O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Casas
  4. Estados Unidos
  5. 1922
  6. Clássicos da Arquitetura: Casa Kings Road / Rudolf Schindler

Clássicos da Arquitetura: Casa Kings Road / Rudolf Schindler

Clássicos da Arquitetura: Casa Kings Road / Rudolf Schindler
Clássicos da Arquitetura: Casa Kings Road / Rudolf Schindler, © Joshua White Photography
© Joshua White Photography

Isolada atrás de um plano de altos brotos de bambu na região oeste de Hollywood, em Los Angeles, há quem considere a Casa Kings Road a primeira casa construída no estilo moderno. [1] Projetada por Rudolf Schindler em 1921, o uso da laje inclinada em concreto pelo arquiteto da construção  (altamente inovador na época) e um layout aberto, diferenciou-se de seus contemporâneos; de fato, o projeto daria o tom para outros projetos residenciais modernistas por décadas.

© Joshua White Photography © Luke Fiederer Cortesia de Flickr user John Zacherle Cortesia de Flickr user collectmoments + 10

Durante seus estudos arquitetônicos na cidade natal de Viena, na Áustria, Rudolf Schindler tinha a intenção de viajar aos Estados Unidos para trabalhar com Frank Lloyd Wright. Partiu à Nova Iorque apenas cinco meses antes do início da Primeira Guerra Mundial. No final da guerra em 1918, alcançou seu objetivo e ingressou ao escritório de Wright. Em 1919, Schindler casou-se com Sophie Pauline Gibling, professora de música e ativista política de Minneapolis, com quem compartilhava seu desgosto com as instituições tradicionais - incluindo o próprio casamento. [2]

Wright convidou os recém-casados ​​para sua casa estúdio Taliesin, em Wisconsin, em julho de 1920. A experiência teve um significativo impacto em Rudolf e Sophie - a maneira pela qual a casa e seus arredores rurais coexistiam em harmonia, apelando para que começassem a sonhar em construir uma nova casa estúdio para eles próprios. [3]

Cortesia de The United States Library of Congress
Cortesia de The United States Library of Congress
Cortesia de Flickr user John Zacherle
Cortesia de Flickr user John Zacherle

A oportunidade para que Schindler construísse a casa de seus sonhos surgiu quando ele e sua esposa se mudaram para Los Angeles no final daquele ano. Foi lá que Schindler desenvolveu uma amizade com o arquiteto Irving Gill, quem, na opinião de Schindler, foi o único projetista local tentando romper com o popular revivalismo colonial espanhol em Los Angeles no início da década de 1920. Schindler ficou particularmente fascinado pelo trabalho de Gill na construção de lajes inclinadas, em que paredes de concreto foram vertidas em moldes e inclinadas in loco após a cura. A serenidade da casa Taliesin de Wright e a eficiência industrial das lajes de concreto inclinadas de Gill acabariam juntando-se nos projetos que Schindler começou elaborar em novembro de 1921. [4]

Cortesia de The United States Library of Congress
Cortesia de The United States Library of Congress

A casa foi concebida não como uma residência unifamiliar, mas como uma casa à ser compartilhada com Marian e Clyde Chace. Schindler atuou como arquiteto do projeto, enquanto Chace como construtor. A parceria, portanto, economizaria o dinheiro dos dois casais, ​​tanto no trabalho quanto nos custos dos materiais do projeto. [5] Maior economia foi alcançada ao implantar a casa em um lote de 18,6 metros quadrados em Kings Road, o que era então uma terra não incorporada entre Beverly Hills e Hollywood. A fase de planejamento durou apenas dois meses, de novembro a dezembro de 1921. O projeto final surgiu após quatro alterações no desenho, sendo que o último foi atualizado decorrente ao nascimento inesperado do primeiro filho de Chace. [6]

Cortesia de The United States Library of Congress
Cortesia de The United States Library of Congress

O programa de Schindler para a Casa Kings Road era uma mistura de ateliês individuais e espaços de convivência. Caracterizou o projeto como uma "habitação cooperativa para dois jovens casais": um ateliê privado para cada habitante, um hall de entrada, um pátio fechado e um banheiro para cada casal, dois terraços abertos para dormir na cobertura, uma única cozinha compartilhada, e um apartamento de hóspedes compreendia os espaços dentro da casa. A planta em forma de cata-vento com três lâminas, cria vários espaços ajardinados distintos em ambas extremidades do lote, levando a atmosfera privada do interior aos jardins. [7]

© Joshua White Photography
© Joshua White Photography

Os Schindlers e Chaces inauguraram seu novo lar em 15 de fevereiro de 1922. [8] Todos os quatro futuros residentes participaram do processo de construção, centrado nas melhorias de Schindler ao sistema de inclinação de laje de Gill. Enquanto Gill tinha construído paredes pré-fabricadas, Schindler usava um sistema de 1,20 metros, teoricamente permitindo que fossem posicionados por dois homens sem o uso de uma grua. A junção entre cada laje foi expressa em vidro, quebrando a monotonia do concreto aparente e permitindo a entrada de luz à casa. [9]

Cortesia de Flickr user collectmoments
Cortesia de Flickr user collectmoments

A cobertura foi suportada por um sistema de pilar e vigas tradicional. Nos estúdios, uma das extremidades de cada viga em madeira sequóia vermelha era suportada pelas lajes de concreto; A outra extremidade foi apoiada por dois apoios de madeira. A madeira não estrutural, juntamente com vidro e lona, também foi usada para criar divisórias interiores e portas ao pátio. O efeito resultante foi de densa opacidade e a abertura notável nos lados opostos de cada estúdio, com a folhagem do jardim visível por quase todos os cômodos da casa. [10]

Cortesia de The United States Library of Congress
Cortesia de The United States Library of Congress

A construção prosseguiu rapidamente, com a casa essencialmente concluída em junho de 1922. [11] Durante dois anos, os Schindlers e os Chaces continuaram a desenvolver sua nova casa, instalando novos equipamentos e comprando móveis, nenhum dos quais eles tinham um orçamento para depois da construção inicial da casa. Infelizmente, as pressões financeiras continuaram a prejudicar os dois casais e depois de ter um segundo filho, os Chaces tiveram que sair para a Flórida em julho de 1924. Menos de um ano depois, Richard Neutra mudou-se para a casa junto com sua esposa e filho. O casamento de Schindler começou a corroer antes da partida dos Chaces e, enquanto sua nova parceria profissional com Neutra estimulava sua crescente carreira arquitetônica, seu relacionamento com sua esposa continuava a diminuir. Em 1927, Pauline se separou do marido e saiu; Os Neutras se mudaram em 1930 e, embora Schindler continuasse a sociedade ao lado de Neutra, seu relacionamento ficou visivelmente mais frio. [12]

© Luke Fiederer
© Luke Fiederer

No final da década de 1930, Pauline voltou à casa que ela e seu ex-marido haviam construído. Schindler morava nos estúdios originalmente construídos para os dois, enquanto Pauline se instalou nos apartamentos anteriormente habitados pelos Chaces e os Neutras. Os dois compartilharam a casa como casal divorciado até a morte de Schindler em 1953. Em 1974, Pauline criou uma organização sem fins lucrativos, a Casa dos Amigos da Schindler, para ajudar a garantir a preservação da casa. A organização adquiriu a casa em 1980 e começou um programa para restaurar a casa com base em sua conclusão original em 1922. Em 1994, uma parceria com o MAK / Museu austríaco de Artes Aplicadas transformou a Casa Kings Road no Centro de Arte e Arquitetura MAK, em Los Angeles - uma galeria de exposições públicas no local que agora é considerado oeste de Hollywood. [13]

Cortesia de The United States Library of Congress
Cortesia de The United States Library of Congress

O mundo mudou em torno da Casa Kings Road. O que anteriormente era uma planice aberta foi completamente preenchida; De fato, a casa agora é cercada a cada lado por prédios de vários andares. Mas apesar disso, a visão compartilhada por Schindler e sua esposa em 1920 ainda prevalece: escondida atrás de seus vizinhos com sua cortina verdejante, a casa continua a diluir-se perfeitamente dentro e fora em um espaço calmo e harmonioso.

Referências

[1] Smith, Kathryn. Schindler House. New York: Harry N. Abrams, Inc., 2001. p7.
[2] Smith, p7-14.
[3] Smith, p16.
[4] Smith, p17-18.
[5] Smith, p18.
[6] Sweeney, Robert and Judith Sheine. Schindler, Kings Road, and Southern California Modernism. Berkeley and Los Angeles: University of California Press, 2012. p14-15.
[7] Sweeney and Sheine, p15.
[8] Smith, p24-28.
[9] Sweeney and Sheine, p18.
[10] Sweeney and Sheine, p20.
[11] MAK Center. “Schindler House.” Accessed February 9, 2016. http://makcenter.org/sites/schindler-house/.
[12] Smith, p26.
[13] “Schindler House.”

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
Cita: Fiederer, Luke. "Clássicos da Arquitetura: Casa Kings Road / Rudolf Schindler" [AD Classics: Kings Road House / Rudolf Schindler] 18 Set 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Pereira, Matheus) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/879363/classicos-da-arquitetura-casa-kings-road-rudolf-schindler> ISSN 0719-8906