazer o que se deve", sempre sob a égide do "fazer muito com pouco". Mas quão temporária a arquitetura de emergência acaba, efetivamente, sendo? É mais permanente do que pensávamos?

Queremos oferecer aos nossos leitores a possibilidade de expressar abertamente suas opiniões e experiências sobre o assunto. Se tivéssemos consciência da dificuldade de lidar com as perdas totais – que acabam fazendo o temporário se tornar permanente – mudaríamos o modo de projetar a arquitetura emergencial? Exigiríamos uma arquitetura de emergência de maior qualidade? Buscaríamos outros tipos de solução?

Deixe suas opiniões sobre o assunto no formulário a seguir:

Brasil, dentro da câmara de mentiras: Guilherme Wisnik conversa com Nuno Ramos

No debate promovido pela Escola da Cidade neste semana, Guilherme Wisnik conversa com Nuno Ramos, pintor, desenhista, escultor, escritor, cineasta, cenógrafo e compositor formado em filosofia pela Universidade de São Paulo.

Plataforma online reúne 280 publicações e livros de fotografia

Pesquisadores e entusiastas da fotografia têm agora mais uma grande ferramenta à disposição. Acaba de ser lançada a Base de Dados de Livros de Fotografia (BDLF): uma plataforma de referências bibliográficas exclusivamente dedicada aos livros fotográficos. O projeto foi idealizado pelo fotógrafo e pesquisador Leonardo Wen, e começou a ser executado em 2018, com financiamento do edital Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal.

Projeto do Museu Húngaro dos Transportes de Diller Scofidio + Renfro é retomado

O governo da Hungria decidiu dar seguimento ao projeto do novo Museu dos Transportes em Budapeste, de Diller Scofidio + Renfro. Nos últimos meses, a pandemia do COVID-19 colocou em dúvida o futuro do projeto, mas as últimas notícias são um sinal positivo em apoio aos esforços das equipes de planejamento e projeto que se preparam para iniciar as obras.

Museu dos Transportes. Cortesia de Diller Scofidio + Renfro Museu dos Transportes. Cortesia de Diller Scofidio + Renfro Museu dos Transportes. Cortesia de Diller Scofidio + Renfro Museu dos Transportes. Cortesia de Diller Scofidio + Renfro + 6

Sedução em escala monumental: o Templo de Salomão em São Paulo

Shalom. Três homens em túnicas brancas estendem sincronicamente os braços e saúdam a quem chega com a expressão hebraica que deseja paz e boas-vindas. Por favor, conserve o silêncio no santuário. A locução suave e feminina informa as regras de conduta em meio à trilha sonora celestial. Telões de alta definição exibem imagens florais e passagens bíblicas. Para alcançar a prosperidade, em quem confiar? Vídeos de curta duração divulgam a programação semanal, como a Palestra Motivacional para o Sucesso Financeiro, oferecida às segundas-feiras em seis horários diferentes.

Egito moderno: nova arquitetura em um mundo antigo

A arquitetura egípcia contemporânea está baseada em uma história enriquecedora. Como berço da civilização, o país transcontinental influenciou vários estilos de construção e culturas de projeto. Lar de alguns dos primeiros desenvolvimentos urbanos e governos centralizados, o Egito é definido por sua geografia e seu contexto multicultural. Hoje, sua arquitetura moderna precisa enfrentar uma herança de construção que se estende por milênios.

© Essam Arafa © Rayem © Rayem © Ahmed Hossam Saafan + 14

Bienal de Design de Londres é adiada para 2021

A Bienal de Design de Londres em 2020 foi oficialmente adiada para 2021. Fundado em 2016 por Sir John Sorrell e Ben Evans, o evento promove a colaboração internacional e o papel global do design. Sua terceira edição ocorrerá em junho de 2021 e tem curadoria da diretora artística Es Devlin.

Atelier Marko Brajovic projeta biblioteca flutuante na Floresta Amazônica

O Atelier Marko Brajovic divulgou recentemente o projeto de uma Biblioteca Comunitária Flutuante no lago Mamori, na Floresta Amazônica. Desenvolvido em estreita colaboração com a comunidade local, o projeto pretende se tornar uma referência para a construção sustentável e educação ambiental.

Cortesia de Atelier Marko Brajovic Cortesia de Atelier Marko Brajovic Cortesia de Atelier Marko Brajovic Cortesia de Atelier Marko Brajovic + 12

Projeto de Herzog & de Meuron para o estádio do Chelsea FC não será construído

Originalmente programado para ser concluído em 2020, o estádio projetado pelo escritório Herzog & de Meuron para o Chelsea Football Club, orçado em 500 milhões de libras esterlinas, não será construído pois as permissões emitidas pelas autoridades responsáveis expiraram. Os planos de remodelação, sujeitos a numerosos desafios legais ao longo dos anos, estão temporariamente interrompidos.

Cortesia de Herzog & de Meuron Cortesia de Herzog & de Meuron Cortesia de Herzog & de Meuron Cortesia de Herzog & de Meuron + 7

Como o coronavírus transformará o modo como ensinamos arquitetura

Por causa do coronavírus, as universidades em todo o mundo estão fechadas e as aulas, agora, são oferecidas por videoconferência. Isso não é excessivamente dramático, pois esse arranjo temporário eclipsará após a contenção dos casos e as aulas serão retomadas. No entanto, os impactos no meio universitário e no tecido urbano exigirão reformas imediatas no ensino superior, que moldarão o programa de estudos em arquitetura dos próximos anos.

As paredes de barro nas casas contemporâneas do Equador

Casa El Palomar / FB+ estudio. Image © FB+ estudio Casa de las camas en el aire / AL BORDE. Image © JAG Studio Casa PATCH / ESEcolectivo Arquitectos. Image © Lorena Darquea Casa de la Loma / Iván Andrés Quizhpe. Image © Sebastián Crespo + 20

A terra é um elemento que vem sendo utilizado para construir desde tempos imemoráveis. Seu baixo impacto ambiental e a variedade de técnicas existentes para trabalhá-la permitiram a transcendência de seu uso em projetos de arquitetura em todo o mundo. Seja na taipa, em paredes de terra batida, paredes erguidas com sistemas de barro ou estruturas em adobe, diversos projetos contemporâneos reelaboram e reinterpretam estes métodos tradicionais para dar forma a seus espaços.

Itália oferece 500 euros para pessoas comprarem bicicletas durante pandemia do coronavírus

A Itália aprovou um projeto que concede bônus de até 500 euros (cerca de R$ 3,1 mil) para ajudar os moradores de cidades com mais de 50 mil habitantes a comprarem uma bicicleta. A medida está prevista no decreto-lei aprovado em 13 de maio pelo Conselho de Ministros para incentivar a retomada econômica do país, em meio à pandemia do novo coronavírus. Além disso, o projeto também incentiva o uso de veículos não poluentes.

A história da arquitetura: do Neolítico à Mesopotâmia e Egito Antigo

Até onde chega os antigos registros escritos da história da humanidade, a “pré-história” pode ser estabelecida em um período de tempo que vai de 35.000 a.C. até 3000 a.C. no caso do Oriente Médio e até 2000 a.C. na Europa Ocidental. Segundo o que foi possível observar, os construtores de outrora detinham um profundo conhecimento à respeito das condições ambientais e das necessidades físicas do ser humano em sua busca por abrigo. Inicialmente organizados em grupos ou tribos, humanos utilizavam estruturas construídas com pele e ossos de animais para se proteger da chuva e do sol, do frio e do calor assim como das ameaças do mundo exterior. Milhares de anos se passaram e as cabanas primitivas evoluíram para se tornarem estruturas complexas construídas em paredes de tijolos ou com solo compactado, assumindo formas geométricas pontuadas por aberturas responsáveis pela ventilação e iluminação natural dos espaços interiores. 

Ao longo dos próximos meses, você poderá acompanhar aqui no ArchDaily uma série de pequenos artigos sobre a história da humanidade em busca de abrigo e como o habitat primitivo evoluiu para se transformar na arquitetura como a conhecemos hoje. Durante esta primeira semana, dedicaremos um pouco do nosso tempo para refletir sobre as estruturas das primeiras civilizações conhecidas pela humanidade: as Aldeias Neolíticas, a Mesopotâmia e o Antigo Egito.

5 Materiais alternativos para construção de abrigos emergenciais

Terremotos, pandemias, conflitos e desastres ambientais são alguns dos eventos que têm desafiado arquitetos, urbanistas, designers e engenheiros a encontrar formas de desenvolver estruturas e infraestruturas de maneira rápida, prática, eficiente e adequada tanto à situação como ao local em que serão implementadas. Na busca por materiais que estejam disponíveis e cumpram as exigências para cada tipo de situação, aqueles considerados “alternativos”, ou não usuais – ao menos no contexto dos abrigos emergenciais –, se apresentam como possibilidades para experimentação e posterior aplicação em estruturas de emergência. Ao abordarmos edificações temporárias, contêiners e lonas tensionadas sempre nos vêm à cabeça. Mas há materiais de grande disponibilidade e com boas características físicas que podem cumprir funções emergenciais.

Cortesia de Charles Lai, Takehiko Suzuki Cortesia de Colegio de Arquitectos del Ecuador - Provincia de Pichincha Print Your City. Imagem © Stefanos Tsakiris Cortesia de Voluntary Architects' Network + 11

Quem veio antes, o projeto ou a construção? Uma jornada pela história das representações

No sentido mais fundamental, podemos dizer que a arquitetura nasce – em sua forma mais elementar – da inerente busca humana por abrigo. A cabana como abrigo construído pelo homem, em sua forma mais primitiva, já existia há muito tempo quando Marc-Antonie Laugier à descreveu em 1755. Laugier teorizou uma alegoria de um homem na natureza e sua necessidade de abrigo, um requisito básico para proteger-se do sol e da chuva. Os troncos de madeira, verticalmente dispostos no terreno, aludem ao papel desempenhado pelas colunas, enquanto os elementos horizontais colocados sobre elas nos fazem pensar na função de uma viga, os galhos, por sua vez, cumprem a função de cobertura inclinada de uma típica “cabana” moderna. Embora o homem tenha vagado pela superfície da Terra por milhares e milhares de anos, por que apenas em meados do século XVIII fomos capazes de teorizar a respeito da gênese da mais elementar das criações humanas?

Nossa cobertura completa sobre o coronavírus, a arquitetura e as cidades

Em meio a uma pandemia que já atingiu 184 países e contagiou mais de um milhão pessoas ao redor do mundo, buscamos cobrir todos os temas que relacionem o cononavírus com a arquitetura e o espaço - e maneiras de tornar o distanciamento social menos penoso.

Faça um passeio virtual pelas obras mais famosas de Frank Lloyd Wright

Como a maioria dos espaços culturais e museus ao redor do mundo permanecem fechados como uma medida preventiva para conter a disseminação do surto de COVID-19, alguns iniciativas tem sido lançadas ao longo dos últimos meses para ampliar o acesso – ainda que virtualmente – à arte e a cultura. Instituições dos quatro cantos do mundo estão facilitando a navegação por seus acervos além de promoverem visitas virtuais por exposições e por que não, obras de arquitetura. Através de uma parceria entre a Frank Lloyd Wright Building Conservancy, a Frank Lloyd Wright Foundation e a Unity Temple Restoration Foundation, atualmente é possível conhecer à fundo algumas das mais importantes obras de arquitetura construídas pelo mais conhecido arquiteto americano de todos os tempos. Divulgada através da hashtag #WrightVirtualVisits, os responsáveis pelo projeto já disponibilizaram até agora vinte e quatro edifícios projetados e construídos por Wright nos EUA, e acredita-se que este acervo seja ampliado em breve. Com novos vídeos publicados todas as quintas-feiras, o projeto se estenderá até o próximo dia 15 de Julho, promovendo uma perspectiva abrangente e profunda sobre a extensa obra construída de Frank Lloyd Wright.

O uso da pré-fabricação em 6 projetos emergenciais ao redor do mundo

Protótipo de residência rural em Apan / DVCH De Villar CHacon Architecture. Imagem: © Jaime Navarro Soto
Protótipo de residência rural em Apan / DVCH De Villar CHacon Architecture. Imagem: © Jaime Navarro Soto

A noção de situação emergencial abrange uma série de cenários contemporâneos que vão desde desastres naturais a situações de extrema pobreza ou isolamento por conflitos sociais e políticos. Em todos os casos, o caráter de suspensão da normalidade e afloramento das mais básicas necessidades para a manutenção de uma qualidade de vida digna se tornam os motes para pensar alternativas de desenho rápidas e eficientes que ofereçam uma resposta a este tipo de situação de urgência.

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.