1. ArchDaily
  2. Regeneração Urbana

Regeneração Urbana: O mais recente de arquitetura e notícia

6 Cidades que trocaram suas rodovias por parques urbanos

As autoestradas construídas nas cidades são muitas vezes pensadas como uma solução para congestionamento de veículos. Entretanto, a teoria da demanda induzida tem demonstrado que quando os motoristas contam com mais vias, optam por seguir usando este meio ao invés de utilizar o transporte público ou a bicicleta e, como resultado, o congestionamento não diminui. 

Por isso, existem cidades que têm optado por acabar com o espaço dos automóveis e, onde havia autoestradas, hoje há parques urbanos e ruas menos congestionadas.

A seguir mostramos seis casos deste tipo. Alguns já estão concluídos, enquanto que alguns ainda estão em fase de construção. Para a surpresa de alguns, a maioria dos projetos estão nos EUA, o que reflete que os projetistas deste país estão estudando as políticas de transporte européias, tal como lhes contamos sobre as 9 razões do porquê os EUA são mais dependentes do automóvel do que a Europa.

6 Cidades que trocaram suas rodovias por parques urbanos6 Cidades que trocaram suas rodovias por parques urbanos6 Cidades que trocaram suas rodovias por parques urbanos6 Cidades que trocaram suas rodovias por parques urbanos+ 13

David Chipperfield recebe autorização para seguir com projeto residencial na Bélgica

O escritório David Chipperfield Architects recebeu permissão para seguir com o projeto Hertogensite Residences para uma torre habitacional de 14 pavimentos em Leuven, na Bélgica. A proposta envolve a transformação de um antigo bairro hospitalar, conectando nove residências e quatro edifícios de apartamentos de 4 pavimentos.

Courtesy of David Chipperfield ArchitectsCourtesy of David Chipperfield ArchitectsCourtesy of David Chipperfield ArchitectsCourtesy of David Chipperfield Architects+ 6

Como projetar espaços para crianças em áreas marginalizadas? 3 exemplos da UN-Habitat

A Un-Habitat ou agência das Nações Unidas para assentamentos humanos e desenvolvimento urbano sustentável, cujo foco principal é lidar com os desafios da rápida urbanização, vem desenvolvendo abordagens inovadoras no campo do desenho urbano, centradas na participação ativa da comunidade. O ArchDaily se associou a UN-Habitat para trazer notícias semanais, artigos e entrevistas que destacam este trabalho, com conteúdo direto da fonte, desenvolvido por nossos editores.

Nesta segunda colaboração com UN-Habitat, descubra diferentes exemplos de como projetar com e para crianças em áreas marginalizadas. Na verdade, o planejamento responsivo à criança leva a uma cidade inclusiva vibrante e animada. Com foco em espaços para crianças, destacam-se casos em Bangladesh, Níger e Vietnã. Esses projetos de implantação de espaços públicos buscam promover cidades habitáveis, ecologicamente corretas, assumindo abordagens participativas e envolvendo os jovens desde o início do processo.

Rayerbazar Boishakhi Playground - Bangladesh. Image Cortesia de UN-HabitatRayerbazar Boishakhi Playground - Bangladesh. Image Cortesia de UN-HabitatTrang Keo Park - Vietnam. Image Cortesia de UN-HabitatSinka Park - Niger. Image Cortesia de UN-Habitat+ 35

Lições da ONU-Habitat: como projetar espaços para e com as pessoas?

A ONU-Habitat ou Agência das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos e Desenvolvimento Urbano Sustentável, cujo foco principal é lidar com os desafios da rápida urbanização, tem desenvolvido abordagens inovadoras no campo do desenho urbano, centrado na participação ativa da comunidade.

Descubra neste artigo a primeira lição a ser aprendida com a ONU-Habitat, sobre como projetar com e para as pessoas. Para criar espaços públicos melhores, o único segredo é ouvir a comunidade. Refletindo sobre “como podemos projetar juntos”, este artigo apresenta casos em Gana, Brasil e Índia, com foco em projetos de implantação de ruas, mercados e espaços públicos abertos.

Mind the Step - Jardim Nakamura, São Paulo, Brazil. Image Cortesia de UN-HabitatMind the Step - Jardim Nakamura, São Paulo, Brazil. Image Cortesia de UN-HabitatChild Play Spaces in Malata & Nima Markets - Accra, Ghana. Image Cortesia de UN-HabitatChild Play Spaces in Malata & Nima Markets - Accra, Ghana. Image Cortesia de UN-Habitat+ 48

100architects transforma ponte em Xangai em equipamento lúdico de lazer e mobilidade

O escritório 100architects desenvolveu uma proposta para recuperar a ponte peatonal Puji Road em Xangai, China. Intitulado High Loop, o projeto procura transformar a plataforma de 1km de extensão em um equipamento lúdico e colorido, sem alterar profundamente sua estrutura.

Cortesia de 100 ArchitectsCortesia de 100 ArchitectsCortesia de 100 ArchitectsCortesia de 100 Architects+ 42

MVRDV vence concurso para o novo plano diretor de Karlsruhe na Alemanha

A proposta de “jardim flutuante”, apresentada pelo MVRDV para o concurso internacional de reurbanização da área de Ettlinger Tor na cidade alemã de Karlsruhe, foi escolhida como uma das vencedoras — ao lado daquela lançada pelo escritório de arquitetura liderado pelo suíço Max Dudler. Com abordagens muito similares, as duas equipes compartilharam o primeiro lugar no pódio e a intenção dos organizadores é sobrepor as duas propostas para a criação de um novo plano diretor integrado, inspirado pelo caráter histórico da cidade além de promover novos usos, espaços púbicos e áreas verdes acessíveis aos moradores e visitantes da cidade alemã.

Cortesia de MVRDVCortesia de MVRDVCortesia de MVRDVCortesia de MVRDV+ 22

KCAP + Orange Architects transformam antigo pátio ferroviário em bairro residencial na Rússia

A KCAP, em colaboração com a Orange Architects e o A.Len Architectural Bureau, desenvolveu uma proposta para transformar o antigo pátio ferroviário de Tovarno-Vitebskaya em São Petersburgo, Rússia, em um novo bairro residencial com equipamentos comunitáriois, comércios e áreas verdes.

Cortesia de KCAP/Orange/A.LenCortesia de KCAP/Orange/A.LenCortesia de KCAP/Orange/A.LenCortesia de KCAP/Orange/A.Len+ 8

Ressignificando o passado: 7 projetos de reabilitação de edifícios habitacionais do pós-guerra

No ano passado, o Prêmio Mies van der Rohe foi outorgado a um projeto de reforma de um edifício de habitação social, trazendo à tona a relevância da reabilitação física e moral dos blocos habitacionais construídos no período do pós-guerra em praticamente todas as cidades da Europa.

David Chipperfield vence concurso para recuperar antiga área industrial em Berlim

David Chipperfield Architects e Wirtz International Landscape Architects venceram recentemente um concurso em Berlim para converter a antiga zona industrial de Georg-Knorr-Park em um vibrante bairro residencial e comercial.

Cortesia de David Chipperfield ArchitectsCortesia de David Chipperfield ArchitectsCortesia de David Chipperfield ArchitectsCortesia de David Chipperfield Architects+ 7

Henning Larsen propõe transformação urbana para o centro de Bruxelas

Henning Larsen apresentou seu desenho para Brouck´R, um projeto de transformação da cidade que está em frente à movimentada Place de Brouckère em Bruxelas. Inspirada na herança tradicional e contemporânea, a proposta gera um destino vibrante e de uso misto do século XXI no centro da cidade.

Cortesia de Henning LarsenCortesia de Henning LarsenCortesia de Henning LarsenCortesia de Henning Larsen+ 12

ODA projeta masterplan para recuperar antiga área industrial de Moscou

A escritório ODA venceu o concurso internacional para projetar um plano diretor de 300 mil metros quadrados em Moscou, Rússia. O projeto prevê um grande desenvolvimento de uso misto voltado a estimular antigas zonas industriais nos arredores da cidade.

Cortesia de Brick VisualCortesia de Brick VisualCortesia de Brick VisualCortesia de Brick Visual+ 7

MVRDV propõe novos usos para os canais de Haia em projeto desenvolvido junto com comunidade local

O MVRDV, em parceria com organizações comunitárias de Haia, desenvolveu uma proposta de recuperação dos antigos canais da cidade holandesa. Fechados no século XX, os canais serão reabertos com o objetivo de reanimar o centro histórico e fomentar a economia local.

Depois. Imagem © MVRDV 2018Depois. Imagem © MVRDV 2018Depois. Imagem © MVRDV 2018Depois. Imagem © MVRDV 2018+ 18

A improvável vida, morte e renascimento do cais de Hastings

A história do Cais de Hastings é improvável. Localizado em Hastings - a poucos passos de distância do campo de batalha que definiu a história da Inglaterra - o cais foi aberto ao público em 1872. Durante décadas, a estrutura entreteve multidões à beira-mar, mas no século XXI caiu em desuso. Em 2008, o cais foi fechado - um ato que se tornou aparentemente irreversível quando, dois anos depois, a estrutura foi alvo de um incêndio.

Hastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian GhinitiouHastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian GhinitiouHastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian GhinitiouHastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian Ghinitiou+ 21

Manaus, Território Amazônico: 9 teses relacionadas à cidade e ao território

Manaus: Tese para o Território Amazônico” reúne nove teses de graduação realizadas na Disciplina Arquitetura 6A / Oficina Mediterrânea da Faculdade de Arquitetura, Urbanismo e Desenho da Universidade Nacional de Córdoba, Argentina. Os trabalhos exploram o potencial de associar grandes infraestruturas urbanas com programas arquitetônicos mistos que se apropriem e maximizem a concentração de investimentos e infraestruturas.

Os ensaios, motivados pela experiência do programa S.O.S. Cidades, organizado pela Oficina Sul-americana da FADU-UBA, adotam como caso de estudo a cidade de Manaus, localizada em meio à selva amazônica.

Linking Manaus. Imagem Cortesia de Nahuel RecabarrenManaus +31: Novos Cenários Amazônicos. Imagem Cortesia de Nahuel RecabarrenSalada de Frutas. Imagem Cortesia de Nahuel RecabarrenNovas Redes de Mobilidade como catalizadoras de Projetos Urbanos. Imagem Cortesia de Nahuel Recabarren+ 19

Prefeitura de São Paulo estuda novos usos para áreas industriais

Em entrevista realizada pela repórter e arquiteta Venessa Correa para a seção Seres Urbanos do jornal Folha de S. Paulo, o secretário de Desenvolvimento Urbano de São Paulo, Fernando de Mello Franco – também sócio do escritório MMBB – discorre da importância do patrimônio industrial para a cidade e das intenções da prefeitura em relação ao futuro desse legado.

Essas áreas industriais são especialmente importantes pois hoje, diferente de quando se instalaram, se encontram muito mais próximas de zonas residenciais e novos empreendimentos imobiliários que podem, eventualmente, gerar pressão para que essas atividades sejam movidas para outras regiões.

4 propostas para recuperar uma linha férrea abandonada de Paris

Sem dúvida a transformação do High Line de Nova Iorque em um parque urbano é uma referência mundial que levou outras cidades a desenvolverem projetos para recuperar seus espaços públicos abandonados. Exemplos disso são Baana, em Helsinki, um espaço público que foi construído em uma antiga linha de trem, e outras três iniciativas de cidades estadunidenses que pretendem habilitar parques nas margens dos rios e em vias ferroviárias.

Entretanto, em Paris existe outro projeto desse tipo que nem sempre é mencionado. Trata-se do Plantée Promenade, um parque de 4,7 quilômetros de extensão que há 20 anos conseguiu recuperar um antigo viaduto. Mas esse não será o único parque desse tipo em Paris, há uma organização cidadã que já está considerando outra linha férrea – com partes subterrâneas e elevadas – construída há 162 anos, a Petite Ceinture, para a qual existem, no momento, quatro propostas.

Saiba mais sobre sua história e as propostas de transformação, a seguir.

© Pierre Folk© Pierre Folk© Pierre Folk© Pierre Folk+ 26

De locais abandonados a parques urbanos: 3 projetos nos EUA

Tomando como exemplo o High Line, em Nova Iorque, diversas cidades têm desenvolvido projetos para criar novos espaços públicos em lugares em desuso. Alguns destes casos são: “The Goods Line Project”, em Sidney, e a transformação de um bairro central de Moscou a partir da recuperação de uma fábrica.

Nos Estados Unidos, três novas iniciativas, em Chicago, Los Angeles e novamente em Nova Iorque, buscam regenerar regiões abandonadas e que tem em comum o desejo de criar novos parques urbanos. Enquanto que, em alguns dos casos, os projetos surgiram a partir de autoridades, em outros tem sido impulsionados por organizações de cidadãos, o que, por si só já é uma grande demonstração de que iniciativas cidadãs podem chegar longe e melhorar efetivamente as cidades.

Veja, a seguir, as descrições, imagens e vídeos dos projetos.