1. ArchDaily
  2. Arquitetura Industrial

Arquitetura Industrial: O mais recente de arquitetura e notícia

Expansão urbana e cidades fantasmas: o impacto da mineração no ambiente construído

Muitas das cidades que conhecemos hoje, não apenas foram fundadas a séculos mas cresceram e floresceram devido a uma série de diferentes razões. Alguns dos mais importantes assentamentos humanos e urbanos se desenvolveram devido à sua proximidade com a água, como no o caso de Dar es Salaam, atualmente uma das mais importantes cidades portuárias da África Oriental. Outras famosas capitais do mundo foram planejadas e construídas do zero muito mais recentemente, como no caso do Brasil e também da Nigéria. Existem ainda cidades e até regiões criadas para servir a um determinado setor da economia ou industria, como é o caso do Vale do Silício, no estado americano da Califórnia. Entre a infinidade de distintas razões que podem provocar o surgimento ou o desenvolvimento de uma determinada cidade, existe uma que no entanto, foi capaz não apenas de criá-las da noite para o dia, mas também de destruí-las em um curto espaço de tempo.

Cidade Fantasma de Randsburg, Califórnia, EUA. Imagem © Wikimedia User inkknife_2000 under the under the Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic licenseCidade Fantasma de Calico, San Bernardino County, Califórnia, EUA. Imagem © Wikimedia User (WT-de) Mistoffeles under the under the Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic licenseCidade Fantasma de Calico, San Bernardino County, Califórnia, EUA. Imagem © Wikimedia User InSapphoWeTrust under the under the Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 Generic licenseCidade Fantasma de Goldfield em meio ao antigo território Apache, Arizona, EUA. Imagem © Wikimedia User Bernard Gagnon under the under the Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported license+ 9

Quinta da Faísca / Carlos Castanheira

© Fernando Guerra |  FG+SG© Fernando Guerra |  FG+SG© Fernando Guerra |  FG+SG© Fernando Guerra |  FG+SG+ 33

Paisagens industriais: fábricas de grande escala vistas de cima

Em termos históricos, a industrialização é um processo no qual o setor industrial se torna dominante em uma economia por meio da substituição dos processos e técnicas artesanais, visando principalmente o aumento da produtividade e a consequente geração de riqueza. Essa produção serial, mecânica e padronizada gera transformações profundas não somente nos modos de vida e relações sociais, mas também, e principalmente, implica uma enorme mudança na paisagem urbana.

Created by @overview Source imagery: @maxartechnologiesCreated by @overview Source imagery @maxartechnologiesCortesia de Daily OverviewCortesia de Daily Overview+ 11

Elementos modulares na arquitetura industrial

Terminal de Cruzeiros de Sevilha Fase 2 / Hombre de Piedra Arquitectos + Buró 4. Foto: © Jesús GranadaGalpão Branco / Atelier 111 Architekti. Foto: © Alex Shoots BuildingsPorto Terrestre Mariposa / Jones Studio. Foto: © Bill TimmermanIndústria Palenque Milagrito / Ambrosi I Etchegaray. Foto: © Onnis Luque+ 27

O projeto de arquitetura industrial usualmente exige uma instalação rápida, com elementos de fácil manutenção e um espaço versátil que possa abrigar distintos usos. Portanto, não é difícil encontrar o uso de elementos modulares em suas construções, por se tratar de uma solução que contempla essas premissas, além de adicionar um forte componente na linguagem criada para o edifício. 

É hora de começar a pensar em edifícios industriais de madeira?

Possivelmente as edificações industriais sejam as que melhor exemplificam a célebre frase proferida por Louis Sullivan de que “a forma segue a função”. Geralmente, elas se tratam de edificações funcionais, eficientes, de construção rápida e sem ornamentos. É por isso que, ao estudarmos o patrimônio industrial das cidades e países, somos capazes de entender sobre os materiais locais, as tecnologias e tradições construtivas da época, além de relembrar o passado da indústria. As fábricas de tijolos vermelhos da Inglaterra logo vêm à mente, bem como os lanternins nos telhados utilizados para proporcionar iluminação natural às fábricas e muitas outras soluções típicas. Estruturas metálicas e de concreto pré-moldado atualmente são as mais utilizadas por conta da combinação entre eficiência construtiva, custo e possibilidade de vãos expressivos. Muitas vezes, estes galpões industriais também caracterizam-se por serem extremamente frios e impessoais, além de conterem uma pegada de carbono considerável. Mas a experiência do Canadá, nos últimos anos, chama a atenção. Há cada vez mais aceitação de edifícios de madeira para programas industriais.

Arquitetura (des)industrial: 8 projetos que ressignificam o espaço da máquina

Há poucos episódios tão importantes para a história da arquitetura e do urbanismo quanto foi a Revolução Industrial. Para acomodar a estrutura produtiva que transformou o capitalismo a partir do século XVIII, foi criado todo um sistema de espaços que compreendia, para além das fábricas, centros de processamento de matérias-primas, núcleos de geração e distribuição de energia, armazéns de estocagem e terminais de transporte. No que diz respeito às cidades, tal processo não apenas resultou na destinação de grandes porções do território para acolher as atividades industriais, mas numa transformação multissistêmica que abrangeria as formas de morar, ocupar e deslocar-se no meio urbano.

Centro Equestre / Carlos Castanheira & Clara Bastai

© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG+ 55

Leça da Palmeira, Portugal

Resgatando o passado: que futuro podem ter os gasômetros desativados?

Considerados marcos paisagísticos por suas imponentes dimensões, os gasômetros surgiram no contexto da Revolução Industrial e estiveram presentes em muitas cidades ao redor do mundo, acompanhando seu processo de urbanização. Com as mudanças na geração e distribuição de gás na segunda metade do século XX e surgimento de novas tecnologias, os gasômetros foram gradualmente desativados. Embora muitos tenham sido condenados à demolição nos últimos anos, muitos também ainda permanecem no tecido urbano e são testemunhas de um passado industrial. Seu potencial para intervenções arquitetônicas, artísticas e paisagísticas nos leva a questionar quais seriam as possibilidades para seu futuro.

Vejlskovgaard Stable / LUMO Architects

Cortesia de LUMO ArchitectsCortesia de LUMO ArchitectsCortesia de LUMO ArchitectsCortesia de LUMO Architects+ 18

  • Arquitetos: LUMO Architects; LUMO Architects
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área :  8800
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano :  2012

Uma pista de testes na cobertura: a arquitetura industrial da Fábrica da Fiat em Lingotto

O projeto para a fábrica da Fiat no bairro de Lingotto, em Turim (Itália), foi realizado pelo engenheiro Giacomo Mattè-Trucco em 1915. A construção começou no ano seguinte e foi feita em etapas, até a sua conclusão em 1923. Inspirada no fordismo, modelo de fabricação surgido nos Estados Unidos nos anos 1910, a fábrica foi projetada de forma que a linha de montagem dos automóveis fosse ascendente. Ao chegar à cobertura, os automóveis estavam prontos para serem testados numa pista com extensão de aproximadamente 1km.

Estúdio de Esculturas Xiang Jing + Qu Guangci / aterlier100s+1

© Zeng Renzhen© Zeng Renzhen© Zeng Renzhen© Zeng Renzhen+ 21

  • Arquitetos: aterlier100s+1; aterlier100s+1
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área :  1257
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano :  2013

Novas Formas de Indústria: Shed #19 por Andrea Oliva Architetto

© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu+ 23

Pesquisa é a chave para o projeto Shed #19 de Andrea Oliva— não apenas porque essa antiga fábrica foi transformada em um pólo tecnológico para investigação industrial, mas também porque a proposta arquitetônica usa a pesquisa como uma maneira de identificar as possíveis transformações no edifício. Neste caso, a rica história industrial e do lugar é considerada essencial na remodelação; e o projeto depende da compreensão de seu significado.

Mega projeto de regeneração industrial na China traz lições para o mundo

Em todo o mundo, as cidades estão se rebelando contra a indústria pesada. Embora algumas razões variem dependendo das circunstâncias locais, um impulso global comum em direção à energia limpa, a mudança das economias desenvolvidas para os serviços financeiros, a automação e a economia GIG, estão deixando um rastro comum nos centros urbanos. De Pequim a Detroit, vastas estruturas de aço e concreto permanecerão como relíquias vazias da era do metal e do carvão.

A questão sobre o que fazer com esses terrenos baldios, com fornos defuntos, ferrovias, chaminés e lagos, pode ser uma das principais questões urbanas que as próximas gerações de arquitetos enfrentarão. O que pode ser feito quando a impraticabilidade dos complexos industriais, e a preciosa terra que ocupam desnecessariamente, colide com a energia incorporada, as memórias e as histórias que poucos gostariam de perder?

Cortesia de CCTN DesignCortesia de CCTN DesignCortesia de CCTN DesignCortesia de CCTN Design+ 20

Residência NO. 46 / FCHY architect lab

© Yi-Hsien Lee Photography© Yi-Hsien Lee Photography© Yi-Hsien Lee Photography© Yi-Hsien Lee Photography+ 36

  • Arquitetos: FCHY architect lab; FCHY architect lab
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área :  407
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano :  2017
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes :  Chieftain, Dakin, GFC Toshiba, Rolf Benz, Sankyo, +1

Remodelação e Ampliação de uma indústria em funcionamento

Este artigo é parte da nossa nova série "Material em Foco", onde os arquitetos compartilham conosco o processo de criação através da escolha de materiais que definem parte importante da construção de seus projetos.

O maior desafio do projeto consistia na renovação em larga escala de todas as edificações, implicando uma complexa reorganização das áreas de trabalho da empresa, mantendo-se totalmente operacional ao longo de todo o processo de construção.Nós conversamos com o arquiteto Hugo Pinho Santos do ateliê Proj3ct para saber mais sobre a escolha dos materiais e do papel determinante que desempenhou em seu conceito de projeto.

Clássicos da Arquitetura: Torre Eiffel / Gustave Eiffel

O mundo nunca havia visto nada como a graciosa forma de ferro que surgiu do Champ de Mars de Paris no final da década de 1880. A "Torre Eiffel", construída como uma instalação temporária para a Exposição Universal de 1889, tornou-se uma sensação imediata por sua aparência sem precedentes e altura extraordinária. Tem superado por muito tempo a sua vida pretendida e tornou-se não apenas um dos marcos mais populares de Paris, mas uma das estruturas mais reconhecíveis na história humana.

Clássicos da Arquitetura: Torre Eiffel / Gustave EiffelDomínio Público. Agosto de 1888Domínio Público. Dezembro de 1887Clássicos da Arquitetura: Torre Eiffel / Gustave Eiffel+ 11

Inapal Metal / Menos é Mais Arquitectos

© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG© Fernando Guerra | FG+SG+ 23

Casa MT / GLR Arquitectos

© Jorge Taboada© Jorge Taboada© Jorge Taboada© Jorge Taboada+ 28

Monterrey, México
  • Arquitetos: GLR Arquitectos; GLR Arquitectos
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área :  1900
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano :  2015