Constanza Martínez Gaete

Jornalista da Universidade de Santiago, Chile (Usach). Twitter: @ConiMartinezG

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

Uma horta urbana sob o metrô de Londres

Nos últimos anos temos visto um grande aumento do número de hortas nas zonas urbanas. Mas não apenas o número de hortas urbanas aumentou como também cada vez mais novos lugares estão sendo explorados, lugares que antes não eram considerados como uma opção, mas que possuem todo o potencial para serem regenerados como lugares de cultivo. É precisamente isso que estão fazendo dois empresários londrinos, ao recuperar um refúgio antiaéreo da II Guerra Mundial construído a mais de 30 metros de profundidade abaixo de uma estação de metrô de Londres.

Mais detalhes desse impressionante projeto, a seguir.

Muitos acreditam que o subterrâneo é um lugar pouco provável para cultivar. Entretanto, os empresários Richard Ballard e Steven Dring romperam com todos os preconceitos ao reutilizar os túneis feitos entre 1940 e 1944 localizados abaixo da linha norte do metrô da cidade, na altura da estação Clapham North.

2 mil esculturas dão forma à uma cidade de gelo na China

Imagem via Plataforma UrbanaImagem via Plataforma UrbanaImagem via Plataforma UrbanaImagem via Plataforma Urbana+ 14

No começo do mês foi inaugurada oficialmente ao festival Internacional de Gelo de Harbin, um dos quatro festivais de gelo e neve mais importante do mundo, celebrado desde 1963.

Este festival, que se inicia em meados de dezembro e termina no final de fevereiro, transforma completamente o Parque Zhaolin da cidade chinesa de Harbin em um dos principais destinos turísticos de inverno. Com 2.000 esculturas de gelo que replicam ícones mundiais da arquitetura, como o Coliseu de Roma e o Empire States de NY, entre outros, dão forma a uma verdadeira cidade de gelo.

Mais imagens a seguir.

“Just two of us”: Explosão de cores em um parque de Brooklyn, Nova Iorque

Imagem via Plataforma UrbanaImagem via Plataforma UrbanaImagem via Plataforma Urbana© James Ewing, via publicartfund.org+ 13

A artista alemã Katharina Grosse fez 18 esculturas de fibra de vidro plástico reforçado que foram instaladas na Praça MetroTech Commons, no Brooklyn, como parte de seu discurso "Just two of us".

Esta exposição foi financiada pelo Fundo de Arte Público, uma organização sem fins lucrativos dedicada ao fornecimento de experiências relacionadas à arte em ambientes urbanos. Seu diretor, Nicholas Baume, disse no programa que "a abordagem híbrida de Katharina Grosse em pinturas e esculturas se sente muito natural no contexto de um espaço público no centro de uma próspera área urbana onde a cultura, a tecnologia e a inovação se cruzam".

Intervenção Urbana: “Peperonata Noturna”, na Itália

Em Rosarno, uma cidade no sul da Itália, os espaços públicos têm certas características para que sejam considerados locais atraentes para as pessoas. Por esta razão, o escritório espanhol Luzinterruptus decidiu alterar a aparência de um desses espaços que estava vazio entre dois edifícios com a instalação de arte "Peperonata Noturna", que montaram para o festival de regeneração urbana A di Città realizado em setembro.

© luzinterruptus.com© luzinterruptus.com© luzinterruptus.com© luzinterruptus.com+ 12

O plano de Hamburgo para eliminar o uso do automóvel nos próximos 20 anos

Cerca de 40% da área de Hamburgo, a segunda maior cidade da Alemanha, é coberta com áreas verdes, como cemitérios, centros esportivos, jardins, parques e praças. Para uni-los em conjunto com passeios e ciclovias, a cidade lançou o plano Rede Verde, que tem como objetivo eliminar a necessidade de automóveis para o deslocamento das pessoas nos próximos 20 anos.

Pela localização dos espaços verdes na cidade, o projeto seria o primeiro a conectar essas áreas que não estão no centro da cidade e que, segundo Angelika Fritsch, ajudaria na "criação de um sistema integrado."

Mais detalhes a seguir.

Guia de desenho urbano de ruas: Uma nova proposta pensada nas pessoas

Dezesseis cidades estadunidenses estão agrupadas no NACTO, uma organização que busca melhorar o transporte, público ou privado, e o desenho das ruas para que estas se foquem nas necessidades reais das pessoas.

Para conseguir isso, acabam de lançar o “Guia de Desenho Urbano de Ruas”, um documento que apresenta ferramentas e técnicas para fazer cidades com ruas mais habitáveis, seguras e mais atrativas em termos comerciais. Por isso, o guia funciona como um roteiro para que outras cidades possam implementar estratégias que já tem dado certo.

O guia trata de seis temas: Ruas, Intersecções, Elementos de Desenho de Ruas, Elementos de Desenho de Intersecções, Estratégias de Desenho Provisórias e Controles de Desenho:

Na China, um segundo edifício ficou na metade de uma rodovia

Há algum tempo, contamos a história de uma casa na China que ficou no meio de uma rodovia de alta velocidade, pois seus donos não quiseram vendê-la.

Recentemente, conheceu-se outro caso do tipo no mesmo país. Trata-se de um grupo de pessoas que se mudou a edifícios na cidade de Xi’na, no oeste da China, pois foi planejada a construção do Parque Nacional de Patrimônio Daming nos terrenos de suas casas.

O novo edifício era parte de uma série de blocos. No entanto, os trabalhadores construíram um edifício a mais, o qual ficou sobre a metade da rodovia.

“Post-Mostom”: Habilitação de um espaço público sob uma ponte na Eslováquia

Neste ano, a cidade eslovaca de Košice foi nomeada Capital Cultural da Europa. Este reconhecimento, que também incluiu Marselha (França), foi atribuído pela União Europeia. Pelo período de um ano, ocorrem diversos eventos culturais que promovem o patrimônio cultural e histórico da cidade.

Imagem via Plataforma UrbanaImagem via Plataforma UrbanaFonte: designboom.comFonte: junk-culture.com+ 17

Ruas pavimentadas com plástico reciclado: O exemplo de Vancouver

Vancouver tem um objetivo claro: converter-se na cidade mais verde do mundo até 2020. Como meta, não é nada fácil e para a incentivar a população que supera os 600.000 habitantes - segundo censo realizado em 2011 – o Conselho da cidade elaborou um Plano de Ação para realizá-lo. Através de objetivos classificados em áreas, como “Acesso a Natureza”, “Zero Resíduos” e “Transporte Verde”, que tentarão mudar o entornos imediato das pessoas para que vejam os benefícios ambientais que se podem conseguir com medidas simples.