1. ArchDaily
  2. Cobertura Verde

Cobertura Verde: O mais recente de arquitetura e notícia

Lajes impermeabilizadas com água? Entenda a solução desenvolvida por Brasil Arquitetura

Durante o período moderno observou-se a mudança do protagonismo dos edifícios que utilizavam os tradicionais telhados inclinados com telhas, escoando as águas o mais rápido possível, para dar lugar às conhecidas ‘lajes planas impermeabilizadas’. Ao mesmo tempo que essa solução proporciona uma estética limpa e austera ao projeto, proporcionando a utilização da última laje como um espaço de estar e contemplação, ela pode ser uma tremenda dor de cabeça aos futuros ocupantes da edificação, quando a execução e o detalhamento não forem cuidadosos. Não é por acaso que histórias de infiltrações em famosos edifícios modernos são conhecidas, como na Ville Savoye e na Casa Farnsworth, de grandes mestres da arquitetura. Atualmente, a indústria da construção civil já desenvolveu produtos e técnicas mais sofisticadas que reduzem drasticamente as possibilidades de infiltrações posteriores. Mas pode-se dizer que lajes planas impermeablizadas continuam sendo pontos frágeis nas edificações. O escritório Brasil Arquitetura aprimorou uma solução inventiva e muito simples para evitar infiltrações em lajes planas, muito usada na década de 70 por arquitetos como Paulo Mendes da Rocha, Vilanova Artigas e Ruy Ohtake, preenchendo-as com vegetação. Conversamos com eles para entender melhor o sistema.

MVRDV projeta edifício comercial escalonado com terraços jardins na China

O MVRDV acaba de apresentar o seu mais novo projeto, um edifício comercial escalonado com terraços jardins a ser construído na cidade de Xangai, China. Desenvolvido para a empresa de tecnologia aplicada à agricultura, a Lankuaikei Agriculture Development (LAD), o edifício encontra-se situado em uma nova área de expansão urbana de Xangai e está composto por onze pavimentos escalonados cobertos por uma série de jardins acessíveis. Além disso, buscando transparecer a visão de uma empresa dedicada ao desenvolvimento de novas tecnologias aplicadas à agricultura, a estrutura conta com uma cobertura curva de alta tecnologia que acompanha a topografia construída do edifício. Incorporando uma série de princípios e critérios de sustentabilidade, o projeto desenvolvido pelo escritório holandês apropria-se de sua topografia escalonada para criar inúmeros jardins cultiváveis e acessíveis, incorporando diversos sistemas de energias renováveis e apropriando-se de materiais com baixo teor de carbono.

MVRDV projeta edifício comercial escalonado com terraços jardins na ChinaMVRDV projeta edifício comercial escalonado com terraços jardins na ChinaMVRDV projeta edifício comercial escalonado com terraços jardins na ChinaMVRDV projeta edifício comercial escalonado com terraços jardins na China+ 9

Uma nova camada de espaços públicos: explorando as coberturas dos edifícios

A medida que os ambientes urbanos se tornam cada vez mais densos, é preciso aproveitar ao máximo cada centímetro quadrado de área disponível. Pensando nisso, arquitetos e arquitetas do mundo todo recentemente descobriram o enorme potencial das coberturas existentes dos edifícios urbanos, na maioria das vezes, espaços subutilizados e de difícil acesso. Além do mais, coberturas e telhados chegam a somar juntas até 25% da área de superfície total disponível em uma cidade. Podendo ser utilizadas tanto como áreas verdes e cultiváveis quanto como espaços públicos e acessíveis, estes jardins suspensos estão sendo pouco a pouco incorporados à infraestutura urbana de várias cidades ao redor do mundo. Neste contexto, este artigo procura analisar em profundidade o real potencial desta estratégia para a criação de uma nova camada de espaços públicos acessíveis em cidades densamente ocupadas.

Uma nova camada de espaços públicos: explorando as coberturas dos edifíciosUma nova camada de espaços públicos: explorando as coberturas dos edifíciosUma nova camada de espaços públicos: explorando as coberturas dos edifíciosUma nova camada de espaços públicos: explorando as coberturas dos edifícios+ 10

As diversas escalas de "verde" no urbanismo chinês

O confinamento forçado, resultado da política de isolamento da pandemia global de COVID-19, fez com que todos passassem um bom tempo olhando pela janela. Às vezes, quando estamos exaustos com o trabalho e a vida cotidiana, desejamos apenas uma fuga rápida para oceanos e florestas, em algum lugar perto da natureza.

Casas brasileiras: 13 terraços que ampliam a conexão com o exterior

Casas brasileiras: 13 terraços que ampliam a conexão com o exteriorCasas brasileiras: 13 terraços que ampliam a conexão com o exteriorCasas brasileiras: 13 terraços que ampliam a conexão com o exteriorCasas brasileiras: 13 terraços que ampliam a conexão com o exterior+ 14

Ao imaginar a cobertura de um edifício ganhando uso, dificilmente se pensa nas residências unifamiliares. Tornar habitável o último nível das construções nem sempre é uma opção ou destacado como uma possibilidade, assim, perde-se a oportunidade de criar espaços de contemplação e encontro, que permitem uma relação maior com o exterior e o próprio clima. Aqui reunimos 13 exemplos de terraços realizados em casas brasileiras que demonstram como este espaço pode ser utilizado independente de seu tamanho.

Como incorporar jardins e hortas em projetos residenciais

Como incorporar jardins e hortas em projetos residenciaisComo incorporar jardins e hortas em projetos residenciaisComo incorporar jardins e hortas em projetos residenciaisComo incorporar jardins e hortas em projetos residenciais+ 42

Os jardins internos podem contribuir com importantes benefícios para a vida doméstica, variando da beleza estética à melhoria da saúde e da produtividade. Pesquisas mostraram que plantas nos interiores das edificações ajudam a eliminar os poluentes do ar, os chamados de compostos orgânicos voláteis (COV), liberados de colas, móveis, roupas e solventes, conhecidos por causar doenças. Eles também aumentam as percepções subjetivas de concentração e satisfação, bem como medidas objetivas de produtividade. Jardins internos podem até reduzir o uso de energia e os custos devido à menor necessidade de circulação de ar. Esses benefícios complementam as óbvias vantagens estéticas de um jardim bem projetado, tornando o jardim interno um recurso residencial atraente em várias frentes.

Edifício-paisagem: mercado de alimentos do MVRDV começa a ser construído em Taiwan

O MVRDV inovou em um mercado atacadista de frutas e vegetais em Tainan, Taiwan. Definido por um telhado verde acessível e com terraços, o mercado ao ar livre servirá como um importante centro na cadeia de fornecimento de Taiwan e um destino para reuniões, socialização e observação da paisagem circundante.

Chamado de “Mercado de Frutas e Vegetais de Tainan Xinhua”, o projeto do MVRDV transforma um aspecto muitas vezes prosaico da indústria de alimentos em uma experiência pública com os alimentos e a natureza. Localizado em uma posição estratégica entre a cidade e as montanhas, com boas conexões com transportes públicos, o edifício fica em um ponto conveniente para os comerciantes, compradores e visitantes.

Edifício-paisagem: mercado de alimentos do MVRDV começa a ser construído em TaiwanEdifício-paisagem: mercado de alimentos do MVRDV começa a ser construído em TaiwanEdifício-paisagem: mercado de alimentos do MVRDV começa a ser construído em TaiwanEdifício-paisagem: mercado de alimentos do MVRDV começa a ser construído em Taiwan+ 4

Facebook prestes a ocupar sua nova filial na região de King's Cross em Londres

A empresa Facebook está se mudando para novos escritórios em Londres, na região de King's Cross. A gigante das mídias sociais ocupará 55.000 metros quadrados de área comercial em três edifícios, chamados de 11 e 21 Canal Reach, projetados por Bennetts Associates, e P2, desenhado por Allford Hall Monaghan Morris.

O acordo entre o Facebook e a King Cross Central Limited Partnership (KCCLP), firmado no dia 23 de julho, representa um dos compromissos mais significativos em Londres na última década, abrangendo cerca de 15% dos 370.000 metros quadrados comerciais de King's Cross.

Proposta de C.F. Møller vence concurso para nova estação de trem em Hamburgo

Agindo tanto como um “marco visionário e um catalisador urbano”, a proposta de C.F. Møller Architects para uma nova estação ferroviária em Altona, Hamburgo, enfatiza a importância do espaço verde no tecido urbano da cidade. O projeto terá vários usos, desde cafés, restaurantes e lojas até escritórios e academias de ginástica. Seu telhado ondulado "incorpora uma visão coletiva e progressiva de reforçar as credenciais ecológicas de Hamburgo".

Proposta de C.F. Møller vence concurso para nova estação de trem em HamburgoProposta de C.F. Møller vence concurso para nova estação de trem em HamburgoProposta de C.F. Møller vence concurso para nova estação de trem em HamburgoProposta de C.F. Møller vence concurso para nova estação de trem em Hamburgo+ 6

Cobe projeta novo centro de visitantes e produção da cervejaria LERVIG da Noruega

Em breve, os moradores de Stavanger, Noruega, poderão o processo de fabricação da cerveja LERVIG em seu novo centro de visitantes e produção projetado pelo escritório dinamarquês COBE. Localizado em um antigo pier industrial, o edifício oferecerá uma série de novos serviços e espaços no centro de Stavanger, como jardins e um mercado de rua. Destes pontos, os visitantes poderão observar os tanques e o processo e fermentação acontecendo no interior do edifício.

13 Espetaculares Telhados Jardim em Detalhe

Nos cinco pontos de arquitetura moderna do Le Corbusier, ele defende a inclusão de telhados planos que abriguem jardins, proporcionando um valioso espaço ao ar livre para os habitantes do edifício, a fim de substituir o terreno perdido para a construção do edifício. Mas, embora este reconhecimento do espaço exterior fosse importante para as pessoas, os jardins esculturais de telhado de concreto de Le Corbusier eram um pequeno consolo para a flora e fauna que foram deslocadas por suas obras.

Os recentes melhoramentos na nossa compreensão dos ecossistemas e do ambiente, bem como uma melhor compreensão científica das necessidades das plantas, mudaram drasticamente. Nas últimas décadas, telhados verdes explodiram em popularidade, e agora adornam todo tipo de edifício.

Reunimos alguns excelentes exemplos desses terraços jardim, incluindo o detalhamento estrutural que os torna possíveis. Saiba mais sobre essa técnica que gera benefícios ambientais, incluindo a redução do escoamento de águas pluviais, reduções no uso de energia elétrica e o efeito de ilhas de calor.

13 Espetaculares Telhados Jardim em Detalhe13 Espetaculares Telhados Jardim em Detalhe13 Espetaculares Telhados Jardim em Detalhe13 Espetaculares Telhados Jardim em Detalhe+ 47

James Corner Field Operations projeta cobertura jardim no Brooklyn, Nova Iorque

O escritório James Corner Field Operations concluiu uma cobertura jardim de aproximadamente 520 m² no Brooklyn, em Nova Iorque. O jardim se localiza no topo de um complexo residencial de dezessete pavimentos projetado pelo escritório Leeser Architecture e idealizado pela Two Trees Management. O novo terraço oferece aos moradores uma vista panorâmica para a Ponte do Brooklyn, para a Ponte de Manhattan, para o East River e para o skyline de Manhattan.

Recife aprova lei que torna obrigatórias as coberturas verdes em edifícios com mais de 4 pavimentos

Na esteira da aprovação da nova lei francesa que estipula a obrigatoriedade das coberturas verdes em qualquer nova edificação comercial construída em território nacional, a cidade de Recife aprovou na última segunda-feira, 13 de abril, uma lei semelhante, que obriga a implementação de vegetação na cobertura de qualquer novo edifício com mais de 4 pavimentos e área construída superior a 400 metros quadrados.

Visando aumentar a quantidade de áreas verdes e reduzir o efeito de ilha de calor, a Câmara Municipal da quinta maior cidade brasileira sancionou a Lei Municipal 18.112/2015, que estipula diretrizes para o plantio degramas, hortaliças, arbustos, arbusto e árvores de pequeno porte nas lajes dos edifícios.

A implicação social das coberturas verdes no cinema

O cinema frequentemente faz troça da arquitetura. Fachadas de vidro são despedaçadas por rajadas de metralhadora, crimes macabros acontecem contra uma paleta modernista branca, escadas desconstruídas são a causa de sérios acidentes ou palhaçadas ridículas, e temos certeza que uma cobertura têxtil será destroçada assim que 007 passar por ela. 

Há, no entanto, um elemento arquitetônico que tem se beneficiado de suas aparições no cinema, e, surpreendentemente, é um elemento "sustentável". Coberturas verdes e outros espaços verdes têm aparecido frequentemente em filmes comerciais na última década: sucessos de bilheteria como Para Sempre (2012) e Contra o Tempo (2011) utilizam em suas cenas os espaços verdes do Jay Pritzker Pavilion de Frank Gehry no Millenium Park; ano passado o Centro de Convenções de Vancouver apareceu em Godzilla e Robocop; e o documentário My Playground, de Kaspar Schroder, mostra as Mountain Dwellings do BIG em Copenhague. E não podemos nos esquecer de duas das maiores franquias da história do cinema: Senhor dos Anéis e O Hobbit, ambas de Peter Jackson, mostram coberturas verdes em sua representação de Hobbiton - lar dos virtuosos e incurruptíveis Hobbits.

Centro de visitantes Giants Causeway / Heneghan & Peng Architects

Bernts Have Daycare Center / Henning Larsen Architects

Cortesia Henning Larsen Architects

Escola de Tijolos Reciclados Tongjiang / Rufwork