1. ArchDaily
  2. New York

New York: O mais recente de arquitetura e notícia

Mobilidade urbana nos Estados Unidos: como o serviço de transporte por aplicativo impacta as cidades norte-americanas

A mobilidade urbana nos Estados Unidos passou por uma transformação radical com a introdução dos serviços de transporte por aplicativos no final dos anos 2000. A adoção generalizada de serviços como Uber e Lyft alterou a forma como os cidadãos se movimentam pelas cidades, oferecendo conveniência, flexibilidade e acessibilidade como nunca antes. O inovador modelo de negócios que se destaca ao auxiliar os usuários individuais falhou em prever as maiores implicações na escala da cidade - congestionamento, sistemas de transporte público e aquisição de carros. Enquanto cidades europeias como Bruxelas se comprometeram a incentivar o transporte público para reduzir problemas de congestionamento, cidades americanas buscam soluções próprias.

Mobilidade urbana nos Estados Unidos: como o serviço de transporte por aplicativo impacta as cidades norte-americanas - Image 1 of 4Mobilidade urbana nos Estados Unidos: como o serviço de transporte por aplicativo impacta as cidades norte-americanas - Image 2 of 4Mobilidade urbana nos Estados Unidos: como o serviço de transporte por aplicativo impacta as cidades norte-americanas - Image 3 of 4Mobilidade urbana nos Estados Unidos: como o serviço de transporte por aplicativo impacta as cidades norte-americanas - Image 4 of 4Mobilidade urbana nos Estados Unidos: como o serviço de transporte por aplicativo impacta as cidades norte-americanas - Mais Imagens+ 3

BIG projeta torres em balanço na orla marítima de Manhattan

Localizado ao longo da orla de Manhattan do Rio East, o Freedom Plaza tem como objetivo criar um novo centro cívico e cultural, introduzindo um novo espaço aberto e verde em uma área densa, com planos para adicionar um Museu da Liberdade e Democracia no parque. Além disso, o projeto feito pelo BIG-Bjarke Ingels Group inclui unidades habitacionais acessíveis, dois hotéis, comércio e restaurantes. Desenvolvido pelo Soloviev Group e Mohegan, o empreendimento Freedom Plaza reimagina um dos maiores terrenos vagos de Manhattan, medindo 2,7 hectares, localizado ao sul da sede das Nações Unidas no bairro de Midtown East.

BIG projeta torres em balanço na orla marítima de Manhattan - Image 1 of 4BIG projeta torres em balanço na orla marítima de Manhattan - Image 2 of 4BIG projeta torres em balanço na orla marítima de Manhattan - Image 3 of 4BIG projeta torres em balanço na orla marítima de Manhattan - Image 4 of 4BIG projeta torres em balanço na orla marítima de Manhattan - Mais Imagens+ 5

Construindo resiliência: como a arquitetura reagiu aos desafios climáticos de 2023

Ao refletirmos sobre o tumultuado ano de 2023 e seus eventos, é evidente que os desafios impostos pelas condições ambientais em constante mudança deixaram uma marca indelével em todo o mundo. Em resposta, arquitetos e urbanistas passaram a procurar maneiras nas quais suas ações possam contribuir para a criação de ambientes mais seguros para as comunidades, com arquiteturas de emergência de implantação rápida e estratégias de longo prazo para construir resiliência e mitigar riscos.

Além de simplesmente responder a eventos, como os devastadores terremotos na Turquia, Síria e Marrocos, ou as enchentes generalizadas na Líbia ou no Paquistão, arquitetos estão tentando adotar abordagens proativas. Eles desenvolvem estratégias que vão desde a modelagem preditiva até a aplicação de técnicas de renaturalização, passando pela pesquisa contínua na física de estruturas mais seguras e resilientes.

Construindo resiliência: como a arquitetura reagiu aos desafios climáticos de 2023 - Image 1 of 4Construindo resiliência: como a arquitetura reagiu aos desafios climáticos de 2023 - Image 2 of 4Construindo resiliência: como a arquitetura reagiu aos desafios climáticos de 2023 - Image 3 of 4Construindo resiliência: como a arquitetura reagiu aos desafios climáticos de 2023 - Image 4 of 4Construindo resiliência: como a arquitetura reagiu aos desafios climáticos de 2023 - Mais Imagens+ 15

Cidades em destaque: lições de 2023 sobre resiliência ambiental

No cenário em constante evolução do século XXI, as cidades despontam como modelos de inovação em relação aos objetivos de desenvolvimento sustentável. Criativamente, enfrentam desafios urbanos urgentes, como densidade populacional, transporte, habitação e resiliência. Possuem o potencial de liderar uma agenda climática abrangente, atuando como laboratórios para iniciativas sustentáveis, inovações inter-setoriais e estratégias orientadas para a comunidade. As cidades agem como catalisadoras de revoluções, implementando soluções impactantes que podem ser aplicadas globalmente.

Cidades em destaque: lições de 2023 sobre resiliência ambiental - Image 1 of 4Cidades em destaque: lições de 2023 sobre resiliência ambiental - Image 2 of 4Cidades em destaque: lições de 2023 sobre resiliência ambiental - Image 3 of 4Cidades em destaque: lições de 2023 sobre resiliência ambiental - Image 4 of 4Cidades em destaque: lições de 2023 sobre resiliência ambiental - Mais Imagens+ 5

Recuperando as orlas marítimas: transformando portos áridos em espaços públicos icônicos

Locais bonitos com vistas incríveis ao longo das orlas de grandes cidades são frequentemente negligenciados devido aos vestígios industriais de uma economia passada baseada no transporte marítimo e manufatura. A transição desses setores econômicos e o potencial desses locais têm levado à adaptação desses espaços para uso público. Enquanto algumas cidades optaram por demolir e começar completamente do zero, a transformação do Brooklyn Bridge Park na orla marítima da cidade de Nova York incluiu a preservação de parte de seu caráter industrial. No livro "Brooklyn Bridge Park", os arquitetos do escritório Michael Van Valkenburgh Associates discutem seu processo projetual que incorporou a materialidade e as estruturas existentes dos píeres para contar a história do lugar.

Recuperando as orlas marítimas: transformando portos áridos em espaços públicos icônicos - Image 1 of 4Recuperando as orlas marítimas: transformando portos áridos em espaços públicos icônicos - Image 2 of 4Recuperando as orlas marítimas: transformando portos áridos em espaços públicos icônicos - Image 3 of 4Recuperando as orlas marítimas: transformando portos áridos em espaços públicos icônicos - Image 4 of 4Recuperando as orlas marítimas: transformando portos áridos em espaços públicos icônicos - Mais Imagens+ 5

Design para densidade: habitação na Índia como infraestrutura social

Assim como muitos outros dos países, a Índia enfrenta uma crise habitacional constante. Como a nação é a mais populosa do mundo, com uma projeção de crescimento da população urbana de 410 milhões em 2014 para 814 milhões até 2050, a situação é urgente. A paisagem construída indiana apresenta maiores complexidades devido a uma abordagem de mercado abrangente e à necessidade de habitação socialmente relevante. Olhando para o futuro, como a Índia pretende atender às necessidades da sua população em expansão para abrigar os próximos milhões de habitantes urbanos?

Design para densidade: habitação na Índia como infraestrutura social - Image 1 of 4Design para densidade: habitação na Índia como infraestrutura social - Image 2 of 4Design para densidade: habitação na Índia como infraestrutura social - Image 3 of 4Design para densidade: habitação na Índia como infraestrutura social - Image 4 of 4Design para densidade: habitação na Índia como infraestrutura social - Mais Imagens+ 1

One High Line: torres torcidas do BIG estão próximas de serem concluídas

Imagens divulgadas pelo BIG mostram o One High Line próximo da conclusão. Localizado na "Architecture Row", em Nova York, o conjunto de torres torcidas marca o horizonte do Rio Hudson junto de vizinhos como o edifício IAC de Frank Gehry, o Museu de Arte Americana de Renzo Piano e The Chelsea Nouvel ("100 Eleventh Avenue") de Jean Nouvel, juntamente com futuros projetos de Thomas Heatherwick e outros arquitetos renomados. As duas torres projetadas pelo BIG criam um pátio central que ativa o espaço público com instalações comerciais e de varejo. A parte externa das torres e boa parte dos interiores estão concluídos, e o pátio deverá ser finalizado no início de 2024.

One High Line: torres torcidas do BIG estão próximas de serem concluídas - Image 1 of 4One High Line: torres torcidas do BIG estão próximas de serem concluídas - Image 2 of 4One High Line: torres torcidas do BIG estão próximas de serem concluídas - Image 3 of 4One High Line: torres torcidas do BIG estão próximas de serem concluídas - Image 4 of 4One High Line: torres torcidas do BIG estão próximas de serem concluídas - Mais Imagens+ 4

Como Nova York planeja lidar com as tempestades: precedentes globais

Em setembro deste ano, a cidade de Nova York vivenciou uma tempestade severa que inundou suas ruas com mais de 177 mm de água em menos de 24 horas, causando o fechamento de várias ruas, a inundação de carros e o bloqueio de ônibus. Esse evento destacou novamente a incapacidade da antiga infraestrutura da cidade de lidar com chuvas torrenciais. À medida que as mudanças climáticas se intensificam, os especialistas alertam que esses eventos se tornarão cada vez mais frequentes. Essa vulnerabilidade é especialmente preocupante em áreas urbanas densamente ocupadas, como a cidade de Nova York, onde os riscos de inundação aumentam devido à grande quantidade de superfícies impermeáveis.

Como Nova York planeja lidar com as tempestades: precedentes globais - Image 1 of 4Como Nova York planeja lidar com as tempestades: precedentes globais - Image 2 of 4Como Nova York planeja lidar com as tempestades: precedentes globais - Image 3 of 4Como Nova York planeja lidar com as tempestades: precedentes globais - Image 4 of 4Como Nova York planeja lidar com as tempestades: precedentes globais - Mais Imagens

Remodelando os centros urbanos dos EUA: cresce o impulso para conversão de escritórios em residências

Cidades em todo os EUA estão enfrentando dificuldades para ocupar seus espaços comerciais. Grandes cidades como Washington DC, Boston e San Francisco têm centros urbanos cada vez mais vazios, enquanto os centros de pequenas cidades do Rust Belt lutam para sobreviver. Essa tendência está presente para além dos EUA, com mais de três quartos dos prédios de escritórios da Europa em risco de obsolescência até o final da década. A causa disso, na maioria das vezes, é simples: um excesso de escritórios e uma mudança para o trabalho remoto. Esses prédios vazios podem desencadear um efeito dominó negativo de desafios econômicos e sociais para as cidades, e seu excedente, juntamente com a escassez de moradias, tem provocado discussões entre cidades e arquitetos sobre a necessidade iminente de transformar escritórios em moradias.

Remodelando os centros urbanos dos EUA: cresce o impulso para conversão de escritórios em residências - Image 1 of 4Remodelando os centros urbanos dos EUA: cresce o impulso para conversão de escritórios em residências - Image 2 of 4Remodelando os centros urbanos dos EUA: cresce o impulso para conversão de escritórios em residências - Image 3 of 4Remodelando os centros urbanos dos EUA: cresce o impulso para conversão de escritórios em residências - Image 4 of 4Remodelando os centros urbanos dos EUA: cresce o impulso para conversão de escritórios em residências - Mais Imagens+ 2

Studio Gang inicia construção do Centro Recreativo Shirley Chisholm em Nova York

O prefeito de Nova York, Eric Adams, juntamente com o Departamento de Design e Construção da cidade, anunciou o início da construção do Centro de Recreação Shirley Chisholm, projetado pelo Studio Gang. Localizado no Parque Nostrand, em East Flatbush, Brooklyn, o centro tem como objetivo trazer novas comodidades para os moradores de East Flatbush, ao mesmo tempo em que honra a história e o patrimônio da comunidade. O novo centro recebe o nome de Shirley Chisholm, a primeira mulher afro-americana a servir no Congresso e a primeira a buscar a candidatura para a presidência dos Estados Unidos.

Nossas cidades ainda não estão mortas!

Este artigo foi publicado originalmente na Common Edge.

Desde que a pandemia atingiu às cidades, é possível perceber uma alta no número de reportagens urbanas pessimistas. E não é difícil entender o porquê. Em 2020, as cidades centrais dos Estados Unidos passaram das histórias de sucesso de "volta por cima" para lugares fantasmas; o transporte perdeu quase todos os passageiros; dezenas de milhares de lojas e restaurantes fecharam; e boa parte da população com maior poder aquisitivo se mudou para os subúrbios e ou cidades distantes.

NYCxDESIGN promove instalações públicas e pavilhões por toda a cidade de Nova York

De 12 a 18 de outubro, NYCxDESIGN apresentou o Design Pavilion, uma importante exposição pública de arquitetura em Nova York. Ocorrendo durante o Archtober, uma celebração da arquitetura no mês de outubro, o Design Pavilion deste ano destacou três instalações imaginativas que abrangem materialidade, sustentabilidade e igualdade social.

Duas instalações foram projetadas para transformar a Gansevoort Plaza, no Meatpacking District, em retiros urbanos, enquanto a terceira exposição oferece uma projeção de arte digital no World Trade Center Podium, abordando a história da escravidão do país. Além dos pavilhões, o programa Design Talks promoveu discussões sobre questões relevantes da profissão, centradas em temas de sustentabilidade, reaproveitamento e redução de resíduos.

NYCxDESIGN promove instalações públicas e pavilhões por toda a cidade de Nova York - Image 6 of 4NYCxDESIGN promove instalações públicas e pavilhões por toda a cidade de Nova York - Image 11 of 4NYCxDESIGN promove instalações públicas e pavilhões por toda a cidade de Nova York - Image 15 of 4NYCxDESIGN promove instalações públicas e pavilhões por toda a cidade de Nova York - Image 13 of 4NYCxDESIGN promove instalações públicas e pavilhões por toda a cidade de Nova York - Mais Imagens+ 13

Revestido de mármore translúcido, Perelman Performing Arts Center é inaugurado no Ground Zero em Nova York

Após mais de duas décadas em construção, o Perelman Performing Arts Center abriu ao público em 19 de setembro de 2023. O cubo luminoso foi projetado pelo escritório de arquitetura REX, liderado por Joshua Ramus, para se tornar um importante destino cultural da cidade de Nova York e a peça final do masterplan para a reconstrução da área de 6 hectares onde antes ficava o World Trade Center. A temporada inaugural contará com estreias mundiais, coproduções e trabalhos colaborativos de teatro, dança, música, ópera, cinema e muito mais. Com apenas oito pavimentos de altura, o projeto se destaca por sua fachada monolítica composta por placas de mármore português translúcido.

Revestido de mármore translúcido, Perelman Performing Arts Center é inaugurado no Ground Zero em Nova York - Image 1 of 4Revestido de mármore translúcido, Perelman Performing Arts Center é inaugurado no Ground Zero em Nova York - Image 2 of 4Revestido de mármore translúcido, Perelman Performing Arts Center é inaugurado no Ground Zero em Nova York - Image 3 of 4Revestido de mármore translúcido, Perelman Performing Arts Center é inaugurado no Ground Zero em Nova York - Image 4 of 4Revestido de mármore translúcido, Perelman Performing Arts Center é inaugurado no Ground Zero em Nova York - Mais Imagens+ 15

Nova York aprova lei restritiva a Airbnbs e aluguéis de curta duração

A Lei Local 18 da cidade de Nova York, também conhecida como Lei de Registro de Aluguel de Curta Duração, entrou em vigor em 5 de setembro, alterando a forma como os aluguéis de apartamentos de curto prazo operam na cidade. A nova legislação local determinou que, a partir de agora, os proprietários deverão se registrar no Office of Special Enforcement (OSE) para obter uma licença, e os aluguéis só serão permitidos se o anfitrião morar no local e estiver presente durante a estadia do hóspede. O número de hóspedes também é limitado a apenas dois, e a duração é limitada a 30 dias. A legislação não é uma proibição explícita de plataformas como o Airbnb, mas as regulamentações rigorosas tornam quase impossível que o serviço continue sua atividade.

Nova York aprova lei restritiva a Airbnbs e aluguéis de curta duração - Image 1 of 4Nova York aprova lei restritiva a Airbnbs e aluguéis de curta duração - Image 2 of 4Nova York aprova lei restritiva a Airbnbs e aluguéis de curta duração - Image 3 of 4Nova York aprova lei restritiva a Airbnbs e aluguéis de curta duração - Image 4 of 4Nova York aprova lei restritiva a Airbnbs e aluguéis de curta duração - Mais Imagens+ 1

Planejamento urbano "top-down" e "bottom-up": uma abordagem sinérgica

Desde as cidades gregas antigas até as idealizadas pela Renascença, a história do planejamento urbano é um reflexo das estruturas de poder em evolução e das prioridades da sociedade. A estrutura organizacional de uma cidade está profundamente enraizada nas necessidades culturais e nas relações sociais. O desenvolvimento urbano contemporâneo, por sua vez, é marcado por uma dicotomia — o contraste entre estratégias de planejamento de cima para baixo (top-down), lideradas por entidades influentes e órgãos governamentais, e as iniciativas de baixo para cima (bottom-up), impulsionadas pelas comunidades locais. Essa interação molda as cidades, influenciando desde aspectos da infraestrutura e espaços públicos até os modelos habitacionais e a atmosfera urbana. Investigar as diferenças entre essas estratégias é essencial para a construção de uma paisagem urbana harmônica que atenda às necessidades de seus moradores.

Planejamento urbano "top-down" e "bottom-up": uma abordagem sinérgica - Image 1 of 4Planejamento urbano "top-down" e "bottom-up": uma abordagem sinérgica - Image 2 of 4Planejamento urbano "top-down" e "bottom-up": uma abordagem sinérgica - Image 3 of 4Planejamento urbano "top-down" e "bottom-up": uma abordagem sinérgica - Image 4 of 4Planejamento urbano top-down e bottom-up: uma abordagem sinérgica - Mais Imagens+ 1

Piscinas públicas como espaços públicos: o papel da natação e do banho nas cidades

Quando se pensa em espaços públicos, a imagem de uma piscina raramente vem à mente. Espaços públicos são o centro da vida cívica, lugares onde a maioria das interações, atividades e comportamentos seguem normas sociais e culturais estritas para garantir a segurança e o conforto de todos os usuários. Em contraste, nadar e tomar banho representam algo mais íntimo e primordial, uma experiência sensorial distinta de qualquer outra. Além dos benefícios para a saúde, o ato de flutuar no espaço cria uma ruptura com a vida cotidiana e suas restrições.

Como espaços sociais, banhos públicos e piscinas oferecem uma experiência ainda mais incomum. Aqui, regras e normas de conduta usuais não se aplicam mais. A nudez social se torna a nova norma e, à medida que as pessoas se despem, elas também perdem seus marcos de status, transformando a piscina em um oásis igualitário. Ao longo da história, esses espaços muitas vezes desacreditados ofereceram uma experiência social intensificada, fomentando conexões e trazendo um novo elemento a ambientes urbanos densos. Como uma tipologia presente desde a antiguidade, banhos públicos e piscinas também foram um espaço disputado, como uma manifestação de tópicos difíceis, como a segregação de gênero e raça, gentrificação e vigilância em contraste com a liberdade que prometem.

Piscinas públicas como espaços públicos: o papel da natação e do banho nas cidades - Image 1 of 4Piscinas públicas como espaços públicos: o papel da natação e do banho nas cidades - Image 2 of 4Piscinas públicas como espaços públicos: o papel da natação e do banho nas cidades - Image 3 of 4Piscinas públicas como espaços públicos: o papel da natação e do banho nas cidades - Image 4 of 4Piscinas públicas como espaços públicos: o papel da natação e do banho nas cidades - Mais Imagens+ 13

SOM projeta campus net-zero em Nova York

O escritório Skidmore, Owings & Merrill foi selecionado para projetar a Bolsa de Clima de Nova York em parceria com a Stony Brook University, um instituto de pesquisa pública nova-iorquino. O novo campus net-zero, localizado na Governors Island, será uma instituição âncora no desenvolvimento de novas soluções climáticas. Sendo um centro internacional pioneiro, "A Bolsa" também atuará como um hub regional para a economia verde.