Ampliar imagem | Tamanho original
No despertar da crise financeira mundial, escândalos bancários e resgates de nações assumiram as manchetes em todo o mundo. Com uma parcela tão grande do dinheiro dos contribuintes sendo direcionada para o problemático setor financeiro, indivíduos comuns se perguntam como isso afetará suas vidas. Mas como pode uma nação inteira se levantar e fazer ouvir quando é quase impossível compreender a magnitude de tal injustiça? Na Áustria, um grupo de estudantes da Technische Universität Wien se propôs a responder essa questão e assumiu uma nova forma de protesto para tornar as consequências de um dos maiores escândalos financeiros da história recente da Europa uma realidade tangível. Para representar a fatura de 19 bilhões de euros que a Áustria ofereceu para resgatar o banco Hypo-Alpe-Adria, os estudantes projetaram e construíra uma maquete de uma cidade fictícia chamada “Hypotopia”, uma junção do nome do banco com "utopia". Segundo Lukas Zeilbauer, "enquanto utopia se coloca como um mundo fictício ideal, 'hypo' é uma palavra grega que significa 'abaixo', 'por baixo', 'sob' - então uma mudança vinda do fundo, para o povo." Incorporando uma sociedade idealista com recursos renováveis abundantes e educação pública para as pessoas de todas as idades, o modelo de cidade teria, teoricamente, 102.574 habitantes, sendo a sexta maior cidade da Áustria.  Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar