1. ArchDaily
  2. Renovação

Renovação: O mais recente de arquitetura e notícia

Renovação do Resort Dorshada / ACA Architects

© DOF Sky|Ground© DOF Sky|Ground© DOF Sky|Ground© DOF Sky|Ground+ 31

  • Arquitetos: ACA Architects
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  4000
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: AutoDesk, COTTO, FAMELINE, TOA, Trimble Navigation

Estação de Canoagem de Alvega / ateliermob

© Francisco Nogueira© Francisco Nogueira© Francisco Nogueira© Francisco Nogueira+ 17

  • Arquitetos: ateliermob
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  320
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2010

UNStudio conclui obras de reforma da sede da Hanwha em Seul

O UNStudio acaba de concluir as obras de reforma da sede da Hanwha em Seul, enquanto a edificação permaneceu totalmente ocupada. As operações de reforma criaram um estabelecimento moderno que atende aos requisitos atuais de sustentabilidade.

Cortesia de UNStudioCortesia de UNStudioCortesia de UNStudioCortesia de UNStudio+ 19

Renovação e Ampliação do Hotel MINHO / ,i

© Nelson Garrido© Nelson Garrido© Eva Sousa © Eva Sousa + 58

  • Arquitetos: Virgula i
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2014
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Tons de Pedra, panoramah!®

Albergue iD Town / O-office Architects

© Chaos.Z© Chaos.Z© Chaos.Z© Chaos.Z+ 18

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  1800
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2014

Residência Vegana / Block Architects

© Quang Tran© Quang Tran© Quang Tran© Quang Tran+ 35

  • Arquitetos: Block Architects
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  60
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2014

Reforma Conjunto Residencial Jakeli / MOZHAO ARCHITECTS

Elevador do bloco B após a reforma. Imagem © Chao ZhangÁrea de lazer na cobertura após a reforma. Imagem © Chao ZhangÁrea de recepção da sala de estar pública. Imagem © Chao ZhangFachada do bloco B. Imagem © Chao Zhang+ 32

  • Arquitetos: MOZHAO ARCHITECTS
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  10000
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Nippon

Heatherwick divulga projeto de renovação no centro histórico de Praga

O Heatherwick Studio, com sede em Londres, apresentou planos para projetar seu primeiro empreendimento na República Tcheca, no centro histórico de Praga. O projeto busca recuperar um importante terreno a partir da mistura de comércio, escritórios e espaços públicos.

Dormitório Tsukiji H / Yuichi Yoshida & associates

© Katsumi Hirabayashi© Katsumi Hirabayashi© Katsumi Hirabayashi© Katsumi Hirabayashi+ 18

Azatlyk - Praça Central de Naberezhnye Chelny / DROM

© Dmitry Chebanenko© Evgeny Evgrafov© Evgeny Evgrafov© Evgeny Evgrafov+ 22

Naberezhnye Chelny, Rússia
  • Arquitetos: DROM
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  7
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Adobe, AutoDesk, Chaos Group, Kammenyj Vek, Trimble

David Chipperfield projeta renovação de edifício histórico na Piazza San Marco de Veneza

A renovação do edifício histórico Procuratie Vecchie, em Veneza, por David Chipperfield Architects, está programada para começar em breve, após a permissão da Superintendência de Arqueologia, Belas Artes e Paisagem. Pela primeira vez em 500 anos, uma grande parte da Procuratie Vecchie na Piazza San Marco será disponibilizada ao público para receber atividades da Rede de Segurança Humana, apoiando comunidades vulneráveis.

© David Chipperfield Architects© David Chipperfield Architects© David Chipperfield Architects© David Chipperfield Architects+ 6

10SPACE, The Future Hall / SpaceStation

© Weiqi Jin© Weiqi Jin© Weiqi Jin© Weiqi Jin+ 28

  • Arquitetos: SpaceStation
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  500
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: 北京欧力特起重机械有限公司, 沈阳金典必盛自动门有限公司, 青岛华贵复合材料有限公司

A improvável vida, morte e renascimento do cais de Hastings

A história do Cais de Hastings é improvável. Localizado em Hastings - a poucos passos de distância do campo de batalha que definiu a história da Inglaterra - o cais foi aberto ao público em 1872. Durante décadas, a estrutura entreteve multidões à beira-mar, mas no século XXI caiu em desuso. Em 2008, o cais foi fechado - um ato que se tornou aparentemente irreversível quando, dois anos depois, a estrutura foi alvo de um incêndio.

Hastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian GhinitiouHastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian GhinitiouHastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian GhinitiouHastings Pier / dRMM. Imagem © Laurian Ghinitiou+ 21

Por que o reuso de edifícios existentes pode (e deve) ser o principal foco dos arquitetos

Certificados e prêmios de sustentabilidade são outorgados todos os dias à novos edifícios que prometem um futuro livre de carbono e impacto zero. Entretanto, a maioria dos esforços que empreendemos para construir edifícios cada vez mais "sustentáveis", acaba no dia de suas inaugurações. O custo energético global da arquitetura tem muito mais a ver com a vida útil de um edifício do que com a sua construção. Embora pareça não haver saída para este atual modelo de sucesso, cabe a nós arquitetos, repensar o significado de arquitetura sustentável nos dias de hoje. Talvez devemos parar de aplaudir e exaltar cegamente os novos edifícios e voltar a nossa atenção para os edifícios que já existem. Este artigo foi originalmente publicado no <em

Durante a primeira conferencia mundial do meio ambiente, realizada na cidade do Rio de Janeiro e chamada de Eco-1992, três alarmantes fatos vieram à tona: a temperatura da Terra está aumentando continuamente; a utilização de combustíveis fósseis é a principal causa deste fenômeno; precisamos, com urgência, adaptar o nosso ambiente construído considerando esta nova realidade. Naquele ano, publiquei um ensaio no Journal of Architectural Education intitulado “Architecture for a Contingent Environment”, sugerindo que arquitetos, naturalistas e preservacionistas deveriam se unir para discutir e enfrentar essa nova realidade.

A aposta do Japão na reutilização adaptativa para enfrentar uma crise imobiliária emergente

Meio século depois que a nova casa do subúrbio era o sonho de muitos jovens americanos, propriedades reformadas estão ganhando popularidade. Essa tendência se estende para além da América do Norte, com renovações estimulantes de estruturas existentes surgindo em todo o mundo, da Bélgica ao Quênia e à China. A atração por essa tipologia provavelmente está em sua multiplicidade; as renovações são novas e antigas, históricas e voltadas para o futuro, generativas e sustentáveis.

Em nenhum lugar esta tendência é mais visível e popular do que na habitação, onde a transformação é muitas vezes liderada pelos próprios proprietários. Vagamente agrupados sob termos como "fixer-upper" e "reutilização adaptativa", esses projetos começam apenas com os esqueletos estruturais e a história do edifício. Na escala pessoal, a renovação / reforma é uma oportunidade de trazer uma parte de si para sua casa - mas esses pequenos projetos juntos têm o potencial de reverter uma crise imobiliária?

Destaques da semana: reduzir, reutilizar, repensar

É muito comum, nos dias de hoje, sentir-se extenuado pela enorme quantidade de informações que consumimos, tanto consciente quanto inconscientemente. No mundo da arquitetura não é diferente, é preciso dedicar-se para acompanhar o feed diário do ArchDaily e por isso mesmo, entendemos que nem sempre é possível estar a par daquilo que é notícia no mundo. Mas isto que à primeira vista parece ser uma infinita linha de produção arquitetônica, não necessariamente vem ao encontro das mais recentes preocupações em nossa disciplina, aquelas voltadas à economia e compartilhamento de recursos.

Esta reflexão generosa, à respeito de como e para quem estamos construído nossos edifícios e cidades, encontrava-se oculta em meio a produção massiva que definiu a arquitetura durante o século XX, mas algo estava nascendo, mesmo que em estado embrionário - algo que está se tornando cada dia mais evidente nos dias de hoje. Cada vez mais, arquitetos estão incorporando processos e estratégias de sustentabilidade e/ ou reuso adaptativo. Os mais tradicionais prêmios e reconhecimentos do mundo da arquitetura estão operando uma efetiva mudança de direção em nossa disciplina, chamando à atenção não mais apenas aos mesmos grandes nomes, mas também para pequenos escritórios de arquitetura espalhados pelo mundo, aqueles que têm nos apresentado uma nova maneira de pensar e conceber a arquitetura.

O estereótipo do arquiteto foi por muito tempo o da obsessão pelo ego e pela novidade. Praticamente um sinônimo de egocentrismo e originalidade. Por outro lado, atualmente estamos testemunhando uma mudança de rumo à partir da prática de milhares e milhares de jovens profissionais. Os projetos que foram notícia nesta última semana nos ensinam a repensar a arquitetura à partir da redução e da reutilização, transformando a maneira como concebemos à arquitetura no século XXI. 

Snøhetta projetará reforma e ampliação do famoso Teatro de Nanterre-Amandiers

O escritório norueguês Snøhetta foi anunciado como vencedor do concurso de arquitetura para o projeto de renovação e ampliação do teatro de vanguarda Nanterre-Amandiers, localizado na cidade de Nanterre, na França. A renovação deverá dar sobrevida ao importante teatro construído nos anos 1960, conhecido por suas peças de altíssima qualidade e fama mundial.

O projeto de reforma incluirá um novo teatro com capacidade para 200 expectadores, a renovação dos espaços do restaurante, da livraria e do saguão principal do edifício existente, tudo isso pensando na flexibilidade espacial e na melhoria da iluminação natural dos espaços interiores.