Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Desenho Urbano

Desenho Urbano: O mais recente de arquitetura e notícia

Espaço Público de Ogmios / DO ARCHITECTS

10:30 - 16 Setembro, 2019
Espaço Público de Ogmios / DO ARCHITECTS, © Norbert Tukaj
© Norbert Tukaj

© Norbert Tukaj © Norbert Tukaj © Norbert Tukaj © Norbert Tukaj + 12

  • Arquitetos

  • Localização

    Vilnius, Lituânia
  • Arquitetos Responsáveis

    Andrė Baldišiūtė, Algimantas Neniškis, Gilma Teodora Gylytė
  • Equipe de Projeto

    Ignas Uogintas,Vaiva Šimoliūnaitė, Gediminas Aismontas, Justina Jauniškytė, Milda Grabauskaitė, Domantas Baltrūnas, Eglė Gelažauskaitė, Džiugas Karalius, Ieva Marija Malinauskaitė, Karolina Čiplytė, Marija Jagnieškutė, Kristina Šimkūnaitė, Gabija Strockytė
  • Autor da Escultura

    Dalia Stasevičienė
  • Área

    12.000 m²
  • Fotografias

Exposição de arte pública transforma Quebec em um museu a céu aberto

13:00 - 18 Agosto, 2019
Exposição de arte pública transforma Quebec em um museu a céu aberto, Echo - Jeffrey Poirier (Quebec City). Image © Stéphane Bourgeois
Echo - Jeffrey Poirier (Quebec City). Image © Stéphane Bourgeois

A 6ª edição da Exposição de Arte Pública chamada de Passages Insolites ou Passagens Inusitadas, foi inaugurada no último dia 20 de junho na cidade de Quebec no Canadá. Aberta até o próximo dia 14 de outubro, Passages Insolites é uma exposição de arte pública instalada ao longo de um percurso de quatro quilômetros pelas ruas dos históricos distritos de Petit Champlain e Saint-Roch, um percurso cultural pontuado por 14 instalações produzidas por 40 artistas locais, internacionais e coletivos de arquitetura.

Antes e depois: medição de impacto em 3 cidades que estão implementando Ruas Completas

15:00 - 26 Junho, 2019
Antes e depois: medição de impacto em 3 cidades que estão implementando Ruas Completas, Intervenção e urbanismo tático em cruzamento da rua João Alfredo, em Porto Alegre. Foto: Daniel Kener Neto/WRI Brasil
Intervenção e urbanismo tático em cruzamento da rua João Alfredo, em Porto Alegre. Foto: Daniel Kener Neto/WRI Brasil

A medição de impacto é uma etapa indispensável para que uma Rua Completa seja implementada com sucesso e de fato atenda às necessidades da população. Como não existe um modelo único de Rua Completa, o processo se torna ainda mais necessário: para garantir que as diferentes intervenções sejam eficazes e positivas, é fundamental conhecer os cenários de antes e depois das mudanças e avaliar os impactos do projeto na prática.

Coletivo de Arquitetos projeta praça de lazer e cultura no litoral de Sergipe

19:00 - 30 Maio, 2019
Coletivo de Arquitetos projeta praça de lazer e cultura no litoral de Sergipe, Vista marquise a partir da via pública. Image Cortesia de Coletivo de Arquitetos
Vista marquise a partir da via pública. Image Cortesia de Coletivo de Arquitetos

O projeto para uma praça no povoado do Crasto propõe a criação de um espaço de lazer cultural e esportivo inédito nesse vilarejo pesqueiro localizado no litoral sul de Sergipe. O projeto cuida ainda da resolução de questões referentes à acessibilidade, interconectando o empraçamento desenhado ao entorno construído pré-existente.

Por que a tecnologia nem sempre é a resposta para tornar as cidades mais inteligentes?

13:00 - 13 Maio, 2019
Por que a tecnologia nem sempre é a resposta para tornar as cidades mais inteligentes?, via KENTOH/ISTOCK
via KENTOH/ISTOCK

Inovação e tecnologia geralmente são apresentadas como dois conceitos semelhantes, quando não utilizadas como sinônimos. Entretanto, quando se trata de resolver os atuais problemas de nossas cidades, tecnologia nem sempre é a melhor solução.

A inovação, por outro lado, deve ser uma atuação responsiva, a qual considera todas as funções e processos de uma cidade, incluindo suas carências e potencialidades. Tecnologia pode sim ajudar, mas isso não significa que devemos confiar cegamente em tudo aquilo que surge com a promessa de resolver todos os nossos problemas. 

Meganom propõe investir nas periferias para melhorar a qualidade da vida urbana

15:00 - 1 Maio, 2019
Meganom propõe investir nas periferias para melhorar a qualidade da vida urbana, Depois. Imagem © Dvorulitsa
Depois. Imagem © Dvorulitsa

Superpark. Imagem © Meganom Depois. Imagem © Dvorulitsa Depois. Imagem © Dvorulitsa © Dvorulitsa + 16

Enquanto as grandes cidades se esforçam para recuperar e revitalizar áreas urbanas centrais, zonas periféricas geralmente são ignoradas ou esquecidas. Geralmente, e com pouquíssimas exceções, o centro de uma cidade é onde se encontra a maioria das infra-esturturas urbanas, serviços públicos e principalmente, uma maior acessibilidade aos sistemas de transporte público. Em si só, isso é um motivo bom o suficiente para que uma cidade se esforce em manter a qualidade e a vitalidade de suas áreas centrais. Entretanto, isso também significa que políticas públicas voltadas tão somente para áreas centrais e que, por outro lado, negligenciam áreas periféricas - historicamente pobres e carentes em infra-estrutra urbana -, penalizam duplamente as zonas mais afastadas e principalmente, a população que ali vive. Com isso em mente, o escritório russo de arquitetura Meganom desenvolveu um projeto chamado de "Dvorulitsa", o que significa literalmente "rua -jardim". Dvorulitsa é um projeto de desenvolvimento urbano que pretende contribuir com a recuperação de áreas periféricas de Moscou. A ideia é um desdobramento de um antigo projeto do estúdio fundado por Yury Grigoryan e Iliya Kouleshov. Desenvolvido em 2013, "Archaeology of the Periphery," foi um projeto de recuperação de um antigo estaleiro que apresentava o conceito de "super parque", uma alternativa para a transformação da periferia das cidades pós-soviéticas.

8 Estratégias de planejamento, desenho e mobilidade para criar ruas mais seguras

07:30 - 13 Março, 2019
8 Estratégias de planejamento, desenho e mobilidade para criar ruas mais seguras, Ruas mais inteligentes e sinalização viária em Bogotá, Colômbia, buscam aumentar a segurança para pedestres e ciclistas. Foto: Dylan Passmore / Flickr. Image Cortesia de WRI Brasil
Ruas mais inteligentes e sinalização viária em Bogotá, Colômbia, buscam aumentar a segurança para pedestres e ciclistas. Foto: Dylan Passmore / Flickr. Image Cortesia de WRI Brasil

Apesar de mais de 1,35 milhões de pessoas perderem a vida em acidentes de trânsito todos os anos, esse tipo de fatalidade não tem a mesma atenção de políticos e da mídia quando desastres de avião, trem ou embarcações. Algumas acreditam que as mortes em acidentes com veículos são parte da rotina ou inevitáveis – mas elas não precisam ser.

Tudo o que você precisa saber sobre ruas completas e suas vantagens para as cidades

07:30 - 3 Março, 2019
Tudo o que você precisa saber sobre ruas completas e suas vantagens para as cidades, Rua Completa Joel Carlos Borges, em São Paulo - SP. Image © Pedro Mascaro/WRI Brasil, via Flickr. Licença CC BY-NC-SA 2.0
Rua Completa Joel Carlos Borges, em São Paulo - SP. Image © Pedro Mascaro/WRI Brasil, via Flickr. Licença CC BY-NC-SA 2.0

Entre várias estratégias de desenho urbano e ocupação dos lugares públicos da cidade, as ruas completas talvez sejam, atualmente, as mais em vista. Partem de uma ideia bastante simples: tornar o espaço da rua verdadeiramente público, no sentido mais amplo da palavra. Em outras palavras, seu objetivo é proporcionar opções de transporte e acesso ao maior número possível de modais de transporte - a pé, bicicleta, cadeira de rodas, transporte público coletivo e carros particulares.

DAS transforma o tecido urbano de Qianmen em um impressionante mural axonométrico

10:00 - 16 Janeiro, 2019
DAS transforma o tecido urbano de Qianmen em um impressionante mural axonométrico , Cortesia de Drawing Architecture Studio (DAS)
Cortesia de Drawing Architecture Studio (DAS)

A expressão artística é muitas vezes indisciplinada. Às vezes, o tumulto de cores e a explosão de linhas e formas ajudam a criar uma ilustração 2D, que é precisamente o que o Drawing Architecture Studio (DAS) fez na nova filial da Ucommune em Dajiang Hutong, Pequim.

No final de 2018, Li Han, co-fundador do Drawing Architecture Studio, ganhou o Drawing Prize por seu desenho digital de The Samsara of Building No.42 on Dirty Street, que também ilustra uma narrativa visual da cidade de Pequim e sua cronologia residencial ao longo do século XXI. Este ano, o DAS assumiu a área de Qianmen, co-trabalhando com a marca Ucommune, transformando sua rede rodoviária, arquitetura e composição urbana em um panorama dinâmico e meticulosamente detalhado intitulado Under the Zhengyangmen.

Por que a arquitetura pode ser o melhor investimento para a segurança nos espaços públicos?

15:00 - 26 Novembro, 2018
Por que a arquitetura pode ser o melhor investimento para a segurança nos espaços públicos?, © Rodrigo Tagle
© Rodrigo Tagle

Cortesía de Fundación Mi Parque Cortesía de Fundación Mi Parque Cortesía de Fundación Mi Parque Cortesía de Fundación Mi Parque + 20

A arquitetura é poderosa, e assim como a energia nuclear, ela depende da forma como é utilizada. Pode criar cidades inabitáveis, mas também pode criar cidades mais seguras e melhorar nossa qualidade de vida.

Em diversos exemplos, o desenho urbano forneceu uma resposta aos espaços públicos deteriorados ou abandonados, o que não só evidencia o quanto a organização e a iluminação são imprescindíveis, mas também permite considerar os usuários e gerar espaços para o encontro.

Concurso para a Requalificação do Eixo Monumental de Maringá: confira o resultado

12:00 - 8 Novembro, 2018
Concurso para a Requalificação do Eixo Monumental de Maringá: confira o resultado, 1º lugar
1º lugar

O resultado oficial para o Concurso Nacional para Requalificação do Espaço Público do Eixo Monumental de Maringá foi divulgado. Trata-se de uma área central na cidade, compreendida entre a Praça da Catedral e o complexo esportivo da Vila Olímpica. O Eixo Monumental totaliza, aproximadamente, 169 mil m², e inclui jardins, áreas públicas, estacionamento de veículos e calçamento perimetral às fachadas. Por se tratar de uma área bastante grande, o projeto deveria ser apresentado em 7 trechos, para garantir a licitação e execução das obras por fases. O projeto vencedor foi elaborado pela equipe formada por Pedro Paes Lira, Manoela Muniz Machado, Julia Marini, Laura Figueiredo e Juliette Tellier, do escritório Natureza Urbana; com consultoria de paisagismo de Bianca Vasone, Gabriella Ornaghi e Lilian Dazzi; e de engenharia de Alexandre Horiye Ferreira e Felipe Macedo Barbosa.

A comissão julgadora, formada pelos arquitetos e urbanistas Haroldo Pinheiro, José Gilberto Purpur, Mario Figueroa, Orlando Busarello e Renato Leão Rego deliberou pelos seguintes vencedores:

Da China à Colômbia, 5 cidades tornam suas ruas mais seguras através do desenho urbano

07:00 - 29 Julho, 2018
Da China à Colômbia, 5 cidades tornam suas ruas mais seguras através do desenho urbano, A Rua Joel Carlos Borges, em São Paulo, foi transformada durante a noite para melhorar a segurança no trânsito, incluindo o aumento de espaço para os pedestres. Foto: Pedro Mascaro/WRI Brasil
A Rua Joel Carlos Borges, em São Paulo, foi transformada durante a noite para melhorar a segurança no trânsito, incluindo o aumento de espaço para os pedestres. Foto: Pedro Mascaro/WRI Brasil

Em 2015, a comunidade global se comprometeu a reduzir pela metade as mortes e ferimentos gravesdecorrentes de acidentes de trânsito até 2020. Mas as ruas das cidades ainda não são seguras. Mais de 3.200 mortes nas vias ocorrem todos os dias, e este número deverá triplicar até 2030, à medida que aumenta o número de veículos nas ruas. Um adicional de 20 a 50 milhões de pessoas são feridas e deixadas com deficiências permanentes.

Promover a diversidade para tornar as cidades mais equitativas

12:00 - 30 Abril, 2018
Promover a diversidade para tornar as cidades mais equitativas, © ITDP Brasil
© ITDP Brasil

Quando existe uma combinação equilibrada de atividades complementares em um determinado bairro (ou seja, uma mistura de residências, locais de trabalho, comércio e serviços), parte significativa das viagens cotidianas de seus moradores podem permanecer curtas e caminháveis. Usos diversos, com horários de pico diferentes ao longo do dia, contribuem para manutenção de ruas movimentadas e seguras por mais tempo, estimulando a atividade de pedestres e ciclistas e promovendo um ambiente humano animado onde as pessoas desejam viver. Isto também contribui para o equilíbrio da demanda do transporte coletivo, resultando em uma operação mais eficiente e sustentável por períodos mais longos do dia. Pessoas de todas as faixas etárias, gêneros e renda podem interagir com segurança em locais públicos.

© ITDP Brasil
© ITDP Brasil

Como podemos planejar cidades que priorizem pedestres?

14:00 - 5 Fevereiro, 2018
Como podemos planejar cidades que priorizem pedestres?, © Cidade Ativa
© Cidade Ativa
© Cidade Ativa
© Cidade Ativa

Cidades ativas são aquelas em que a população pode fazer escolhas mais saudáveis e sustentáveis. Para que isso seja possível, as cidades devem proporcionar acesso a espaços públicos e serviços de qualidade a todas as pessoas, garantindo que possam passear, descansar, brincar e se exercitar em praças, parques e equipamentos. Cidades ativas são também compactas, nas quais a proximidade entre a moradia e o trabalho, escola, serviços, lazer faz com que as redes de mobilidade a pé, cicloviária e de transporte público sejam mais eficientes e melhores distribuídas no território. Assim, a escolha pelo modal a pé ou bicicleta nos deslocamentos diários se torna viável. Por isso, cidades ativas são, necessariamente, mais caminháveis.

Um novo desenho urbano pode melhorar a qualidade de vida nos conjuntos habitacionais?

12:00 - 30 Janeiro, 2018
Um novo desenho urbano pode melhorar a qualidade de vida nos conjuntos habitacionais?, Cortesia de Marco Suassuna
Cortesia de Marco Suassuna

Há uma extensa bibliografia acadêmica evidenciando os malefícios que enormes conjuntos habitacionais, monofuncionais e afastados dos centros trazem às cidades. Geralmente eles se tornam espaços altamente segregados, estigmatizados e, muitas vezes, com condições degradantes de vida. Após a ocupação, é frequente que os próprios moradores comecem a criar modificações, abrindo pequenos comércios e se apropriando dos espaços de formas muito distintas do que foi imaginado na etapa projetual. Mas há a possibilidade do desenho urbano melhorar a qualidade de vida desses conjuntos? Veja essa proposta realizada em João Pessoa:  

A diferença entre o ocupar e o habitar

12:00 - 20 Dezembro, 2017
A diferença entre o ocupar e o habitar , Proposta que recebeu Menção Honrosa no Concurso CODHAB Sol Nascente – trecho 2. Image Cortesia de Vigliecca & Associados
Proposta que recebeu Menção Honrosa no Concurso CODHAB Sol Nascente – trecho 2. Image Cortesia de Vigliecca & Associados

Os projetos públicos de habitação social costumam ser frustrantes mais por uma questão filosófica do que política. Como princípio piramidal: o espaço, quando é matematicamente considerado, não tem sítios nem lugares. Ou seja, quando o objetivo é construir apenas as urgências através do máximo possível de moradias, em detrimento da qualidade de vida, não se cria condições de habitabilidade.

O filósofo alemão Martin Heidegger tratou de pensar a questão da construção em relação ao habitar em um congresso de arquitetura, em 1951, no qual se discutia a reconstrução da Alemanha no pós-guerra. Ele pretendia discutir o sentido do habitar antes de pensar na reconstrução; isso era o fundamental para ele. Não se tratava de resolver problemas técnicos, econômicos e políticos relativos à construção, mas sim de pensar sobre a relação entre o habitar e o construir e talvez essa indagação nos ajude a encontrar a “alma” que falta nas áreas de “não-cidade”.

La Serpentina, um jogo infantil urbano projetado por ELEMENTAL para Somos Choapa

12:00 - 17 Novembro, 2017
La Serpentina, um jogo infantil urbano projetado por ELEMENTAL para Somos Choapa, La Serpentina en el Parque Cultural de Valparaíso, Chile. Image Cortesía de ELEMENTAL
La Serpentina en el Parque Cultural de Valparaíso, Chile. Image Cortesía de ELEMENTAL

No centro do Parque Cultural de Valparaíso (Chile), um novo jogo infantil urbano capturou a atenção e a energia de crianças de todas as idades nas últimas duas semanas: é uma estrutura metálica de 40 metros de comprimento que contém um caminho ondulado colorido onde crianças correm, pulam, se escondem e deslizam.

Trata-se de La Serpentina, um dos projetos públicos espaciais que o escritório ELEMENTAL (Alejandro Aravena) construirá para Somos Choapa no Chile, e que por estes dias, faz uma parada em Valparaíso por ocasião da XX Bienal de Arquitectura y Urbanismo de Chile.

Após a concepção de dispositivos similares implantados no perímetro do Parque Bicentenário da Infância (2012) em Santiago, La Serpentina é uma das duas intervenções com as quais a Somos Choapa participa da Bienal. O segundo é um modelo interposto com uma série de telas de toque implantadas no recinto principal do Parque Cultural de Valparaíso, representando mais de 100 iniciativas concretas do projeto.