1. ArchDaily
  2. África

África: O mais recente de arquitetura e notícia

Adjaye Associates divulga projeto preliminar para o Museu Edo de Arte da África Ocidental

O escritório Adjaye Associates divulgou recentemente o projeto preliminar para o Museu Edo de Arte da África Ocidental (EMOWAA). Investigando a arqueologia do Reino de Benin, incluindo as ruínas no próprio terreno do museu, o EMOWAA terá suas obras iniciadas em 2021 com apoio do Legacy Restoration Trust (LRT), organização sem fins lucrativos que contribui com projetos patrimoniais e arqueológicos, e do British Museum da Inglaterra. O projeto é apoiado, ainda, pelas comunidades locais, pelo Reino de Benin, pelo Governo do Estado de Edo, e pela Comissão Nacional de Museus e Monumentos (NCMM).

Cortesia de Adjaye AssociatesCortesia de Adjaye AssociatesCortesia de Adjaye AssociatesCortesia de Adjaye Associates+ 11

Como um espaço público pode transformar uma vizinhança inteira? A ideia de rua modelo da UN-Habitat

A Un-Habitat ou agência das Nações Unidas para assentamentos humanos e desenvolvimento urbano sustentável, cujo foco principal é lidar com os desafios da rápida urbanização, vem desenvolvendo abordagens inovadoras no campo do desenho urbano, com projetos centrados na participação ativa da comunidade. O ArchDaily se associou ao UN-Habitat para trazer notícias semanais, artigos e entrevistas que destacam este trabalho, com conteúdo direto da fonte, desenvolvido por nossos editores.

Associada ao crime, ao desperdício e ao lixo, Dandora, nos limites de Nairóbi, é o lar de cerca de 140.000 habitantes. Em uma colaboração contínua, entre moradores e grupos de jovens, a UN-Habitat, a coalizão Making Cities Together e a “Liga de Transformação de Dandora”, foi criado o projeto "Rua Modelo", que vem transformando os espaços comunitários repletos de lixo em espaços livres de resíduos, atraentes e envolventes. Com foco na melhoria dos espaços compartilhados de conjuntos residenciais, uma competição anual liderada pelos jovens do bairro, o Changing Faces Challenge, tornou-se uma iniciativa para mobilizar cidadãos em Nairóbi.

Cortesia de UN-HabitatCortesia de UN-HabitatCortesia de UN-HabitatCortesia de UN-Habitat+ 21

Criando projetos a partir de um olhar decolonial

Descolonizar. Provavelmente você já ouviu essa palavra, mas se não fizer ideia do que se trata, talvez possa imaginar que tem a ver com colonização. Nós brasileiros, conhecemos bastante o que é colonização: fomos colônia de Portugal por muito anos, falamos português, comemos bacalhau na Páscoa e somos em grande maioria católicos por conta disso.

Já entender a palavra descolonizar é compreender que a colonização não trouxe só heranças linguísticas, religiosas e culinárias, mas também envolveu muita exploração: culturas foram apagadas, líderes locais foram mortos, riquezas foram roubadas e memórias destruídas.

Projeto do escritório mexicano Roth Architecture que utiliza os princípios do Bem Viver. Imagem: IK LAB. Cortesia de O Futuro das CoisasIntervenção do Black Lives Matter, na icônica Quinta Avenida, em frente à Trump Tower. Imagem: The New Tork Times. Cortesia de O Futuro das CoisasEdifício de Freddy Mamani em El Alto na Bolívia. Foto © Alfredo ZeballosCentro do Rio de Janeiro e suas bases neoclássicas no final do século XIX. A foto mostra o Teatro Municipal, por volta de 1910. Foto: Marc Ferrez | Acervo IMS. Cortesia de O Futuro das Coisas+ 5

Para além da escala humana: ecossistemas, migrações e paisagens desumanizadas

A escala humana na arquitetura abrange desde dimensões físicas de um determinado edifício ou ambiente construído até a percepção ou experiência do espaço por meio dos sentidos. Portanto, a escala humana pode ser entendida como um parâmetro que surge do confrontamento entre o nosso corpo e o ambiente no qual estamos inseridos. Entretanto, à medida que passamos a observar a arquitetura para além da escala humana, onde a ergonometria já não mais desempenha um papel primordial na concepção do espaço e seus componentes, nos deparamos com uma série de novas tipologias arquitetônicas, as quais nos permitem refletir e repensar a maneira como concebemos nossos edifícios e espaços urbanos.

Dairy Farms & Greenhouses | Automated Landscapes. Imagem © Johannes SchwartzCaribou Pivot Stations. Imagem Cortesia de Lateral OfficeTurning Dunes into Architecture. Imagem Cortesia de Magnus LarssonData Center. Imagem Cortesia de Intel+ 13

Em busca de uma identidade para a arquitetura angolana: entrevista com o grupo BANGA

O momento talvez nunca tenha sido tão propício a investirmos nossas energias em projetos virtuais, afinal, fomos parcialmente privados do contato com o mundo concreto das coisas. Explorando a particularidade do momento atual e a potência de engajamento da internet, um grupo de arquitetas e arquitetos de Angola deu início a um trabalho ambicioso: buscar uma nova identidade para a arquitetura angolana.

Formado por Yolana Lemos, Kátia Mendes, Mamona Duca, Elsimar de Freitas e Gilson Menses, o Grupo BANGA é responsável pelo projeto Cabana de Arte, que une os esforços de jovens arquitetos e artistas de Angola em trabalhos virtuais que buscam trazer visibilidade a profissionais emergentes e aproximar a arquitetura do cotidiano das pessoas.

Leia, a seguir, a entrevista realizada com o grupo.

Projeto arquitetônico virtual para a exposição "Tchitundu-Hulu, a história resgatada". Image Cortesia de Grupo BANGAPlanta do projeto para a exposição "Mfwanana, Dialetos da Terra". Image Cortesia de Grupo BANGAProjeto arquitetônico virtual para a exposição "Eu sou o sol - as marcas perpetuadas em mim". Image Cortesia de Grupo BANGAProjeto investigativo "O Soba tem algo para dizer / O Soba vai à comunidade". Image Cortesia de Grupo BANGA+ 8

Curso "Arquiteturas do Sul Global"

Organizado por Marco Artigas e Pedro Vada, o curso tem como objetivo ampliar o repertório sobre a produção arquitetônica contemporânea levando em consideração as urgentes necessidades de novos olhares, fundamentalmente contra-hegemônicos. Temos como foco a atuação de arquitetas e arquitetos de países do Sul Global, seus repertórios e o debate sobre o que e como estão construindo nesses países. 

Carta aberta da Nigéria para o mundo: coronavírus e o futuro das cidades

Este artigo foi publicado originalmente em Common Edge.

Desde o irrompimento do surto de COVID-19 há alguns meses, eu, como muitos de vocês, passei os últimos meses trancafiado em casa, ansioso e preocupado com as consequências e desdobramentos disso tudo. Entretanto, ao invés de perturbá-los com mais previsões hipotéticas para um futuro ainda incerto, prefiro compartilhar algumas observações sobre a atual condição das cidades africanas nesta calamitosa situação que estamos vivendo. Como africano, procurarei apresentar uma perspectiva única, desprendida de limitações e fronteiras, por que, afinal de contas, esta é uma crise sanitária mundial que como tal, desconhece tais demarcações.

Universidade Obafemi Awolowo: um passeio pelo campus mais fascinante da África

The Library 1966. Imagem Cortesia de The Arieh Sharon Digital ArchiveThe Campus. Imagem Cortesia de  The Arieh Sharon Digital ArchiveThe Secretariat 1968. Imagem Cortesia de  The Arieh Sharon Digital ArchiveThe Assembly Hall 1970 . Imagem Cortesia de  The Arieh Sharon Digital Archive+ 7

Desde os mais renomados institutos de tecnologia da América do Norte a projetos residenciais no Oriente Médio, a ideologia da Bauhaus se espalhou pelo mundo junto com seus principais pensadores, exilados após o fechamento da instituição com a ascensão do nazismo no final dos anos trinta na Alemanha. Sua influência na arquitetura e no design podem ser vistos pelos quatro cantos do mundo, projetos e edifícios construídos são testemunhas do prestígio da escola de Dessau e Weimar. Enquanto a maioria dos projetos em “estilo Bauhaus” apenas reproduz a linguagem universal proposta pela escola, alguns poucos exemplos em particular, combinaram a teoria da Bauhaus com princípios de design local, resultando em uma arquitetura universal entretanto, profundamente enraizada na cultural e no clima específico do lugar onde está inserida.

Este artigo foi desenvolvido através de uma colaboração entre o ArchDaily e a Arieh Sharon Organization. Todas as imagens históricas que ilustram a matéria foram gentilmente cedidas pela Arieh Sharon Org.

Angola contemporânea: tecnologia e identidade em 4 obras de arquitetura

Angola, como muitos países da África, apresenta acelerado processo de urbanização. Um processo em grande medida desregulado que está conformando grandes cidades repletas de espaços que não atendem aos níveis mínimos de qualidade de vida para sua população. Não obstante, é notável a qualidade da arquitetura contemporânea produzida no segundo maior país de língua portuguesa, onde projetos de inspiração vernacular e forte identidade local coexistem com materiais e tecnologias atuais.

A seguir, reunimos quatro projetos contemporâneos construídos em Angola. Trata-se de uma pequena amostra da produção recente não apenas de Luanda, mas de localidades menores, que confirma a riqueza da arquitetura local - uma arquitetura que merece amplo reconhecimento internacional.

Vencedores do concurso para uma pré-escola em Moçambique

A Archstorming divulgou os projetos vencedores do concurso para uma pré-escola em Moçambique. Os participantes foram desafiados a projetar uma escola em Xai-Xai para crianças com deficiência, e a proposta vencedora será construída com a ajuda da ONG Somos del Mundo e da iniciativa local Estamos Juntos. Os jurados selecionaram cinco vencedores e dez menções honrosas.

Cortesia de ArchstormingCortesia de ArchstormingCortesia de ArchstormingCortesia de Archstorming+ 7

Costa do Marfim: a evolução da arquitetura moderna na África Ocidental

Historicamente, a Costa do Marfim é um país considerado inovador, e de alguns anos pra cá, é uma das nações da África Ocidental que tem se comprometido a desenvolver uma nova linguagem arquitetônica. Localizada entre a Gana e a Libéria, a Costa do Marfim abriga uma enorme variedade de edifícios icônicos de arquitetura modernista. Antes da colonização francesa, a Costa do Marfim fazia parte de Gyaaman, dominada pelo Império Kong e Baoulé. Ao longo dos últimos anos, os mais importantes projetos de arquitetura desenvolvidos no país procuram reinterpretar as suas referencias históricas para criar um novo modelo para o futuro.

© Iwan Baan© François-Xavier Gbré© François-Xavier Gbré© Iwan Baan+ 11

Pavilhão construído com material reciclado transforma espaço público na África do Sul

O escritório de sul-africano de arquitetura theMAAK acaba de inaugurar uma instalação de arte pública desenvolvida durante o último workshop Design & Make realizado anualmente pelo escritório na Cidade do Cabo. Chamada de Follies in the Veld (FITV), a oficina aberta promovida pelo theMAAK busca aproximar profissionais da indústria da arquitetura e a comunidade em geral, desenvolvendo projetos coletivos e inclusivos para determinados espaços da cidade. Neste ano de 2019, os participantes construíram uma grande 'folie', ou instalação de arte pública, exclusivamente com materiais reciclados.

© Sophie Zimmermann© Ella PetousisCortesia de theMAAK_FITV 2019Cortesia de theMAAK_FITV 2019+ 11

Reconstruindo Ruanda: o projeto de um novo futuro

Localizada na região dos Grandes Lagos da África centro-oriental, a Ruanda pode ser considerada um novo país, um exemplo de renascimento cultural, social e econômico depois de sofrer com décadas de guerras civis e miséria. No início dos anos noventa, um genocídio que matou cerca de oitocentas mil pessoas, chamou a atenção do mundo todo, comovendo a comunidade internacional. Mais de duas décadas após o fim da guerra civil no país, a Ruanda renasceu. A reconstrução do território e o recente desenvolvimento econômico e social viu nascer uma nova forma de arquitetura no país, profundamente enraizada na cultura local e intimamente conectada com o seu povo. Brotando da terra com o esforço de uma população unida e independente, a nova arquitetura ruandese se transformou em um catalisador da recente transformação do país. Reformas econômicas e estruturais colaboraram com a transformação do ambiente construído que, por sua vez, estão moldando o desenvolvimento da arquitetura contemporânea em todo o país.

© Bruce Engel© Elizabeth Felicella© Crookes and Jackson© Jules Toulet+ 15