Ampliar imagem | Tamanho original
Os jardins internos podem contribuir com importantes benefícios para a vida doméstica, variando da beleza estética à melhoria da saúde e da produtividade. Pesquisas mostraram que plantas nos interiores das edificações ajudam a eliminar os poluentes do ar, os chamados de compostos orgânicos voláteis (COV), liberados de colas, móveis, roupas e solventes, conhecidos por causar doenças. Eles também aumentam as percepções subjetivas de concentração e satisfação, bem como medidas objetivas de produtividade. Jardins internos podem até reduzir o uso de energia e os custos devido à menor necessidade de circulação de ar. Esses benefícios complementam as óbvias vantagens estéticas de um jardim bem projetado, tornando o jardim interno um recurso residencial atraente em várias frentes. No entanto, os jardins internos exigem muitas condições para garantir que cresçam sem problemas. Essas condições também variam dependendo do tipo de planta que está sendo cultivada e dos métodos em que são exibidas. Para abordar essas considerações, compilamos abaixo uma lista introdutória de requisitos, tipos de plantas mais comuns e configurações espaciais. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar