O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Pedestres

Como podemos planejar cidades que priorizem pedestres?

14:00 - 5 Fevereiro, 2018
Como podemos planejar cidades que priorizem pedestres?, © Cidade Ativa
© Cidade Ativa
© Cidade Ativa
© Cidade Ativa

Cidades ativas são aquelas em que a população pode fazer escolhas mais saudáveis e sustentáveis. Para que isso seja possível, as cidades devem proporcionar acesso a espaços públicos e serviços de qualidade a todas as pessoas, garantindo que possam passear, descansar, brincar e se exercitar em praças, parques e equipamentos. Cidades ativas são também compactas, nas quais a proximidade entre a moradia e o trabalho, escola, serviços, lazer faz com que as redes de mobilidade a pé, cicloviária e de transporte público sejam mais eficientes e melhores distribuídas no território. Assim, a escolha pelo modal a pé ou bicicleta nos deslocamentos diários se torna viável. Por isso, cidades ativas são, necessariamente, mais caminháveis.

Multar pedestres e ciclistas melhorará a segurança? ITDP Brasil manifesta preocupação

12:00 - 9 Novembro, 2017
Multar pedestres e ciclistas melhorará a segurança? ITDP Brasil manifesta preocupação, © Stefano Aguiar
© Stefano Aguiar

No final de outubro, o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) publicou a resolução 706/2017, que padroniza a aplicação de multas para pedestres e ciclistas, previstas nos artigos 254 e 255 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro). Ainda que a garantia de direitos e o estabelecimento de deveres seja uma premissa para o bom funcionamento do trânsito, o ITDP Brasil acredita que a aplicação de multas a pedestres e ciclistas nas cidades brasileiras não irá contribuir com a melhoria das condições de segurança e nem promover o acesso à cidade, objetivo estabelecido na Política Nacional de Mobilidade Urbana.

Em geral, as cidades brasileiras ainda não oferecem condições mínimas de segurança e atratividade para os deslocamentos a pé ou de bicicleta: calçadas esburacadas e estreitas, limites de velocidade incompatíveis com as vias urbanas, ausência de redes cicloviárias que permitam o uso seguro da bicicleta, ausência de faixas de travessia de pedestre e tempos semafóricos que permitam a travessia segura são alguns dos desafios enfrentados cotidianamente pela população.

Por um futuro caminhável: para mudar a forma como vivemos nas cidades é preciso colocar os pés na rua

12:00 - 10 Outubro, 2017
Por um futuro caminhável: para mudar a forma como vivemos nas cidades é preciso colocar os pés na rua, Pedestre é obrigado a caminhar pela rua pois a calçada está obstruída pelas motocicletas e pela banca de jornal na região central do Rio de Janeiro. Image © Fábio Nazareth, ITDP Brasil
Pedestre é obrigado a caminhar pela rua pois a calçada está obstruída pelas motocicletas e pela banca de jornal na região central do Rio de Janeiro. Image © Fábio Nazareth, ITDP Brasil

Ah, a urb!... O vaivém nas ruas, o signo pulsante da modernidade, o espaço público por excelência. No início do século XX, João do Rio, o cronista marginal, fez um inventário dos “tipos” que circulavam pela cidade em A alma encantadora das Ruas, um clássico nacional. Mais do que um livro sobre crônicas de costumes, a obra retrata as transformações urbanas que o Rio sofria no momento de autoestima elevada da Belle Époque, quando despontava como capital da república nascente.

Vagas de estacionamento custam caro para quem não tem carro

12:00 - 22 Agosto, 2017
Vagas de estacionamento custam caro para quem não tem carro, Cortesia de ITDP Brasil
Cortesia de ITDP Brasil

Quanto mais carros nas ruas, mais vagas de estacionamento são necessárias. Não é incomum que as pessoas se questionem se existem vagas suficientes. Mas provavelmente o problema é que perguntas erradas levam a respostas erradas. Na verdade, não faltam vagas: sobram carros. O que acontece de fato é que quanto maior a oferta de vagas, maiores as chances de que as pessoas escolham o automóvel como transporte individual, o que gera, claro, maior demanda por vagas. 

Evento debaterá oportunidades e desafios de Estatutos do Pedestre em cidades brasileiras

18:00 - 1 Agosto, 2017
Evento debaterá oportunidades e desafios de Estatutos do Pedestre em cidades brasileiras

No próximo 08 de agosto, Dia Mundial do Pedestre, o projeto Como Anda, desenvolvido pelas organizações Cidade Ativa e Corrida Amiga com o apoio do Instituto Clima e Sociedade (iCS), promoverão a mesa-redonda “Estatuto do Pedestre: Oportunidades e Desafios em cidades brasileiras”. O evento, que será realizado no MobiLab (Laboratório de Mobilidade Urbana), visa discutir o recém-sancionado Estatuto do Pedestre na cidade de São Paulo e sua repercussão no Brasil sob a perspectiva de atores que influenciam e participam das tomadas de decisões relacionadas aos marcos regulatórios municipais.

Estão confirmados para o debate José Police Neto, vereador de São Paulo

Elevadores urbanos: integração e continuidade em cidades com relevos acidentados

19:00 - 29 Julho, 2017
Elevadores urbanos: integração e continuidade em cidades com relevos acidentados

Quando falamos de urbanização e enfrentamos uma topografia complexa, o tema da integração urbana começa a tomar mais força e protagonismo. Muitos dos bairros mais deteriorados socialmente se encontram em pontos geográficos complexos rodeados de desníveis que fazem com que o pedestre, o ciclista ou os idosos se vejam excluídos de uma acessibilidade urbana eficiente.

Neste contexto, os elevadores urbanos aparecem como uma solução e um elemento articulador, funcional e escultórico. Com até 30 metros de altura, convertem-se em marcos urbanos e turísticos ao criar um novo ponto de vista mediante passarelas e mirantes, ao mesmo tempo que respeitam o patrimônio histórico dos entornos.

A seguir mostramos alguns exemplos interessantes de elevadores urbanos que têm sido chave no ordenamento de seus entornos urbanos imediatos.

Elogio da caminhada, por Björk

12:00 - 31 Maio, 2017
Elogio da caminhada, por Björk, Bjork en um concerto no México. Imagem © A.maldon [Wikipedia] (CC BY-SA 4.0)
Bjork en um concerto no México. Imagem © A.maldon [Wikipedia] (CC BY-SA 4.0)

Clay Cockrell, psicoterapeuta de Nova Iorque, cidade onde os psicoterapeutas poderiam ter um bairro somente para eles, realiza suas sessões ao ar livre. Caminhando, mais precisamente. Em lugares como o Central Park ou o Battery Park, onde o cliente preferir, o lugar da consulta é totalmente flexível. O método é mais ou menos o mesmo que o de qualquer terapeuta. Os honorários também. Só o entorno muda, o que não é pouco: o divã, a cadeira de couro, o tapete persa e a biblioteca são substituídos pelo concreto ou o cascalho da rua ou do parque escolhido pelo paciente.

Caminhar é muito mais que cobrir uma distância com os pés. É também uma das mais básicas ferramentas para alcançar o que comumente chamamos de esvaziar a mente. Caminhar é um recurso gratuito, facilmente acessível e quase sempre disponível para voltar a um mundo lento em que a mente pode fazer uma conexão livre de interferências com o corpo, e o corpo, por sua vez, com o solo que pisa e o entorno que o rodeia.

TEDx com Jeff Speck: 4 formas de tornar uma cidade mais caminhável

16:00 - 17 Abril, 2017

O designer e planejador urbano estadunidense Jeff Speck tem se dedicado ao longo de sua carreira a difundir os benefícios da caminhabilidade e a promover este aspecto em seus projetos urbanos. 

Os benefícios deste aspecto, incorporados à vida urbana através do projeto, serviram de tema para seu livro “Walkable City. How downtown can save America, one step at time”, que em 2013 foi escolhido entre as 100 melhores publicações sobre cidades pela Planetizen

Como Vancouver se tornou uma cidade multimodal

16:00 - 1 Abril, 2017

A meta de Vancouver para 2040 é que utilizar apenas energia proveniente de fontes limpas para abastecer os sistemas de calefação e transporte público da cidade.

Como parte desta meta, a cidade pretende, até 2020, fazer com que 50% dos deslocamentos urbanos sejam realizados a pé, de bicicleta ou em transporte público. 

Nova Iorque propõe redistribuição viária para aumentar a segurança nas ruas

16:00 - 25 Março, 2017
Nova Iorque propõe redistribuição viária para aumentar a segurança nas ruas, Chrystie St, Nova Iorque. Imagem © Flickr usuário: NYCDOT. Licença CC BY-NC-ND 2.0
Chrystie St, Nova Iorque. Imagem © Flickr usuário: NYCDOT. Licença CC BY-NC-ND 2.0

Cruzamentos peatonais inseguros, ciclovias que não são respeitadas pelos condutores, e trechos permitidos para automóveis apesar do risco que geram para ciclistas e pedestres são, lamentavelmente, problemas comuns em diversas cidades.

Mostramos a seguir um caso bem sucedido em Nova Iorque que apresentava os mesmos problemas, mas que foi resolvido com uma proposta de desenho urbano que consistiu, basicamente, em redistribuir o espaço viário a partir do Plano Visão Zero.

Como anda a mobilidade a pé no Brasil?

14:00 - 14 Março, 2017

Projeto ‘Como Anda’​ quer fortalecer a mobilidade a pé no Brasil: compreender quem são e como atuam as organizações que trabalham com o tema, promover a pauta com levantamento de dados e estudos de caso e contribuir com a articulação do movimento.

ATRIA e tiarstudio recebem o segundo prêmio no Concurso para o Parque de Maharashtra e Ponte para pedestres e ciclistas

19:00 - 9 Março, 2017
ATRIA e tiarstudio recebem o segundo prêmio no Concurso para o Parque de Maharashtra e Ponte para pedestres e ciclistas, Cortesia de ATRIA e tiarstudio
Cortesia de ATRIA e tiarstudio

A Autoridade de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Mumbai (MMRDA) nomeou os vencedores de um Concurso Internacional para redesenhar o Parque Natural de Maharashtra da cidade e para o projeto de uma ponte de pedestres / ciclistas sobre o Rio Mithi. Veja, a seguir, o projeto que recebeu o segundo lugar, feito pelos brasileiros do ATRIA, em parceria com o escritório tiarstudio.

Paris aprova estratégia para desenvolver projetos voltados para pedestres em toda a cidade

15:00 - 18 Fevereiro, 2017
Paris aprova estratégia para desenvolver projetos voltados para pedestres em toda a cidade, Paris, França. Image © Sharona Sinke. Licença CCO 1.0
Paris, França. Image © Sharona Sinke. Licença CCO 1.0

Na última sessão do Conselho Municipal de Paris, realizada nos dias 30 e 31 de janeiro, foi aprovada uma Estratégia Peatonal que tem como objetivo melhorar a qualidade de vida dos pedestres, ou seja, de todos que circulam a pé pela capital francesa.

Por um lado, o interesse da estratégia está focado em facilitar os deslocamentos e as condições dos pedestres, incentivando que mais pessoas caminhem, sendo que este já é o meio de transporte mais usado na cidade, totalizando 60% dos percursos. Além disso, quando se trata de deslocamentos para realizar compras, 79% dos trajetos são realizados a pé, quando apenas 4% deles são de carro. 

Moderação de tráfego e sua importância na construção de cidades mais humanas e inclusivas

12:00 - 17 Janeiro, 2017
Moderação de tráfego e sua importância na construção de cidades mais humanas e inclusivas, © Stefano Aguiar
© Stefano Aguiar

Caminhar e andar de bicicleta são as maneiras mais eficazes, econômicas e ambientalmente sustentáveis para realizar pequenos deslocamentos urbanos, especialmente aqueles com distâncias reduzidas: em 10 minutos, uma pessoa saudável percorre 3 km de bicicleta e aproximadamente 0.8 km a pé.

Nas últimas décadas, no entanto, o planejamento e o desenho das nossas cidades priorizaram a circulação de automóveis, tornando pedestres e ciclistas os usuários mais frágeis da rua. Essa inversão de prioridades tem levado a números alarmantes de mortos e feridos em colisões e atropelamentos, além de reduzir cada vez mais a utilização do espaço da rua para convívio e estar.

Berlim planeja impedir a circulação de veículos privados em sua principal avenida até 2019

16:00 - 28 Dezembro, 2016
Berlim planeja impedir a circulação de veículos privados em sua principal avenida até 2019, Unter del Linden, Berlim. Imagem © Wikimedia Commons Usuario: Nath el Biya:Niels. Licença: CC BY-SA 2.0
Unter del Linden, Berlim. Imagem © Wikimedia Commons Usuario: Nath el Biya:Niels. Licença: CC BY-SA 2.0

Unter del Linden é o principal bulevar de Berlim e, em seu um quilômetro e meio de extensão, entre a Brandenburger Tor e a Schlossbrücke, é acompanhada de importantes edifícios, entre os quais embaixadas, museus e universidades, além de restaurantes e estabelecimentos comerciais.

Em 2010 teve início a ampliação da linha U5 do metrô, e um trecho da mesma, conhecido como U55, passaria por baixo do bulevar. Antes do início das obras, passavam diariamente cerca de 30 mil veículos pela avenida, porém, esta cifra caiu para 8 mil após as obras.

Países Baixos inauguram faixa de pedestres luminosa que deixa as pessoas mais visíveis

18:00 - 27 Dezembro, 2016
Países Baixos inauguram faixa de pedestres luminosa que deixa as pessoas mais visíveis, via brummen.nl
via brummen.nl

Dar visibilidade aos pedestres -- os usuários mais vulneráveis do espaço público -- e, assim, aumentar a segurança viária é o objetivo dessa nova faixa de pedestres inaugurada no final de novembro na cidade de Brummen, Países Baixos.

Projetado pelo escritório holandês Lighted Zebra Crossing e entregue gratuitamente ao município, esta faixa de pedestres torna mais visíveis as pessoas, sobretudo à noite, quando não há luz natural. Cada ima das faixas brancas paralelas conta com placas de luz que permanecem sempre acesas, e não apenas quando há pessoas trafegando. 

5 fatores que tornam os bairros caminháveis

16:00 - 18 Dezembro, 2016
5 fatores que tornam os bairros caminháveis, © Tecido urbano quadriculado. Fonte: Mapa da cidade de Ann Harbour com intervenção de Liz Treutel
© Tecido urbano quadriculado. Fonte: Mapa da cidade de Ann Harbour com intervenção de Liz Treutel

A experiência de caminhar por um bairro pode ser muito mais agradável se o espaço público apresentar algumas características. Algumas têm relação com os principais pontos de interesse, outras com as dimensões das calçadas e ruas, ou ainda, com os serviços e comércios disponíveis. 

Com o objetivo de identificá-las e, assim, promover sua aplicação em diferentes cidades (sem esquecer do contexto específico de cada caso), a arquiteta e planejadora Liz Treutel, identificou cinco fatores presentes nos bairros caminháveis. Veja-os a seguir. 

Polônia inaugura calçada e ciclovia que brilham à noite

16:00 - 8 Dezembro, 2016
Polônia inaugura calçada e ciclovia que brilham à noite, © TPA Sp. z o.o
© TPA Sp. z o.o

A primeira cidade a instalar uma ciclovia solar que brilha à noite foi Neunen, nos Países Baixos, onde viveu o artista Vincent van Gogh. Por este mesmo fato a ciclovia foi inspirada em uma das obras mais famosas do pintor, o quadro A Noite Estrelada.

Agora foi a vez de Lidzbark Warminski, uma cidade no norte da Polônia, que acaba de inaugurar uma ciclovia que faz uso da mesma tecnologia, porém, localizada na zona rural.