O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Urbanismo

Esta cidade murada medieval mostra como o urbanismo tradicional pode suportar altas densidades

12:00 - 19 Fevereiro, 2018
© Sabine de Villeroy
© Sabine de Villeroy

A fortaleza protetora, as ruas de paralelepípedos e a disposição urbana medieval são características de muitas cidades costeiras da Europa. Mas ao explorar a cidade francesa de Saint-Malo, é difícil acreditar que esta seja a cidade original. O que separa Saint-Malo de muitas outras cidades europeias localizadas junto ao mar, desde sua localização marcante, - é a complexa história de como ela foi completamente destruída na Segunda Guerra Mundial, mas reconstruída com a sua estética original.

© <a href='https://www.flickr.com/photos/ferrariguy90/8467381701'>Flickr user Trevor Huxham</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-nd/2.0/'>CC BY-NC-ND 2.0</a> © <a href='https://www.flickr.com/photos/archer10/15206970485'>Flickr user Dennis Jarvis</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-nd/2.0/'>CC BY-SA 2.0</a> Desconhecido, <a href="https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Saint-Malo_après_la_bataille_de_1944.jpg">Saint-Malo après la bataille de 1944</a>, marked as public domain, more details on <a href="https://commons.wikimedia.org/wiki/Template:PD-old">Wikimedia Commons</a> © <a href='https://www.flickr.com/photos/lutherankorean/2652730156'>Flickr user Pom Angers</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-nd/2.0/'>CC BY-SA 2.0</a> + 7

Arq. Futuro e Insper lançam 2ª edição do curso "Urbanismo, Cidades e Liderança Consciente"

05:30 - 16 Fevereiro, 2018
Arq. Futuro e Insper lançam 2ª edição do curso "Urbanismo, Cidades e Liderança Consciente"

Curso busca contribuir para a formação de cidadãos capazes de interpretar a realidade dos espaços urbanos e assumir uma postura crítica sobre os rumos das cidades; inscrições abertas até

“As cidades são a melhor invenção da humanidade”, afirma Edward Glaeser, professor de economia em Harvard. Os agrupamentos urbanos constituem uma das formas mais eficientes de distribuição de riqueza, e não é por acaso que concentram hoje a maior parte da população mundial. Por outro lado, a concentração de moradores produz problemas – trânsito, poluição, violência. As

Micro Escola Urbana | Hortas em Condomínios

06:00 - 15 Fevereiro, 2018
Micro Escola Urbana | Hortas em Condomínios, terceira edição da Micro Escola Urbana (verão 2018)
terceira edição da Micro Escola Urbana (verão 2018)

Micro Escola Urbana (Verão 2018)

O coletivo Translab.urb (que desenvolve projetos no campo da experimentação e prática em Inovação Social Urbana), se une às equipes do JUSTO e da Minha Porto Alegre, propondo atividades para despertar o interesse em assuntos ligados a construção de uma cidade sustentável.

Contrariando a ideia de que o Centro fica vazio aos finais de semana (ainda mais no verão), fizemos dois encontros no JUSTO nos sábados 20 e 27 de Janeiro, no final da tarde, das 17h às 19h, abertos para moradores da região e de toda a cidade, e foi um sucesso.

Agora em Fevereiro repetimos a

Arquitetura hostil: A cidade é para todos?

12:00 - 8 Fevereiro, 2018
Arquitetura hostil: A cidade é para todos?, © Matheus Pereira
© Matheus Pereira

Você já ouviu falar do termo Arquitetura hostil? Cunhado em junho de 2014 pelo repórter Ben Quinn no jornal britânico The Guardian, a matéria originalmente intitulada Anti-homeless spikes are part of a wider phenomenon of 'hostile Architecture(As pontas de ferro anti-desabrigados são parte de um fenômeno mais amplo conhecido como "arquitetura hostil") [1] surpreendeu cidadãos de todo o mundo que passaram a notar em seus contextos as práticas listadas por Quinn. Ali ele discorreu sobre como o desenho urbano têm influenciado o comportamento e o convívio, criticando como a abordagem ao mesmo tem buscado excluir moradores em situação de rua dos centros urbanos.

Como podemos planejar cidades que priorizem pedestres?

14:00 - 5 Fevereiro, 2018
Como podemos planejar cidades que priorizem pedestres?, © Cidade Ativa
© Cidade Ativa
© Cidade Ativa
© Cidade Ativa

Cidades ativas são aquelas em que a população pode fazer escolhas mais saudáveis e sustentáveis. Para que isso seja possível, as cidades devem proporcionar acesso a espaços públicos e serviços de qualidade a todas as pessoas, garantindo que possam passear, descansar, brincar e se exercitar em praças, parques e equipamentos. Cidades ativas são também compactas, nas quais a proximidade entre a moradia e o trabalho, escola, serviços, lazer faz com que as redes de mobilidade a pé, cicloviária e de transporte público sejam mais eficientes e melhores distribuídas no território. Assim, a escolha pelo modal a pé ou bicicleta nos deslocamentos diários se torna viável. Por isso, cidades ativas são, necessariamente, mais caminháveis.

Um novo desenho urbano pode melhorar a qualidade de vida nos conjuntos habitacionais?

12:00 - 30 Janeiro, 2018
Um novo desenho urbano pode melhorar a qualidade de vida nos conjuntos habitacionais?, Cortesia de Marco Suassuna
Cortesia de Marco Suassuna

Há uma extensa bibliografia acadêmica evidenciando os malefícios que enormes conjuntos habitacionais, monofuncionais e afastados dos centros trazem às cidades. Geralmente eles se tornam espaços altamente segregados, estigmatizados e, muitas vezes, com condições degradantes de vida. Após a ocupação, é frequente que os próprios moradores comecem a criar modificações, abrindo pequenos comércios e se apropriando dos espaços de formas muito distintas do que foi imaginado na etapa projetual. Mas há a possibilidade do desenho urbano melhorar a qualidade de vida desses conjuntos? Veja essa proposta realizada em João Pessoa:  

Ranking das Melhores Cidades do Mundo em 2018, segundo a Resonance Consultancy

07:00 - 6 Janeiro, 2018
Ranking das Melhores Cidades do Mundo em 2018, segundo a Resonance Consultancy

Classificar cidades pode ser uma tarefa bastante arriscada. Como podemos ser objetivos e justos quando este planeta de 7,6 bilhões de habitantes nunca chegou nem perto de um consenso? Entretanto, a empresa de consultoria Resonance Consultancy assumiu este desafio com base nas opiniões que realmente importam: "moradores e turistas".

Pesquisas foram feitas com moradores locais e turistas à respeito de 23 diferentes fatores (agrupados em seis categorias - lugar, produto, programação, pessoas, prosperidade e promoção). A metodologia pretende ser de fácil compreensão para a classificação das qualidades da cidade e sua reputação. Na categoria "pessoas", por exemplo, os pesquisadores analisaram a taxa de imigração e a diversidade humana de uma cidade, incluindo o número de residentes estrangeiros. Também foi levado em consideração quantas vezes uma cidade é mencionada nas plataformas digitais como o Facebook, o Google e até o TripAdvisor. Além disso, as cidades também foram classificadas quanto à qualidade de seus bairros, marcos históricos e parques.

Como o desenho urbano pode salvar vidas?

14:00 - 14 Dezembro, 2017
Como o desenho urbano pode salvar vidas?, © Cidade Ativa
© Cidade Ativa

Quando a questão sobre mortes e lesões no trânsito é colocada em pauta, rapidamente a associamos aos limites de velocidade. Especialistas do mundo todo concordam que essa é uma das principais e mais eficientes medidas que asseguram a segurança viária: quanto maior a velocidade do veículo, menor a chance de sobrevivência em um impacto. Por exemplo, ser atingido por um veículo a 80km/h é o mesmo que cair de uma altura de 9 andares (cerca de 30 metros de altura). Mas, se as velocidades são indicadas por placas de trânsito, qual é então o papel do desenho urbano na segurança e proteção das pessoas?

Construindo uma rede de inovação social urbana

08:00 - 13 Dezembro, 2017
Construindo uma rede de inovação social urbana, imagem do Mestura
imagem do Mestura

Como parte da programação oficial do evento Simultaneidade III - Edição TransVerCidade que acontece no Vila Flores, apresentamos o evento:

CONSTRUINDO UMA REDE DE INOVAÇÃO SOCIAL URBANA
Organizadores: Translab.urb
16/12 – 16h às 17h – espaço Galpão
entrada franca

Nunca as questões do ambiente urbano, principalmente referente ao Espaço Público, estiveram com tanta atenção por parte da Sociedade, e isso ocorre ao mesmo tempo em que estamos mais conectados do que nunca, seja organizando-nos presencialmente ou apenas em ambiente digital. Mas em meio a todos os desafios coletivos da vida nas cidades, como podemos abraçar a complexidade urbana e construirmos novas lógicas de atuação estando

Itinerários de estudos como aventura intelectual: a dimensão paisagística no projeto da cidade contemporânea

14:00 - 10 Dezembro, 2017
Itinerários de estudos como aventura intelectual: a dimensão paisagística no projeto da cidade contemporânea, capa do livro
capa do livro

A ideia do curso, portanto das viagens, nasceu da vontade de compartilhar experiências formativas adquiridas durante o doutorado sanduíche no Dipartimento di Storia dell’Architettura (dSA) no Istituto Universitario di Architettura di Venezia (IUAV). Entretanto, sua concretização se dá em um cruzeiro, da mesma forma que no “Um Filme Falado” (2003) do cineasta português Manoel de Oliveira (1908–2015), no qual uma professora de história da Universidade de Lisboa percorre o Mediterrâneo para vivenciar e contar aquilo que, em seu cotidiano, era falado aos alunos na sala de aula.

Construção colaborativa das cidades: Veja como foi o 2º Encontro realizado pelo COURB

14:00 - 6 Dezembro, 2017
Construção colaborativa das cidades: Veja como foi o 2º Encontro realizado pelo COURB, © Thiago Abreu
© Thiago Abreu

Anualmente o Instituto COURB realiza o Encontro de Urbanismo Colaborativo. Este ano, Brasília recebeu o 2º Encontro, entre os dias 19 e 21 de outubro. O evento aconteceu em diferentes partes da cidade e envolveu cerca de 180 pessoas, dentre representantes do poder público e do terceiro setor, professores, estudantes e profissionais de diferentes áreas de atuação, vindos de mais de 15 estados brasileiros. Palestras, debates, oficinas, rodas de conversa, vivências e mutirão possibilitaram aos participantes trocas diversas e intensas. Além disso, a 2ª Mostra de Projetos de Urbanismo Colaborativo, inspirou e celebrou ações desenvolvidas em 4 regiões do país. A equipe premiada por voto dos participantes e que recebeu o apoio de R$1.000,00 do Instituto COURB foi a Cubo Urbano, composta por estudantes de arquitetura e urbanismo de Juazeiro do Norte - Ceará.

Oficina Internacional TransLAB.URB + Urbanismo Vivo - Taller de Caminata Sensorial, Cartografia Afectiva y Co Creación

18:00 - 28 Novembro, 2017
Oficina Internacional TransLAB.URB + Urbanismo Vivo - Taller de Caminata Sensorial, Cartografia Afectiva y Co Creación

Como parte das atividades do lançamento do Projeto "Corredor Sur - Montevideo / Porto Alegre / Buenos Aires" o coletivo autônomo TransLAB.URB (Porto Alegre) se junta com a iniciativa Urbanismo Vivo (Buenos Aires) para levar até o Uruguay alguns pontos que são trabalhados em escala local e em grandes encontros internacionais, relacionados com Placemaking, Cidades Para As Pessoas, um Urbanismo na escala humana e as possibilidades de atuação em rede, dentro de uma ótica regional, integrando cidades do sul da América do Sul.

Junto com a FADU - Faculdade de Arquitetura, Design e Urbanismo da UDELAR - Universidade da República do

Placemaking y Ciudades Para Las Personas

18:00 - 27 Novembro, 2017
Placemaking y Ciudades Para Las Personas, cartaz oficial da atividade
cartaz oficial da atividade

A atividade "Placemaking y Ciudades Para Las Personas", é um encontro informativo sobre planejamento urbano na escala humana e as possibilidades de ação em uma rede do Cone Sul, iniciando pelo projeto "Corredor Sul - Montevideo - Porto Alegre - Buenos Aires".

Programa:
- Apresentação da proposta de rede, com Leonardo Brawl Márquez (TransLAB.URB, Porto Alegre) e Carolina Huffmann (Urbanismo Vivo e Jane's Jacobs Walks, Buenos Aires).
- Comentários Adriana Goñi Mazzitelli (UIT-FADU, Montevideo)

A atividade terá lugar na próxima terça-feira, 28 de novembro na Sala Gómez Gavazzo, do Instituto de Teoria e Urbanismo da Faculdade de Arquitetura, Design e Urbanismo da UDELAR -

Arquiteturas e Urbanismos do sul em debate

12:00 - 27 Novembro, 2017
Arquiteturas e Urbanismos do sul em debate

No início de outubro aconteceu em Foz do Iguaçu, o I Encontro Internacional do MALOCA Grupo de Estudos Multidisciplinares em Urbanismos e Arquiteturas do Sul, com o objetivo de apresentar os resultados do seu primeiro triênio (2014-2016) e debater os rumos das pesquisas do grupo para o triênio 2017-2019.  Sediado na Universidade Federal da Integração Latino-Americana - UNILA, em Foz do Iguaçu, o grupo de pesquisa MALOCA tem atuado a partir das necessidades prementes de buscar respostas a questões na área voltadas para o contexto de ensino, hábitos de morar e construir, políticas públicas e direitos humanos, sob uma perspectiva decolonial, com ênfase na América Latina e no Sul global. Com vistas a uma arquitetura da autonomia ou uma arquitetura cidadã no Brasil e na América Latina, o MALOCApossui três linhas de pesquisa: (1) Ensino de Arquitetura e Urbanismo na América Latina; (2) Hábitos de morar e de construir no contexto latino-americano e (3) Políticas públicas, território, direitos humanos e sociais. O grupo de pesquisa forma uma rede internacional de aproximadamente 20 pesquisadores/as de instituições em diversas regiões do Brasil, como as federais do Ceará, Bahia, Ouro Preto, São João del Rei, Tecnológica do Paraná e de São Paulo e ainda pesquisadoras da Bolívia e de Cabo Verde, consolidando o diálogo de saberes a partir do Sul. Originário do quadro docente do curso de arquitetura e urbanismo da UNILA, atualmente está vinculado também com o programa de pós-graduação em Políticas Públicas e Desenvolvimento na mesma instituição.

A densificação é boa até construírem um edifício ao seu lado

12:00 - 15 Novembro, 2017
A densificação é boa até construírem um edifício ao seu lado, Projeto em construção em Estación Central (Santiago, Chile), denunciado por el Intendente de Santiago, Claudio Orrego. Su publicación ha generado una amplia discusión sobre la densificación del centro y pericentro de la capital chilena. Image © Claudio Orrego vía Twitter
Projeto em construção em Estación Central (Santiago, Chile), denunciado por el Intendente de Santiago, Claudio Orrego. Su publicación ha generado una amplia discusión sobre la densificación del centro y pericentro de la capital chilena. Image © Claudio Orrego vía Twitter

Ambos têm parte da razão, ao que no final é o mesmo que dizer que os dois estão parcialmente errados.

O Estado aponta na direção correta quando promove políticas de densificações habitacionais. Uma cidade mais compacta reduz custos de provisão e manutenção de infraestrutura e serviços, ao mesmo tempo em que diminui os tempos de deslocamentos, favorecendo a caminhada, o uso de bicicleta e transporte público. Tudo isso também ajuda a reduzir as emissões de gases poluentes e efeito estufa. Um bairro de média e alta densidade permite que mais pessoas desfrutem diretamente de seus equipamentos e áreas verdes, constituindo o ambiente propício à instalação do comércio local, que por sua vez atrai maior número de pessoas às ruas, e, por esse motivo, tornam-se ambientes mais atraentes e seguros. O Estado também está tomando boas medidas ao criar regras especiais que fornecem facilidades à construção de habitação de interesse social em áreas consolidadas. Ao permitir maiores densidades, é possível repartir o valor do solo entre mais unidades, o que pelo menos em teoria, torna a construção de moradias em uma cidade com custo mais acessível.

Jan Gehl: "Nos últimos 50 anos, os arquitetos esqueceram o que é uma boa escala para o ser humano"

12:00 - 13 Novembro, 2017
Jan Gehl: "Nos últimos 50 anos, os arquitetos esqueceram o que é uma boa escala para o ser humano", LA DISTANCIA FÍSICA REPERCUTE EN EL CONTACTO SOCIAL. Si muchos integrantes de nuestra familia viven cerca, se les ve mucho más seguido que si lo hicieran a 20 o 30 kilómetros. Entonces, por supuesto, si las circunstancias permiten que la familia o varios miembros de ella puedan vivir cerca, se tendrá una red más densa que si se encuentran diseminados.. Image Cortesía de Revista City Manager
LA DISTANCIA FÍSICA REPERCUTE EN EL CONTACTO SOCIAL. Si muchos integrantes de nuestra familia viven cerca, se les ve mucho más seguido que si lo hicieran a 20 o 30 kilómetros. Entonces, por supuesto, si las circunstancias permiten que la familia o varios miembros de ella puedan vivir cerca, se tendrá una red más densa que si se encuentran diseminados.. Image Cortesía de Revista City Manager

Esta entrevista foi inicialmente publicada no website da revista City Manager sob o título 'Jan Gehl, ciudades para la gente.'

Jan Gehl reconheceu ser um seguidor de Jane Jacobs, a quem ele chama de "avó" do urbanismo e do planejamento humanista. Ele também foi professor na Royal Danish Academy of Fine Arts em Copenhague e professor visitante no Canadá, Estados Unidos, Nova Zelândia, México, Austrália, Bélgica, Alemanha, Polônia e Noruega. Há cinquenta anos criou sua própria consultora intitulada Gehl Arquitects na Dinamarca, com a qual realizou vários projetos pela melhoria urbana ao redor do mundo, também utilizando dados e estratégias analíticas.

A seguir, a entrevista com o arquiteto dinamarquês, referência teórica internacional em desenvolvimento urbano, depois de Jane Jacobs, da escala humana no projeto de espaços públicos.

8 de Novembro: Dia Mundial do Urbanismo

12:00 - 8 Novembro, 2017
8 de Novembro: Dia Mundial do Urbanismo, Reprodução do manifesto original do símbolo do urbanismo. . Image via Della Paolera, C. M. (1934). El símbolo del urbanismo. Buenos Aires: Dirección del Plan de Urbanización, Municipalidad de la Ciudad de Buenos Aires
Reprodução do manifesto original do símbolo do urbanismo. . Image via Della Paolera, C. M. (1934). El símbolo del urbanismo. Buenos Aires: Dirección del Plan de Urbanización, Municipalidad de la Ciudad de Buenos Aires

Hoje, dia 8 de novembro, comemora-se o Dia Mundial do Urbanismo. A data foi criada em 1949 por Carlos Maria della Paolera, professor da Universidade de Buenos Aires, cujo intuito era aumentar o interesse profissional e público no planejamento, tanto local como internacionalmente. Paolera também desenhou o símbolo que representa a trilogia dos elementos naturais essenciais à vida, como o sol (em amarelo), a vegetação (em verde) e o ar (em azul), remetendo ao equilíbrio entre os meios natural e os seres humanos. Atualmente, o evento é celebrado em trinta países em quatro continentes.

O que é necessário para sair da nossa zona de conforto e mudar nossa relação com a cidade?

14:00 - 6 Novembro, 2017
O que é necessário para sair da nossa zona de conforto e mudar nossa relação com a cidade? , © Cidade Ativa
© Cidade Ativa
© Cidade Ativa
© Cidade Ativa

O que nos motiva a mudar a maneira como nos deslocamos pela cidade, onde fazemos compras ou o destino do lazer no domingo? Quais são os fatores determinantes que nos levam a rever como nos relacionamos com nossa vizinhança, com nosso bairro ou cidade?