1. ArchDaily
  2. Pegada de carbono

Pegada de carbono: O mais recente de arquitetura e notícia

“Podemos transformar a profissão repensando como servir a sociedade”: uma conversa com Ronald Rael

Compreender uma disciplina a partir de múltiplas perspectivas e interseções é essencial para adquirir uma compreensão profunda dela. Na arquitetura, a diversidade de abordagens para seu estudo enriquece nossa percepção, permitindo-nos apreciar sua complexidade por diferentes ângulos. Para estudantes e profissionais, explorar aspectos como história, fontes de materiais e produtos, processos de construção, implementação de novas tecnologias e desafios sociais contemporâneos é crucial. Esses aspectos se entrelaçam e expandem a noção convencional de "arquitetura", transcendendo a mera criação de edifícios ou a definição de espaços.

Ronald Rael, um arquiteto e titular da Cadeira Memorial Eva Li em Arquitetura na Universidade da Califórnia, Berkeley, exemplifica essa visão por meio de sua prática, que abrange desde pesquisa até a conexão de práticas tradicionais e indígenas de materiais com tecnologias e questões contemporâneas. Como ativista e arquiteto, os interesses de pesquisa de Rael exploram fabricação aditiva, estudos de muros de fronteira e construção com terra. Co-fundador de Rael San Fratello, Emerging Objects e Forust, sua prática mostra uma abordagem à arquitetura altamente relevante nos tempos contemporâneos.

Estados Unidos planejam estabelecer meta nacional para edifícios de emissão zero

Em um esforço para encontrar estratégias eficazes para mitigar os efeitos adversos das mudanças climáticas, a administração de Biden-Harris divulgou um rascunho de uma nova iniciativa legislativa que se esforça para impor uma Meta Nacional para Edifícios de Emissão Zero. Supervisionado pelo Departamento de Energia dos EUA (DOE), o rascunho propõe uma base padronizada e verificável para definir as condições mínimas comuns para tais edifícios, bem como caminhos para verificações transparentes por entidades públicas e privadas. O DOE lançou agora uma "solicitação de informações" pedindo feedback da indústria, academia, laboratórios de pesquisa e outros interessados antes de finalizar o documento.

Estados Unidos planejam estabelecer meta nacional para edifícios de emissão zero - Image 1 of 4Estados Unidos planejam estabelecer meta nacional para edifícios de emissão zero - Image 2 of 4Estados Unidos planejam estabelecer meta nacional para edifícios de emissão zero - Image 3 of 4Estados Unidos planejam estabelecer meta nacional para edifícios de emissão zero - Image 4 of 4Estados Unidos planejam estabelecer meta nacional para edifícios de emissão zero - Mais Imagens+ 1

Descarbonização e soluções regionais: os principais temas da arquitetura para a COP28

Em 30 de novembro teve início em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, a COP28, a cúpula climática da ONU. O evento consiste no encontro anual de governos nacionais e tem como objetivo de estabelecer estratégias para limitar a extensão da crise climática e seus efeitos adversos. A cúpula do ano passado definiu várias medidas importantes, incluindo a promessa de um fundo global destinado a fornecer ajuda financeira a países em desenvolvimento afetados por desastres climáticos.

O propósito principal da COP é reforçar os compromissos do Acordo de Paris, assinado em 2015, que busca manter o aumento da temperatura global abaixo de 1,5ºC. Como a indústria da construção é responsável por 39% das emissões globais, a arquitetura desempenha um papel vital na redução da pegada de carbono, tornando a COP28 um evento crucial para os arquitetos.

Descarbonização e soluções regionais: os principais temas da arquitetura para a COP28 - Image 1 of 4Descarbonização e soluções regionais: os principais temas da arquitetura para a COP28 - Image 2 of 4Descarbonização e soluções regionais: os principais temas da arquitetura para a COP28 - Image 3 of 4Descarbonização e soluções regionais: os principais temas da arquitetura para a COP28 - Image 4 of 4Descarbonização e soluções regionais: os principais temas da arquitetura para a COP28 - Mais Imagens+ 1

Inovações e o potencial dos painéis de CPC na descarbonização da construção civil: entrevista com Josef Kurath

Os painéis de concreto CPC são resultado da tecnologia de "concreto protendido com carbono", que teve sua origem em um extenso projeto de pesquisa realizado em colaboração entre a Universidade de Ciências Aplicadas de Zurique (ZHAW) e a empresa Silidur AG, sediada em Andelfingen. Esses painéis são reforçados com fios de carbono pré-tensionados, o que possibilita que sejam significativamente mais finos e leves, mantendo a mesma capacidade de carga dos painéis reforçados convencionais.

A abordagem inovadora da CPC na fabricação de painéis de concreto reduz o consumo de materiais em 75% e minimiza a pegada de carbono na produção de concreto. O ArchDaily entrevistou o Professor Josef Kurath, do Departamento de Design de Arquitetura e Engenharia Civil da Universidade de Ciências Aplicadas de Zurique (ZHAW), que desempenhou um papel crucial no desenvolvimento desses painéis de concreto. Na entrevista, discutimos sua perspectiva sobre a descarbonização na arquitetura e as motivações que impulsionaram a criação dos painéis da CPC. Além disso, comparamos o CPC com o concreto tradicional e as possibilidades de escalabilidade e acessibilidade no futuro.

Inovações e o potencial dos painéis de CPC na descarbonização da construção civil: entrevista com Josef Kurath - Image 1 of 4Inovações e o potencial dos painéis de CPC na descarbonização da construção civil: entrevista com Josef Kurath - Image 2 of 4Inovações e o potencial dos painéis de CPC na descarbonização da construção civil: entrevista com Josef Kurath - Image 3 of 4Inovações e o potencial dos painéis de CPC na descarbonização da construção civil: entrevista com Josef Kurath - Image 4 of 4Inovações e o potencial dos painéis de CPC na descarbonização da construção civil: entrevista com Josef Kurath - Mais Imagens+ 7

Edifícios neutros em carbono são caros?

A descarbonização do setor da construção já não é uma escolha, e sim, uma necessidade. À medida que as nações se esforçam para reduzir suas emissões de gases de efeito estufa até 2050, está cada vez mais claro que os padrões de construção atuais não vão longe o suficiente para promover mudanças tangíveis. Alcançar metas climáticas requer que as economias defendam medidas que impulsionem a neutralidade de carbono, ao mesmo tempo em que gerenciam os custos associados de forma eficaz. Como as estratégias de desempenho neutro em carbono impactariam os custos de construção?

Edifícios neutros em carbono são caros? - Image 1 of 4Edifícios neutros em carbono são caros? - Image 2 of 4Edifícios neutros em carbono são caros? - Image 3 of 4Edifícios neutros em carbono são caros? - Image 4 of 4Edifícios neutros em carbono são caros? - Mais Imagens+ 1

Carbono incorporado no setor imobiliário: a contribuição oculta para as mudanças climáticas

A janela para resolver a mudança climática está se estreitando; qualquer solução deve incluir o carbono incorporado. O Sexto Relatório de Avaliação publicado pelo IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) concluiu que o mundo poderia emitir apenas 500 gigatoneladas a mais de dióxido de carbono, contados a partir de janeiro de 2020, se quisermos ter 50% de chance de ficar abaixo de 1,5 grau. Somente em 2021, o mundo emitiu cerca de 36,3 gigatoneladas de carbono, a maior quantidade já registrada. Estamos no caminho para estourar nosso orçamento de carbono nos próximos anos e, segundo o relatório, “as escolhas e ações implementadas nesta década terão impactos agora e durante milhares de anos.”

Foster + Partners começa obras da sede da BENCH em Manila

O projeto da Foster + Partners para a BENCH, uma das maiores marcas de roupas das Filipinas, começou a ser construído em Manila. O edifício de 24 pavimentos abrigará escritórios, estúdios de design, espaços para eventos e todas os equipamentos necessários para criar um ambiente agradável para os funcionários da empresa, afirmam os arquitetos. Localizado no eixo leste-oeste da Bonifacio Global City, o edifício se abre no térreo para criar uma conexão visual com o espaço verde do entorno.

Foster + Partners começa obras da sede da BENCH em Manila - Image 1 of 4Foster + Partners começa obras da sede da BENCH em Manila - Image 2 of 4Foster + Partners começa obras da sede da BENCH em Manila - Image 3 of 4Foster + Partners começa obras da sede da BENCH em Manila - Image 4 of 4Foster + Partners começa obras da sede da BENCH em Manila - Mais Imagens

O que é madeira engenheirada?

A madeira é o concreto do futuro. Provavelmente você já deve ter ouvido essa frase, visto que, as apostas nas construções em madeira estão cada vez mais altas. Entretanto, não estamos falando das técnicas construtivas tradicionais que utilizam madeira, mas sim, desse conhecido material aliado à tecnologia de ponta.

O que é madeira engenheirada? - Image 1 of 4O que é madeira engenheirada? - Image 2 of 4O que é madeira engenheirada? - Image 3 of 4O que é madeira engenheirada? - Image 4 of 4O que é madeira engenheirada? - Mais Imagens+ 7

OMA / David Gianotten e Circlewood desenvolvem sistema modular de madeira para escolas em Amsterdã

Como parte do consórcio Circlewood, o OMA, encabeçado por David Gianotten e Michel den Otter, desenvolveu um sistema modular para construir escolas que podem se adaptar e transformar ao longo de sua vida útil. O sistema foi escolhido pela cidade de Amsterdã para ser usado na construção de várias escolas nos próximos dez anos, como parte do programa Innovation Partnership School Buildings. A iniciativa visa construir escolas "de alta qualidade, flexíveis e sustentáveis" como forma de contribuir para a meta da cidade de se basear totalmente na economia circular até 2050.

OMA / David Gianotten e Circlewood desenvolvem sistema modular de madeira para escolas em Amsterdã - Image 1 of 4OMA / David Gianotten e Circlewood desenvolvem sistema modular de madeira para escolas em Amsterdã - Image 2 of 4OMA / David Gianotten e Circlewood desenvolvem sistema modular de madeira para escolas em Amsterdã - Image 3 of 4OMA / David Gianotten e Circlewood desenvolvem sistema modular de madeira para escolas em Amsterdã - Image 4 of 4OMA / David Gianotten e Circlewood desenvolvem sistema modular de madeira para escolas em Amsterdã - Mais Imagens+ 1

Dia da Terra 2023: cidades abordam crise climática iniciativas comunitárias e engenharia inovadora

Todo ano, desde a sua criação em 1970, o Dia da Terra tem como objetivo destacar não só os efeitos cada vez mais ameaçadores das mudanças climáticas, mas também as medidas eficazes e as iniciativas de adaptação que podem melhorar a qualidade do nosso ambiente. O evento deste ano ocorreu após um relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU em março, que apresentou outro alerta sobre a magnitude das mudanças produzidas pelo aquecimento global induzido pelo homem e seu impacto nas pessoas e ecossistemas.

O mesmo relatório também traz perspectivas otimistas, mostrando que medidas de adaptação podem construir resiliência, mas transformações urgentes em todo o sistema são necessárias para garantir um futuro net-zero. Em resposta a essas descobertas, o tema do Dia da Terra de 2023 é "Investindo em Nosso Planeta" – um incentivo para governos, instituições, empresas e sociedade civil acelerarem a mudança. A seguir, conheça iniciativas em nível municipal alinhadas com esses objetivos de construir resiliência e um futuro mais sustentável por meio de legislação, envolvimento cívico e sistemas inovadores.

Dia da Terra 2023: cidades abordam crise climática iniciativas comunitárias e engenharia inovadora - Image 1 of 4Dia da Terra 2023: cidades abordam crise climática iniciativas comunitárias e engenharia inovadora - Image 2 of 4Dia da Terra 2023: cidades abordam crise climática iniciativas comunitárias e engenharia inovadora - Image 3 of 4Dia da Terra 2023: cidades abordam crise climática iniciativas comunitárias e engenharia inovadora - Image 4 of 4Dia da Terra 2023: cidades abordam crise climática iniciativas comunitárias e engenharia inovadora - Mais Imagens+ 2

CARE, uma ferramenta digital para comparar as emissões de construções novas e de reuso

A reforma e a reutilização adaptativa têm estado na vanguarda do discurso arquitetônico nos últimos anos. Isso demonstra que a profissão está cada vez mais consciente de seu impacto no meio ambiente e das oportunidades de reaproveitar o que já foi construído. A Architecture 2030 lançou recentemente o CARE, ou Carbon Avoided Retrofit Estimator, uma nova ferramenta digital que permite que arquitetos, proprietários e comunidades quantifiquem a reutilização adaptativa. Ao inserir um conjunto simplificado de informações do projeto, como metas de energia e possíveis intervenções na construção, os usuários podem estimar rapidamente as emissões operacionais de carbono geradas pelo uso do edifício e as emissões de carbono incorporadas que estão vinculadas aos materiais de construção empregados.

CARE, uma ferramenta digital para comparar as emissões de construções novas e de reuso - Image 1 of 4CARE, uma ferramenta digital para comparar as emissões de construções novas e de reuso - Image 2 of 4CARE, uma ferramenta digital para comparar as emissões de construções novas e de reuso - Image 3 of 4CARE, uma ferramenta digital para comparar as emissões de construções novas e de reuso - Image 4 of 4CARE, uma ferramenta digital para comparar as emissões de construções novas e de reuso - Mais Imagens+ 3

Aeroporto abandonado em Atenas será transformado no maior parque costeiro da Europa

O Aeroporto Internacional de Atenas foi desativado em 2001 e levou duas décadas para o governo local reunir fundos e estabelecer diretrizes para transformar os 242 hectares (600 acres) não utilizados no maior parque costeiro da Europa. O escritório de arquitetura Sasaki está liderando o projeto de transformação para criar o Parque Metropolitano Ellinikon, que contará com diversos equipamentos de uso público e um centro cultural para a cidade de Atenas.

Aeroporto abandonado em Atenas será transformado no maior parque costeiro da Europa - Image 1 of 4Aeroporto abandonado em Atenas será transformado no maior parque costeiro da Europa - Image 2 of 4Aeroporto abandonado em Atenas será transformado no maior parque costeiro da Europa - Image 3 of 4Aeroporto abandonado em Atenas será transformado no maior parque costeiro da Europa - Image 4 of 4Aeroporto abandonado em Atenas será transformado no maior parque costeiro da Europa - Mais Imagens+ 22

Lina Ghotmeh projetará o Serpentine Pavilion 2023 visando reduzir a pegada de carbono

A arquiteta Lina Ghotmeh, nascida em Beirute e radicada em Paris, foi selecionada para projetar o 22º Serpentine Gallery Pavilion. Intitulada À Table, expressão francesa que significa "sentar juntos para comer", sua proposta apresenta uma estrutura esguia de madeira com nove pétalas plissadas sustentadas por nervuras radiais. Dentro do pavilhão, um anel de mesas e bancos convida os visitantes a entrar, sentar e relaxar, comer ou trabalhar juntos. De acordo com a arquiteta, o espaço modesto e a cobertura baixa visam fazer com que as pessoas se sintam próximas à terra. O Serpentine Pavilion receberá o públcio de junho a outubro de 2023.

Lina Ghotmeh projetará o Serpentine Pavilion 2023 visando reduzir a pegada de carbono - Image 1 of 4Lina Ghotmeh projetará o Serpentine Pavilion 2023 visando reduzir a pegada de carbono - Image 2 of 4Lina Ghotmeh projetará o Serpentine Pavilion 2023 visando reduzir a pegada de carbono - Image 3 of 4Lina Ghotmeh projetará o Serpentine Pavilion 2023 visando reduzir a pegada de carbono - Image 4 of 4Lina Ghotmeh projetará o Serpentine Pavilion 2023 visando reduzir a pegada de carbono - Mais Imagens

Nova ferramenta baseada na web ajuda arquitetos no planejamento climático de edifícios sustentáveis

A EHDD lançou recentemente a ferramenta Early-Phase Integrated Carbon (EPIC), um novo aplicativo gratuito baseado na web desenvolvido para que os arquitetos definam metas e estratégias para reduzir as emissões de carbono nos projetos e construções. A ferramenta visa preencher uma lacuna no processo de avaliação do ciclo de vida e permitir aos projetistas identificar as medidas de maior impacto no início da concepção do projeto. Ao mesmo tempo, outros recursos como Tally e EC3 são vistos como cruciais mais tarde no desnvolvimento.

Nova ferramenta baseada na web ajuda arquitetos no planejamento climático de edifícios sustentáveis - Image 1 of 4Nova ferramenta baseada na web ajuda arquitetos no planejamento climático de edifícios sustentáveis - Image 2 of 4Nova ferramenta baseada na web ajuda arquitetos no planejamento climático de edifícios sustentáveis - Image 3 of 4Nova ferramenta baseada na web ajuda arquitetos no planejamento climático de edifícios sustentáveis - Image 4 of 4Nova ferramenta baseada na web ajuda arquitetos no planejamento climático de edifícios sustentáveis - Mais Imagens+ 2

Redesenhando o caminho para uma arquitetura neutra em carbono: entrevista com CO Adaptive Architecture

A crise climática reformulou a arquitetura contemporânea. A sustentabilidade se tornou uma força orientadora importante no projeto e, por sua vez, os arquitetos estão repensando como devem construir. Para o escritório CO Adaptive Architecture, abordar a crise climática começa com uma prática orientada a processos. Juntos, Ruth Mandl e Bobby Johnston criaram uma empresa que incorpora como uma abordagem baseada em valores pode abordar as questões mais urgentes de nosso tempo. O resultado é uma arquitetura elegante e impactante trazida à vida com equilíbrio e finesse.

Redesenhando o caminho para uma arquitetura neutra em carbono: entrevista com CO Adaptive Architecture - Arch Daily EntrevistasRedesenhando o caminho para uma arquitetura neutra em carbono: entrevista com CO Adaptive Architecture - Arch Daily EntrevistasRedesenhando o caminho para uma arquitetura neutra em carbono: entrevista com CO Adaptive Architecture - Arch Daily EntrevistasRedesenhando o caminho para uma arquitetura neutra em carbono: entrevista com CO Adaptive Architecture - Arch Daily EntrevistasRedesenhando o caminho para uma arquitetura neutra em carbono: entrevista com CO Adaptive Architecture - Mais Imagens+ 4

Studio Gang e Urban Villages projetam primeiro hotel carbono positivo nos Estados Unidos

Para comemorar o Dia da Terra, Urban Villages e Studio Gang revelaram o "Populus", o primeiro hotel com carbono positivo nos Estados Unidos. Com inauguração prevista para o final de 2023, o hotel de 265 quartos em Denver possui um restaurante e bar na cobertura, projetado como um marco significativo para o futuro das viagens sustentáveis que atendem às necessidades dos visitantes, da comunidade e do meio ambiente.

Studio Gang e Urban Villages projetam primeiro hotel carbono positivo nos Estados Unidos - Image 1 of 4Studio Gang e Urban Villages projetam primeiro hotel carbono positivo nos Estados Unidos - Image 2 of 4Studio Gang e Urban Villages projetam primeiro hotel carbono positivo nos Estados Unidos - Image 3 of 4Studio Gang e Urban Villages projetam primeiro hotel carbono positivo nos Estados Unidos - Image 4 of 4Studio Gang e Urban Villages projetam primeiro hotel carbono positivo nos Estados Unidos - Mais Imagens+ 1

Jardins verticais podem contribuir para uma arquitetura neutra em carbono?

Jardins verticais podem contribuir para uma arquitetura neutra em carbono? - Imagem de Destaque
London's Largest "Living Wall" / Gary Grant. Image Courtesy of Green Roof Consultancy and Treebox

Um edifício neutro em carbono é alcançado quando a quantidade de emissões de CO2 é equilibrada por iniciativas positivas para o clima, de modo que a pegada líquida de carbono ao longo do tempo seja zero. Considerando sua capacidade inigualável de absorver CO2, plantar árvores é muitas vezes visto como a melhor solução de compensação de carbono. Mas à medida que as cidades se tornam mais densas e a quantidade de espaço horizontal disponível para áreas verdes reduz drasticamente, os arquitetos têm sido forçados a explorar outras abordagens. Para enfrentar esses desafios climáticos e conectar as pessoas à natureza, as paredes verdes externas tornaram-se uma tendência crescente em cidades cada vez mais verticais. Embora haja pesquisas para afirmar que estes podem impactar positivamente o meio ambiente, muitos questionam se eles podem realmente contribuir para uma arquitetura neutra em carbono. A resposta pode ser bastante complexa, mas parece apontar para: até certo ponto através de um bom projeto.

Entendendo as escalas de emissões de carbono: quem causa os maiores impactos?

A pegada de carbono e emissões de CO2 são assuntos importantes em nossas conversas sobre como criar um futuro mais sustentável. Ao longo do tempo, diferentes empresas, organizações e indivíduos prometeram alterara seus estilos de vida e hábitos para realizar mudanças que mostrem que eles são dedicados a combater as mudanças climáticas. Especialmente no setor de design, no qual edifícios geram quase 40% das emissões anuais de CO2 entre operações diárias e construção/demolição, os arquitetos há muito tempo sentem a pressão de explorar novas maneiras e provar que estão fazendo sua parte.

Quando examinamos diferentes escalas de emissões, uma pergunta normalmente vem à tona: como podemos medir diferentes níveis de impacto? É nossa responsabilidade individual reciclar e nunca mais usar canudos de plástico? Será que isso tem um grande impacto?  Será que mais fabricantes de carros precisam encontrar alternativas para automóveis abastecidos por gasolina? Será que os arquitetos precisam apenas encontrar materiais sustentáveis? Quais são medidas factíveis que provocam um impacto verdadeiro?