Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Ruy Ohtake

Ruy Ohtake: O mais recente de arquitetura e notícia

Ruy Ohtake, Marcos Acayaba e Guilherme Wisnik: Conversa Contra os chapadões meu nariz

A Casa da Arquitectura, através da programação da exposição Infinito Vão, convidou um grupo de arquitetos de diferentes gerações presentes na exposição sobre 90 anos de arquitetura brasileira para uma série de conversas sediadas no Instituto Moreira Salles, em São Paulo. Os arquitetos Ruy Ohtake e Marcos Acayaba participaram desse evento tendo como mediador um dos curadores da exposição, Guilherme Wisnik.

Ruy Ohtake: "A população gosta muito dos meus trabalhos, mas os arquitetos, não"

Imagem cortesia de Instituto Tomie Ohtake
Imagem cortesia de Instituto Tomie Ohtake

Formado em 1960, Ruy Ohtake atua na prática arquitetônica há mais de cinco décadas, tendo trabalhado juntamente com outros grandes nomes da arquitetura brasileira, como Vilanova Artigas e Paulo Mendes da Rocha. Até meados da década de 1980, sua produção se caracteriza por projetos bem alinhados com o que se produzia então em São Paulo - uma arquitetura notadamente brutalista, pautada por poucos materiais e um vocabulário bem definido.

Tal pai, tal filho: 20 arquitetos e arquitetas que seguiram a profissão do pai

Em qualquer profissão é comum que filhos sigam a carreira dos pais, motivados pelo contexto em que cresceram e contagiados pela paixão pela profissão. Na arquitetura não poderia ser diferente. Viver rodeado de croquis, plantas e café parece despertar a vontade de seguir a mesma carreira.

Por razão do dia dos pais comemorado no Brasil neste próximo domingo, 12 de agosto, compilamos uma lista de arquitetos e arquitetas que seguiram os passos de seus pais. Confira a seguir:

Arquitetura Social: o mal-entendido que levou Ruy Ohtake a Heliópolis em São Paulo

A história do conjunto habitacional dos “Redondinhos”, em Heliópolis, São Paulo, começou com uma fala mal interpretada de Ruy Ohtake. Em 2003, uma revista publicou a seguinte declaração atribuída ao prestigiado arquiteto e urbanista: “O que acho mais feio em São Paulo é Heliópolis”. Depois de ver a reportagem, Ohtake esclareceu que a intenção foi dizer que o mais feio na cidade era a diferença entre bairros ricos e pobres – “a diferença entre o bairro do Morumbi e Heliópolis, a maior favela”, corrigiu.

Mobiliários projetados por arquitetos brasileiros

A frente de trabalho de um arquiteto é quase sempre marcada pelo insaciável desejo por desenhar tudo, da maior à menor escala na tentativa de assumir o controle integral do projeto. Como dizia Mies Van Der Rohe, “Deus está nos detalhes”. E, para uma extensa lista de arquitetos, conceber o mobiliário especialmente à composição de suas obras, tornou-se fundamental.

Ao longo da história da Arquitetura brasileira, especialmente desde o Modernismo, arquitetos destacaram-se não apenas no desenho de residências e edifícios, mas também, pelos minuciosos projetos de mobiliários. Muitos nasceram para compor projetos específicos e posteriormente, pela notoriedade assumida, passaram a ser produzidos em série pela indústria.

Cadeira Isa d’aprés siza_Marcenaria Baraúna. Image Cortesia de Dpot Cadeira Nóize_Guto Requena. Image Cortesia de Guto Requena Poltrona Bowl_Lina Bo Bardi. Image © Nelson Kon Poltrona Paulistano_Paulo Mendes da Rocha. Image Cortesia de Dpot + 55

São paulo receberá mais um espaço cultural: A Casa de Tomie

Tomie Ohtake, uma das mais consagradas artistas plásticas a atuar no Brasil, que faleceu em fevereiro do ano passado no alto de seus 101 anos, deixou muitas marcas pela cidade de São Paulo; e parece que mais um legado a artista marcará o cenário cultural da cidade.

A casa no Campo Belo, construída no final da década de 60 e assinada pelo filho Ruy Ohtake, foi palco de diversos encontros ilustres e visitada por nomes como José Saramago e Oscar Niemeyer. Seus jardins são presente de Burle Marx e por todo lado a arte respira livre, em meio a objetos deixados por Tomie e que permanecem exatamente onde ela deixou.

Canal Arte 1 lança série “Arquitetos Brasileiros"

Lançada recentemente, a série “Arquitetos Brasileiros” – uma coprodução do Arte 1 com a Aiuê Produtora – traz o perfil profissionais consagrados da arquitetura nacional. A produção intercala artistas de diferentes gerações, narrando um pouco de sua trajetória profissional e suas principais referências, e conta com depoimentos dos próprios profissionais, além de entrevistas com especialistas que detalham algumas obras e comentam o processo criativo dos arquitetos.

Instituto Tomie Ohtake apresenta a mostra "Ruy Ohtake, imprevisibilidades, desenho e mobiliário"

Concebida por ocasião do BOOMSPDESIGN 2015, que homenageia Ruy Ohtake como designer do ano, e do Design Weekend, eventos que acontecem na cidade buscando dar visibilidade às relações entre design, arquitetura e urbanismo, a exposição Ruy Ohtake, imprevisibilidades, desenho e mobiliário explicita vertentes desse diálogo. Além de revelar como arquitetura e mobiliário estão inter-relacionados na linguagem do arquiteto, a mostra reforça o propósito do Instituto Tomie Ohtake em promover iniciativas que apontem as especificidades e contaminações entre esses campos.

Críticas e comentários sobre o Prêmio Pritzker de Shigeru Ban

Ontem convidamos alguns críticos ilustres e colegas de Ban a refletir sobre a conquista do Prêmio Pritzker pelo arquiteto japonês. Curadores, arquitetos, e escritores elogiaram a abordagem e convicção de Ban, descrevendo o que seu trabalho significa para a comunidade arquitetônica. Leia a seguir comentários do co-fundador da Architecture for Humanity Cameron Sinclair, curadores do MoMA Barry Bergdoll e Pedro Gadanho, colegas de classe da Cooper Union, Nanako Umemoto e Jesse Reiser, de Reiser + Umemototo, Márcio Kogan, Ruy Ohtake, entre outros.

Clássicos da Arquitetura: Residência Tomie Ohtake / Ruy Ohtake