1. ArchDaily
  2. Eth Zurich

Eth Zurich: O mais recente de arquitetura e notícia

Os melhores mestrados de arquitetura do mundo, segundo a BAM

A fim de “ajudar profissionais e estudantes de arquitetura a descobrir e encontrar os melhores programas de mestrado em arquitetura oferecidos pelas principais universidades ao redor do mundo”, o Best Architecture Masters (BAM) disponibiliza uma lista anual com os melhores currículos e cursos de pós-graduação em arquitetura do planeta. Com base no Ranking Anual das Melhores Universidades por Disciplina da Quacquarelli Symonds (QS), para esta edição de 2021, 22 universidades do mundo todo foram avaliadas nas áreas de concentração Arquitetura / Ambiente Construído por um Comitê de Especialistas da BAM, o qual esteve composto por 15 professores de renomadas universidades de arquitetura.

Segundo o Ranking Anual da BAM, assim como no ano passado, o Mestrado em Arquitetura oferecido pela Harvard segue no topo do lista, seguida de perto pelo programa de Mestrado em Ciências e Projeto Avançado de Arquitetura oferecido pela Columbia University. A TU Delft na Holanda assumiu a terceira posição, tornando-se a Universidade melhor ranqueada em toda a Europa. A Universidade Tsinghua na China também manteve a sua posição anterior, fechando o top quatro e assegurando seu posto como a melhor universidade da Ásia. O Mestrado em Arquitetura oferecido pela Pontificia Universidad Católica do Chile ocupa a 15ª posição, eleito o melhor programa de mestrado em arquitetura da América Latina. O melhor programa de mestrado em arquitetura do Brasil, segundo o ranking da BAM, é oferecido pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de São Paulo (FAUUSP).

Ranking QS 2021 das melhores universidades de arquitetura do mundo

Todos os anos, em março, o QS World University Rankings revela as melhores universidades em 51 áreas diferentes. O ranking classifica as escolas com base na reputação acadêmica, do empregador e o impacto de pesquisa científica. O QS-Quacquarelli Symonds anual revelou que, pelo segundo ano consecutivo, na divisão 2021 de Arquitetura / Ambiente Construído, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) mantêm a liderança mundial.

Fabricação digital na arquitetura: onde chegamos e até onde podemos chegar

Há alguns anos, a fabricação digital começava a despontar como uma das grandes novidades no cenário da arquitetura, prometendo transformar para sempre a nossa disciplina e a forma como construímos nossos edifícios. Embora esta revolução arquitetônica de facto ainda não tenha se materializado de forma definitiva, infinitas novas possibilidades parecem surgir a cada ano que passa, principalmente como resultado do trabalho árduo de pesquisadores e profissionais dedicados ao desenvolvimento de novas tecnologias voltadas à prática da arquitetura e construção. Portanto, neste exato momento, parece oportuno dedicarmos um pouco do nosso tempo para mapear esse avanços, apresentando aos nossos leitores uma perspectiva mais abrangente sobre como a tecnologia está transformando efetivamente a prática da arquitetura dia após dia. Este artigo procura cobrir algumas das principais abordagens que já estão começando a gerar resultados bastante concretos, transformando os processos de projeto e construção e contribuindo definitivamente para a redefinição do potencial da arquitetura, recontextualizando da nossa disciplina na era da informação.

Robotic Collaboration. Imagem Cortesia de ETH ZurichSmart Slab. Imagem © Mike LyrenmannGrowroom. Imagem © Niklas VindelevAquahoja. Imagem Cortesia de MIT Media Lab+ 11

USP e UFRJ na lista das 100 melhores faculdades de arquitetura do mundo

A Quacquarelli Symonds divulgou seu ranking anual das melhores universidades do mundo. Com base na reputação acadêmica, reputação do empregador e impacto em pesquisa, o ranking destaca todos os anos as melhores universidades em cada campo profissional. No ranking de 2020 de Arquitetura e Ambiente Construído, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) volta a ocupar o primeiro lugar. Do Brasil, a Universidade de São Paulo (USP) ficou em 43º lugar e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) fez parte do grupo de instituições entre o 51º e o 100º lugar. 

MVRDV e Airbus apresentam projeto inovador que pretende transformar a mobilidade urbana de nossas cidades

Em parceria com a Airbus, a Bauhaus Luftfahrt, a ETH Zurich e a Systra, o MVRDV está desenvolvendo um projeto piloto para a Urban Air Mobility (UAM), uma iniciativa voltada a criação de um sistema de transporte aéreo seguro e eficiente que pretende transformar para sempre o mercado de transporte de bens e pessoas em nosso planeta. Como a culminação de uma extensa pesquisa, a Urban Air Mobility é uma iniciativa que pretende dar forma a um novo conceito de mobilidade urbana.

Cortesia de MVRDVCortesia de MVRDVCortesia de MVRDVCortesia de MVRDV+ 18

Cultura em construção: arquitetura reformulando a tradição no Peru

O Peru conta com um grande número de projetos de espaços culturais. Fortemente vinculados à geografia distinta do país, os novos projetos reinterpretam as técnicas de construção do passado. Inspirando-se nas paisagens vernaculares e variadas, esses edifícios contemporâneos surgem de longas tradições enraizadas em culturas e civilizações antigas.

© Aitor Ortiz© Iwan Baan Cortesia de ETH Zurich + PUCP© Cristobal Palma, Estudio Palma+ 20

ETH Zurich oferece cursos online gratuitos sobre smart cities e cidades do futuro

O Instituto Federal de Tecnologia de Zurique (ETH Zurich) está oferecendo cursos online gratuitos sobre smart cities e cidades do futuro. Disponibilizados através da plataforma edX, compartilhada por instituições de diversas partes do mundo, os cursos têm duração de dez semanas e são conduzidos através de vídeos.

Técnicas construtivas góticas inspiram o desenvolvimento de lajes leves de concreto na ETH Zurich

Com a intenção de maximizar os vãos disponíveis e diminuir custos de construção, pesquisadores do Departamento de Arquitetura da ETH de Zurique criaram uma laje de concreto que, com uma espessura de apenas 2cm, é estrutural e simultaneamente sustentável. Inspirado pela construção de abóbadas catalãs, este novo sistema de lajes substitui barras de aço reforçadas por nervuras verticais estreitas, reduzindo significativamente o peso da estrutura e garantindo a estabilidade para resistir às distribuições irregulares em sua superfície.

Ao contrário dos pisos de concreto tradicionais que são evidentemente planos, estas placas são projetadas para arquear e suportar cargas principais, reminiscente dos tetos abobadados encontrados em catedrais góticas. Sem a necessidade de reforços de aço e com menos concreto, a produção de CO2 é minimizada e os pisos de 2 cm resultantes são 70% mais leves do que suas contrapartes típicas de concreto.

via Block Research Groupvia Block Research Groupvia Block Research Groupvia Block Research Group+ 5

ETH Zurich desenvolve novo método de impressão 3D para colunas de concreto

O ETH Zurich divulgou detalhes de “Concrete Choreography”, uma instalação recentemente inaugurada em Riom, na Suíça. A instalação consiste em um palco composto por colunas feitas a partir de impressão 3D sem fôrma, impressas em duas horas e meia. Os idealizadores esperam que o processo melhore consideravelmente a eficiência da construção de concreto a partir deste método de impressão, ao passo que também dá um passo adiante na fabricação de componentes complexos.

ETH Zurich e Zaha Hadid Architects criam pavilhão de concreto que pode ser transportado em uma mala

O ETH Zurich, em colaboração com o Zaha Hadid Architects Computation and Design Group (ZHCODE) e a Architecture Extrapolated (R-Ex), acabam de apresentar a mais nova tecnologia para estruturas de concreto, uma fôrma em malha tridimensional que serve como elemento de modelagem para estruturas curvas de concreto.

O protótipo chamado de “KnitCandela”, é o primeiro projeto desenvolvido com a aplicação desta nova tecnologia em escala 1:1, uma estrutura de concreto de cinco toneladas em exposição no Museo Universitário de Arte Contemporânea da Cidade do México.

© Juan Pablo Allegre via ZHA© Leo Bieling via ZHA© Lex Reiter via ETH Zurich© Maria Verhulst via ETH Zurich+ 14

ETH constrói primeiro projeto de arquitetura em escala real usando uma impressora 3D de areia

Formas complexas usualmente exigem uma estrutura corpulenta para sustentá-las, a tecnologia das impressoras 3D, porém, proporciona potencial estrutural sem comprometer a capacidade e a durabilidade da forma. Pesquisadores da ETH de Zurique, liderados por Benjamin Dillenburger, desenvolveram uma nova impressora 3D que permite moldagem rápida e reuso de material. 

Eles usaram essa tecnologia para criar uma fôrma que serviu para fazer uma laje de concreto leve de 80 m² na DFAB House, sendo a primeira construção desse tipo. A Smart Slab, que suporta sobre si uma estrutura de madeira de dois pavimentos, combina a durabilidade estrutural do concreto com a liberdade de desenho da impressora 3D.

Cortesia de ETH Zurich / Tom MundyCortesia de ETH Zurich / Andrei JipaCortesia de ETH Zurich / Tom MundyCortesia de ETH Zurich / Tom Mundy+ 11

ETH Zurique usa robôs para construir casa de três pavimentos em estrutura de madeira

Cortesia da ETH Zurich
Cortesia da ETH Zurich

A tecnologia digital se infiltrou no cenário das construções em madeira. Pesquisadores da ETH Zurique estão usando robôs e programação digital para construir módulos estruturais de madeira. Estes estão sendo utilizados para dar estabilidade aos dois pavimentos superiores da DFAB HOUSE, uma unidade residencial de três pavimentos localizada em Dübendorf, que tem como objetivo reunir diferentes métodos construtivos digitais em um mesmo edifício.

Cortesia da ETH ZurichCortesia da ETH ZurichCortesia da ETH ZurichCortesia da ETH Zurich+ 10

As 200 melhores faculdades de arquitetura do mundo em 2018

A empresa de consultoria global de análise de educação Quacquarelli Symonds (QS) divulgou seu ranking das melhores universidades do mundo para se estudar arquitetura em 2018. A oitava edição do ranking comparou 2.122 instituições de ensino de todo o mundo que oferecem cursos de arquitetura, selecionando as 200 melhores a partir de critérios que incluem reputação acadêmica e no mercado de trabalho. 

Pelo quarto ano consecutivo, o MIT liderou a lista, à frente da Bartlett School of Architecture e da Delft University of Technology (TU Delft), que ocuparam o 2º e 3º lugares, respectivamente. Veja o ranking completo, a seguir:

Estrutura de concreto ultra-fina construída usando um novo sistema de concretagem com grelhas de aço

Pesquisadores de materiais do Block Research Group da ETH Zurich, juntamente com os arquitetos do supermanoeuvre, divulgaram um protótipo para um sistema de cobertura sinuosa ultra-fina de concreto, com uma espessura média de apenas 5 centímetros. Usando tecnologias de projeto e fabricação digitais, a equipe pôde calcular e construir uma estrutura de casca autoportante usando o material mínimo necessário. Isso foi facilitado através do uso de um novo sistema de concretagem consistindo em uma rede de cabos de aço e um tecido de polímero tensionado em uma estrutura de andaime reutilizável.

Pavilhão flutuante de madeira atrai a atenção no Manifesta 11 em Zurique

No último dia 11, a Bienal Europeia de Arte Contemporânea, também conhecida como Manifesta, deu início aos seus cem dias de duração na cidade de Zurique, Suíça. O elemento central do festival é uma plataforma flutuante de madeira no Lago Zurique, conhecida como Pavilhão das Reflexões. A estrutura temporária foi projetada e construída pelo Studio Tom Emerson e uma equipe de trinta estudantes do ETH Zurich. Christian Jankowski, curador do Manifesta 11, descreveu a exposição como "uma plataforma flutuante multi-funcional com uma gigantesca tela de LED, um apoio para os espectadores, uma piscina e um bar."

© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu+ 14

120 Hours anuncia vencedores do concurso "O houve com o espaço arquitetônico?"

Os organizadores do concurso para estudantes de Arquitetura “120 Hours” divulgaram os vencedores da edição de 2016 —“O que houve com o espaço arquitetônico?”— cujo desafio era imaginar um espaço sem programa ou lote. Em tempos em que o discurso da arquitetura é influenciado mais pelo programa e ambiente, do que pela qualidade espacial, a tarefa foi única e desafiadora em sua simplicidade. Foram mais de 2.863 inscrições recebidas, de mais de 72 países diferentes, com vencedores selecionados por um júri comandado por Christian Kerez e incluindo Maria Shéhérazade Giudici, Beate Hølmebakk, Neven Mikac Fuchs e Marina Montresor.

Originalmente desenvolvido por estudantes de Oslo, o formato do concurso pretende encorajar o discurso entre estudantes de arquitetura de todo o mundo, com as instruções do concurso divulgadas apenas 120 horas (5 dias) antes da data de entrega. Essas restrições únicas têm dado origem a propostas únicas e pouco convencionais, como por exemplo os vencedores da edição passada, que propuseram uma estrutura de andaimes gigantes e o uso de robôs para habitar uma cidade abandonada. Veja, a seguir, os três vencedores de 2016.

Ranking 2016 das 100 melhores faculdades de arquitetura do mundo

A QS acaba de divulgar o ranking 2016 das 100 melhores escolas de arquitetura do mundo. A companhia vem realizando anualmente, desde 2011, pesquisas sobre a qualidade do ensino da arquitetura, e neste ano foram avaliadas mais de 800 universidades do mundo em 42 aspectos, entre os quais a reputação acadêmica, a reputação no mercado de trabalho e o impacto das pesquisas. Como no ano passado, o MIT ficou em primeiro lugar na lista de arquitetura. Veja a seguir a lista das 100 melhores escolas de arquitetura do mundo e acesse também a página da QS para ver o ranking por país, continente e aspecto analisado.

Rock Print: um método construtivo que desafia a gravidade

Todo mundo sabe que se empilharmos camadas e camadas de pequenas pedras, o resultado é uma pilha de pedras. Este é um dos fenômenos menos dramáticos da natureza; no entanto, se você fizer uso de cordas, todo o processo é transformando. Esta é a ideia por trás de Rock Print, uma instalação na Bienal de Arquitetura de Chicago criada por Gramazio Kohler Research do ETH Zurique e Skylar Tibbits do Self-Assembly Lab do MIT, que utiliza apenas estes dois elementos para criar uma coluna de quatro apoios auto portante que pode literalmente voltar aos seus elementos constituintes após o uso.

Cortesia de Gramazio Kohler Research, ETH ZurichCortesia de Gramazio Kohler Research, ETH ZurichCortesia de Gramazio Kohler Research, ETH ZurichCortesia de Gramazio Kohler Research, ETH Zurich+ 17