1. ArchDaily
  2. Movimento

Movimento: O mais recente de arquitetura e notícia

Uma breve história do movimento de design da Secessão de Viena

Todos os movimentos de arquitetura ao longo da história surgiram de mudanças na sociedade que exigiram um novo estilo que refletisse melhor a maneira como a tecnologia avançou e como as pessoas expressam suas crenças e valores políticos, religiosos e morais. Enquanto algumas mudanças ocorrem ao longo de um período de vários anos, outras são vivenciadas de maneira repentina. A Secessão de Viena foi, sem dúvida, o último caso. No final do século XIX, um grupo de artistas e arquitetos pretendia explorar o que a arte deveria ser no que se refere à restrições de influências globais que poderiam introduzir um novo modernismo.

O nascimento dos movimentos arquitetônicos: onde estamos agora?

A arquitetura, e todos os aspectos do mundo do design, experimentou vários movimentos ao longo do tempo que definiram a maneira como nos expressamos por meio de edifícios, artes e outros meios. Criadas a partir de uma insatisfação com o status quo ou do surgimento de novas tecnologias, houve mudanças arquitetônicas particularmente notáveis e ideologias emergentes nos últimos 100 anos. Isso nos deixa com a pergunta - em que momento estamos agora e o que o caracteriza? Como iremos refletir retroativamente sobre este momento arquitetônico, e a pandemia de COVID-19 irá acelerar a inovação para nos levar à nossa próxima era de projeto?

A cidade como um jogo de peças

A alteridade é fundamental para o desenvolvimento humano. Se privado de estímulos variados, o cérebro não se desenvolve, perde a plasticidade e se deteriora como um músculo atrofiado. Tal argumento é amplamente aceito quando se trata de relações sociais, atividades cognitivas ou físicas. E quanto aos estímulos promovidos pelo ambiente construído?

UNDERSCORE - Festival de Música, Som, Imagem em Movimento e Arquivo

Tem início amanhã, dia 13 de Junho, o novíssimo festival da cidade de Lisboa: o Underscore, Festival de Música, Som, Imagem em Movimento e Arquivo, festival que cria em Lisboa relações dinâmicas entre músicos e filmes, surpreendendo o espectador. Alguns dos eventos não foram nem serão apresentados novamente em mais lado nenhum, sendo únicos ao festival: as sessões de quarta à noite com Pavel Fajt, Maria do Mar e Maria Radich, e as de sábado de manhã e de noite com Neil Brand e filmes de Lotte Reiniger e das vanguardas do cinema português respectivamente.

Podemos viver sem desperdiçar espaço? - Pesquisa da TUDelft aborda o uso eficiente do espaço

O espaço arquitetônico como o conhecemos é deixado em grande parte vazio mesmo quando habitando. Nos tornamos acostumados a esse espaço vazio, o tomamos por certo, e a maior parte das pessoas não poderia imaginar uma vida na qual somos forçados a ocupar o espaço que usamos. Através da catalogação de nossas atividades diárias e da análise de nossos movimentos corporais, Stavros Gargaretas, do estúdio Why Factory da TUDelft buscou examinar a questão da eficiência definitiva do espaço com um projeto intitulado “The Evolving Room: Inhabiting Zero Wasted Space". O trabalho foi realizado sob a supervisão de Ulf Hackauf, Adrian Ravon e Huib Plomp, juntamente com o fundador do Why Factroy, Winy Maas, e venceu o prêmio Melhor Projeto de Graduação da Faculdade de Arquitetura.

Podemos viver sem desperdiçar espaço? - Pesquisa da TUDelft aborda o uso eficiente do espaçoPodemos viver sem desperdiçar espaço? - Pesquisa da TUDelft aborda o uso eficiente do espaçoPodemos viver sem desperdiçar espaço? - Pesquisa da TUDelft aborda o uso eficiente do espaçoPodemos viver sem desperdiçar espaço? - Pesquisa da TUDelft aborda o uso eficiente do espaço+ 25