1. ArchDaily
  2. Cidade

Cidade: O mais recente de arquitetura e notícia

Concurso de Capa e Submissão de Artigos para a Revista Ímpeto Nº11

Abertura do processo de submissões de artigos e Concurso de Capa da Revista Ímpeto Nº11.
A Revista Ímpeto é uma publicação com periodicidade anual, organizada pelo Programa de Educação Tutorial (PET) da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Alagoas e contempla textos de caráter informativo e reflexivo relacionados à arquitetura e cidade. Em 2021, a décima primeira edição da Ímpeto está estruturada em Eixo temático, no qual pretende-se contribuir com o debate acerca da temática: Cidades Saudáveis: urgências, perspectivas e enfrentamentos, e em Eixo Livre, espaço destinado a publicações diversas de arquitetura, urbanismo e áreas afins.

Revista Ímpeto nº11
Cidades

Reflexões sobre arquitetura: Paulo Mendes da Rocha em 5 conversas

Na madrugada do dia 23 de maio, Paulo Mendes da Rocha, arquiteto capixaba que conquistou as maiores honrarias da arquitetura mundial, nos deixou. Com um pensamento afiado e crítico, toda sua trajetória é seguida por um forte ode à cidade e ao olhar humanista. Felizmente, algumas de suas inspiradoras falas foram gravadas e, aqui, selecionamos cinco vídeos realizados na última década nos quais é possível compreender como ele refletia sobre o campo da arquitetura e urbanismo, e suas obras.

Pavilhão belga na Bienal de Veneza explora relação entre arquitetura e cidade

Com o título de Composite Presence [Presença Composta em tradução literal], o pavilhão belga da 17ª Exposição Internacional de Arquitetura - A Bienal de Veneza, irá explorar a complexa relação entre arquitetura e as cidades de Flandres e Bruxelas, a partir do tema "a memória como uma prática arquitetônica". Com curadoria de Bovenbouw Architectuur, em colaboração com o Flanders Architeture Institute, o pavilhão nacional estará aberto para visitas de 22 de maio a 21 de novembro de 2021.

© We Document Art© We Document Art© We Document Art© Bovenbouw Architectuur+ 15

Cidade aberta: estratégias de experimentação do espaço urbano

Diante das mudanças advindas da contemporaneidade, cabe aos arquitetos e urbanistas revisitar seus papéis. Na contramão de um planejamento que visa cidades cada vez mais massificadas e indiferenciáveis, é primordial que se estabeleçam práticas de resistência a fim de retomar a cidade para o pedestre. Para serem efetivas, tais práticas devem propor vínculos entre as pessoas que experienciam cotidianamente a cidade e o espaço urbano, e afastar-se de definições técnicas que pressupõem a participação popular de maneira fragmentada. Ao invés de fomentar a paranoia coletiva rumo a muralhas intransponíveis em busca de segurança excessiva, a cidade deve acompanhar a tecnologia na direção da abertura, do open-source, da colaboração e construção coletiva. A rua, além de sua função prática de conexão, deve potencializar vivências: espaço do acaso, reflexão, e, principalmente, apropriação.

Organizações de São Paulo exigem que revisão do Plano Diretor seja participativa e democrática mesmo com a pandemia

Cento e vinte organizações da sociedade civil (ONGs, Institutos, Fundações, coletivos e Movimentos Sociais) que atuam pelo direito à cidade, enviaram uma carta aberta ao Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, exigindo que o processo de revisão do Plano Diretor Estratégico (PDE) de São Paulo seja conduzido pela Prefeitura Municipal garantindo o pleno exercício da participação social, respeitando os princípios da democracia, da soberania popular e da transparência, mesmo em meio à pandemia.

O cenário da pandemia pode gerar cidades caminháveis?

Dois meses e onze dias após o início de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia por Covid-19. Para conter a ameaça que estava se alastrando, pessoas e autoridades tiveram que criar estratégias coletivas e mudar seus comportamentos. Esta batalha entre vírus e humanidade também colocou em xeque a existência e manutenção de uma das criações humanas mais importantes: as cidades.

Como símbolo do ambiente onde acontecem encontros casuais entre pessoas diferentes e experiências diversas, as pessoas governando ambientes urbanos foram desafiadas a convencer e, em alguns casos, forçar sua população a ficar em casa como principal medida para conter o contágio.

Foster + Partners vence concurso na China com proposta que mescla transporte sustentável e paisagem

O escritório britânico Foster + Partners apresentou seu projeto vencedor para um novo distrito urbano na China: o Guangming Hub, localizado na ferrovia de alta velocidade que conecta Hong Kong, Shenzhen e Guangzhou. A proposta de Desenvolvimento Orientado ao Transporte Sustentável oferece uma “cidade inteligente que respalda o fluxo de pessoas e bens com infraestrutura robusta, redes de transporte eficazes, serviços públicos confiáveis e vegetação exuberante”.

© Foster + Partners© Foster + Partners© Foster + Partners© Foster + Partners+ 7

Conversas de Arquitetura - Ciclo de Palestras e Oficinas de Arquitetura e Urbanismo 2020/2

Ciclo de Palestras e Oficinas de Arquitetura e Urbanismo promovido pelo curso de Arquitetura e Urbanismo da Unisociesc de Florianópolis.

Data:
18 e 19 de novembro

Palestrantes:

Ingrid Zambrana
José Armênio Brito Cruz
Rosa Camargo Artigas
José Darós
Jonas Silvestre Medeiros

Henning Larsen projeta novo plano diretor para a cidade de Wolfsburg, na Alemanha

Criando novos padrões para uma cidade mais conectada e habitável, o escritório Henning Larsen projetou um novo plano diretor para Wolfsburg, Alemanha. Selecionada em 2019 através de um concurso que contou com a participação do UNStudio e do Bjarke Ingels Group, a proposta de Henning Larsen terá sua primera fase concluída até 2023.

Cortesia de Henning LarsenCortesia de Henning LarsenCortesia de Henning LarsenCortesia de Henning Larsen+ 6

MVRDV projeta o novo Centro de Ciência e Tecnologia de Chengdu, China

MVRDV revelou as primeiras imagens do "Sky Valley" de Chengdu, projeto para o concurso da Cidade de Ciência e Tecnologia no sudoeste da China. A proposta vencedora apresenta “uma cidade habitável na paisagem da comunidade rural Linpan”, fundindo tecnologia e natureza, urbano e rural, modernidade e tradição. Localizado em uma das cidades emergentes da China, o projeto equilibra as necessidades da região por meio de um fluxo de trabalho computacional desenvolvido pelo grupo de tecnologia MVRDV NEXT.

© ATCHAINCortesia de MVRDVCortesia de MVRDVCortesia de MVRDV+ 10

Pavilhões urbanos: 10 estruturas que fomentam a interação humana

© Nick Zukauskas© Åke Eson LindmanCortesia de AirMesh PavilionCortesia de Gentiana Pallaska+ 27

Habitantes das grandes cidades, tendemos a ser arrastados para um estilo de vida acelerado. Rodeados de edifícios e infraestruturas de grande porte, podemos facilmente perder de vista os espaços fundamentais que nos conectam ao nosso bairro e nos proporcionam raros momentos de tranquilidade e lazer. A apropriação do meio ambiente que habitamos torna-se uma circunstância incomum.

Em cidades onde os espaços públicos são frequentemente esquecidos ou mal utilizados, a necessidade de estruturas adequadas à escala humana é fundamental. Para promover a participação cívica, recreação, socialização e tornar a cidade mais habitável e agradável para seus cidadãos, um recurso barato e rápido tem sido a criação de pavilhões ou instalações – microarquiteturas que oferecem a possibilidade de uma rápida fuga do cotidiano urbano. 

SOM projeta distrito financeiro ecológico em Shenzhen, China

Buscando estabelecer fortes conexões entre o urbano e a natureza, tradição e inovação e economia e cultura, o escritório SOM projetou um masterplan para a Área Central do Distrito de Guangming, Shenzhen, China. Uma nova referência de desenvolvimento ecologicamente integrado, o projeto conduirá o crescimento urbano previsto para a região.

Cortesia de SOMCortesia de SOMCortesia de SOMCortesia de SOM+ 17

III Encontro Arte, Cidade e Urbanidades

O terceiro encontro bienal Arte, Cidade e Urbanidades pretende refletir sobre as disputas e redimensionamentos sociais, políticos e imaginários das urbanidades no atual cenário do Brasil e da América Latina, para estimular uma discussão de ações que surgem na interação entre corpos, territórios e experiências em espaços públicos. Em um momento de sobreposição de diferentes crises, desejamos pensar as reformulações e caminhos das estratégias artísticas em espaços urbanos na busca de proposições crítico-reflexivas que lidam com os desafios e as fronteiras da arte no contexto urbano. Nesse sentido, pretende-se refletir sobre as atuais urgências e emergências do espaço

Corpo e memória: a mulher no território urbano

Pensando na trajetória de ocupação da cidade de São Paulo e na busca pela produção de um urbanismo universal e democrático é importante entender o papel e o movimento das mulheres no contexto urbano, principalmente nas periferias da cidade. Aqui trataremos do bairro do Jardim Damasceno e seus espaços em movimento – as escadarias – entendendo como esses corpos se expressam nesse contexto, quais são suas ações e transformações e como a questão de gênero é percebida por esses corpos.

Sem titulo, foto analógica, 2018 | Canon 50mm | produção própriaSem titulo, foto analógica, 2018 | Canon 50mm | produção própriaSem titulo, foto analógica, 2018 | Canon 50mm | produção própriaAs meninas, 2018, desenvolvida para ensaio fotográfico do livro Memória Urbana | Canon 50mm | produção própria+ 8

Amsterdã em transformação: quatro projetos do KAAN Architecten que reconfiguram a capital holandesa

O escritório holandês de arquitetura, KAAN Architecten, tem se firmado ao longo dos últimos anos como um estúdio comprometido em investigar e desenvolver projetos capazes de proporcionar um melhor futuro para as nossas cidades. Trabalhando em estreita colaboração com as autoridades locais de Amsterdã, a maioria dos projetos desenvolvidos pelo escritório na capital holandesa têm abordado questões relacionados à sustentabilidade urbana e ambiental em busca de novas soluções para a arquitetura de alta densidade.

The Stack . Image Cortesia de KAAN ArchitectenDe Walvis. Image Cortesia de KAAN ArchitectenSPOT. Image Cortesia de KAAN ArchitectenAmsterdam Courthouse. Image Cortesia de KAAN Architecten+ 21

O gatilho e a tempestade: conversa com José Fernando Peixoto sobre violências a corpos negros e as dinâmicas da cidade

Em conversa na Escola da Cidade, na disciplina Seminário de Cultura e Realidade Contemporânea, coordenada pelo professor José Guilherme Pereira Leite; o filósofo, sociólogo e dramaturgo José Fernando Peixoto se baseia em dois acontecimentos de 1968 – o assassinato do estudante secundarista Edson Luís no Rio de Janeiro e o assassinato de Martin Luther King – para discutir lógicas sobre o corpo negro e como isso pode ser também percebido em dinâmicas de controle e opressão na cidade.