Constanza Martínez Gaete

Jornalista da Universidade de Santiago, Chile (Usach). Twitter: @ConiMartinezG

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

Três casos bem sucedidos do plano "Vision Zero" para melhorar a saúde pública em cidades dos EUA

Vision Zero é um plano idealizado em 1997 na Suécia, quando o país começou a implementar uma série de medidas de segurança viária visando reduzir a zero o número de fatalidades no trânsito. Como resultado, o país conseguiu reduzir as mortes para 3 a cada 100 mil habitantes.

Desde então, o plano tem sido adotado em diferentes cidades do mundo, dando origem a diversos grupos e organizações que têm como meta tornar as ruas locais mais seguros para todos. Uma dessas organizações é a Vision Zero Network, que reúne engenheiros de tráfego, profissionais da saúde, líderes locais e responsáveis por políticas públicas.

Nova Iorque planeja instalar lasers nas bicicletas para aumentar a segurança dos ciclistas

Em maio de 2013, Nova Iorque lançou seu primeiro sistema de bicicletas públicas, o Citi Bike.

Nestes quase quatro anos de funcionamento, já são quase 37 milhões de percursos realizados netas bicicletas, que inicialmente totalizavam 6 mil divididas em pouco mais de 300 estações e que hoje contabilizam 10 mil em 600 estações que cobrem 55 bairros da cidade. 

A mais recente inovação foi anunciada há poucas semanas e busca aumentar a segurança dos ciclistas, sendo parte do plano estratégico "Vision Zero", que tem como meta reduzir a zero o número de fatalidades no trânsito.

Três ideias para recuperar os espaços públicos e fomentar a vida urbana

A importância dos espaços públicos na vida urbana é um assunto presente desde a Grécia antiga até os nossos dias. As possibilidades de encontro e de debate nesses espaços são capazes de influenciar a forma como os habitantes participam no desenvolvimento de suas cidades, contando com maiores espaços disponíveis para todos.

Porém, nas sociedades modernas, o papel estratégico dos espaços públicos foi limitado, sendo a massificação dos automóveis um dos principais fatores, segundo o blog de planejamento urbano e mobilidade sustentável, The City Fix. De fato, segundo uma pesquisa do Instituto de Energia e Meio Ambiente do Brasil, cerca de 70% dos espaços públicos dos centros urbanos são consistem nas vias para automóveis, por onde deslocam-se apenas de 20% a 40% da população da cidade.

Como os espaços públicos podem ser recuperados para fomentar a vida urbana? Apresentamos a seguir três ideias.

Doze sistemas de transporte público do mundo e como influenciam a mobilidade urbana

Esta série de mapas elaborados pelo Centro de Estudos Urbanos LSE Cities, da Escola de Economia e Ciência Política da Universidade de Londres, apresenta a infraestrutura de transporte público de doze cidades do mundo.

Segundo a instituição, "a infraestrutura de transporte é um fator crítico da forma urbana", uma afirmação que sustenta e que, em grande medida, determina a densidade ou expansão de uma cidade, além da localização das populações e centralização das funções econômicas.

Como resultado, as áreas urbanas onde se localizam os sistemas de ônibus, metrô e trem acabam influenciando na acessibilidade dos habitantes ao transporte público e na ocupação do espaço urbano.

Berlim planeja impedir a circulação de veículos privados em sua principal avenida até 2019

Unter del Linden é o principal bulevar de Berlim e, em seu um quilômetro e meio de extensão, entre a Brandenburger Tor e a Schlossbrücke, é acompanhada de importantes edifícios, entre os quais embaixadas, museus e universidades, além de restaurantes e estabelecimentos comerciais.

Em 2010 teve início a ampliação da linha U5 do metrô, e um trecho da mesma, conhecido como U55, passaria por baixo do bulevar. Antes do início das obras, passavam diariamente cerca de 30 mil veículos pela avenida, porém, esta cifra caiu para 8 mil após as obras.

Países Baixos inauguram faixa de pedestres luminosa que deixa as pessoas mais visíveis

Dar visibilidade aos pedestres -- os usuários mais vulneráveis do espaço público -- e, assim, aumentar a segurança viária é o objetivo dessa nova faixa de pedestres inaugurada no final de novembro na cidade de Brummen, Países Baixos.

Projetado pelo escritório holandês Lighted Zebra Crossing e entregue gratuitamente ao município, esta faixa de pedestres torna mais visíveis as pessoas, sobretudo à noite, quando não há luz natural. Cada ima das faixas brancas paralelas conta com placas de luz que permanecem sempre acesas, e não apenas quando há pessoas trafegando.

Vídeo: Uma viagem pelo mundo mostra o futuro das cidades

Quando falamos do futuro das cidades, é comum nos referirmos a estimativas de aumento da população global para as próximas décadas. Se considerarmos os estudos realizados pelas Nações Unidas, até 2030 haverá 41 megacidades - áreas urbanas com mais de 10 milhões de habitantes - onde viverão 9% da população global.

Acolher esta grande população e garantir uma boa qualidade de vida a todos não é tarefa fácil, no entanto, há cidades que, através de pequenas iniciativas e projetos já começaram a testar novas opções para atingir o objetivo de oferecer uma vida com qualidade a seus habitantes.

Mapa mostra os lugares mais fotografados de cidades de todo o mundo

O Geotaggers’ World Atlas é um projeto que representa através de mapas os lugares mais fotografados de cidades de todo o mundo.

Criado pelo programador e membro do Mapbox, Eric Fischer, este atlas usa a localização das fotografias feitas durante os últimos dez anos sobre a base da API do Flickr -- interface de programação de aplicativos -- e a cartografia de dados abertos do OpenStreetMap.

5 fatores que tornam os bairros caminháveis

A experiência de caminhar por um bairro pode ser muito mais agradável se o espaço público apresentar algumas características. Algumas têm relação com os principais pontos de interesse, outras com as dimensões das calçadas e ruas, ou ainda, com os serviços e comércios disponíveis. 

Com o objetivo de identificá-las e, assim, promover sua aplicação em diferentes cidades (sem esquecer do contexto específico de cada caso), a arquiteta e planejadora Liz Treutel, identificou cinco fatores presentes nos bairros caminháveis. Veja-os a seguir.

Paris anuncia 33 projetos para criar 100 hectares de coberturas e fachadas verdes

Criar 100 novos hectares de áreas verdes em coberturas, fachadas e a nível do solo em 2020 é o objetivo do programa "Paris Culteurs" lançado em março deste ano pela prefeitura da capital francesa.

No início, este projeto consistiu nos próprios agricultores, arquitetos, artistas, empresas, jardineiros e organizações da sociedade civil de todo mundo, postulando seus projetos para construir novos jardins, alguns deles em espaços em desuso.

A chamada para os projetos ficou aberta durante quatro meses, entre maio e agosto, período em que foram recebidas 144 propostas, dentre as quais se escolheram 33 ganhadores recentemente anunciados.

Palestra TEDx com o urbanista Mikael Colville-Andersen: A cidade de tamanho natural

Quando se fala de Copenhague e sua cultura ciclista, é quase impossível não citar o especialista em mobilidade urbana Mikael Colville-Andersen.

De origem canadense, porém residindo a muitos anos na capital dinamarquesa, este urbanista é uma das referências globais em termos de cidades na escala humana e na promoção dos meios de transporte sustentáveis, especialmente a bicicleta. 

Canadá terá caminho de 24 mil quilômetros livre de automóveis

Em todo o mundo existem vários projetos de infraestrutura cicloviária que buscam melhorar a qualidade dos trajetos em duas rodas. 

Estas iniciativas estão sendo desenvolvidas em diferentes escalas. Por exemplo, em Munique estão avaliando a possibilidade de conectar a região metropolitana com 24 rotas cicloviárias, na Coreia do Sul, duas cidades se conectam através de uma ciclovia de 32 quilômetros coberta com teto solar, e na Europa há o projeto EuroVelo que até 2020 conectará 43 países.

Polônia inaugura calçada e ciclovia que brilham à noite

A primeira cidade a instalar uma ciclovia solar que brilha à noite foi Neunen, nos Países Baixos, onde viveu o artista Vincent van Gogh. Por este mesmo fato a ciclovia foi inspirada em uma das obras mais famosas do pintor, o quadro A Noite Estrelada.

Agora foi a vez de Lidzbark Warminski, uma cidade no norte da Polônia, que acaba de inaugurar uma ciclovia que faz uso da mesma tecnologia, porém, localizada na zona rural. 

95 croquis que falam sobre o habitar no espaço urbano

O desenho oferece a possibilidade de conexão com os mais variados espaços de nossas cidades e com o que neles ocorre. 

Esta prática, muito comum entre estudantes de arquitetura, é retomada pelo arquiteto e professor da Escola de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Católica de Valparaíso, David Jolly Monge.

Intitulado “La Observación: el urbanismo desde el acto de habitar”, o livro é apresentado pelo autor como uma coleção de observações que tratam do efeito de detenção causado pelo desenho, que segundo Monge consiste em habitar

3 ideias para criar cidades para pessoas, segundo Gehl Architects

Orientar o desenho das cidades para as pessoas é uma diretriz que vem cada vez mais norteando o desenvolvimento das cidades. Assim, planejadores e autoridades vêm retomando a escala humana e colocando os pedestres em primeiro plano, em detrimento dos automóveis.

Exemplo disso são os projetos realizados em espaços que antes eram dominados por automóveis e que agora estão abertos para pedestres e ciclistas, entre os quais se destacam a pedestrianização da Times Square e a demolição de rodovias.

Mapas de calor mostram o fluxo de ciclistas em 9 cidades do mundo

O aplicativo chileno Kappo está disponível para que os ciclistas de qualquer cidade do mundo possam compartilhar seus percursos enquanto pedalam. A lógica é como a de um jogo e permite que os usuários atribuam pontuações para as condições de percurso e rendimento.

Deste modo, a equipe que desenvolveu o aplicativo busca fomentar o uso da bicicleta e, com isso, tornar nossas cidades lugares mais agradáveis. Assim, para a celebração do Dia Mundial sem Carros a equipe criou o Prêmio Cool Place to Bike, para as empresas que incentivam seus funcionários a usarem a bicicleta como meio de transporte.

Estocolmo já tem seu primeiro bairro sustentável (desde os anos 90)

A história do bairro Hammarby Sjöstad, em Estocolmo, apresenta muitos contrastes. Se antes esta região era muito poluída pelas indústrias, fato que ocasionou seu esvaziamento, hoje ela é considerada o primeiro bairro sustentável da cidade. Saiba como isso foi possível, a seguir.

Tudo começou nos anos 1990 com a notícia de que Estocolmo poderia se tornar sede dos Jogos Olímpicos de 2004. No entanto, a votação do Comitê Olímpico realizada em 1997 elegeu Atenas como sede, e a capital sueca, que chegou entre as cinco finalistas, deu prosseguimento aos seus planos.

Paris é a cidade com a maior cobertura de transporte público segundo o ITDP

O Instituto de Políticas para o Transporte e Desenvolvimento (ITDP) acaba de publicar o resultado da pesquisa "Pessoas próximo ao trânsito: Melhorando a acessibilidade e cobertura do trânsito rápido nas grandes cidades", que mede a distância a pé que os habitantes devem percorrer para acessar o transporte público (ônibus, metrô, trem etc.).

A medição foi realizada sobre os sistemas de transporte público de 26 cidades de diferentes continentes, a maioria de dimensão metropolitana, sendo sete delas latino-americanas: Cidade do México, Belo Horizonte, Brasília, Buenos Aires, Quito, Rio de Janeiro e São Paulo.

A pesquisa considerou a quantidade de habitantes que vivem dentro de um raio de 1 quilômetro de distância de alguma estação de transporte público.