O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Bibliotecas
  4. Estados Unidos
  5. Skidmore, Owings & Merrill
  6. 1963
  7. Clássicos da Arquitetura: Biblioteca de Manuscritos e livros raros de Beinecke / Gordon Bunshaft (SOM)

Clássicos da Arquitetura: Biblioteca de Manuscritos e livros raros de Beinecke / Gordon Bunshaft (SOM)

Clássicos da Arquitetura: Biblioteca de Manuscritos e livros raros de Beinecke / Gordon Bunshaft (SOM)
Clássicos da Arquitetura: Biblioteca de Manuscritos e livros raros de Beinecke / Gordon Bunshaft (SOM), © <a href="https://en.wikipedia.org/wiki/Beinecke_Rare_Book_%26_Manuscript_Library#/media/File:Beinecke-Rare-Book-Manuscript-Library-Yale-University-Hewitt-Quadrangle-New-Haven-Connecticut-Apr-2014-a.jpg">Wikimedia Commons user Gunnar Klack</a> licensed under <a href="https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/">CC BY 4.0</a>. Image Courtesy of Gunnar Klack
© Wikimedia Commons user Gunnar Klack licensed under CC BY 4.0. Image Courtesy of Gunnar Klack

Clausurada por uma casca protetora de pedra, a Biblioteca de Manuscritos e Livros raros de Beinecke é uma das coleções mais importantes em manuscritos raros do mundo. Inaugurada em 1963, a biblioteca é conhecida por sua fachada de mármore translúcido e pela torre envidraçada protegendo os renomados livros mundiais  - um arranjo dramático resultante das exigências particulares de um conjunto de artefatos literários. Este projeto único, muito na linhagem modernista, mas em contraste com os estilos revivalistas do restante do campus de Yale, apenas tornou-se apreciado graças à passagem do tempo; as mesmas escolhas ousadas que hoje são celebradas, foram vistas como causa de desprezo e críticas.

© Ezra Stoller/Esto © Ezra Stoller/Esto © Ezra Stoller/Esto © Ezra Stoller/Esto + 15

© Ezra Stoller/Esto
© Ezra Stoller/Esto

A coleção de manuscritos raros de Yale iniciou em 1701, quando dez ministros se reuniram para fundar uma faculdade na Colônia de Connecticut. Os livros doados foram os primeiros de muitos presentes a serem seguidos aos próximos três séculos, incluindo o Manuscrito de Voynich e uma das vinte e uma Bíblias originais de Gutenberg, que foram doadas à universidade em 1926. [1] Originalmente, a coleção de livros raros foi armazenada em prateleiras especiais em Dwight Hall, servindo como biblioteca até o final do século 19; na década de 1930, foi transferida à sala de livros raros na Biblioteca de Sterling. Um presente de Frederick e Edwin Beinecke, uma dupla de alunos de Yale, permitiu que a universidade construísse um prédio à biblioteca, para sua crescente coleção na década de 1960. [2,3]

© Ezra Stoller/Esto
© Ezra Stoller/Esto

Paul Rudolph, o então reitor da Escola de Arquitetura de Yale, decidiu realizar uma competição entre quatro escritórios pelo privilégio de projetar a Biblioteca Beinecke. Um dos arquitetos convidados a participar foi Gordon Bunshaft de Skidmore, Owings & Merrill (SOM), que recusou-se. Seu raciocínio, como ele explicou ao reitor de Yale, convenceu a universidade de lhe conceder o emprego:

"Diga que você tem sorte e ganha a competição. Você então começa a conversar e trabalhar com as pessoas que vão usar o prédio, e você sabe que o projeto não funciona por causa do que você aprendeu ao se familiarizar com as pessoas. Então você começa a fazer alterações, e a coisa final é um compromisso. Eu acredito que uma das coisas mais importantes em fazer um prédio é definir um programa, e isso implica quase viver com as pessoas que vão usar o prédio, descobrindo como eles esperam trabalhar nisso, não ouvindo suas soluções, mas ouvindo às suas necessidades ". [4]

A principal preocupação no projeto da biblioteca foi o controle da luz. Iluminação ambiente controlada foi necessária para permitir que o edifício servisse como um lugar para estudo e leitura; no entanto, a exposição à luz solar poderia prejudicar os textos cuidadosamente conservados da coleção. O compromisso de Bunshaft era construir a fachada de painéis de mármore com  espessura de apenas 1¼ "(aproximadamente 3 cm), permitindo que parte da luz se espalhe para o interior sem danificar a coleção. [5] Do lado de fora, o mármore branco com veios cinza parece frio e impenetrável, mas de dentro, a luz solar faz com que a pedra brilhe com um nível surpreendente de calor. [6]

© Ezra Stoller/Esto
© Ezra Stoller/Esto

Os painéis de mármore são colocados em uma malha de granito Vermont cinza claro. Um sistema de treliças de aço pré-fabricadas está escondido dentro do granito, transferindo o peso da fachada para os quatro grandes pilares de concreto que ficam em cada uma das extremidades. Este sistema estrutural permite que o átrio do piso térreo seja quase inteiramente envidraçado, dando àqueles na praça antes da biblioteca um vislumbre do tesouro escondido dentro da caixa. [7]

Os visitantes da Biblioteca Beinecke entram por meio de uma porta de vidro giratória no nível térreo. Duas escadas em ambos os lados levam ao nível do mezanino; Entretanto, em frente, está o coração escondido da biblioteca. Escondida com segurança dentro da casca de mármore, há a torre envidraçada de seis andares de altura, cheia de pilhas de livros raros. Encadernados em couro e, em alguns casos, dourados, há aproximadamente 180 mil volumes dentro do shaft de vidro, configurados orgulhosamente para exibição, mesmo que só acessíveis aos funcionários da biblioteca. [8,9]

Debaixo da praça da biblioteca há dois pisos adicionais contendo o resto da coleção, que compreende 320 mil volumes e vários milhões de manuscritos. Estes níveis subterrâneos também abrigam as áreas de trabalho da biblioteca, incluindo uma sala de leitura, escritórios e salas de aula. A luz natural entra nos níveis do subsolo através de um campo afundado que lembra um scriptorium do claustro. O pátio apresenta um jardim de esculturas desenhado pelo escultor Isami Noguchi, que usava exclusivamente mármore branco em deferência à geometria da própria biblioteca. Três formas esculpidas ocupam o jardim sem plantas: uma pirâmide que representa a geometria da terra e do passado, um disco que representa o sol e um cubo parecido com a chance através do rolamento de dados. [10]

Planta Baixa. Image © Ezra Stoller/Esto
Planta Baixa. Image © Ezra Stoller/Esto
Planta Baixa. Image © Ezra Stoller/Esto
Planta Baixa. Image © Ezra Stoller/Esto

Após a sua conclusão em 1963, a Biblioteca Beinecke recebeu descaso dos bibliotecários de Yale. Em contraposição aos edifícios existentes em estilo gótico e neoclássico, a imponente caixa modernista foi considerada como uma "loucura flutuante". O bibliotecário assistente Donald Wing chamou de "um sonho de arquiteto e nosso futuro pesadelo"; O diretor da biblioteca, entretanto, marcou os cartões postais do edifício para apontar suas falhas projetuais. Nos cinquenta anos desde a abertura da biblioteca, no entanto, esses protestos desapareceram em grande parte, e a Biblioteca Beinecke tornou-se um elemento célebre do campus de Yale. [11]

Referências

[1] Rierden, Andi. “Modern Pantheon Saves History’s Words.” The New York Times, July 29, 1990. [link]
[2] Perez, Adelyn. "AD Classics: Beinecke Rare Book and Manuscript Library / Gordon Bunshaft of Skidmore, Owings, & Merrill." ArchDaily. June 28, 2010. [link].
[3] Rierden.
[4] "Beinecke Rare Book and Manuscript Library, Yale University, New Haven, Connecticut (building)." Celsus: A Library Architecture Resource. Acesso em 26 de abril de 2017. [link].
[5] "Beinecke Rare Book and Manuscript Library." Amusing Planet. Acesso em 27 de abril de 2017. [link].
[6] "About the Building." About the Building | Beinecke Rare Book & Manuscript Library. Accessed April 27, 2017. [access].
[7] Perez.
[8] “About the Building.”
[9] Klein, Christopher. "Yale’s Beinecke Rare Book and Manuscript Library turns 50." The Boston Globe, April 7, 2013. [access].
[10] “Beinecke Rare Book and Manuscript Library, Yale University.”
[11] Klein.

As imagens neste artigo foram disponibilizadas pelo Esto Photographics como parte da parceria entre a agência de fotografia e o Archdaily. Todas elas estão sob a proteção de Direitos.

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: Fiederer, Luke. "Clássicos da Arquitetura: Biblioteca de Manuscritos e livros raros de Beinecke / Gordon Bunshaft (SOM)" [AD Classics: Beinecke Rare Book & Manuscript Library / Gordon Bunshaft (SOM)] 06 Set 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Pereira, Matheus) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/879147/classicos-da-arquitetura-biblioteca-de-manuscritos-e-livros-raros-de-beinecke-gordon-bunshaft-som> ISSN 0719-8906