Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Luke Fiederer

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

Clássicos da Arquitetura: Universidade da Virginia / Thomas Jefferson

O fim da guerra de 1812 deixou o jovem Estados Unidos da América cheio de fervor nacionalista. Nos anos seguintes, a primeira república moderna do mundo experimentou crescimento e prosperidade sem precedentes; não foi sem razão que o período passou a ser conhecido como a “Era dos Bons Sentimentos (Era of Good Feelings)”. [1] Foi nessa época de orgulho nacional desenfreado que Thomas Jefferson, um dos pais fundadores do país e seu terceiro Presidente, apresentou seu plano diretor para a Universidade da Virgínia: uma manifestação arquitetônica dos ideais iluministas e republicanos que ele ajudou a cultivar.

Planta e Fachadas da Rotunda. ImageCourtesy of Wikimedia user Fæ O Pavilhão X foi o único pavilhão dos dez a apresentar elementos coríntios. ImageCourtesy of US Library of Congress (Public Domain) Courtesy of US Library of Congress (Public Domain) Courtesy of US Library of Congress (Public Domain) + 37

Clássicos da Arquitetura: Instituto Salk / Louis Kahn

Em 1959, Jonas Salk, o homem que descobriu a vacina contra a poliomielite, aproximou-se de Louis I. Kahn com um projeto. A cidade de La Jolla, na Califórnia, forneceu-lhe um local pitoresco ao longo da costa do Pacífico, onde Salk pretendia fundar e construir um centro de pesquisas biológicas. Salk, cuja vacina já havia tido um impacto profundo na prevenção da doença, estava convencido de que o projeto para essa nova instalação deveria explorar as implicações das ciências para a humanidade. Ele também tinha uma diretriz mais ampla, se não menos profunda, para o arquiteto escolhido: "criar uma instalação digna de uma visita de Picasso". O resultado foi o Instituto Salk, uma instalação elogiada por sua funcionalidade e estética impressionante - e a maneira pela qual cada um suporta o outro. [1,2]

© Liao Yusheng © Liao Yusheng © Liao Yusheng © Liao Yusheng + 20

Clássicos da Arquitetura: Casa Vermelha / William Morris e Philip Webb

No coração de um subúrbio a leste de Londres, fica uma incongruente casa de campo em tijolos vermelhos. Com seus caixilhos arqueados ogivais e altas chaminés, a casa foi projetada para parecer uma relíquia da Idade Média. Na realidade, seu estilo vintage data da década de 1860. Esta é a Casa Vermelha (Red House), o lar Arts and Crafts do artista William Morris e sua família. Construída como uma refutação para uma era cada vez mais industrializada, a mensagem da Casa Vermelha foi diminuída pela passagem do tempo e, ao longo dos séculos, foi construída como um alívio em seu entorno.

O vitral, mostrando Love and Hate, foi um dos muitos desenhados por amigos e família de William Morris. Cortesia de Flickr user KotomiCreations (licensed under CC BY-NC 2.0) A porta da frente pintada é de caráter inegavelmente medieval; os vidros de vitrais não são originais. Cortesia do usuário do Flickr Kotomi Creations (licenciado sob CC BY-NC 2.0) Cortesia de Flickr user KotomiCreations (lCC BY-NC 2.0) A planta em L permite o foco no jardim. Cortesia de Flickr user Gabrielle Ludlow (licensed under CC BY-NC-ND 2.0) + 14

Clássicos da Arquitetura: Feira Mundial de Chicago 1893 / Daniel Burnham e Frederick Law Olmsted

Os Estados Unidos realizaram uma admirável demonstração a si mesmo na primeira Feira Mundial, no Crystal Palace, realizada no Reino Unido em 1851. Jornais britânicos não pouparam elogios, declarando que as invenções americanas exibidas na feira eram de maior utilidade e engenhosidade comparadas a qualquer uma das outras dentro da Feira. Ao contrário de vários governos europeus, que investiram ricamente em suas exibições nacionais nas exposições que se seguiram, o Congresso dos EUA hesitou em contribuir com fundos, forçando expositores a depender de patrocinadores particulares. O interesse em exposições internacionais caiu durante a sangrenta Guerra Civil, mas as coisas recuperaram-se rapidamente. Na sequência do conflito, no entanto, quando o país poderia sediar a Exposição do Centenário da Filadélfia em 1876. Comemorando o patriotismo americano e o progresso tecnológico, a Exposição do Centenário foi um sucesso retumbante que preparou o terreno para outra grande feira americana: A Feira Mundial de 1893. [1]

Cortesia de Wikimedia user RillkeBot (Domínio Público) Embora o próprio edifício fosse bonito, as exposições do Governo dos Estados Unidos não conseguiram atrair muitos dos visitantes da feira. Em primeiro plano, o Ho-O-Den, uma réplica do palácio japonês medieval. Cortesia de Wikimedia user RillkeBot (Domínio Público) Cortesia de Wikimedia user scewing (Domínio Público) Um mapa da Exposição de 1893 mostra o quanto dos edifícios da feira foram definidos no eixo com o tribunal de honra. Cortesia de Wikimedia user scewing (Domínio Público) + 16

Clássicos da Arquitetura: Radio City Music Hall / Edward Durell Stone & Donald Deskey

Ao abrir suas portas pela primeira vez em uma noite chuvosa de inverno em 1932, o Radio City Music Hall, em Manhattan, foi proclamado tão extraordinariamente lindo que não precisava de artistas. O primeiro componente construído do enorme Rockefeller Center, o Music Hall tem sido o maior teatro de rua do mundo há mais de oitenta anos. Com os seus elegantes interiores Art Deco e maquinário de palco, o teatro desafiou a tradição, definindo um novo padrão para locais de entretenimento modernos que permanecem até hoje.

Courtesy of Flickr user Ed Schipul Courtesy of Flickr user Roger Courtesy of Flickr user Steve Huang Courtesy of Flickr user Mattia Panciroli + 10

10 Projetos essenciais para entender a arquitetura do transporte

A arquitetura parece inerentemente incompatível com o nosso mundo móvel - enquanto uma é estática, o outro está em constante movimento. Dito isto, a arquitetura teve e continua tendo um papel significativo na facilitação do rápido crescimento e evolução do transporte: os carros precisam de pontes, os navios precisam de docas e os aviões requerem aeroportos.

Ao criar elementos para apoiar nossa infraestrutura de transporte, arquitetos e engenheiros buscaram mais do que a funcionalidade. A arquitetura do movimento cria monumentos - ao poder governamental, à conquista humana ou ao próprio espírito de movimento em si. AD Clássicos é uma coleção continuamente atualizada do ArchDaily dos projetos arquitetônicos mais importantes do mundo. Aqui reunimos sete projetos que representam símbolos permanentes de uma civilização perpetuamente em movimento.

© Flickr user littleeve Cortesia de Wikimedia user A. Savin sob CC BY-SA 3.0 © Satoru Mishima / FOA © Cameron Blaylock + 7

Clássicos da Arquitetura: Castelo Neuschwanstein / Eduard Riedel

Pairando sobre a pequena cidade bávara de Hohenschwangau estão as torres de um dos castelos de “contos de fadas” mais famosos do mundo. Schloß Neuschwanstein foi a fantástica criação do rei Ludwig II - um monarca que sonhava em criar para si um palácio medieval ideal, aninhado nos Alpes. Embora projetado para representar um castelo românico do século XIII [1], Neuschwanstein foi um projeto do século XIX, construído com métodos industriais e com confortos e conveniências modernas. De fato, sem os avanços tecnológicos da época, Ludwig nunca poderia ter escapado de sua fantasia medieval. [2]

Cortesia de Flickr user Julian Knutzen Cortesia de Flickr user Janis Cortesia de United States Library of Congress Cortesia de United States Library of Congress + 13

Clássicos da Arquitetura: Pavilhão Nórdico na Expo '70 / Sverre Fehn

Embora a história da arquitetura seja repleta de tijolos, pedras e aço, não há uma regra que declare que a arquitetura deva ser "sólida". Sverre Fehn, um dos arquitetos mais importantes da Noruega do pós-guerra, usou regularmente materiais pesados como alvenaria de concreto e pedra em seus projetos [1]. Desta forma, sua proposta para o Pavilhão Nórdico na Exposição Mundial de Osaka em 1970 poderia ser vista como uma exploração atípica de uma estrutura mais delicada. Representando um aspecto muito diferente da "Modernidade", o pavilhão "balão pulsante" não é apenas uma contradição com o cânone projetual de Fehn, mas com a arquitetura tradicional como um todo.

Cortesia de Norwegian National Museum Cortesia de Norwegian National Museum Cortesia de Norwegian National Museum Cortesia de Norwegian National Museum + 10

Clássicos da Arquitetura: Entrada das Estações de Metrô de Paris / Hector Guimard

Uma entrada típica da estação no metrô de Paris. ImageVia <a href=“https://pixabay.com/”>Pixabay</a> licensed under <a href=“https://creativecommons.org/publicdomain/zero/1.0/deed.en“>CC0 1.0 (Domínio Público)</a>
Uma entrada típica da estação no metrô de Paris. ImageVia Pixabay licensed under CC0 1.0 (Domínio Público)

Dispersas pelas ruas de Paris, as elegantes entradas Art Nouveau às estações do Métropolitain (metrô) são um monumento coletivo à Belle Époque da cidade do final do século XIX e início do século XX. Com o trabalho sinuoso sinuosa modelado a partir de plantas estilizadas, as entradas do metrô agora figuram entre os mais famosos emblemas arquitetônicos da cidade; No entanto, devido à cautela da cidade em face à industrialização e da decisão do arquiteto Hector Guimard de utilizar uma estética arquitetônica então nova, levaria décadas antes que as entradas ganhassem a ilustre reputação que agora desfrutam.

Durante as primeiras fases de construção, vias foram cavadas logo abaixo do nível da rua. Via <a href=“https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Paris_Metro_construction_03300288-3.jpg”>National Library of France</a> Domínio Público. Cortesia de National Library of France Réplica em Chicago, EUA © <a href=“https://commons.wikimedia.org/wiki/File:2012-07-21_7000x4912_chicago_art_nouveau_metra.jpg”>Wikimedia Commons user J. Crocker</a> (2012) Domínio Público. Cortesia de J. Crocker Place du Bastille (Carte postale ancienne éditée par les Magasins Réunis). © <a href=“https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Magasins_R%C3%A9unis_171_-_PARIS_-_Station_du_M%C3%A9tropolitain_-_Place_de_la_Bastille.JPG”>Claude_Villetaneuse</a> (1908) Domínio Público. Cortesia de Claude Villetaneuse Place du Bastille (Carte postale ancienne éditée par les Magasins Réunis). © <a href=“https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Magasins_R%C3%A9unis_171_-_PARIS_-_Station_du_M%C3%A9tropolitain_-_Place_de_la_Bastille.JPG”>Claude_Villetaneuse</a> (1908) Domínio Público. Cortesia de Claude Villetaneuse + 10

Clássicos da Arquitetura: Palácio de Westminster / Charles Barry e Augustus Pugin

Às 18:20 de 16 de outubro de 1834, um incêndio começou no antigo Palácio de Westminster, em Londres – o mais importante local da governança parlamentar do Reino Unido e do Império britânico. O fogo, que consumiu-o até as primeiras horas da manhã, destruiu o complexo medieval, de modo que nem mesmo o restauro foi considerado uma opção viável – um novo palácio teria que se erguer das cinzas para cercar a grande parte intacta de Westminster Hall. [1] O fogo deu ao Reino Unido a chance não apenas de substituir o que era considerado desatualizado, numa miscelânea de edifícios governamentais, mas de erguer um monumento gótico para encarnar espiritualmente a preeminência do Reino Unido em todo o mundo, e as raízes da democracia moderna.

Fachada. Cortesia de Merrell Publishers Limited Desenho do projeto "Estimativas" para a Casa dos Lordes por Pugin. Cortesia de Yale University Press O design original, insatisfatório para a Câmara dos Comuns. Cortesia de Yale University Press Planta. Cortesia de Yale University Press, Ltd. + 13

Clássicos da Arquitetura: Casa Kings Road / Rudolf Schindler

Isolada atrás de um plano de altos brotos de bambu na região oeste de Hollywood, em Los Angeles, há quem considere a Casa Kings Road a primeira casa construída no estilo moderno. [1] Projetada por Rudolf Schindler em 1921, o uso da laje inclinada em concreto pelo arquiteto da construção (altamente inovador na época) e um layout aberto, diferenciou-se de seus contemporâneos; de fato, o projeto daria o tom para outros projetos residenciais modernistas por décadas.

© Joshua White Photography © Luke Fiederer Cortesia de Flickr user John Zacherle Cortesia de Flickr user collectmoments + 10

Clássicos da Arquitetura: Neviges Mariendom / Gottfried Böhm

Como uma montanha de concreto em meio às árvores, o volume irregular de concreto de Neviges Mariendom ("Catedral de Santa Maria de Neviges") ergue-se sobre seus arredores. Construído em um popular local de peregrinação no oeste da Alemanha, Mariendom é a última iteração de um mosteiro que atrai inúmeros visitantes e peregrinos de todo o mundo há séculos. Ao contrário de seus predecessores medievais e barrocos, Mariendom, descaradamente modernista, reflete uma mudança significativa na visão de seus criadores: uma nova maneira de pensar tanto para as pessoas da Alemanha pós-guerra quanto para a Igreja Católica em geral.

© Yuri Palmin © Yuri Palmin © Laurian Ghinitoiu © Laurian Ghinitoiu + 22

Clássicos da Arquitetura: Biblioteca de Manuscritos e livros raros de Beinecke / Gordon Bunshaft (SOM)

Clausurada por uma casca protetora de pedra, a Biblioteca de Manuscritos e Livros raros de Beinecke é uma das coleções mais importantes em manuscritos raros do mundo. Inaugurada em 1963, a biblioteca é conhecida por sua fachada de mármore translúcido e pela torre envidraçada protegendo os renomados livros mundiais  - um arranjo dramático resultante das exigências particulares de um conjunto de artefatos literários. Este projeto único, muito na linhagem modernista, mas em contraste com os estilos revivalistas do restante do campus de Yale, apenas tornou-se apreciado graças à passagem do tempo; as mesmas escolhas ousadas que hoje são celebradas, foram vistas como causa de desprezo e críticas.

© Ezra Stoller/Esto © Ezra Stoller/Esto © Ezra Stoller/Esto © Ezra Stoller/Esto + 15

Clássicos da Arquitetura: Space Needle / John Graham & Company

Cortesia de Wikimedia user Rattlhed (Domínio Público)
Cortesia de Wikimedia user Rattlhed (Domínio Público)

A abertura da Exposição Century 21 em 21 de abril de 1962 transformou a imagem de Seattle e do Noroeste americano aos olhos do mundo. A região, mais conhecida até então por seus recursos naturais do que como uma capital cultural, estabeleceu uma nova reputação como um centro de tecnologias emergentes e design aeroespacial. Esta nova identidade foi incorporada pela peça central da exposição: a Space Needle, uma construção delgada de aço e concreto armado que se tornou e permanece o marco mais icônico de Seattle. [1]

Space Needle em construção antes de sua abertura em abril de 1962. Cortesia de Seattle Municipal Archives (Public Domain) Cortesia de Wikimedia user Cacophony (CC BY-SA 3.0) Cortesia de Flickr user James Vaughan (CC BY-NC-SA 2.0) Este croqui da Space Needle data de abril de 1961 - um ano antes da sua abertura. Cortesia de Seattle Municipal Archives (Public Domain) + 7

Clássicos da Arquitetura: Edifício da Universidade de Jyväskylä / Alvar Aalto

Jyväskylä, uma cidade cujo status como centro da cultura e da academia finlandesa durante o século XIX obteve o apelido de "Atenas da Finlândia", contratou Alvar Aalto para projetar um campus universitário digno do patrimônio cultural da cidade em 1951. Construído em torno das instalações pré-existentes do Athenaeum da Finlândia, a nova universidade seria projetada com grande cuidado para respeitar seu ambiente natural e institucional.

A cidade de Jyväskylä era familiar para Aalto; Ele se mudou para lá quando criança com sua família em 1903 e retornou para formar seu escritório na cidade depois de se qualificar como arquiteto em Helsinque no ano de 1923. Ele conhecia bem o Seminário de professores de Jyväskylä, que tinha sido um bastião do estudo da língua finlandesa desde 1863. Essa instituição era eminentemente importante em um país que passara a maior parte de sua história como parte da Suécia ou da Rússia. Como tal, o ensino do finlandês foi considerado parte integrante do despertar da identidade nacional do país incipiente. [1]

© Nico Saieh © Nico Saieh © Nico Saieh © Nico Saieh + 24

Clássicos da Arquitetura: Monumento Al Shaheed / Saman Kamal

É difícil imaginar como as curvas serenas do Monumento Al Shaheed, refletidas em um lago cintilante na antiga cidade de Bagdá, poderiam ter sido construídas em um momento de conflito e genocídio. Comissionado pelo regime de Saddam Hussein como um memorial para os soldados mortos na guerra entre Iraque e Irã da década de 1980, esta estrutura graciosa irradia uma beleza tranquila que desmente o tumulto de seu nascimento.

Clássicos da Arquitetura: Câmara Municipal de Säynätsalo / Alvar Aalto

Ocupando o centro de uma pequena cidade agrícola na Finlândia, a Câmara Municipal de Säynätsalo pode parecer quase monumental demais para o seu contexto. Projetada por Alvar Aalto em 1949, a prefeitura é um estudo em oposição: elementos do classicismo e do monumental misturados com a modernidade e a intimidade para formar um novo ponto central coeso para a comunidade. Estes e outros aspectos do projeto inicialmente se mostraram divisivos, e a Câmara Municipal não esteve fora de controvérsias desde a sua criação.

Cortesia de Flickr user Leon Cortesia de Wikimedia user Zache © Wittenborn & Company Cortesia de Flickr user Leon + 13

Clássicos da Arquitetura: Cidade Proibida / Kuai Xiang

Como coração da China Imperial de 1421 até 1912, a Cidade Proibida - um complexo palaciano no centro de Pequim - representou a autoridade divina dos imperadores da China por mais de quinhentos anos. Construída pelo imperador Ming Zhu Di como a peça central da sua capital ideal, o palácio acolheu vinte e quatro diferentes imperadores e duas dinastias ao longo de sua história. Mesmo após as revoluções democráticas e comunistas subsequentes que transformaram a China no início do século XX, ela continua a ser a relíquia construída mais proeminente de um império cosmopolita. [1]

Maquete. Cortesia de Flickr user Can Pac Swire (CC BY-NC 2.0) Telhas douradas, os acabamentos adornados com auspiciosos ícones e , were a key symbol of the Forbidden City’s imperial status. ImageCourtesy of Flickr user See-ming Lee (licensed under CC BY-NC 2.0) The Meridian Gate, através do qual os visitantes passariam no caminho para uma audiência com o imperador. Cortesia de Wikimedia user Jorge Lascar (ld under CC BY 2.0) O Salão da Harmonia Suprema visto do sul. Cortesia de Wikimedia user Daniel Case (CC BY-SA 3.0) + 10