1. ArchDaily
  2. cidade

cidade: O mais recente de arquitetura e notícia

Temporada de cursos de verão 2024 do IAB-RJ

Sejam bem vindos e bem vindas a Temporada de Verão 2024 de cursos.

O Programa de Educação Continuada do Departamento do Rio de Janeiro do Instituto de Arquitetos do Brasil foi criado para compartilhar conhecimentos e perspectivas diversas sobre a cidade contemporânea, matéria prima essencial para a construção de cidades mais inclusivas e acessíveis, socialmente mais justas e economicamente mais vibrantes e sustentáveis.

Nosso objetivo é compartilhar experiências de professores com atuação destacada em diversas áreas para oportunizar o necessário aprimoramento constante na formação profissional de arquitetos, urbanistas, paisagistas, designers, engenheiros, estudantes e interessados em arquitetura e urbanismo.
Vejam abaixo a lista

Costurando Subjetividades

_O QUE É?
Costurando Subjetividades é um espaço de experimentação, pesquisa coletiva e práticas colaborativas que se desenham a partir de um percurso pela teoria das cinco peles do artista plástico, ativista e escritor austríaco Friedensreich Hundertwasser.

Nesta segunda edição, serão cinco encontros, referentes às cinco peles componentes do ser humano que o autor propõe: a epiderme/corpo, a vestimenta, a casa, a identidade social/paisagem, e o planeta. A proposta é investigar e discutir corpo, casa e cidade a partir de experiências artísticas e poéticas que trabalharão a sensibilização do corpo em relação ao espaço, costurando a “teoria das cinco peles” com as

6ª Edição do Premio Félix Candela: "Injerto"

O Prémio Félix Candela é um concurso internacional de ideias de arquitetura em espanhol, em duas fases. É convocado anualmente pelo Instituto Espanhol de Arquitectura (IESARQ) e dirige-se a todos os estudantes de arquitetura, arquitetura paisagista, urbanismo e desenho, bem como arquitetos, arquitetos paisagistas, urbanistas e jovens designers, individualmente ou formando equipas de dois ou três membros.

Projetos de arquitetura e paisagismo que solucionaram problemas de acesso à água potável e saneamento urbano

A falta de água potável e saneamento adequado é uma problemática que ainda afeta milhões de pessoas em todo o mundo e, mesmo no século XXI, uma grande parcela da população ainda carece de pleno acesso a tais recursos básicos. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) apontam que cerca de 3 em cada 10 pessoas, o equivalente a 2,1 bilhões de pessoas em todo o mundo, não possuem acesso à água potável em casa, e cerca de 60% da população global, não tem acesso a sistemas de saneamento adequados e geridos de forma segura, mesmo os que residem em áreas urbanizadas.

Projetos de arquitetura e paisagismo que solucionaram problemas de acesso à água potável e saneamento urbano - SustentabilidadeProjetos de arquitetura e paisagismo que solucionaram problemas de acesso à água potável e saneamento urbano - SustentabilidadeProjetos de arquitetura e paisagismo que solucionaram problemas de acesso à água potável e saneamento urbano - SustentabilidadeProjetos de arquitetura e paisagismo que solucionaram problemas de acesso à água potável e saneamento urbano - SustentabilidadeProjetos de arquitetura e paisagismo que solucionaram problemas de acesso à água potável e saneamento urbano - Mais Imagens+ 2

Curso "O Projeto de Arquitetura da Paisagem"

Viemos comunicar que nosso próximo curso do Programa de Educação Continuada do IAB-RJ já tem data para acontecer!

Curso O Projeto de Arquitetura da Paisagem (teórico com visita técnica ao Sítio Burle Marx) - professor Eduardo Barra.

. As terças-feiras, dias 06, 13, 20, 27 de junho, 04 e 11 de julho - 14hs às 18hs.
. Acontecerá no Auditório do IAB-RJ (Beco do Pinheiro, 10, Flamengo, na esquina com a Rua Dois de Dezembro, atrás do Largo do Machado).

Cronograma das aulas:

AULA 1 Paisagem – paisagem natural e cultural; Paisagismo e arquitetura da paisagem; Arquitetura da paisagem e o tempo; Jardins

A postura do arquiteto contemporâneo: Como podemos transformar o futuro das cidades?

No dia 24/05, às 17hrs, Greg Bousquet, um dos fundadores da Triptyque Architecture, hoje à frente da ARCHITECTS OFFICE (AO), agência internacional de arquitetura, urbanismo e interior design com sedes em São Paulo e Lisboa, expõe sobre como a arquitetura pode, em diálogo com o setor da construção, atuar por um melhor futuro das cidades.
Trabalhando pelo propósito de promover espaços que exaltam o bem-estar, edificações resilientes e cidades mais democráticas, Greg apresenta a postura e pensamento contemporâneo que consolidou nos últimos sete anos, e que formaram a AO. Uma visão pragmática e contemporânea sobre os caminhos atuais da profissão.

A

Encontros sobre fotografia e arquitetura, com Manuel Sá + Ana Mello e Joana França

A fotografia de arquitetura e cidades existe ha quase 200 anos. De 1826 para ca, o impacto, debate e relevância sobre o tema só aumentou, pois uma fotografia relevante, afinal, levanta mais perguntas que respostas.

Como a produção fotográfica voltada para os espaços construidos e alterados retrata e possivelmente transforma a arquitetura e a cidade?

Quais profissionais estão tensionando os limites desse tipo de fotografia, tanto em trabalhos comissionados quanto autorais?

Quais tecnologias utilizam e quais produtos finais, num mundo físico e digital, são apresentados?

O curso, dividido em duas partes, oferece um primeiro encontro sobre o panorama atual da fotografia de arquitetura e

A importância de uma iluminação pública sensível ao gênero

O gênero é uma camada de desigualdade incontestável nas cidades, que marca, de maneira muito distinta e efetiva, a experiência e o cotidiano de homens e mulheres no ambiente urbano. Um dos elementos cruciais na tentativa de garantir espaços mais inclusivos e igualitários é a iluminação pública, que não costuma ser pensada sob uma perspectiva de gênero.

Espaços públicos mal iluminados reforçam o sentimento de medo nesses ambientes, e devem ser repensados para que promovam cidades mais seguras, especialmente para as mulheres. Uma vez que, atualmente, mais da metade da população mundial vive em áreas urbanas — um cenário que só tende a aumentar —, como podemos tornar os espaços públicos mais seguros e confortáveis para que possam ser plenamente usufruídos e acessados por todas e todos? 

Engenheiros não deveriam ser os únicos a projetar ruas

Sou um engenheiro de software (comumente chamado de programador). Criar um software envolve muitas funções diferentes. Empresas diferentes têm funções diferentes e nomes diferentes para as funções, mas tipicamente isso envolve engenheiros de software, gerentes de produto e designers de UX (user experience, ou experiência do usuário).

Cada função tem seus próprios pontos fortes e sua própria responsabilidade. Os gerentes de produto identificam as necessidades do usuário e ditam o que devemos construir. Os designers de UX determinam a aparência do produto — o layout, telas diferentes, texto, imagens, marca, etc. Os engenheiros de software fazem a implementação real: eles resolvem os problemas técnicos necessários para construir o produto.

Engenheiros não deveriam ser os únicos a projetar ruas - Image 1 of 4Engenheiros não deveriam ser os únicos a projetar ruas - Image 2 of 4Engenheiros não deveriam ser os únicos a projetar ruas - Image 3 of 4Engenheiros não deveriam ser os únicos a projetar ruas - Image 4 of 4Engenheiros não deveriam ser os únicos a projetar ruas - Mais Imagens+ 15

Abrindo espaço para as pessoas: equipamentos comunitários no Brasil

Equipamentos comunitários são espaços destinados à interação social, onde pessoas buscam lazer e informação. Sejam centros culturais ou comunitários, esse tipo de equipamento tem como principal objetivo reunir as pessoas, criando oportunidades de interação em um ambiente coletivo de cuidado e vizinhança. 

Abrindo espaço para as pessoas: equipamentos comunitários no Brasil - Image 1 of 4Abrindo espaço para as pessoas: equipamentos comunitários no Brasil - Image 2 of 4Abrindo espaço para as pessoas: equipamentos comunitários no Brasil - Image 3 of 4Abrindo espaço para as pessoas: equipamentos comunitários no Brasil - Image 4 of 4Abrindo espaço para as pessoas: equipamentos comunitários no Brasil - Mais Imagens+ 4

O que é densidade urbana e quais são suas vantagens e desvantagens?

Cada vez mais pessoas vivem em espaços urbanos. O Relatório das Cidades Mundiais 2022, da ONU Habitat, revela que esse índice passou de 25% em 1950 para mais de 50% em 2020 e a estimativa para as próximas cinco décadas é que ele chegue a 58%. O levantamento indica ainda que até 2070 o número de municípios em países de baixa renda aumentará em 76% enquanto que nas nações de renda alta e média-baixa essa elevação ficará em cerca de 20%. O estudo observa também que esse cenário mostra a urgência das localidades serem projetadas e gerenciadas de maneira que o seu crescimento futuro não sobrecarregue a infraestrutura, as áreas abertas e os serviços existentes — levando a uma expansão insustentável.

Exigência de vaga de garagem: a pior venda casada da história?

A venda casada é um dos grandes problemas relativos ao direito do consumidor e costuma ser proibida na maioria das economias de mercado. Ela acontece quando o vendedor condiciona a comercialização de um produto ou serviço à compra de outro. No Brasil, o código de Defesa do Consumidor, no artigo, 39, inciso 1.º,condena expressamente tal artifício. Por sua vez, a Lei 12.529/2011, a qual estrutura o sistema brasileiro de defesa da concorrência, em seu art. 36, inciso XVIII, estabelece que a venda casada constitui uma infração da ordem econômica.

A morte das lojas de rua e seu impacto nas cidades

Um endereço ideal pressupõe conveniência, atendimento das necessidades básicas de produtos e serviços a uma simples caminhada. O café da manhã na base do prédio, o “vou ali na farmácia”, o puxar o carrinho abarrotado de frutas, o descer no sábado para cortar o cabelo, o levar o pet na pracinha da esquina. A saúde de uma cidade passa pela frequência de pessoas caminhando em espaços públicos, com senso de comunidade, sensação de segurança, civilidade e capacidade de consumo para as necessidades básicas. E a loja nessa caminhada é um estímulo vital.

As Torres de Babel de Nova York

O mundo está diante de um século urbano. A população mundial está desmoronando nos centros das cidades, pois a indústria e a agricultura precisam de menos humanos, já que a tecnologia substitui a mão humana por máquinas. A população urbana mundial cresceu de 751 milhões em 1950 para 4,46 bilhões em 2021, e crescerá para 6,68 bilhões em 2050.

Enquanto arquitetos e designers querem definir e controlar o futuro de nossas cidades, a realidade imediata da cidade de Nova York, agora, é uma lição sobre o que pode ser nosso futuro. Sua resposta pode ser vista pelo advento da The Tower no tecido de Manhattan.

O que é solo criado? Conceitos e exemplos na cidade

É comum encontrar em Planos Diretores (PD) e em Leis de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo (LPUOS), o conceito de Solo Criado, que torna possível a implementação de alguns instrumentos urbanísticos, como a Outorga Onerosa do Direito de Construir (OODC) e a Transferência do Direito de Construir. Mas o que é Solo Criado?