1. ArchDaily
  2. Mobiliário

Mobiliário: O mais recente de arquitetura e notícia

Mobiliário para gatos: mais conforto e saúde para os felinos em casa

Apartamento Higienópolis / Teresa Mascaro. Foto: © Pedro MascaroCat House / FANAF. Foto: © Lei ZhengCasa f(x) / Adhoc Arquitectura y Territorio. Foto: © David FrutosApartamento Fradique / Studio92 Arquitetura. Foto: © Mariana Orsi+ 10

Na arquitetura, o mais comum é desenhar apenas para os humanos. No entanto, abranger o escopo do projeto para outras espécies é um exercício que vem sendo proposto em diversas encomendas. De um mobiliário específico até o design de interiores todo pensado para o animal, as possibilidades de criar um ambiente mais lúdico e confortável, tanto para humanos quanto para os animais, são diversas.

Mobiliário de madeira maciça na arquitetura de interiores

Painéis de compensado, madeira laminada, chapas de MDF e placas de OSB são bons, podem ser economicamente viáveis e cumprem com eficiência determinadas funções, mas nenhum deles oferece a mesma atmosfera da madeira maciça. A nobreza deste material geralmente vem acompanhada de um custo elevado, mas as qualidades estética e sensorial são inigualáveis. 

A seguir, reunimos exemplos de projetos que empregam madeira maciça em elementos do mobiliário. Mesas e cadeiras, camas e armários feitos com madeiras de diferentes espécies, novas ou de demolição, refinadas ou rústicas, de distintas texturas e colorações que podem servir de inspiração para seu projeto arquitetônico ou de interiores.

Apartamento Faria Lima / Pietro Terlizzi Arquitetura. Foto © Guilherme PucciApartamento Topázio / Sabiá Arquitetos. Foto © Pedro VannucchiApartamento Perdizes / Pietro Terlizzi Arquitetura. Foto © Guilherme PucciCasa Ibiúna / Estúdio Penha. Foto © Fran Parente+ 15

14 Instalações efêmeras que trazem novas reflexões para os espaços coletivos

A arquitetura é uma área ampla que apresenta diversas possibilidades de atuação. Cada vez mais os jovens arquitetos têm se esforçado para descobrir novos caminhos e desbravar outros espaços profissionais. A arquitetura efêmera, com seu caráter experimental e artístico, tem papel relevante nessa trajetória, fazendo os profissionais observarem e discutirem questões urbanas e sociais, paisagem e meio ambiente. Apresentamos aqui exemplos de instalações temporárias que explicitam essas questões e transformam seu entorno. 

Cinema na escada em Maputo / Estúdio 5 Arquitectos. Image © Mbuto MachiliSerena Confalonieri transforma antigo estacionamento em Milão em parque urbano. Image © Alice MantovaniConstell.ation / LIKEarchitects. Image © Fernando Guerra | FG+SGInstalação Murmuration / SO-IL. Image Cortesia de SO-IL+ 15

Mesas de jantar: sua importância e possibilidades em planta

A palavra comensalidade refere-se ao ato de comer junto, dividindo uma refeição. Muito mais que uma mera função de necessidade humana essencial, sentar-se à mesa é uma prática de comunhão e trocas. Um artigo de Cody C. Delistraty compila alguns estudos sobre a importância de alimentar-se em conjunto: alunos que não comem regularmente com os pais faltam mais à escola; crianças que não jantam diariamente com a família tendem a ser mais obesos e jovens em famílias sem essa tradição acabam tendo mais problemas com drogas e álcool, além de desempenho acadêmico mais fraco. Evidentemente que todas estas questões levantadas são complexas e não devem ser reduzidas a somente um fator. Mas ter um local adequado para fazer as refeições, livre de muitas distrações, é um bom ponto de partida para ao menos um momento focado na conversa e alimentação. Estamos falando das mesas de jantar. Revisamos aqui alguns projetos para classificar as formas mais comuns de se implantar estes importantes mobiliários.

10 Casas com sofás integrados à arquitetura

Concebidos com o objetivo de aproveitar ao máximo o espaço, os móveis embutidos se tornaram cada vez mais populares como uma forma prática de atender às necessidades domésticas. A capacidade de adaptação ao espaço arquitetônico lhes permite, através de diferentes configurações ou materialidades, satisfazer diversos usos e funções e ser integrados à arquitetura. Entretanto, pode ser interessante nos fazermos a pergunta: este tipo de mobiliário é o que se adapta aos espaços residuais de nossas casas ou pode se tornar o protagonista e gerador dos espaços que projetamos?

Como usar redes em apartamentos?

Uma das paixões nacionais e unânime ícone de brasilidade, as redes fazem parte do dia a dia do brasileiro e representam um importante mobiliário da casa. Morar em apartamentos ou casas pequenas, porém, muitas vezes pode tornar mais difícil a inclusão delas no ambiente doméstico. Neste artigo apresentamos exemplos de como incluir as redes nos projetos, inspirando seu uso em apartamentos.

Beliches integrados à arquitetura: dicas de materiais e design

É um equívoco comum que os beliches sejam usados exclusivamente para quartos de crianças e adolescentes. Embora os beliches sejam uma ótima solução para crianças, o aspecto prático dos beliches, que oferece amplo espaço para dormir e economiza espaço no chão, os torna excelentes para uma variedade de finalidades e aplicações. Com o aumento da densidade e a parcela da população vivendo em grandes centros urbanos fazendo uso de espaços cada vez menores, observou-se um impulso para a modularidade na arquitetura de interiores. Por esse motivo, beliches e áreas de dormir suspensas têm se tornado uma ótima solução para maximizar a metragem quadrada.

Introduzindo cores na marcenaria: 17 projetos com mobiliário colorido

A marcenaria, como são comumente chamados os mobiliários de madeira executados por um marceneiro, tem ganhado atenção especial nos projetos de arquitetura. Por serem projetados para se adequarem a espaços e fins objetivos, esses objetos são importantes elementos de organização do espaço, sendo introduzidos em qualquer ambiente, tanto em salas, quartos e escritórios, quanto em cozinhas e banheiros. Além de resolver questões funcionais, a marcenaria introduz outras materialidades, texturas e cores para os ambientes. Neste artigo iremos explorar alguns exemplos de como a marcenaria colorida pode tornar os projetos de arquitetura mais vibrantes. 

Apartamento Arouche / guará arquitetura + Vão. Image © André scarpaApartamento Brigadeiro / Nommo Arquitetos. Image © Brenda PontesApartamento AB / Traama Arquitetura. Image © Haruo MikamiApartamento Madaloft / GOAA - Gusmão Otero Arquitetos Associados. Image © Maíra Acayaba+ 18

5 Estratégias de projeto para manter a saúde mental nos espaços de trabalho compartilhado

A síndrome de burnout, também conhecida como síndrome do esgotamento profissional, tem estado cada vez mais presente entre os profissionais de hoje. Como resultado do acúmulo intenso de estresse e tensão emocional, sua origem está diretamente relacionada ao cotidiano laboral de cada indivíduo, e não somente aos quesitos logísticos e organizacionais das empresas, mas também é motivada pelo ambiente físico de trabalho.

Passamos em média 1/3 do nosso dia nos espaços de trabalho, portanto, não é à toa que eles assumem um importante papel na nossa saúde mental. Passada a onda dos home offices que vivemos no decorrer de 2020, temos assistido, hoje em dia, o crescente retorno aos espaços colaborativos de trabalho. Eles têm voltado à pauta como uma alternativa híbrida que permite um distanciamento do âmbito doméstico, consolidando a separação entre as funções, algo mais do que necessário após um ano de isolamento.  

Nest / Beza Projekt. © Jacek KołodziejskiReforma de Edifício Histórico e Criação de Escritório Coworking para Mulheres The Coven / Studio BV. © Corey Gaffer PhotographyCo-working utopic_US Conde de Casal / Izaskun Chinchilla Architects. © Imagen subliminalImpact Hub Berlin / Leroux Sichrovsky Architects. © Anne Deppe+ 25

O sofá como elemento compositivo na arquitetura em 20 exemplos

Cobertura / P-M-A-A. Foto: © José HeviaApartamento Concrete66 / Pinchuk Virovtseva Architects. Foto: © Andrey BezuglovVester Voldgade Apartment / Studio David Thulstrup. Foto: © Irina BoersmaApartamento LN / Studio Boscardin.Corsi Arquitetura. Foto: © Eduardo Macarios+ 21

O sofá é um elemento presente nos mais distintos programas. Marcado pelo conforto e aconchego que proporciona, sua cor, forma e textura ajudam a imprimir a personalidade de um ambiente, além de ajudar na estruturação do espaço. Buscamos em nosso arquivo vinte exemplos de como este componente pode agregar ainda mais valor a um projeto a partir de distintas soluções.

Estantes divisórias: funcionalidade e estética na arquitetura de interiores

Pamplona Apartment / Zoom Urbanismo Arquitetura e Design. Foto: © Maíra AcayabaCasa C / Studio Arthur Casas. Foto: © Fernando Guerra | FG+SGCasa Panamericana / Bernardes Arquitetura + Sala2 Arquitetura. Foto: © Evelyn MullerApartamento Acervo / Sala2 Arquitetura. Foto: © Evelyn Muller+ 31

Para trazer uma escala mais aconchegante em grandes espaços abertos ou abrigar usos diversos sob um mesmo teto, a solução de delimitar áreas através do desenho de mobiliário se tornou bastante eficaz. Funcional, ao servir como lugar de armazenamento ou, até mesmo, expositivo, as estantes que também exercem o papel de divisórias podem gerar novas perspectivas, ditar circulações e uma maior permeabilidade entre distintos ambientes.

Mobiliário modular: versatilidade e inovação nos interiores

Pylonesque: A Water Harvesting Structure / INDA Students of Chulalongkorn University + PAREID. Foto: © Beer SingnoiCornell University's Intuitive Push/Pull Furniture Series Blends Asian Sensibility with New York Flavor. Fotos: © NirutBenjabanpot, Garrett RowlandCo-working utopic_US Conde de Casal / Izaskun Chinchilla Architects. Foto: Cortesia de Izaskun Chinchilla ArchitectsEscritório Sede LIVE / Estudio Guto Requena. Foto: © Fran Parente+ 19

Combinar unidades e padrões a fim de apresentar distintas possibilidades de compor o espaço é o principal motivo para buscar por um mobiliário modular. Este agrega valor ao espaço através da versatilidade espacial que proporciona, além de criar um ritmo que pode ditar diferentes formas de ocupação e intervenções num mesmo ambiente.

A madeira na obra de Alvar Aalto: de banquetas a forros e estruturas

Muitos enquadram o trabalho de Alvar Aalto no conceito de Gesamtkunstwerk (uma obra de arte total), onde arquitetura, design e arte se fundem em um só. A obra do arquiteto finlandês é pioneira na chamada vertente orgânica da arquitetura moderna do início do século XX, influenciando fortemente o que conhecemos hoje como arquitetura escandinava. Segundo sua descrição no site do MoMA: “seu trabalho refletiu um desejo profundo de humanizar a arquitetura por meio de um manuseio não ortodoxo de formas e materiais que fosse racional e intuitivo”. Suas soluções para trazer luz natural aos edifícios são exaltadas e estudadas repetidamente até hoje. Mas em toda a sua carreira, um material que sempre esteve presente e de diversas formas foi a madeira. De estruturas, forros a banquetas, Alvar Aalto trouxe protagonismo a este material natural.

Studio Mescla / Cité Arquitetura

© imagens A+R Fotografia© imagens A+R Fotografia© imagens A+R Fotografia© imagens A+R Fotografia+ 17

  • Arquitetos: Cité Arquitetura
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área :  32
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano :  2019
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes :  Portobello, Ateliê Iole Mendonça, Celsius Leal, Deca, Força Carioca, +6

Mobiliário integrado à arquitetura: 10 projetos com tijolo

Algumas arquitetas e arquitetos conseguem propor interações entre as diferentes escalas dos projetos, atuando em uma multiplicidade de campos que vão da cidade ao detalhe dos acabamentos, passando pela escala do edifício. Embora, em muitos casos, a seleção do mobiliário que vai complementar um projeto – isto é, os elementos que acabarão por interagir com a escala humana – costuma ser relegada a uma etapa pós-construção, seu desenho nem sempre é considerado um problema secundário.

A escala das crianças: breve histórico sobre mobiliários infantis

Montessori Kindergarten in Xiamen / L&M DesignPhoto: 1931, Kaunas, Lithuania. Two children working on reading/writing words at Maria Varnienė's Children's House. The child on the left is Stasys Ragaišis, who later became a medical doctor.. Image via @montistory101Mi Casita Preschool and Cultural Center / BAAO + 4Mativ Design Studio. Image © Lesley UnruhPeter Keler - Puppenwagen, 19xx. Image via Wikimedia+ 53

Mobiliários infantils são aqueles - fixos ou móveis - desenhados pensando nas crianças, seja de acordo com os seus princípios ergonômicos e anatômicos, ou de forma a assessorá-las da forma mais adequada. Seguindo essa linha, podemos identificar dois tipos de móveis: (1) aqueles que facilitam a relação entre o cuidador e a criança e (2) os que permitem que a criança os utilize de forma independente.

A grande diferença entre esses dois tipos é que os primeiros possuem dimensões que se adaptam à ergonomia do adulto e o segundo são projetados para atender às necessidades ergonômicas da criança, em cada etapa de seu desenvolvimento. Como o crescimento das crianças ocorre de forma relativamente rápida, é comum que os móveis deste segundo grupo sejam multifuncionais ou mesmo extensíveis.

Interiores brasileiros: 8 projetos com mobiliário flexível

Projetar em uma época marcada por rápidas e constantes transformações significa estar atento ao surgimento de novas demandas e, mais do que isso, significa desenhar espaços que abarcam tal mutabilidade.

O mobiliário flexível, seja por sua capacidade de movimentação, por sua facilidade de transformação ou por assumir diferentes funções em uma mesma forma, é reflexo desse comportamento contemporâneo. São peças que possibilitam diferentes opções de organização espacial remodelando suas configurações conforme requisitos específicos e necessidades de mudanças servindo, também, para otimizar os espaços internos.

Apartamento Consolação / Canoa Arquitetura. Imagem @Rafaela NettoApartamento Higienópolis / Teresa Mascaro. Imagem @Pedro MascaroApartamento Andradas / OCRE arquitetura. Imagem @Cristiano BauceApartamento Viadutos / Vão. Imagem @Rafaela Netto+ 9

A seguir, selecionamos oito projetos brasileiros que trabalham a versatilidade e flexibilidade no mobiliário interno.