1. ArchDaily
  2. Interiores

Interiores: O mais recente de arquitetura e notícia

Interiores brasileiros: 9 projetos com vidros canelados

Com o objetivo de manter a passagem de luz nos ambientes, mas na busca por garantir uma maior privacidade aos seus usuários, o uso do vidro canelado permite uma extensão das possibilidades de aplicação do vidro em projetos arquitetônicos.

As ondulações que caracterizam o vidro canelado são obtidas a partir do processo de estiragem do vidro liso, o que permite uma fragmentação da imagem que atravessa a superfície em faixas verticais ou horizontais, a depender da sua orientação.

Porto Educação / numa arquitetos. Cortesia de numa arquitetosApartamento Tucumã / Alan Chu. Imagem: © Djan ChuEscritório FS Arquitetura / FS Arquitetura. Imagem: © Eduardo MacariosCasa2 Design / Dobra Arquitetura. Imagem: © Ivan Araújo+ 10

Como projetar interiores saudáveis?

Como projetar espaços que sejam saudáveis ​​para nossa mente e nosso corpo? Esta é a principal questão a que iremos responder neste mês de março abordando o tema interiores e bem-estar.

Arquitetura de interiores e a busca pelo bem-estar: projetando espaços de ensino

A pandemia, que a mais de um ano nos acompanha, marcou uma profunda ruptura nas rotinas diárias de milhões de pessoas ao redor do mundo. Obrigados ao confinamento doméstico prolongado e em muitos casos, a uma mudança definitiva para o modo de trabalho remoto, a separação entre o espaço da vida cotidiana e o escritório improvisado tornou-se extremamente turva. Neste contexto, alguns dos tópicos mais discutidos ao longo deste último ano foram a criação espaços de trabalho flexíveis em ambientes domésticos e se os próprios edifícios de escritórios são um modelo ultrapassado e que já não mais servem ao nosso atual modo de vida. Embora tenhamos discutidos amplamente uma série de assuntos relacionados à pandemia, no entanto, pouco tem se falado sobre o impacto da corrente situação no dia a dia das nossas crianças, especialmente daquelas em idade escolar.

© Nicky Huang© Milena Villalba© Peter Dibdin© Jackal Liu+ 16

Decoração e identidades feminina e masculina

Em 2021, a Casa Brasileira é o tema que norteia as ações do Museu do Ipiranga em parceria com o Wiki Movimento Brasil (WMB). A programação inclui maratonas de edição de verbetes que, neste ano, iniciam com encontros com pesquisadores da área, que falarão sobre as linhas de pesquisa que desenvolvem no Museu, seguidos de treinamento e assistência técnica sobre a plataforma. O segundo encontro desta série acontece no dia 23 de abril, sexta-feira, a partir das 14h, com o tema Decoração e identidades feminina e masculina.

“A Casa Brasileira é tema de pesquisa do Museu do Ipiranga há mais

Retorno às origens: interiores que exploram fogo, água, terra e ar

“Fique em casa”. Esse é o slogan que tem regido nossa vida no último ano, uma palavra de ordem que nos fez ressignificar a casa como refúgio, como abrigo, como proteção. Nessa nova condição instaurada, muito se tem discutido sobre o importante papel da arquitetura e do design de interiores para a promoção do bem-estar físico e mental dos seus ocupantes.

Voltamos nossos olhos e nossos esforços para inúmeras estratégias espaciais – das mais elaboradas às mais simples – que nos prometiam devolver a vocação de refúgio aos nossos lares. Em meio a essa busca, e apesar de estarmos vivendo na era mais tecnológica de todos os tempos, curiosamente, voltamos nossa atenção ao mais elementar, como um retorno às origens.

Fuente de los Amantes. Imagem © Flickr de EspartaCasa Viewing Back / HYLA Architects. © Derek SwalwellCasa de Veraneio Shikor / Spatial Architects. © Asif SalmanCasa 6M / Jannina Cabal. © JAG Studio+ 21

A forma segue o bem-estar: projeto baseado em traumas e o futuro do design de interiores

Muitos arquitetos e arquitetas são conscientes da importância de se levar em conta todos os sentidos humanos quando projetam seus espaços e edifícios. Ao abordar a percepção espacial do usuário como o resultado de uma somatória de diferentes sensações, a qual não pode ser reduzida a mera experiência visual do espaço, arquitetas e arquitetos são capazes de projetar edifícios e espaços cada vez mais inclusivos e acessíveis. Felizmente, ao longo das últimas décadas testemunhamos na arquitetura um enorme salto em relação a construção de espaços e edifícios mais acessíveis e acolhedores, principalmente em se tratando de pessoas com algum nível de restrição motora, porém, ainda estamos devendo muito em relação aos usuários com limitações cognitivas ou que passaram por algum tipo de experiência traumática.

A cura de pessoas com traumas não é nada simples e tampouco há um tratamento específico que possa servir à todos os pacientes. Nestes casos, a recuperação é uma longa jornada e que exige muito esforço do indivíduo, de tudo e todos ao seu redor. Muitas vezes, as vítimas de trauma são aconselhadas a passar mais tempo ao ar livre, em contato direto com a natureza. Mas e os espaços interiores? Considerando que atualmente a maioria de nós costuma passar praticamente 90% do tempo em espaços fechados, é imprescindível que a arquitetura destes ambientes de cura também seja concebida para promover a eficácia dos processos terapêuticos. Embora a primeira imagem que nos vem à mente seja um espaço com iluminação e ventilação natural abundante, materiais naturais e cores neutras, será mesmo que estes espaços contribuem para os processos de cura?

Interiores com abóbadas: 21 projetos que fogem do óbvio

High Park Residence / Batay-Csorba Architects. Foto: © Doublespace PhotographyArquivo Municipal / Aulets Arquitectes. Foto: © José HeviaRestaurante Wildernesse / Morris+Company. Foto: © Jack HobhouseCobertura / P-M-A-A. Foto: © José Hevia+ 22

Em sua definição mais branda, a abóbada - ou um teto abobadado - é um elemento construtivo em forma de arco com o qual se cobrem os vãos. Esta técnica foi muito utilizada durante o Império Romano e a Idade Média, no entanto caiu em desuso com o avanço de outras soluções que se tornaram mais práticas para a construção civil. Contudo, ainda é possível encontrar exemplos contemporâneos que optam por privilegiar essas estruturas antigas em reformas e reabilitações, ou que constroem uma nova devido à composição impactante que este elemento traz para uma obra.

Precisamos da psicologia para construir espaços saudáveis e agradáveis de viver

O que faz de um projeto de interiores um espaço saudável tanto para a nossa mente quanto para o nosso corpo? Essa foi a questão central do nosso tópico do mês de março “Interiores e bem estar”.

Museu do Ipiranga apresenta pesquisas sobre a Casa Brasileira em série de eventos digitais com a Wikipédia

A temática será abordada em cinco encontros ao longo deste semestre, voltados para a produção e aprimoramento de verbetes na enciclopédia digital; com a presença de pesquisadores do Museu, as maratonas de edição trazem discussões como a construção das relações de gênero a partir dos espaços e objetos da casa, bem como as transformações históricas ocorridas nos interiores domésticos do Brasil

Até o dia 15 de maio, os participantes que mais colaborarem com a produção de verbetes concorrem a prêmios de até R$2.500,00 em vale-compras


Espaço que, de um ano para cá, passou a reunir tantas atividades

Como tirar proveito de tetos altos em renovações

A altura do teto de um espaço influencia muito da nossa percepção sobre o mesmo. Geralmente, códigos construtivos locais definem as dimensões mínimas, que são calculadas para proporcionar uma qualidade de vida adequada no ambiente. Mas a altura exata dos pés-direitos é, muitas vezes, definida pela dimensão dos materiais que constituem a edificação, a altura das lajes ou, até, por conta do arredondamento nas dimensões dos degraus da escada. É comum que, com a densificação das cidades e visando um aumento na lucratividade, os empreendedores optem por criar pés-direitos mínimos em habitações e escritórios, reduzindo os custos de construção. Por outro lado, nas arquiteturas mais antigas, são observados pés-direitos mais generosos, que geralmente possibilitam um maior grau de liberdade projetual. Mas como tirar partido da melhor forma destes espaços?

Cor além da estética: a psicologia do verde na arquitetura

Quantas vezes você mudou as coisas de lugar dentro de casa no ano passado? Quer fosse uma mudança temporária ou definitiva, uma parede repintada, uma luminária nova ou aquele quadro que estava esperando para ser pendurado a séculos. No momento em que muitos de nós fomos forçados (ou convidados) a retroceder para dentro do espaço doméstico, passando a trabalhar desde casa, ficou cada vez mais difícil evitar aquelas pequenas mudanças que a tanto tempo se faziam necessárias. Não foi apenas a drástica mudança em nossas rotinas que nos causaram problemas, na verdade, o espaço no qual vivemos e trabalhamos desempenha um importante papel em como nos sentimos ou nos relacionamos uns com os outros. Portanto, para aqueles que se perguntaram por que algumas pessoas pareciam muito mais tranquilas e serenas durante o início da pandemia, pode ser porque a grama do seu jardim era mais verde que a nossa.

Green 26 / Anonym. Image © Chaovarith PoonpholCultural Activity of Beijing Guang'anmennei Community / MAT Office. Image © Kangshuo TangOttoman | Footstool Outdoor Complete Item by Ligne Roset on Architonic. Image Courtesy of Ligne RosetArtwork | Deco_01 by FLORIM on Architonic. Image Courtesy of FLORIM+ 26

UNStudio apresenta nova proposta de habitações flexíveis em Munique

UNStudio e Bauwerk criaram um novo conceito de habitação urbana para o Residencial Van B explorando a ideia de "analógico inteligente". Localizado em Munique, na Alemanha, este projeto prospecta sobre o futuro das cidades, se preocupando em transformar a demografia e a variedade de formas familiares existem atualmente. A partir de repartições adaptáveis e um sistema de móveis conectáveis, o projeto permite uma fácil e prática troca de configurações e layout. "Qualidade importa mais do que a área", dizem os arquitetos.

© bloomimages cortesia de UNStudio e Bauwerk© bloomimages cortesia de UNStudio e Bauwerk© bloomimages cortesia de UNStudio e Bauwerk© bloomimages cortesia de UNStudio e Bauwerk+ 16

Interiores monocromáticos: a cor como protagonista do espaço

Sabemos que as cores podem influenciar nossas sensações e provocar diferentes percepções do espaço, o que reitera a importância do seu estudo nos projetos arquitetônicos e a relevância da concepção de uma paleta de cores coerente. O impacto que a cor pode provocar no espaço e nas pessoas que o habitam torna-se ainda mais perceptível quando todo o ambiente é envolvido com apenas uma cor. Nesses casos não há limites para a quantidade de elementos arquitetônicos em que a tonalidade escolhida pode ser aplicada. Pisos, forros, paredes, mobiliário e até mesmo as tubulações e eletrocalhas podem ter uma coloração específica atribuída para estar em concordância com o ambiente monocromático.

Objective Subject Offices / GRT Architects. Imagem: © Nicole FranzenEscritório de Nutrição PP / LANZA Atelier. Imagem: © Luis YoungEscola Americana de Kosovo / Maden Group. Imagem: © Leonit IbrahimiAxur Cyber Inspection / Arquitetura Nacional. Imagem: © Marcelo Donadussi+ 11

12 Interiores brasileiros com estrutura aparente

No campo da arquitetura, é comum notar em muitos projetos uma certa predileção dos arquitetos pelo emprego de materiais e elementos arquitetônicos em seu estado aparente ou bruto, como alguns preferem chamar. Com o intuito de expor a materialidade da estrutura de um edifício, é frequente, sobretudo em projetos de reformas, um processo de retirada de forros e revestimentos. Essa busca pela retomada de um estado anterior da construção — ainda sem o acréscimo de elementos para cobrir a estrutura, tubulações, canos e eletrodutos — transforma esses espaços em lugares onde não há nada a esconder.

Apartamento Higienópolis / Teresa Mascaro. Imagem: © Pedro MascaroAmpliação de Apartamento no Edifício Brasil / Alvorada Arquitetos. Imagem: © Pedro KokApartamento AMRA7 / Piratininga Arquitetos Associados + Bruno Rossi Arquitetos. Imagem: © Nelson KonApartamento 3 Zero 8 / Debaixo do Bloco Arquitetura. Imagem: © Joana França+ 13

Limitação física e qualidade espacial em apartamentos brasileiros com menos de 50m2

Soluções para apartamentos de pequena escala estão se tornando cada vez mais necessárias, haja vista a redução da área dos apartamentos que vêm sendo construídos nos centros das maiores cidades do país. O alto preço do solo, associado às legislações em vigor, tem estimulado a construção de unidades cada vez mais diminutas – o que pode, por vezes, ser associado a uma redução na qualidade de vida dos residentes. 

Mas isso nem sempre é o caso, e o projeto arquitetônico pode desempenhar um papel fundamental em tornar uma pequena caixa de concreto e alvenaria em um lar agradável e que atenda às necessidades de quem lá habitará. A seguir, reunimos 10 exemplos de apartamentos entre 24me 48mconstruídos no Brasil que convertem as limitações físicas em qualidades espaciais. 

Studio Saint Hilaire / Antonio Armando de Araújo - Arquitetura e Design. Foto © Evelyn MüllerPinheiros 383 / Goma Oficina. Foto © Lauro RochaApartamento Promenade / Pedro Haruf. Foto © Dentro FotografiaApartamentos Liberdade / TODOS Arquitetura. Foto © Alexandre Suplicy+ 11