Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Exhibition

Exhibition: O mais recente de arquitetura e notícia

Como o pintor Ben Johnson torna a representação arquitetônica tão real?

Ben Johnson é um pintor preocupado com o realismo - especialmente quando trata-se da representação bidimensional do espaço arquitetônico. O artista britânico trabalha em Londres desde a década de 1960. Neste tempo, sua extensa obra abordou paisagens urbanas, estampas e representações de ambientes desenhados por Norman Foster, John Pawson, IM Pei, David Chipperfield.

'Room of the Niobids II' (2011, acrylic on canvas, 71 x 99in / 180 x 252cm): depiction of the Neues Museum (Berlin) by David Chipperfield Architects & Julian Harrap. Image © Ben Johnson 'Fatherland Room' (2014, acrylic on canvas, 71 x 93in / 180 x 237cm): depiction of the Neues Museum (Berlin) by David Chipperfield Architects & Julian Harrap. Image © Ben Johnson 'Roman Room' (2014, acrylic on canvas, 71 x 93in / 180 x 237cm): depiction of the Neues Museum (Berlin) by David Chipperfield Architects & Julian Harrap. Image © Ben Johnson 'Room of the Niobids' (2011, acrylic on canvas, 71 x 99in / 180 x 252cm): depiction of the Neues Museum (Berlin) by David Chipperfield Architects & Julian Harrap. Image © Ben Johnson + 19

Explore a mente de Le Corbusier através dessas 5 pinturas

Marcando os cinquenta anos de falecimento de Le Corbusier, a Galeria Eric Mouchet está realizando um trabalho em parceria com a Galeria Zlotowski para exibir Le Corbusier: Panorama of a Lifetime’s Work em Paris. A exposição, que inaugura dia 23 de abril e permanece em cartaz até 25 de julho, apresenta um panorama global de pinturas, desenhos e gravuras do mestre modernista.

"Le Corbusier, que nunca andava sem um caderno de croquis em seu bolso, devotou metade de seus dias, durante mais de 45 anos, a escrever, pintar e desenhar - algo que ele chamava de 'Atelier de la recherché patiente'", comentam os responsáveis das galerias envolvidas. "Sua produção nas artes visuais é tanto original como prolífica, abrangendo um período que vai de 1917 a 1965. Até a Segunda Guerra Mundial, sua obra era basicamente fruto de suas pesquisas. Mais tarde, contudo, isso levou à concepção e difusão do Modulor, uma escala de proporções "harmônicas" criada pelo arquiteto em 1946.

Explore a mente de Le Corbusier a partir de cinco pinturas que farão parte da exposição. Veja-as a seguir:

Vídeo: Timelapse da construção da Casa Desmontável de Jean Prouvé

A Casa Desmontável de Jean Prouvé, um dos primeiros exemplos de habitação pré-fabricada, foi completamente montada e colocada em exposição ao público na Art Basel Miami 2014 em comemoração ao seu 70º aniversário. A mostra fazia parte do tour oferecido pela marca suíça Bally pela estrutura original de 1944, com seu próximo e último ponto de parada marcado para o evento Design Shanghai 2015. Esse fascinante vídeo em timelapse revela todo o processo de construção e nos mostra de perto como cada componente da casa se une, das tábuas do assoalho à cobertura e revestimento externo. Assista ao vídeo acima para ver a estrutura de Prouvé sendo montada e veja, nas imagens abaixo, a casa concluída.

Interior da casa de Jean Prouvé, com obras de arte de Kolkoz e Zak Kitnick. Imagem © Forward-Anh Phi © Forward-Anh Phi © Forward-Anh Phi © Forward-Anh Phi + 4

“Hypotopia”: Arquitetura como um veículo de ação política

No despertar da crise financeira mundial, escândalos bancários e resgates de nações assumiram as manchetes em todo o mundo. Com uma parcela tão grande do dinheiro dos contribuintes sendo direcionada para o problemático setor financeiro, indivíduos comuns se perguntam como isso afetará suas vidas. Mas como pode uma nação inteira se levantar e fazer ouvir quando é quase impossível compreender a magnitude de tal injustiça? Na Áustria, um grupo de estudantes da Technische Universität Wien se propôs a responder essa questão e assumiu uma nova forma de protesto para tornar as consequências de um dos maiores escândalos financeiros da história recente da Europa uma realidade tangível.

Para representar a fatura de 19 bilhões de euros que a Áustria ofereceu para resgatar o banco Hypo-Alpe-Adria, os estudantes projetaram e construíra uma maquete de uma cidade fictícia chamada “Hypotopia”, uma junção do nome do banco com "utopia". Segundo Lukas Zeilbauer, "enquanto utopia se coloca como um mundo fictício ideal, 'hypo' é uma palavra grega que significa 'abaixo', 'por baixo', 'sob' - então uma mudança vinda do fundo, para o povo." Incorporando uma sociedade idealista com recursos renováveis abundantes e educação pública para as pessoas de todas as idades, o modelo de cidade teria, teoricamente, 102.574 habitantes, sendo a sexta maior cidade da Áustria.

Continue lendo para saber como uma maquete atraiu a atenção internacional e impulsionou um país inteiro a agir. 

© Armin Walcher © Armin Walcher © Armin Walcher © Armin Walcher + 15

Scandinavian Design Group e Ctrl+N criam uma instalação interativa para Lundin Norway

Ondas de luzes douradas parecem brilhar e flutuar no teto de "Breaking the Surface", uma instalação interativa concebida por Scandinavian Design Group, ctrl+n, Abida, Pivot Product Design e Intek. A escultura cinética é composta por uma série de tubos de acrílico que se estendem pelo chão de uma matriz mecânica de dois pavimentos, movendo-se graciosamente para cima e para baixo da superfície de modo a evocar imagens da geografia submarina. Saiba mais sobre a instalação a seguir.

Desenhos dos Hôtels Particuliers de Paris

A partir do dia 18 de outubro a Tchoban Foundation exibirá 65 obras de arte sobre os edifícios de Hôtel Particulier - prestigiosas mansões construídas na primeira metade do século XVIII e que caracterizam ainda hoje parte da arquitetura parisiense - numa exposição intitulada “Lʼhôtel particulier à Paris.” Após Sergei Tchoban, arquiteto e fundador da Tchoban Foundation for Architectural Drawing, ter mostrado sua coleção de 24 desenhos na École des Beaux-Arts em 2011, as duas instituições continuam sua colaboração, porém, desta vez, a seleção de obras de Paris será exibida em Berlim.

Arte e Arquitetura: Por que não fazer o refúgio de um caranguejo eremita?

Como os caranguejos poderiam nos ensinar uma lição sobre a paz mundial? Em seu projeto intitulado "Por que não fazer o refúgio de um caranguejo eremita?" a artista Aki Inomata se inspira no intercâmbio pacífico das conchas destes crustáceos, uma metáfora para o intercâmbio entre os países.

Explorando ainda mais o tema, Inomata desenha novos refúgios com a forma característica de algumas cidades mundiais e oferece novos lares para os caranguejos, representando a percepção abstrata das mudanças de nacionalidade e identidade.

© Aki Inomata © Aki Inomata © Aki Inomata © Aki Inomata + 20

Artista japonês cria complexos modelos tridimensionais de papel

© Katsumi Hayakawa
© Katsumi Hayakawa

A exposição "Paperworks" do artista japonês Katsumi Hayakawa explora a impressão da densidade arquitetônica através de delicadas instalações feitas de papel. As complexas esculturas foram todas produzidas manualmente, peça a peça, com papel e cola, criando uma inspiradora montagem de cenários urbanos sobrepostos das mais variadas escalas. A seguir, mais informações e imagens sobre o trabalho de Hayakawa.

© Katsumi Hayakawa © Katsumi Hayakawa © Katsumi Hayakawa © Katsumi Hayakawa + 36

Olafur Eliasson cria um leito fluvial no Museu Dinamarquês

Diluindo os contornos entre o mundo natural e o artificial com um único gesto, a primeira exposição solo do artista dinamarquês-islandês Olafur Eliasson, intitulada Riverbed (Leito Fluvial), leva o ambiente externo para o interior do museu.

Recriando uma enorme e encantadora paisagem composta por um leito fluvial de solo rochoso o artista se inspira profundamente na arte site-specific. A localização do Louisiana Museum of Modern Art na costa dinamarquesa confere um caráter cru, elemental e poderoso que se estende até o edifício como uma grande intervenção transformada em obra de arte.

Cortesia de Louisiana Museum of Modern Art Cortesia de Louisiana Museum of Modern Art Cortesia de Louisiana Museum of Modern Art Cortesia de Louisiana Museum of Modern Art + 9

"Summer Exhibition" em Londres reúne o trabalho de diversos arquitetos renomados

A Summer Exhibition da Royal Academy of Arts, que acontece anualmente, é a maior exposição aberta a inscrições do mundo, oferecendo "uma plataforma única para artistas emergentes e já estabelecidos mostrarem seus trabalhos para um público internacional." Das 12 mil obras de arte inscritas foram selecionados 140 trabalhos de arquitetura. Os trabalhos eleitos este ano incluem um modelo de Thomas Heatherwick e impressões de Louisa Hutton do escritório Sauerbruch Hutton, além obras de Norman Foster, Zaha Hadid, Nicholas Grimshaw, Richard Rogers e Eva Jiřičná.

Chris Wilkinson. Imagem © Chris Wilkinson Contexto / Eric Parry. Cortesia de Eric Parry Architects Ceramic & Nickel Kiosk / Eric Parry. Cortesia de Eric Parry Architects Bonhams / Lifschutz Davidson Sandilands. Imagem © Lifschutz Davidson Sandilands + 14

Bienal de Veneza 2014: KAAN Architecten apresenta "PLANTA"

Este ano na Bienal de Veneza o escritório KAAN Architecten apresentará num dos eventos paralelos o projeto PLANTA - um espaço parcialmente subterrâneo que será dedicado à produção artística multidisciplinar e construído nos confins da pedreira "La Plana del Corb" em Balaguer, Espanha, até 2016. Projetado por Grupo e pela Fundació Sorigué, PLANTA não é apenas um edifício, mas um conceito, o "ápice do desejo de devolver, do retorno a um equilíbrio entre arte, instituição, conhecimento, ecologia e produção."

Bienal de Veneza 2014: Antártida será o primeiro continente representado na Bienal

Este ano, como o primeiro continente que nunca ter sido representado na Bienal de Arquitetura de Veneza, Antártida reunirá arquitetos e artistas internacionais para explorar modelos atuais e futuros para a vida na Região Polar Sul. A exposição, Antarctopia contará com projetos e idéias de participantes, tais como Hugh Broughton, Juergen Mayer H. e Zaha Hadid.

O discurso da curadoria e a lista completa dos participantes, a seguir...

Bienal de Veneza 2014: 100 arquitetos participam do evento "Time Space Existence"

A fundação holandesa sem fins lucrativos Global Arts Affairs Foundation convocou um grupo diversificado de 100 arquitetos de mais de 40 países para participar do evento paralelo “Time Space Existence” na Bienal de Arquitetura de Veneza 2014.

Ricardo Bofill, Norman Foster e Eduardo Souto De Moura estão entre os muitos participantes que apresentarão ideias, pesquisas e aspirações que irão acrescentar comentários sobre o estado atual da arquitetura, bem como destacar questões filosóficas e conceitos sobre tempo, espaço e existência.

Uma lista completa dos participantes a seguir...

Bienal de Veneza 2014: Montenegro apresenta a exposição "Treasures in Disguise"

Este ano na Bienal de Veneza, o Pavilhão de Montenegro apresentará quatro edifícios negligenciados do modernismo tardio que foram originalmente construídos como testemunhos de uma nova e radiante sociedade. Um esforço para iniciar um discurso sobre regeneração urbana em Montenegro e o futuro da arquitetura da antiga Iugoslávia, a exposição busca destacar a estranha beleza de cada estrutura, consideradas Treasures in Disguise (Tesouros Disfarçados).

Mais sobre a exposição a seguir.

Bienal de Veneza 2014: Jimenez Lai responsável pela exposição "Township of Domestic Parts", de Taiwan

A proposta do arquiteto Jimenez Lai, Township of Domestic Parts: Made in Taiwan, foi selecionada para representar Taiwan na Bienal de Arquitetura de Veneza 2014. Espalhada pelo Palazzo delle Prigioni, a instalação compreenderá nove pequenas casas, cada uma com um programa único, que comporão um "município interno de partes desajustadas."

Leia o comentário da curadoria, a seguir...

Bienal de Veneza 2014: NRJA cria primeiro banco de dados sobre a arquitetura modernista da Letônia

Os arquitetos do escritório NRJA foram selecionados como curadores da participação da Letônia na Bienal de Veneza 2014. Baseada na afirmação de que "(não) há modernismo na Letônia", a exposição Unwritten confrontará a falta de pesquisa e avaliação da arquitetura moderna letã do pós-guerra.

Bienal de Veneza 2014: Pavilhão holandês repensa a sociedade aberta

A proposta dos Países Baixos para a Bienal de Veneza deste ano, Open: A Bakema Celebration, refletirá a ideia de uma sociedade aberta através do trabalho e pesquisa de Jaap Bakema (1914-1981).

O arquiteto holandês foi uma voz ativa no movimento vanguardista dos CIAM (Congrès Internationaux d'Architecture Moderne) e do Team 10. Inspirado na crença de que a arquitetura deveria acolher a emancipação das massas e, ao mesmo tempo, permitir a realização pessoal de cada cidadão, seu portfólio inclui alguns dos mais importantes projetos holandeses do pós-guerra, como a rua comercial Lijnbaan, em Roterdã.

Bienal de Veneza 2014: Pavilhão do Japão examina os experimentos dos anos 70

A influência do mundo ocidental e a modernização que seguiu a Segunda Guerra Mundial levaram o Japão ao posto de segunda maior economia mundial ainda em 1968. Com isso veio uma série de problemas, como poluição ambiental e a crise do petróleo, que desencadearam um novo olhar para o modernismo na arquitetura japonesa e uma série de experimentos radicais propostos por jovens arquitetos que sugeriam uma nova visão da cidade. 

Destacando o trabalho destes jovens arquitetos, bem como o de historiadores, observadores urbanos, artistas e revistas dos anos 70, a participação do Japão na Bienal de Veneza 2014 destacará as "respostas independentes e fundamentalmente inovadoras" que "desdobraram um novo e fértil campo da arquitetura" e revelaram o "poder essencial" que nossa profissão tem no mundo real.