1. ArchDaily
  2. Habitação De Baixo Custo

Habitação De Baixo Custo: O mais recente de arquitetura e notícia

Microrresidências na China: "tiny houses" como solução para cidades densas

De acordo com a publicação das Nações Unidas, "As Cidades do Mundo em 2018", estima-se que, "em 2030, as áreas urbanas deverão abrigar 60% das pessoas em todo o mundo, e uma em cada três pessoas viverá em cidades com pelo menos meio milhão de habitantes. " Além disso, entre 2018 e 2030, estima-se que o número de cidades com 500.000 habitantes ou mais deverá crescer 23% na Ásia. A China, maior economia da Ásia, tem um PIB (PPC) de US $ 25,27 trilhões, e está se expandindo rapidamente, tanto econômica quanto demograficamente.

Com cada vez mais trabalhadores migrantes chegando às grandes cidades chinesas, tornou-se cada vez mais difícil encontrar um lugar acessível para morar. Algumas pessoas decidem se mudar dos centros urbanos e suportam o longo tempo de deslocamento, enquanto outras procuram soluções de design criativas para transformar sua casa, um espaço minúsculo, em uma casa funcional, que atenda às suas necessidades diárias.

Cortesia de Hey! CheeseCortesia de CL StudioCortesia de Weiqi JinCortesia de Hey! Cheese+ 18

Como aumentar o número de apartamentos de aluguel acessível? O caso de Barcelona

As autoridades municipais de Barcelona pretendem colocar em marcha uma iniciativa para ajudar a aumentar as unidades habitacionais de aluguel disponíveis na cidade. Ameaçam comprar forçosamente propriedades vazias para criar moradias mais acessíveis se os proprietários não alugarem seus imóveis vagos dentro de um determinado período de tempo.

OMA e YA Studio projetam conjunto habitacional totalmente acessível em San Francisco

Os escritórios OMA e Y.A. Studio foram selecionados para projetar um conjunto habitacional de 150 unidades no histórico bairro de Haight Ashbury em San Francisco. Nomeado 730 Stanyan, o projeto busca oferecer espaços de alta qualidade para famílias e idosos. O conjunto será construído na entrada do Golden Gate Park e atenderá à enorme demanda local por moradia acessível.

"Tiny Houses": o que significa reduzir o sonho da casa própria

O sonho de construir uma casa em um jardim com cerquinha branca parece não ser mais tão apelativo quanto outrora. Entre crises econômicas e habitacionais, o sonho da casa própria está cada dia mais distante do alcance do cidadão comum de classe média, uma retração global que resultou consequentemente em um acanhamento do próprio espaço habitável. Neste contexto, o movimento 'Tiny Houses' vem ganhando força no cenário internacional. Mas esta apologia ao espaço mínimo tem feito arquitetos e autoridades do mundo todo levantarem uma série de questões, perguntando se estas 'micro-arquiteturas' seriam capazes de resolver as questões mais urgentes em relação ao acesso à propriedade ou se servem apenas para glorificar e mercantilizar condições precárias de moradia.

Cortesia de thebearwalkCortesia de KleinCortesia de thebearwalk© Federico Villa+ 10

Projeto de habitação de interesse social em Frankfurt explora a tipologia de terraços

A recente parceria entre os holandeses do NL Architects e os arquitetos do STUDYO, escritório com sede em Colônia, acaba de render o mais novo projeto de habitação de interesse social na cidade Frankfurt. O empreendimento foi concebido para o próspero distrito de Hilgenfeld, no vale do rio Nidda, na Alemanha. Apelidado de Terrace House, o conjunto habitacional foi projetado para incentivar as trocas interpessoais e celebrar a vida em comunidade. Pensando nisso, os espaços do projeto se desenvolvem a partir de um pátio coletivo, para onde se voltam as varandas verdes e escalonadas da Terrace House.

Terrace House. Imagem Cortesia de NL ArchitectsTerrace House. Imagem Cortesia de NL ArchitectsTerrace House. Imagem Cortesia de NL ArchitectsTerrace House. Imagem Cortesia de NL Architects+ 6

Microsoft investirá meio bilhão de dólares em incentivos à habitação social em Seattle

A Microsoft acaba de anunciar que irá investir cerca de meio bilhão de dólares em projetos de habitação social na cidade de Seattle, na costa oeste dos Estados Unidos. O capital da gigante empresa de tecnologia americana será distribuído em forma de empréstimos e doações, com o principal objetivo de sanar a crise imobiliária que insiste em castigar a economia da cidade de Seattle, onde o aumento dos salários não tem acompanhado a vertiginoso aumento dos preços dos aluguéis e propriedades.

O investimento faz parte de uma estratégia mais ampla da empresa, 225 milhões de dólares deverão ser comprometidos em subsídios à construção de moradias para a população de renda média em seis cidades-alvo, outros 250 milhões serão direcionados à projetos de moradias para a população de baixa renda na região de King County e ainda 25 milhões aplicados em forma de subsídios filantrópicos para combater o déficit habitacional da cidade de Seattle. Esta generosa atitude da gigante da tecnologia se deve ao fato de que, em um futuro próximo, a empresa pretende expandir a sua sede de Redmond, algo que deverá criar 8.000 novos postos de trabalho.

Rogers Stirk Harbour + Partners divulga protótipo de habitação em Londres

Rogers Stirk Harbour + Partners (RSHP) divulgou uma pequena casa de três pavimentos em um jardim da Royaql Academy de Londres (RA). Concebida como uma resposta à urgente necessidade de habitações de baixo custo no Reino Unido, o protótipo exemplifica um método de construir "casas de alta qualidade, bem projetadas, significantemente mais baratas que outros métodos construtivos".

RSHP, conhecido por seus projetos de grande escala, encara o protótipo Homeshell como parte de uma estratégia mais ampla, que pode envolver apartamentos, escolas, fábricas e centros de saúde.