1. ArchDaily
  2. Bicicletas

Bicicletas: O mais recente de arquitetura e notícia

4 cidades que investiram em infraestrutura cicloviária

Há alguns anos, o prefeito de Londres, Boris Johnson, definiu a cidade como "um centro de revolução do ciclismo", pois entre 2000 e 2011 o número de ciclistas na capital inglesa duplicou. Isso, longe de ser tratado como um problema, foi visto como uma oportunidade que levou à criação de um ambicioso Plano Diretor de Ciclovias.

Embora o Plano de Londres seja recente, outras cidades também tiveram a oportunidade de colocar em prática seus projetos, que não apenas incentivaram o uso da bicicleta, mas transformaram-na no principal meio de transporte urbano.

Veja os projetos abaixo:

“EuroVelo”: A rede de 14 ciclovias que conectará 43 países da Europa

70 mil quilômetros é a extensão estimada da EuroVelo, uma grande rede formada por 14 ciclovias que, em 2020, conectará diversas cidades de 43 países europeus, incluindo os pertencentes à União Europeia.

A iniciativa foi criada pela Federação Europeia de Ciclistas (ECF) com o objetivo de criar uma rede de ciclovias que possam ser usadas diariamente nos trajetos urbanos e que também sirvam para os turistas que queiram percorrer grandes distâncias.

Madri inaugura sistema público de bicicletas elétricas

BiciMAD é o nome do sistema público de bicicletas elétricas recentemente inaugurado em Madri. O objetivo desse sistema é proporcionar um meio alternativo de transporte limpo para os cidadãos e fomentar o uso de bicicletas na cidade.

O sistema compreende 1.580 bicicletas distribuídas entre 123 estações localizadas no centro da cidade e nos bairros de Moncloa, Salamanca, Retiro, Pacífico e Arganzuela e funciona de forma ininterrupta (24 horas por dia, todos os dias da semana). As bicicletas têm autonomia de cerca de 70 quilômetros.

Lightbattle: uma batalha de luzes por VENIVIDIMULTIPLEX

Recentemente foi exposta a instalação Lightbattle na passagem do Rijksmuseum em Amsterdã, o maior museu dos Países Baixos. A instalação projetada por VENIVIDIMULTIPLEX para o Festival da Luz de Amsterdã contava com 10 bicicletas que criavam um arco iluminado com mais de 5.000 LEDs, que se acendia quando os ciclistas pedalavam.

Mais detalhes a seguir.

Cortesia de VENIVIDIMULTIPLEXCortesia de VENIVIDIMULTIPLEXCortesia de VENIVIDIMULTIPLEXCortesia de VENIVIDIMULTIPLEX+ 9

Vídeo: “Bicycle Anecdotes from Amsterdam”

“Nós estivemos onde vocês estão”. Essa frase, dita por um dos entrevistados no documentário feito pelo Streetfilms, revela que Amsterdam também teve um período em que os automóveis eram sinônimos de progresso e podiam ser vistos por toda a cidade.

Nos anos 60, o número de acidentes de trânsito na capital holandesa aumentou consideravelmente; isso desencadeou, na década seguinte, uma proposta por parte dos habitantes que visava mudar essa realidade através da rejeição do automóvel e da construção de uma cultura ciclista.

Projeto Nuvem chega a Curitiba, Porto Alegre e Campinas

Entre os meses de abril e julho, o projeto Nuvem, contemplado no Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais – 9ª Edição vai percorrer três cidades brasileiras: Curitiba, Porto Alegre e Campinas. A primeira etapa acontece na sede do coletivo artístico Bicicletaria Cultura / Jardins de Volts, em Curitiba, de 18 a 20 de abril, das 11h às 18h. As inscrições são gratuitas. Por dia, serão disponibilizadas 20 vagas. A segunda etapa ocorre em Porto Alegre, no Lappus / Cidade das Bicicletas, no mês de junho, e a última sequência de ações será em Campinas, no coletivo Ateliê Aberto, em julho.

Proposta de Norman Foster pretende transformar Londres em uma "utopia cicloviária"

O escritório Foster + Partners divulgou um plano que pretende transformar as vias férreas de Londres em ciclovias. Se aprovada, a proposta - concebida com a ajuda do escritório de paisagismo Exterior Architecture e da consultora de transportes Space Syntax - conectaria mais de seis milhões de habitantes através de uma rede elevada de ciclovias sobre as ferrovias existentes da capital inglesa.

"SkyCycle é uma abordagem paralela para encontrar espaço em uma cidade congestionada", disse Norman Foster, que é ciclista e presidente da National Byway Trust. "Ao utilizar corredores sobre as ferrovias metropolitanas, poderíamos criar uma rede de transporte cicloviário segura e livre de automóveis com ótima localização para os usuários."

Campanha para levantar fundos para o filme "Bikes vs. Cars"

Você acha que o trânsito está ruim? Um bilhão de carros estão circulando pelas ruas de todo o mundo hoje em dia, e outro bilhão deve se juntar a estes na próxima década. Poluição e níveis e estresse estão cada vez mais altos, dando motivos a muitos políticos e ciclo-ativistas a declarar guerra contra a multi-bilionária indústria automobilística que tem impactado profundamente o desenvolvimento das cidades em todo o mundo. 

Em direção às Ciclo Cidades: como os arquitetos devem considerar as bicicletas como inspiração

Se Henry Ford reincarnasse como um fabricante de bicicletas, Le Corbusier como um arquiteto para edifícios e cidades cicláveis e Robert Moses como o representante no governo, "amante de bicicletas", os projetos envolvendo bicicletas seriam muito mais ambiciosos. Ford estaria visando vender bilhões de bicicletas, Corbusier estaria procurando salvar todo o mundo e, mesmo se levasse toda uma vida, Moses estaria tentando deixar sua marca permanente.

Eles gostariam de dar ao transporte ativo um empurrão, assim como o que a indústria automotiva recebeu com a criação de terra urbanizada nos subúrbios. Então, quem são nossos Le Corbusiers dos tempos modernos, amantes das bicicletas? E quais, exatamente, são suas tarefas?

Por que cidades voltadas ao ciclismo são o futuro?

O lançamento, em 2010, do “Boris Bike” - esquema de compartilhamento de bicicletas de Londres, em homenagem ao prefeito Boris Johnson - foi a indicação mais clara até agora de que o ciclismo já não se reduz a uma minoria de fanáticos, mas um modo saudável, eficiente e sustentável de transporte que planejadores urbanos devem utilizar em seu arsenal. Existem hoje mais de 8.000 bicicletas e 550 estações de compartilhamento no centro de Londres. E este comportamento não é limitado à cidade: segundo o Wikipedia, existem 535 sistemas deste tipo em 49 países, utilizando mais de meio milhão de bicicletas em todo o mundo.

No entanto, a verdadeira questão é: será que as bicicletas realmente mudam a cidade? Será que isso resultará em novas formas urbanas ou, como o título do novo livro do acadêmico australiano Dr. Steven Fleming prevê, uma "Cycle Space"? Como Fleming, acredito que sim. Acredito que o ciclismo pode ser o catalisador para um renascimento urbano no século 21.

Leia como, a seguir...

“Ascobike”: O maior estacionamento de bicicletas das Américas fica no Brasil

Na cidade de Mauá, a 27 km a sudoeste de São Paulo, era comum observar até 200 bicicletas estacionadas em qualquer ponto da estação de trens que conecta ambas as cidades, consequência de uma lei municipal que proíbe estacionar as bicicletas nos postes das ruas. Se um guarda encontra uma bicicleta amarrada ou presa num poste, ele tem permissão para apreendê-la e levá-la à um pátio municipal de veículos apreendidos. Por isto, todos os ciclistas deixavam suas bicicletas na estação, considerada um lugar seguro, com gente circulando até tarde da noite.

Estreia em Chicago o "Divvy Bikes", novo sistema de aluguel de bicicletas

No final de maio, Nova York inaugurou a Citi Bike, seu novo sistema de aluguel de bicicletas. Em 28 de junho foi a vez de Chicago estrear seu próprio sistema de compartilhamento, chamado Divvy Bikes. As primeiras estações abertas foram as mais próximas das estações de metrô e do centro, enquanto as outras se localizam em áreas residenciais, escolas, escritórios e áreas comerciais.

Sistema de estacionamento subterrâneo para bicicletas

Criado no Japão, este sistema de armazenagem e estacionamento para bicicletas é uma eficiente solução para as cidades congestionadas daquele e de tantos outros países. A única coisa que o ciclista tem que fazer é deixar sua bicicleta em um ponto de coleta, o sistema, então, armazena-a automaticamente no subsolo.

Cortesia de hypenessCortesia de hypenessCortesia de hypenessCortesia de hypeness+ 10

Bicicletas: “Somos pessoas em contato direto com a cidade”

Assim como quando caminhamos, ao pedalar estamos em contato direto com a cidade, somos parte dela, nos relacionamos com seus outros habitantes, seja através de olhares, linguagem corporal ou mesmo conversas que acontecem no espaço público. Não há interfaces nem elementos que nos limitem; estar livre, sem barreiras metálicas, é enriquecedor.

Marginal Pinheiros de São Paulo terá nova ciclovia e ponte móvel

O Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckimin, liberou cerca de R$ 5,7 milões para a Secretaria de Energia para a implantação de uma ciclovia que ligará a entrada do Pomar Urbano à ponte do Socorro e uma ciclopassarela móvel que liga a estação Santo Amaro da CPTM ao bairro Socorro. Parte da verba também será destinada a elaboração de estudos para a requalificação urbana das marginais da cidade, Pinheiros e Tietê.

Vídeo: Bicycled "Uma bicicleta feita de carros"

Imagem capturada do vídeo Bicycled » A bike made out of cars [NEW]
Imagem capturada do vídeo Bicycled » A bike made out of cars [NEW]

Algo está mudando no mundo e pode-se dizer que este vídeo é uma metáfora disto e, por sorte, também uma realidade.

Os carros geram bastantes problemas nas cidades, dos quais já conhecemos bem como as emissões de CO2, o trânsito, a necessidade de espaços destinados a estacionamentos, etc. Mas além disso, quando ficam em desuso geram um problema extra, já que muitas cidades devem destinar espaços a verdadeiros cemitérios de carros.

10 elementos a se considerar para implantar uma boa rede de estacionamentos para bicicletas na cidade

Por Claudio Olivares Medina, Ciclismourbano.info, via Plataforma Urbana. Tradução Archdaily Brasil.

Estrada para bicicletas com 30 km de extensão foi construída na Suécia

De tempos em tempos são anunciados projetos de novas ciclovias que servirão para melhorar os deslocamentos dos ciclistas e o uso do espaço público. Mesmo estes projetos sendo um avanço em comparação à realidade dos ciclistas há alguns anos, ainda há muito a melhorar, sobretudo em entender que a infraestrutura cicloviária deve estar aliada a um plano que permita que a bicicleta transforme-se em uma real alternativa de transporte.