i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Sustentabilidade

Ministério Público proibirá Prefeitura de São Paulo de usar jardins verticais como compensação ambiental

10:00 - 24 Setembro, 2017
Ministério Público proibirá Prefeitura de São Paulo de usar jardins verticais como compensação ambiental, via revistaqualimovel.com.br
via revistaqualimovel.com.br

O Ministério Público e a 1ª Promotoria de Justiça de Meio Ambiente de São Paulo ajuizaram uma ação pública que visa proibir a Prefeitura de SP de autorizar a construção de jardins verticais como forma de compensação ambiental. Para o promotor Marcos Stefani, autor da ação, estes jardins deixam a cidade mais verde, entretanto, "mas não como uma forma aceitável para a remoção de espécies arbóreos."

Um dos argumentos do inquérito do qual decorre o processo é que a instalação dos jardins verticais, permitida pelo atual prefeito como modo de compensar o meio ambiente, não é eficiente o bastante para este intuito, já que as paredes verdes realizam fotossíntese e evapotranspiração em taxas muito inferiores. 

São Paulo through the looking-glass [seis cenários impossíveis para sp]

18:00 - 20 Setembro, 2017
São Paulo through the looking-glass [seis cenários impossíveis para sp], SAO PAULO THROUGH THE LOOKING-GLASS [seis cenários impossíveis para sp], com Eduardo Pimentel Pizarro
SAO PAULO THROUGH THE LOOKING-GLASS [seis cenários impossíveis para sp], com Eduardo Pimentel Pizarro

“Alice laughed. […] ‘One can’t believe impossible things.’ ‘I daresay you haven’t had much practice,’ said the Queen. ‘When I was your age, I always did it for half-an-hour a day. Why, sometimes I’ve believed as many as six impossible things before breakfast.”

A partir deste trecho do livro “Through the Looking-Glass”, de Lewis Carroll, e à contrapelo da realidade, o objetivo do curso é experimentar, teórica e projetualmente, a proposição de seis cenários “impossíveis” para a cidade de São Paulo, direcionados por seis eixos temáticos: edifícios;

Debate sobre o Plano Estratégico de Transformação para o Rio Comprido no Rio de Janeiro

18:00 - 20 Setembro, 2017
Debate sobre o Plano Estratégico de Transformação para o Rio Comprido no Rio de Janeiro, Cartaz com Informações do Evento Divulgado pelo IAB - Arte: Guto Santos
Cartaz com Informações do Evento Divulgado pelo IAB - Arte: Guto Santos

O Baixo Rio é um coletivo multidisciplinar que se propõe a elaborar estratégias para transformar o espaço urbano, em toda a sua abrangência. Temos como premissa a participação ativa dos diversos agentes: população, a iniciativa pública, privada e acadêmica.

Temos como objetivo transformar nossa cidade em um lugar melhor, mais sustentável e seguro. Sendo assim, temos que começar a repensar as ruas, os parques, as praças e a paisagem urbana, fazendo com que seja possível humanizar o espaço público e experimentar o encontro entre as diversas “tribos” que vivem na mesma comunidade.

Vamos criar um debate sobre estratégias sustentáveis que se apliquem

Solar Squared: um bloco de vidro que gera energia elétrica

10:00 - 10 Setembro, 2017
Solar Squared: um bloco de vidro que gera energia elétrica, © Build Solar. Divulgação
© Build Solar. Divulgação

Especialistas em energia renovável da Universidade de Exeter, na Inglaterra, desenvolveram um bloco de vidro com células solares embutidas. A ideia é que, com a disseminação da tecnologia, seja possível construir uma casa ou edifício inteiro usando blocos que geram energia na fachada.

O produto recebeu o nome de Solar Squared, e testes feitos na universidade demonstraram que eles garantem isolamento térmico e permitem que a luz natural entre nos edifícios.

Vincent Callebaut propõe uma floresta suspensa sobre rio em Seul

19:00 - 30 Agosto, 2017

Vincent Callebaut Architectures desenvolveram um projeto que reimagina a margem do rio Yeouhido Park, Seul. O parque é concebido como um espaço urbano experimental dedicado ao desenvolvimento sustentável através de uma série de intervenções - incluindo um terminal de ferry. Nomeado "Manta Ray", a ambição da proposta é transformar o parque em uma floresta, aumentando a irrigação natural e fortalecendo os bancos contra inundações. O "paisagismo permeável" busca reduzir inundações e reabilitar os ecossistemas urbanos que se fragmentaram através da expansão rápida de Seul. A estratégia dominada pela vegetação também busca reduzir o efeito urbano da "ilha de calor" que Seul tem experimentado devido às mudanças climáticas nas últimas décadas.

© Vincent Callebaut Architectures © Vincent Callebaut Architectures © Vincent Callebaut Architectures © Vincent Callebaut Architectures + 32

Vento, sol e chuva: como e por que trazer o clima para dentro dos edifícios

07:00 - 24 Agosto, 2017
Vento, sol e chuva: como e por que trazer o clima para dentro dos edifícios

Trazer o clima para dentro é geralmente o oposto do que se deseja de um edifício, mas uma nova pesquisa da Universidade de Oregon, descrita em um artigo do Washington Post, visa mostrar os benefícios físicos e psicológicos de trazer a natureza para os espaços internos. Natureza e alterações climáticas são duas coisas benéficas para o nosso bem-estar, que nem sempre são acessíveis no interior dos edifícios, onde os seres-humanos atualmente passam 90% de suas vidas. Entretanto, mesmo em um ambiente urbano, onde é difícil encontrar espaços naturais, não há como escapar do clima. Quando os pesquisadores descobriram maneiras de trazer as mudanças climáticas para dentro - coisas como a luz solar e o vento - descobriram também que a exposição a esses tipos de mudanças naturais tendem a diminuir as frequências cardíacas e causam menos distrações que movimentos artificiais semelhantes.

© Hiroyuki Oki © Carlos Chen © Alex de Rijke © Alejandro Arango © K. M. Lee © Alejandro Arango + 7

13 Cidades que estão começando a banir os automóveis

10:00 - 20 Agosto, 2017
13 Cidades que estão começando a banir os automóveis, Oslo, Noruega. Image © dconvertini via Visual Hunt /  CC BY-SA
Oslo, Noruega. Image © dconvertini via Visual Hunt / CC BY-SA

Dos últimos cinco anos para cá, diferentes cidades em todo o mundo começaram a perceber que é mais fácil e saudável para seus habitantes viverem sem automóveis. Dos incontáveis benefícios para meio ambiente ao aumento da segurança viária, livrar-se dos carros particulares parece uma solução cada vez mais viável (e necessária) nos centros urbanos.

Oslo, na Noruega, é uma das pioneiras desta tendência mundial e em 2015 anunciou que baniria os automóveis com motor à combustão do centro da cidade. Após protestos por parte dos comerciantes (algo que frequentemente acontece nessas situações) o conselho municipal propôs uma solução: em vez de banir os carros, tornar cada vez mais difícil o acesso ao centro com a exclusão dos estacionamentos.

LAVA inicia a construção de uma torre de energia escultórica na Alemanha

16:00 - 18 Agosto, 2017
LAVA inicia a construção de uma torre de energia escultórica na Alemanha, Cortesia de LAVA
Cortesia de LAVA

Teve início a construção do projeto de renovação da torre de armazenamento de energia que o escritório LAVA (Laboratório para Arquitetos Visionários) projetou em Stadtwerke Heidelberg (SWH) em Heidelberg, na Alemanha. A nova fachada da torre cilíndrica de 56 metros e o projeto de um parque adjacente fazem parte de uma iniciativa para criar um marco escultural e símbolo de energia sustentável para a cidade.

Para adicionar dinamismo à antiga torre, o LAVA apresenta uma nova fachada em várias camadas com 11 mil placas de aço inoxidável em forma de diamante, as quais estão conectadas a uma rede de cabos de aço que pode girar até 45 graus com o vento. De acordo com os arquitetos, a quantidade de placas corresponde ao número de famílias que serão beneficiadas com a energia produzida. As geometrias da fachada foram inspiradas por formas encontradas na natureza.

Cortesia de LAVA Cortesia de LAVA Cortesia de LAVA Elevações + 18

Salvador mapeia árvores plantadas pelos cidadãos

10:00 - 18 Agosto, 2017
Salvador mapeia árvores plantadas pelos cidadãos, © David Campbell, via Flickr. Licença CC BY-NC 2.0
© David Campbell, via Flickr. Licença CC BY-NC 2.0

Um site criado pela Prefeitura de Salvador mostra a localização precisa das últimas árvores plantadas na capital. Ao acessar o Minha Árvore - Salvador, é possível ver as fotos da espécie, as coordenadas geográficas onde a muda foi plantada e até a pessoa que fez o plantio. A ação faz parte do projeto Salvador, Capital da Mata Atlântica, criado pela Secretaria Municipal da Cidade Sustentável e Inovação (SECIS). 

IKEA lança bateria solar doméstica que reduzirá as contas de luz em 70%

16:00 - 17 Agosto, 2017
IKEA lança bateria solar doméstica que reduzirá as contas de luz em 70%, Cortesia de Solarcentury
Cortesia de Solarcentury

Uma nova empresa entrou no mercado de baterias solares domésticas, e é um nome conhecido: a mundialmente famosa IKEA.

Concorrente das baterias da Tesla e do sistema de cobertura solar, a bateria da IKEA será vendida pela primeira vez no Reino Unido, onde os proprietários de casas com energia solar normalmente só vendem o excesso de energia produzido de volta à rede nacional. A bateria, em vez disso, permitirá que essa energia restante seja armazenada para uso posterior, ajudando os proprietários a reduzirem suas contas de luz em até 70%.

Cada árvore importa: cidades passam a priorizar a arborização urbana

10:00 - 14 Agosto, 2017
Cada árvore importa: cidades passam a priorizar a arborização urbana, © Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis
© Mariana Gil/WRI Brasil Cidades Sustentáveis

Além de contar pessoas, automóveis e quilômetros de infraestrutura, as cidades hoje começam a contar árvores. As florestas urbanas, se inseridas no planejamento dos municípios, significam mais uma ferramenta de combate às mudanças climáticas. Além disso, a artificialidade e a falta de conexão com a natureza que muitas cidades apresentam estão relacionadas diretamente a diversos problemas de saúde da população.

As árvores nas cidades sempre foram queridas pela população por embelezar os espaços públicos. No entanto, elas contribuem de maneira muito mais ampla, com impacto na sustentabilidade econômica, social e ambiental das cidades. Através de pesquisas imobiliárias, é possível perceber que as pessoas são atraídas por ruas ou bairros mais verdes, onde elas preferem viver e trabalhar. Além dos atributos visuais, um espaço arborizado pode diminuir o estresse ao criar ambientes mais calmos e propícios ao exercício físico e o transporte ativo.

Harvard HouseZero - Um projeto que responde às mudanças climáticas

19:00 - 5 Agosto, 2017
Harvard HouseZero - Um projeto que responde às mudanças climáticas, ZeroHouse pretende estabelecer uma nova referência para a adaptação sustentável. Image Cortesia de Snøhetta/Plompmozes
ZeroHouse pretende estabelecer uma nova referência para a adaptação sustentável. Image Cortesia de Snøhetta/Plompmozes

Como parte de um esforço global e interdisciplinar para combater as mudanças climáticas, os arquitetos estão dedicando recursos para otimizar a eficiência energética de edifícios antigos e novos. Este esforço é mais do que justificado, uma vez que os edifícios representam quase 40% das emissões do Reino Unido e dos EUA. Embora a sustentabilidade seja agora uma marca registrada de muitos novos projetos arquitetônicos, a ineficiência energética das estruturas dos séculos XVIII e XIX ainda contribui para as emissões globais de carbono em uma grande escala.

Para enfrentar o desafio da adaptação inteligente dos edifícios existentes, o Harvard Center for Green Buildings (CGBC) da  Harvard University Graduate School of Design, em colaboração com Snøhetta e a Skanska Technology, está adaptando a sede do CGBC em uma fábrica de estrutura de madeira anterior a 1940, com o objetivo de criar um dos edifícios sustentáveis mais ambiciosos do mundo. HouseZero é conduzido por metas de desempenho intransigentes, como ventilação 100% natural, 100% de autonomia de luz natural e quase zero energia necessária para aquecimento e resfriamento. O resultado será um protótipo de ultra-eficiência, reduzindo a dependência de tecnologia intensiva em energia, criando simultaneamente um confortável ambiente interno.

Uma série de características incluem células fotovoltaicas, uma bomba de calor, lâminas de janela e um respiradouro solar. Image © Snøhetta A casa existente em madeira de 1940 se tornará a sede da CGBC. Image © Snøhetta Apesar de suas disposições ambientais, a ZeroHouse também enfatiza o design amigável. Image Cortesia de Snøhetta/Plompmozes ZeroHouse visa tornar-se completamente autônomo energeticamente. Image Cortesia de Snøhetta/Plompmozes + 5

Quão sustentável é a estratégia da Apple de plantar 8 mil árvores em seu campus?

07:00 - 26 Julho, 2017
Quão sustentável é a estratégia da Apple de plantar 8 mil árvores em seu campus?, Cortesia de Duncan Sinfield
Cortesia de Duncan Sinfield

Este artigo foi publicado originalmente pelo The Architect’s Newspaper como How green are Apple’s carbon-sequestering trees really?

A Apple está plantando uma floresta em Cupertino, Califórnia. Quando, no final deste ano, a nova sede da empresa estiver concluída, 8.000 árvores transplantadas de viveiros de todo o estado da Califórnia cercarão o edifício circular projetado pelo escritório Foster + Partners. As árvores estão destinadas a embelezar os 176 acres da Apple (apelidado de Apple Park), além de absorver o carbono da atmosfera.

Este é um ponto positivo. O carbono, dentre os gases do efeito estufa, é o principal responsável pelo aquecimento global. Quase todas as atividades humanas, incluindo a respiração, lançam gás carbônico na atmosfera. As plantas, por outro lado, absorvem carbono, transformando-o em folhagem, ramos e raízes - um processo conhecido como sequestro de carbono.

Primeira "smart street" do mundo transforma os passos dos pedestres em energia

15:00 - 25 Julho, 2017
Primeira "smart street" do mundo transforma os passos dos pedestres em energia, via Pavegen
via Pavegen

A empresa de tecnologia Pavegen divulgou a primeira "Smart Street" do mundo, localizada em West End, Londres, que utiliza painéis cinéticos de pavimentação para gerar energia a partir dos passos dos pedestres. Mas ao contrário das iniciativas anteriores da Pavegen, implantadas em cidades como Washington DC e Rio de Janeiro (que usa os painéis como base para um campo de futebol), a Smart Street de Londres vem com seu próprio aplicativo - oferecendo aos pedestres informações precisas sobre a quantidade de energia que estão gerando.

via Pavegen via Pavegen via Pavegen via Pavegen + 5

9 "Patos" arquitetônicos bizarros e maravilhosos

07:00 - 23 Julho, 2017
9 "Patos" arquitetônicos bizarros e maravilhosos, Collage based on a photograph of Robert Venturi. Original photograph © Denise Scott Brown
Collage based on a photograph of Robert Venturi. Original photograph © Denise Scott Brown

Eles existem por um motivo.

Cunhado por Robert Venturi e Denise Scott Brown em Aprendendo com Las Vegas, “Patos” são edifícios que projetam seu significado de maneira literal.[1]. Não existem metáforas arquitetônicas aqui - eles são exatamente o que se parecem. Muitos deles emergiram ao longo de rodovias estaduais, um solitário donut ou dinossauro pontuando rodovias estadunidenses. Locais como Las Vegas e Macau construiram sua identidade no kitsch e linguarem literal da arquitetura – com os patos sendo forte contribuintes. Embora sejam relegados para uma das estranhas incursões da era pós-moderna, os patos ainda fazem aparições atuais (como a Apple Store de Chicago e a recente cobertura de Macbook). Seriam eles divertidos, cafonas ou simplesmente feios? Ame ou os odeie, patos tem uma presença leve em nossa história arquitetônica. Abaixo estão 9 bizarros e maravilhosos exemplos de edifícios que não fazem apologias em serem exatamente o que são:

Image <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Cabazon-Dinosaurs-2.jpg'>via Wikimedia</a> taken by Wikimedia user Jllm06 (public domain) Image <a href='http://visitpadutchcountry.com/photos-haines-shoe-house-york-pa/'>via visitpadutchcountry.com</a> Image <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:The_Big_Duck.JPG'>via Wikimedia</a> (public domain) © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:The_Basket_Factory_Longaberger.JPG'>Wikimedia user Barry haynes</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a> + 10

Arcos inflados de aço conformam a estrutura de pavilhão leve na Polônia

19:00 - 21 Julho, 2017
Arcos inflados de aço conformam a estrutura de pavilhão leve na Polônia, Cortesia de Oskar Zieta
Cortesia de Oskar Zieta

O arquiteto, designer e escultor polonês Oskar Zieta divulgou seu último projeto: o pavilhão NAWA em uma ilha em Wroclaw, Polônia. O pavilhão faz parte das celebrações da Capital Europeia da Cultura seguindo o tema "Metamorfoses da Cultura" e foi inaugurado em junho. Os elementos de aço que compõem a escultura projetada de forma paramétrica são feitos em um método único chamado FiDU, um processo de inflação de metal criado por Zieta durante seus estudos de doutorado na ETH Zurique. Embora Zieta tenha usado o FiDU com sucesso para vários produtos (muitos expostos no Salone del Mobile em Milão), o Pavilhão da NAWA é o primeiro projeto deste tamanho a usar a tecnologia inteiramente, e é assim cunhado como "um manifesto da FiDU".

Cortesia de Oskar Zieta Cortesia de Oskar Zieta Cortesia de Oskar Zieta Cortesia de Oskar Zieta + 50

Höweler + Yoon Architecture divulga projeto para Escola de Circo

19:00 - 18 Julho, 2017
Höweler + Yoon Architecture divulga projeto para Escola de Circo, via v2com
via v2com

Höweler + Yoon Architecture, em colaboração com OFIS Arhitekti, revelou seu projeto para um novo edifício para o The Circus Conservatory, que abrigará o primeiro programa de graduação credenciado de Arte Circense. Localizado em Portland, Maine, como equipamento âncora de uma península, o projeto visa transformar uma parte não desenvolvida da cidade em um "centro artístico vibrante completo com locais de atuação pública e instalações recreativas".

Inspirado na forma tradicional do circo - um círculo com uma audiência radial - a proposta de projeto utiliza uma estratégia de visualização radial "para ativar de forma semelhante a comunidade educacional". Além disso, no projeto, acrobacias, performance e sala de aula são tratadas igualmente, "[desafiando] a relação de visão crucial para um circo e as configurações acadêmicas".

via v2com via v2com via v2com via v2com + 10

Filme narra a construção de uma pousada ecológica em Gana

16:00 - 16 Julho, 2017

O fotógrafo de arquitetura Julien Lanoo é conhecido por suas narrativas contadas através de imagens estáticas. Suas fotografias em estilo de documentário registram desde a Fundação Aishti de Adjaye Associates até a CCTV do OMA e a Trienal de Arquitetura de Oslo. Recentemente, o fotógrafo lançou um curta-metragem que apresenta o arquiteto canadense-ganês Akwasi McLaren contanto a história por trás da construção de sua pousada ecológica na região de Cape Three Points em Gana. Dividido em três capítulos, Knowledge, Wisdom, and Understanding acompanha a jornada de McLaren desde o projeto até a construção do hotel de seus pais e seu desejo de compartilhar suas habilidade de construção ecológica.