1. ArchDaily
  2. Iphan

Iphan: O mais recente de arquitetura e notícia

Iphan lança concurso de artes visuais com tema "paisagens caiçaras"

Estão abertas as inscrições para participar de uma nova edição da exposição Paisagens Caiçaras. De 14 de fevereiro até 20 de março, a curadoria do projeto receberá trabalhos de artes visuais com a temática “As Vilas e Populações Caiçaras do Brasil”. O tema foi sugerido pela população à Gerência de Filatelia dos Correios para a emissão de um selo especial em 2022.

Iphan abre inscrições para 2º edição do curso de Educação Patrimonial no Distrito Federal

A segunda edição do curso autoinstrucional “Educação Patrimonial, Diversidade e Meio Ambiente no Distrito Federal” já está com suas inscrições abertas. O curso é aberto a todos os interessados e faz parte do plano de trabalho de um termo de cooperação assinado entre o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Distrito Federal (DF) e a Secretaria de Estado e Educação do DF (SEEDF).

A invenção da superquadra: Iphan disponibiliza livro digital sobre as unidades de vizinhança de Brasília

Há muitas qualidades arquitetônicas e urbanísticas que justificam a inscrição de Brasília na lista de Patrimônio Cultural da Humanidade da Unesco, e talvez a invenção das superquadradas seja um dos mais negligenciados. Módulo estruturador do setor habitacional proposto por Lucio Costa, a superquadra não se presta apenas à moradia; é parte de um todo maior, a cidade moderna, contribuindo para a fruição, harmonia e convívio entre seus habitantes.

Arquitetura moderna e patrimônio cultural: a história do Palácio Gustavo Capanema

O projeto para o então denominado Ministério da Educação e Saúde Pública foi elaborado no decorrer do ano de 1936 pela equipe integrada pelos arquitetos Oscar Niemeyer, Affonso Reidy, Jorge Moreira, Carlos Leão e Ernani Vasconcelos, sob coordenação de Lucio Costa. A pedido do então Ministro Gustavo Capanema e com orientação de Le Corbusier, a equipe de jovens modernistas brasileiros ficou incumbida de dar identidade nacional ao edifício que viria a se tornar um dos maiores ícones de nossa arquitetura, em frontal oposição à estética dominante. A não contratação do projeto original, vencedor do concurso público realizado para este fim, é apenas uma parte desta incrível história.

Casarões históricos são destruídos por deslizamento de terra em Ouro Preto

O deslizamento de uma encosta no Morro da Forca atingiu hoje pela manhã dois casarões no centro histórico de Ouro Preto-MG, destruindo-os completamente. As edificações eram tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Minutos antes da tragédia, a área havia sido evacuada e não houve vítimas.

Conjunto da Tecelagem Parahyba de Rino Levi e Burle Marx é tombado pelo Iphan

O conjunto da Tecelagem Parahyba e da Fazenda Santana do Rio Abaixo, em São José dos Campos (SP), é o mais novo monumento a integrar definitivamente o Patrimônio Cultural Brasileiro. A decisão foi tomada por unanimidade no dia 10 deste mês, durante a 98ª Reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, órgão vinculado ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O conjunto já havia sido tombado provisoriamente pela Autarquia e agora recebe a proteção em caráter permanente.

© Romullo Baratto© Romullo Baratto© Romullo Baratto© Romullo Baratto+ 12

Iphan descobre pintura barroca durante restauração da Igreja do Bonfim em Alagoas

Casas coloridas contornam um vasto pátio que se estende à frente da igreja de fachada franciscana: o visitante que chega a Marechal Deodoro (AL) é logo cativado por essa paisagem singular. Trata-se da Igreja Nosso Senhor do Bonfim, situada no Largo de Taperaguá, que está sendo restaurada com investimentos de R$ 1,3 milhão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O interior da edificação também guarda atrativos, como a recém-descoberta pintura do forro.

Sítio Roberto Burle Marx recebe título de Patrimônio Mundial da Unesco

O Brasil acaba de receber mais um título de Patrimônio Mundial. Legado de um dos maiores paisagistas do século XX, o Sítio Roberto Burle Marx (SRBM) foi reconhecido nesta segunda-feira, 26 de julho, durante a 44ª Sessão do Comitê do Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

O Sítio foi reconhecido na categoria de Paisagem Cultural, na qual se enquadram bens que referenciam a interação entre o ambiente natural e as atividades humanas, resultando em uma paisagem natural modificada. O Brasil passa agora a ter 23 bens inscritos na Lista do Patrimônio Mundial da Unesco, registro dos bens considerados como portadores de valor universal excepcional para a cultura da humanidade.

O que é patrimônio material e imaterial?

A palavra patrimônio vem do latim “patrimonium”, na junção das palavras pater (pai) e monium (sufixo que indica condição, estado, ação). Por meio dessa etimologia, entende-se a relação do termo com a ideia de herança, daquilo que era transmitido de geração para geração.

De uma concepção individual e privativa, com o passar do tempo, – mais precisamente no período entre guerras –, o conceito de patrimônio adquiriu uma abordagem abrangente, passando a ser aplicado em diferentes áreas.

Iphan anuncia vencedores do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade 2020

O Iphan anunciou os vencedores da 33ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade (Prêmio Rodrigo 2020). As 12 ações selecionadas receberão R$ 20 mil em recursos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, enquanto que outras cinco foram reconhecidas com menções honrosas. Organizada pelo instituto, a premiação acontece desde 1987 e é a maior na área do Patrimônio Cultural em todo o país, reconhecendo iniciativas de excelência e caráter exemplar.

Projeto Luminar lança aplicativo, livros e mapas de bairros tombados pelo Iphan em Santa Catarina

Um mapa turístico ilustrado em aquarela, um aplicativo para celular, disponível para Android e iOS, e dois livros que reúnem histórias dos bairros de Rio da Luz, no município de Jaraguá do Sul, e Testo Alto, em Pomerode, ambos em Santa Catarina, compõem o Projeto Lumiar, que vai realizar o lançamento online dos produtos às 19h desta quinta-feira, 8. Resultado de dois anos de pesquisa junto às comunidades dos bairros, o evento de lançamento recebe apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Casa Wilhelm Radünz, Testo Alto. Fonte: Espaço Arqueologia, 2019, , retirado do livro "Morar na Colônia: a arquitetura da imigração em Testo Alto e Rio da Luz"Vista do conjunto construído da “Casa Angida Riemer”, no bairro Testo Alto, em Pomerode. Fonte: Espaço Arqueologia, 2020, retirado do livro "Morar na Colônia: a arquitetura da imigração em Testo Alto e Rio da Luz"Casa Vino Krüger, Rio da Luz, Jaraguá do Sul. Fonte: Espaço Arqueologia, 2020, retirado do livro "Morar na Colônia: a arquitetura da imigração em Testo Alto e Rio da Luz"Rio da Luz, Jaraguá do Sul. Fonte: Espaço Arqueologia, 2019, , retirado do livro "Morar na Colônia: a arquitetura da imigração em Testo Alto e Rio da Luz"+ 5

Iphan disponibiliza gratuitamente milhares de publicações sobre patrimônio brasileiro

Desde sua fundação em 1937, e apesar das recentes controvérsias envolvendo sua gestão e presidência, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) tem constituído um dos maiores acervos bibliográficos, documentais e iconográficos do Brasil. Ao todo, são 13 bibliotecas que guardam mais de 500 mil livros e periódicos, interligadas entre si e às principais bibliotecas do país. Deste rico material, parte considerável está disponível online – e gratuitamente – na plataforma online do Instituto.

Patrimônio em risco: GSI quer instalar torres antidrones em palácios de Brasília

O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) contratou, por R$ 2,49 milhões, um sistema de detecção e “neutralização” de drones que prevê instalação de antenas de até 20 metros sobre os Palácios do Planalto, da Alvorada e do Jaburu, para proteger o presidente da república e a cúpula do poder executivo. No entanto, apesar da urgência alegada pelo órgão comandado por general Augusto Heleno para tal projeto, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) está barrando a obra. 

Inscrições abertas para o maior prêmio de valorização do patrimônio cultural no Brasil

Todos os brasileiros que atuam na gestão, preservação, valorização e promoção do Patrimônio Cultural podem participar do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. Promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1987, esta é a maior premiação nacional no campo do patrimônio cultural e tem como objetivo valorizar aqueles que atuam em favor da preservação dos bens culturais do país.

Iphan oferece 10 bolsas de estudo para mestrado profissional em preservação do patrimônio

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - Iphan abriu inscrições para 10 bolsas de Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural. Os interessados em participar do processo seletivo podem se inscrever até o dia 02 de março de 2020.

Dicionário Iphan do Patrimônio Cultural: o que é "revitalização"

Podemos inicialmente apreender o conceito de revitalização como uma prática projetual ou um processo socioespacial liderado estrategicamente por determinados grupos associados ao planejamento urbano contemporâneo. A estruturação da cidade contemporânea depende, de acordo com Meyer (2000), de grandes projetos urbanos estratégicos. O valor estratégico de tais projetos está subordinado, segundo a autora, à sua capacidade de provocar transformações significativas no espaço metropolitano, aumentando seu poder de atratividade e influência. Mais do que simplesmente melhorias urbanas pontuais e específicas, o planejamento urbano contemporâneo se revela, na intencionalidade de seus defensores, como um instrumento capaz de promover a agregação do território metropolitano e de organizar os fluxos que evitam a dispersão funcional e espacial.

Dicionário Iphan do Patrimônio Cultural: o que é um "quilombo"

A Constituição Federal de 1988, ao trazer em dois de seus artigos termos associados aos quilombos, abriu portas para a apropriação dessa categoria pelos movimentos sociais camponeses mobilizados e organizados em torno do fator étnico. Processo esse não previsto pelos legisladores, que tratavam a categoria quilombo a partir de uma perspectiva passadista, baseada mais em uma abordagem arqueológica e exotizante do patrimônio cultural associado a outras matrizes culturais que não a luso-brasileira.