Constanza Martínez Gaete

Jornalista da Universidade de Santiago, Chile (Usach). Twitter: @ConiMartinezG

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE AUTOR

5 Cidades que fomentaram a criação de áreas livres de automóveis

A congestão viária é um dos grandes temas de debate em cidades de todo o mundo por conta do impacto dessa questão na qualidade de vida.

Nesse sentido, sobram exemplos: o caso de Los Angeles que conheceu nessa semana o Índice de Tráfego 2016 elaborado pela consultoria Inrix um dado que demonstra como isso afeta a vida dos habitantes, os quais, segundo a pesquisa, perdem 104 horas em engarrafamentos.

Em segundo e terceiro lugares estão Moscou e Nova Iorque, com 91 e 89 horas perdidas, respectivamente. A primeira cidade latino-americana a aparecer nesse ranking é Bogotá, onde os habitantes passam 79 horas no trânsito, enquanto em São Paulo são 77 horas.

Vídeo: O que são "ruas completas"?

As "ruas completas" são aquelas projetadas para que as pessoas, independentemente de suas condições físicas ou meio de transporte, possam se deslocar de maneira confortável e segura entre os lugares onde trabalham, vivem, estudam etc.

Embora esta definição possa ser aplicada a qualquer rua, existem certos elementos de projeto que, dependendo se estão presentes ou não, acabam definindo se uma rua cumpre os requisitos para esta classificação. 

130 Lixões de Medellín são transformados em jardins públicos

Alguns terrenos de Medellín que não tinham uso definido começaram a ser usados como lixões informais, trazendo consigo doenças e diversos problemas ambientais.

Por esse motivo, foram reconhecidos como pontos críticos da cidade pela Secretaria do Meio Ambiente, que os incluiu em um novo programa de regeneração urbana.

"220 Mini Metros" ilustra as redes de metrô de diversas cidades

O designer gráfico americano, Peter Dovak, é um apaixonado pelo transporte urbano. Por isso, se dedicou a criar desenhos coloridos que representam os sistemas de uma maneira muito mais didática para que possam ser facilmente interpretados por todos.

Em um de seus últimos projetos, o 220 Mini Metros, se baseou nas redes de metrô e trens leves de 220 cidades do mundo e as simplificou através do desenho.

França inaugura sua primeira rodovia solar que gera energia para uma cidade

No início de 2016 a Ministra de Ecologia e Energia da França, Ségolène Royal, anunciou a ideia de pavimentar mil quilômetros de rodovias com painéis solares nos próximos cinco anos.

Trata-se de uma estratégia do governo de promover a energia sustentável e aproveitar esta tecnologia para proporcionar energia a residências ou sistemas de infraestrutura pública, sobretudo em regiões onde a distribuição é mais complexa. 

Oslo lança plano para subsidiar a compra de bicicletas elétricas

O esforço da capital norueguesa em busca de uma alta qualidade atmosférica originou iniciativas focadas no fomento da mobilidade sustentável, dentre as quais o plano que visa proibir a circulação de automóveis no centro da cidade, previsto para entrar em vigor em 2019.

Com esta mudança no trânsito, a ideia é contribuir com a redução das emissões de poluentes em 50% até 2020, com base nas emissões da cidade em 1990. 

"MethodKit for Cities": 105 cartas para discutir e planejar o futuro de nossas cidades

Planejamento urbano pode ser uma tarefa difícil dependendo dos elementos envolvidos, como tempo, participantes e tópicos.

Desde 2012, a empresa sueca MethodKit se dedicou em elaborar kits para simplificar as tarefas em diversos campos profissionais, utilizando cartas que definem questões e guiam discussões.

Inicialmente, estes kits foram orientados para o design e tecnologia digital, no entanto, esta ferramenta colaborativa e fácil de utilizar foi logo expandida para a arquitetura e planejamento urbano.

China inaugura a maior ciclovia elevada do mundo

Em fevereiro, a cidade de Xiamen inaugurou a primeira ciclovia elevada da China, que, com seus 8 quilômetros de extensão, se tornou a maior ciclovia elevada do mundo.

A construção da infraestrutura foi impulsionada pelo Governo Municipal de Xiamen com o objetivo de oferecer aos habitantes novas alternativas de deslocamento que não congestionem as ruas nem poluam o ar. 

10 Princípios para um transporte urbano sustentável

Cortesia de GIZ
Cortesia de GIZ

O Projeto de Transporte Urbano Sustentável (SUTP) é uma iniciativa que promove o transporte sustentável para que as cidades disponham de meios de transporte mais eficientes, limpos, que não causem congestionamentos e que sejam seguros, visando tornarem-se lugares mais habitáveis.

Cidades com menos automóveis e mais transporte público: a mobilidade que os jovens buscam

A Direção Geral do Tráfego (DGT) em conjunto com a Fundação Abertis apresentou os resultados do "Estudo de Opinião sobre Segurança Viária entre Jovens", realizado com 2.000 habitantes da Espanha, com idades entre 16 e 22 anos.

A pesquisa, a cargo de Sigma Dos, consistiu em uma enquete presencial com o objetivo de saber qual é a percepção do risco que têm os jovens a respeito dos seus deslocamentos, qual meio de transporte é o mais comum entre eles e quais são as expectativas do futuro da mobilidade em relação ao meio ambiente.

Dos 2 mil entrevistados, a maioria estuda (73,8%) ou trabalha (16,1%). Ao perguntar-lhes se possuíam carteira de habilitação, 35,6% responderam afirmativamente enquanto 64,4% disseram que não. Este último dado integra 68,7% mulheres enquanto no caso dos homens o número era de 60,2%.

7 cidades que transformaram suas áreas sob rodovias em parques urbanos

Nos últimos anos, a paulatina mudança de paradigma de mobilidade, cujo foco passou do veículo às pessoas, permitiu distinguir como a infraestrutura viária, principalmente pontes e viadutos, geraram um impacto maior que o necessário na paisagem urbana.

Produto disto é o surgimento do interesse de unir os espaços em uma escala urbana para uma cidade mais habitável, segura e sustentável. Nem todos dispõem de verba de uma cidade olímpica e alternativas viárias para demolir tais estruturas, a exemplo do Rio de Janeiro com a Perimetral. Existem vários exemplos que surgiram por iniciativa popular ou ordenamentos municipais que decidiram aproveitar os espaços subutilizados para habitá-los como novos espaços públicos ou parques urbanos.

10 razões para desenhar cidades pensando nas comunidades

A influência do desenho urbano na ocupação dos espaços públicos e as interações sociais é um tema cada vez mais relevante para direcionar as cidades à habitabilidade.

Nesta matéria, destaca-se o escritório Gehl, que desde o ano 2000 se dedica a esta tarefa usando um foco centrado nas pessoas. Desde então, seus fundadores, os arquitetos Jan Gehl e Helle Søholt, compartilharam sua experiência em ideias que procuram centrar o desenho nas pessoas.

Paris aprova estratégia para desenvolver projetos voltados para pedestres em toda a cidade

Na última sessão do Conselho Municipal de Paris, realizada nos dias 30 e 31 de janeiro, foi aprovada uma Estratégia Peatonal que tem como objetivo melhorar a qualidade de vida dos pedestres, ou seja, de todos que circulam a pé pela capital francesa.

Por um lado, o interesse da estratégia está focado em facilitar os deslocamentos e as condições dos pedestres, incentivando que mais pessoas caminhem, sendo que este já é o meio de transporte mais usado na cidade, totalizando 60% dos percursos. Além disso, quando se trata de deslocamentos para realizar compras, 79% dos trajetos são realizados a pé, quando apenas 4% deles são de carro. 

Picnic Noturno: Uma experiência coletiva de apropriação dos espaços públicos em Rosário

O Parque de las Colectividades na cidade argentina de Rosário é o resultado de um projeto de regeneração urbana que converteu os antigos terrenos do porto e das ferrovias em uma enorme área verde de 30 mil metros quadrados. 

Este local foi escolhido pela Secretaria de Ambiente e Espaço Público da Prefeitura de Rosário para lançar o programa Picnic Noturno, que convida os habitantes a desfrutarem de uma experiência coletiva de cidade.

TU Delft oferece curso online e gratuito sobre desafios urbanos em países emergentes

Rethink the City. New Approaches to Global and Local Urban Challenges” é um curso online e gratuito oferecido pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Delft, nos Países Baixos, a partir de 28 de março deste ano.

O curso tem como objetivo abordar os desafios urbanos nos países emergentes, oferecendo uma nova perspectiva que permite compreender e analisar o sul global. Por isso, os conteúdos estão estruturas em três eixos temáticos: "justiça espacial", "criação e gestão de habitações" e "resiliência urbana". 

Paris anuncia conjunto de projetos para restringir o uso de automóveis no centro da cidade

No início do ano a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, apresentou sua "lista de desejos para 2017", que inclui os principais projetos a serem desenvolvidos este ano.

Um deles tem como objetivo melhorar a mobilidade no centro da cidade e leva em consideração várias iniciativas baseadas na recuperação dos espaços públicos para as pessoas (em detrimento dos automóveis), a promoção de energias renováveis e o cuidado com o meio ambiente. 

Biscayne Green, uma intervenção urbana que devolveu Miami às pessoas

Biscayne Boulevard é uma das avenidas mais emblemáticas de Miami, tendo sido construída na década de 1920. Já nessa época se tornou famosa devida aos diversos estabelecimentos comerciais que lá funcionavam, porém, com o passar dos anos, o comércio migrou para fora das cidade e em seu lugar instalaram-se restaurantes.

Deste modo, a região foi se consolidando como um polo de encontro, recebendo um incentivo das autoridades que impediram o tráfego de caminhões na avenida.

Guia do urbanista tático: materiais e projeto

O urbanismo tático corresponde às intervenções que permitem experimentar mudanças na cidade por um período determinado, oferecendo uma aproximação ao impacto causado caso a iniciativa fosse, de fato, executada. 

Em todo o mundo existem vários casos que, diante das necessidades da população, buscaram soluções a partir de intervenções feitas com materiais econômicos e de rápida implementação.