Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Zaha Hadid

Zaha Hadid: O mais recente de arquitetura e notícia

Nova versão do Google Earth coloca a arquitetura em destaque

O Google Earth já não é mais um aplicativo pesado e lento para desktop. A partir de hoje, um dos principais produtos da gigante de tecnologia foi relançado como uma aplicação web amplamente acessível para o Google Chrome. Isso significa que qualquer pessoa pode agora acessar o produto completo do Google Earth gratuitamente, sem precisar instalar o software ou baixar aplicativos móveis.

Zaha Hadid Architects divulga imagens dos interiores do edifício próximo ao High Line

Com a conclusão próxima do edifício 520 West 28th de Zaha Hadid, fotos dos interiores do apartamento foram divulgadas pela primeira vez. Compartilhadas pela incorporadora Related Companies, as imagens mostram duas das primeiras unidades concluídas do edifício: uma unidade de 450 metros quadrados e outra de 170m². As duas unidades apresentam os interiores e acabamentos projetados por Hadid, Jennifer Post and West Chin.

Unidade 20. Interiores por Jennifer Post. Imagem © Scott Francis Unidade 20. Interiores por Jennifer Post. Imagem © Scott Francis Unit 12. Interiores por West Chin. Imagem © Scott Francis Unit 12. Interiores por West Chin. Imagem © Scott Francis + 9

O croquis como exercício criativo: Zaha Hadid

Ordrupgaard Museum Extension1  2005. Image Cortesía de Zaha Hadid Architects Phaeno Science Centre 2005. Image Cortesía de Zaha Hadid Architects Terminus Multimodal Hoenheim Nord1  2001. Image Cortesía de Zaha Hadid Architects Rosenthal Center for Contempoary Art 2003 . Image Cortesía de Zaha Hadid Architects + 10

Um ano após a morte de Zaha Hadid, gostaríamos de recordar uma de suas marcas no início de sua carreira como arquiteta: seus croquis.
Algum tempo atrás fizemos uma publicação com uma coleção de suas principais pinturas como ferramenta de representação arquitetônica no processo criativo de suas obras. Desta vez, fizemos uma seleção de seus croquis mais emblemáticos como o exercício formal inicial de pensamento no processo de projeto.

O impressionante portfólio de Zaha Hadid

Há um ano Zaha Hadid nos deixou, mas o seu impressionante legado arquitetônico segue inspirando todos os arquitetos a ultrapassar seus limites criativos. A arquiteta criou uma linguagem autoral que por sua expressividade se tornou extremamente reconhecível. Para homenageá-la, buscamos em nosso Arquivo todas as obras concluídas de Hadid que foram publicadas no ArchDaily Brasil e as reunimos aqui.

Conheça o impressionante portfólio de Zaha Hadid, a seguir.

Luminosidade fluida: A iluminação arquitetônica na obra de Zaha Hadid

Leeza SOHO, em construção 2017, Pequim / China. Imagem © MIR
Leeza SOHO, em construção 2017, Pequim / China. Imagem © MIR

Os projetos de Zaha Hadid são notáveis não só por suas formas inovadoras de manusear materiais tangíveis, mas também pela sua imaginação em relação à luz. Suas teorias de fragmentação e fluidez são técnicas projetuais bem conhecidas que possibilitaram sua descoberta de formas. No entanto, seus avanços no uso da luz para transmitir sua arquitetura foram, muitas vezes, negligenciados -mesmo que tenham se tornado um elemento essencial para revelar e interpretar sua arquitetura. A transição de três décadas de linhas mínimas de luz no seu projeto do Corpo de Bombeiros de Vitra até o átrio mais alto do mundo no arranha-céu Leeza SOHO, que recolhe uma abundância de luz natural, mostra o notável desenvolvimento do legado luminoso de Zaha Hadid.

Centro Heydar Aliyev, 2013, Baku / Azerbaijão. Imagem © Hélène Binet Estação de Trem Nordpark, 2007, Innsbruck / Áustria. Imagem © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Hungerburgbahn-Bergstation.JPG'>Wikimedia user Hafelekar</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a> Museu MAXXI, 2009, Roma / Itália. Imagem © Iwan Baan Centro de Ciências Phaeno, 2005, Wolfsburg / Alemanha. Imagem © Werner Huthmacher + 13

Zaha Hadid: Uma homenagem de Patrik Schumacher

Foi em 1988, na Tate Gallery de Londres, durante a conferência de Deconstructivism realizada antes da exposição homônima do MoMA, que eu encontrei Zaha Hadid pessoalmente. Ela estava dando palestras entre seis co-expositores: Peter Eisenman, Rem Koolhaas, Frank Gehry, Wolf Prix, Bernard Tschumi e Daniel Libeskind. Eu havia encontrado seu trabalho alguns anos antes, quando era estudante de arquitetura (na Universidade de Stuttgart) e fiquei impressionado pelo grau de liberdade composicional, versatilidade e dinamismo em seu trabalho. Até então eu não tinha tido tanta certeza se a arquitetura era uma boa escolha de carreira para mim. Eu estava um pouco displicente e aborrecido com a arquitetura, mas, depois do meu encontro com o incrível trabalho de Zaha, a arquitetura inesperadamente se transformou em uma aventura. Os limites das possibilidades arquitetônicas haviam mudado. Trinta anos depois, a aventura continua. Zaha mudou nosso campo e mudou tudo para mim.

5 Obras de Zaha Hadid vistas do espaço

Esta semana completa-se um ano do falecimento de Zaha Hadid, a mulher mais bem sucedida e influente do campo da arquitetura. Nascida em Bagdá, Iraque, em 1950, em 2004 se tornou a primeira mulher a ser laureada com o Prêmio Pritzker e, dois anos mais tare, recebeu a medalha de outro do Royal Institute of British Architects (RIBA).

Seu inesperado falecimento deixou um fascinante e inspirador legado e seu escritório ZHA segue trabalhando simultaneamente em quase uma centena de projetos em todo o mundo. Para recordar seu legado, a empresa espanhola Deimos Imaging compartilhou conosco uma série de fotografias de obras de Zaha em cinco países.

Estas imagens foram registradas pelo satélite Deimos-2, lançado em 2014 e projetado registrar fotografias da Terra em altíssima resolução. Estas incríveis obras de Zaha tomam uma nova perspectiva quando contempladas do céu, ou melhor dizendo, de um satélite.

Pavilhão Ponte de Zaragoza. Image © Deimos Imaging Sheikh Zayed Bridge. Image © Deimos Imaging Centro Heydar Aliyev . Image © Deimos Imaging Praça Dongdaemun. Image © Deimos Imaging + 26

Conheça a Dama Zaha Hadid através desta homenagem de sua sobrinha

Neste início de ano, gostaríamos de dedicar um momento à lembrança de uma das maiores perdas de 2016: a arquiteta iraquiana, laureada do Prêmio Pritzker, Zaha Hadid. Enquanto que a história do pioneirismo de Zaha é muito conhecida, a arquiteta Rana Hadid presta uma homenagem à sua tia a partir de uma perspectiva singular neste artigo para o The Guardian. Retomando a precocidade artística, ambição feroz e personalidade forte de Zaha, Rana a descreve como "a incrivelmente calorosa e generosa Zaha que nos mostrou que podemos fazer tudo o que quisermos se trabalharmos duro o bastante."

Zaha Hadid deixa fortuna de £67 milhões

De acordo com os jornais The Guardian e Architects' Journal, o testamento de Zaha Hadid - que faleceu em março do ano passado, aos 65 anos - revela que a Dama do Império Britânico e Diretora do escritório Zaha Hadid Architects tinha uma fortuna líquida de £67,249,458 (aproximadamente R$ 267,5 milhões). A cifra será dividida em quantias menores para sobrinhas e sobrinhos (£1.7 milhão), seu irmão Haytham Hadid (£0.5 milhão) e seu sócio Patrik Schumacher (£0.5 milhão). Hadid não era casada e também não tinha filhos.

Por dentro da Galeria da Matemática do Museu de Ciência de Londres projetada por Zaha Hadid Architects

Esta semana, o Museu de Ciência de Londres abrirá a Winton Gallery, um novo espaço dedicado ao estudo e exploração da matemática, projetado por Zaha Hadid Architects. Embora esta seja a primeira exposição pública permanente concebida pelo escritório, ela é também o primeiro projeto de ZHA no Reino Unido desde o falecimento de Haddid em março deste ano.

Inspirado nas aeronaves Handley Page, o projeto do espaço foi concebido através da observação de equações de fluxo de ar utilizadas na indústria da aviação. O layout e as linhas da galeria, portanto, representam o movimento do ar em torno deste histórico avião em voo - uma metáfora que se estende desde o posicionamento das vitrines e bancos até às superfícies curvas da estrutura. 

Zaha Hadid Architects responde ao "Manifesto de Política Urbana" de Patrik Schumacher

No dia 17 de novembro, no Festival Mundial de Arquitetura em Berlim, Patrik Schumacher fez uma palestra em que expôs sua visão de como lidar com a crise habitacional em Londres. Dada a bem conhecida tendência de Schumacher para a economia neoliberal, talvez não tenha surpreendido que seu plano incluísse uma série de ideias muito controversas, como a eliminação de todas as formas de planejamento e habitação social e a privatização de todo o espaço público - com destaque para o Hyde Park como uma oportunidade particularmente interessante.

Embora ArchDaily estivesse presente na palestra, optamos por não cobrir o discurso de Schumacher, primeiro, porque não apresentava nenhuma opinião valiosa para a arquitetura e segundo porque as vaias da plateia cobriam boa parte do que Schumacher dizia. No entanto, a notícia foi logo publicada por uma série de outras mídias especializadas, incluindo o Dezeen; como resultado, o discurso de Schumacher virou notícia no London Evening Standard e trouxe uma resposta do Prefeito de Londres, Sadiq Khan, que disse que as ideias de Schumacher "não tinham tato" e estavam "completamente erradas". A polêmica faz com que o escritório Zaha Hadid Architects (do qual Patrik Schumacher é sócio) publicasse uma carta aberta em reposta à visão do arquiteto.

Estatuetas projetadas por Zaha Hadid serão apresentadas em BRIT Awards 2017

O BRIT Awards anunciou que as estatuetas que serão entregues durante sua cerimônia de premiação de 2017 foram projetadas pela falecida Zaha Hadid.

Hamid havia aceitado o projeto em Janeiro deste ano e desenvolvera os conceitos para o desenho das peças antes de sua repentina morte em Março deste ano. Desde então, o trabalho foi desenvolvido pelo Diretor de Projetos do escritório de Zaha Hadid, Maha Kautay e pelo BRIT Awards Niamh Byrne.

"Zaha estava realmente animada para fazer esse projeto", lembrou Kutay. "Sua visão era, como arquiteta, focar nossos esforços no elemento tridimensional, já que a estátua havia previamente sido usada como uma tela para artistas pintarem nos últimos anos. Nosso projeto expressa a inabalável convicção de Zaha no progresso e otimismo no futuro e na quebra de normas. O maior desafio foi criar algo diferente criando algumas linhas guia, mas ainda sim atingindo um resultado reconhecível para o público. "É necessário respeitar o existente para criar algo novo.".

Clássicos da Arquitetura: Ampliação do Parlamento Holandês / OMA

Projetado pouco antes de Zaha Hadid deixar o Office of Metropolitan Architecture (OMA) - liderado por Rem Koolhaas - para fundar seu escritório Zaha Hadid Architects, a extensão proposta para o Parlamento holandês rejeita firmemente a noção de que a imitação é a forma mais sincera de adulação. Em vez de mimetizar o estilo dos edifícios históricos existentes, OMA escolheu prestar homenagem à construção acretiva do complexo através da inserção de uma coleção de elementos geométricos visivelmente pós-modernos. Estes novos edifícios, produtos do final dos anos 1970, serviriam como indicadores inequívocos da passagem do tempo, criando um lembrete gráfico da longa história do Parlamento.

"The Final Push". Cortesia de A.D.A. EDITA Tokyo Co., Ltd. Cortesia de A.D.A. EDITA Tokyo Co., Ltd. "The Podium: Accommodation for Orgies of Speech". Cortesia de A.D.A. EDITA Tokyo Co., Ltd. Fachadas. Cortesia de A.D.A. EDITA Tokyo Co., Ltd. + 9

Serpentine Gallery nomeia Richard Rogers e David Adjaye para comitê consultivo e anuncia exposição de Zaha Hadid

O Serpentine Gallery anunciou um novo processo para a seleção de arquitetos para seu bem sucedido programa Summer Serpentine Pavilion.

Nos 16 primeiros anos do evento, as comissões anuais foram selecionadas pela fundadora do programa e ex-diretora do Serpentine Gallery, Julia Peyton-Jones, que deixou seu cargo no início deste ano para dar seguimento a projetos independentes ligados a arte e arquitetura contemporânea. Em seu lugar entraram a nova CEO do Serpentine Gallery, Yana Peel, e o diretor artístico, Hans Ulrich Obrist, que liderarão um comitê consultivo composto pelos arquitetos Richard Rogers e David Adjaye.

9 vezes que arquitetos transformaram o Museu Guggenheim de Frank Lloyd Wright

Projeto Expositivo de Gae Aulenti. Instalação: The Italian Metamorphosis, 1943–1968, Solomon R. Guggenheim Museum, Nova York, 6 de Outubro de 1994 – 22 Janeiro 1995. Foto: David Heald
Projeto Expositivo de Gae Aulenti. Instalação: The Italian Metamorphosis, 1943–1968, Solomon R. Guggenheim Museum, Nova York, 6 de Outubro de 1994 – 22 Janeiro 1995. Foto: David Heald

Este texto foi originalmente publicado em guggenheim.org/blogs sob o título "Nove Exposições do Guggenheim projetadas por Arquitetos" (em tradução livre) e está sendo utilizado com sua permissão.

Projetos de exposições nunca são simples nem diretos, mas isso se torna evidente dentro da arquitetura não convencional do Museu Guggenheim de Frank Lloyd Wright. Pendurar um quadro em uma galeria tradicional de formas cúbicas é literalmente simples, no entanto toda a exposição no Guggenheim é a reinvenção de um dos edifícios mais icônicos e distintivos do mundo. O edifício exige projetos museográficos específicos - paredes divisórias, pedestais, vitrines e bancos são todos fabricados especialmente sob medida para cada exposição. Ao mesmo tempo, estas qualidades do edifício apresentam uma oportunidade para instalações únicas e memoráveis. O projeto aparece simultaneamente em uma micro e macro escala - criando soluções de exposição para trabalhos de arte individuais enquanto produzem contexto e fluxo gerais que representam a visão curatorial para a exposição. É por isso que todos os responsáveis pelas exposições internas mais impressionantes possuem conexão com a arquitetura. Desenvolveram relações íntimas com cada ângulo e curva da rampa ascendente e de suas paredes inclinadas.

Os estranhos hábitos de arquitetos renomados

Os arquitetos famosos são fáceis de admirar ou repudiar quando vistos de longe, mas de perto, hábitos estranhamente humanos muitas vezes vêm à tona. Embora todos nós tenhamos nossas peculiaridades, estes hábitos, vindos de profissionais mundialmente reconhecidos, desvelam seu lado humano que, muitas vezes, não dão nenhum indício de como eles se tornaram figuras tão notáveis no campo da arquitetura. Os seguintes hábitos de vários arquitetos renomados revelam partes do seu processo criativo, momentos de relaxamento ou, simplesmente, partes de sua identidade. Alguns são inspiradores outros surpreendentes, mas todos dão uma pequena visão sobre as qualidades mentais necessárias para se atingir o topo da profissão de arquiteto -  desde um trabalho excepcional até uma pitada de excentricidade (e algumas qualidades ainda mais interessantes) .

Clássicos da Arquitetura: Rampa de Esqui Bergisel / Zaha Hadid Architects

Situado no cume da Montanha Bergisel, sobre a pitoresca cidade alpina de Innsbruck, Áustria, a Rampa de Esqui Bergisel representa a encarnação contemporânea de um marco histórico. Projetado por Zaha Hadid entre 1999 e 2002, o edifício é um estudo de expressão formal: suas linhas fluidas e estética minimalista criam um senso de graça e movimento de alta velocidade, refletindo a sensação dinâmica de um salto de esqui em uma estrutura monumental que se destaca acima do centro histórico de Innsbruck e das encostas das montanhas ao redor.

© Helene Binet Courtesy of Zaha Hadid Architects Courtesy of Zaha Hadid Architects © Helene Binet + 27

Por dentro do último projeto concluído por Zaha Hadid Architects, fotografado por Thomas Mayer

Aberto recentemente, o Edifício no Porto de Antuérpia de Zaha Hadid Architects é um projeto que combina uma estação de incêndio anteriormente abandonada, que foi restaurada como parte desta encomenda, com uma extensão de vidro atraente que se levanta do pátio do edifício mais antigo e se estende para a água através de um dramático balanço. No contexto do porto, onde grandes infraestruturas e máquinas colossais formam o plano de fundo para funções diárias, o edifício corajosamente se manifesta como a peça operacional central, proporcionando um espaço para 500 funcionários do Porto de Antuérpia. O fotógrafo Thomas Mayer visitou o prédio, capturando sua impressionante presença externa e investigando como sua estrutura se traduz no espaço interno do edifício.

© Thomas Mayer © Thomas Mayer © Thomas Mayer © Thomas Mayer + 20