Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Arte Contemporânea

Arte Contemporânea: O mais recente de arquitetura e notícia

Anozero – Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra

O Anozero – Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra nasceu de um esforço conjunto entre o Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, a Universidade de Coimbra a e a Câmara Municipal de Coimbra e tem, para a sua terceira edição, curadoria-geral de Agnaldo Farias e curadoria-adjunta de Lígia Afonso e Nuno de Brito Rocha.
_____________________

A TERCEIRA MARGEM
AGNALDO FARIAS, LÍGIA AFONSO E NUNO DE BRITO ROCHA


«[...] no começo, na vinda das primeiras cheias do rio,
com chuvas que não estiavam,
todos temeram o fim-do-mundo [...]»
João Guimarães Rosa,
«A Terceira Margem do Rio», 1962

A história da cidade de Coimbra e do seu património é

O mundo plural e digital da mostra In Pixels invade a Casa Tegra

In Pixels é a nova exposição da artista visual Thammy Tales e do fotógrafo Rodrigo Albertini, com curadoria de Chico Cortez. Sobre a seleção de 16 obras que compõem a mostra, o curador diz que “são partes da existência desses artistas singulares, testemunhas contemporâneas de um mundo plural e tecnológico”.

In PIxels inaugura na Casa Tegra (Rua Oscar Freire 1009), no dia 08 de agosto, das 17h às 21h. A exposição fica em cartaz até 25 de agosto, com visitação gratuita de segunda-feira a domingo, das 10h às 20h.

Juntos na exposição In Pixels, Thammy Tales e Rodrigo

O peso da Terra

No próximo dia 12/04 sexta-feira as 19h no Museu da Cidade – MUCI – Fundição Lidgerwood, inaugura a exposição O Peso da Terra, primeira exposição individual do arquiteto e artista visual Alexandre Silveira. A exposição reúne uma seleção de obras, nas mais diferentes linguagens, dos últimos dez anos de produção dentro das artes visuais incluindo alguns trabalhos inéditos entre eles o vídeo O peso da Terra, filmado durante a residência artística realizada no Chão SLZ em 2015 em São Luís do Maranhão. Os trabalhos do artista, convergem na busca de uma saída frente ao ciclo de construções e ruínas da

Novas Derivas

A prática da deriva é um assunto que desperta muito interesse dos profissionais que estudam as cidades. Os Situacionistas, movimento de crítica social iniciado em 1957, propuseram com essa prática novas interpretações da cidade a partir da experiência vivida por cada indivíduo. Jacopo Visconti, curador da 34a Bienal de Artes de São Paulo, analisou em sua tese de doutorado as práticas artísticas que incorporam o ato de andar, buscando características que envolveram a prática da deriva situacionista. Jacopo, orientado pelo Prof. Dr. Luis Antonio Jorge, defendeu em 2012 sua tese que ganhou uma edição publicada pela Martins Fontes. Veja abaixo o resumo da tese.

O Diálogo da Cor

Atenta às lições de Albers, a pintora Lúcia Glaz mostra em sua nova série de pinturas um desejo de explorar novos fenômenos perceptivos, considerando o potencial expressivo da cor em sua interação com a forma. Na mesma direção dos artistas da geração pós-pictórica (Robert Ryman, Agnes Martin, Brice Marden), descontada a distância geracional, a pintora tende a ver a pintura como objeto, e não como ilusão, perseguindo uma redução purista que foi também a meta dos citados artistas ao restringir ao essencial suas experiências na tela.

O desafio de construir um espaço público em uma cidade violenta no México

O que acontece com o espaço público de uma cidade que aprendeu a aceitar a violência como fator cotidiano? Embora seja ingênuo acreditar que a arquitetura por si só possa resolver problemas sociais e políticos complexos, também é importante entender como e de onde pode agir de alguma maneira, por menor que seja.

Clássicos da Arquitetura: Museu de Arte Contemporânea Kiasma / Steven Holl Architects

O próprio conceito de uma galeria de arte implica um foco para si mesmo. Embora a necessidade de mostrar os tesouros culturais contidos dentro seja evidente, a necessidade de conectar esses espaços de exposição protegidos com o mundo exterior é, em alguns casos, esquecida completamente. Mesmo projetos monumentais que transformam o museu em um elemento escultural podem falhar em fazer uma referência ao seu entorno particular. Este senso de "não pertencimento" é o que Steven Holl buscou evitar em seu projeto de um museu de arte no centro de Helsinque, o Kiasma - um museu cujas vistas cuidadosamente coreografadas, espaços de galeria formalmente irregulares e, de fato, seu próprio nome, falam sobre o ideal da conexão.

© Pirje Mykkaenen © Pirje Mykkaenen © Petri Virtanen © Pirje Mykkaenen + 14

Clássicos da Arquitetura: Centro Rosenthal de Arte Contemporânea / Zaha Hadid Architects

A crença de que um edifício pode se misturar e se destacar ao mesmo tempo é incorporado pelo edifício do Centro de Arte Contemporânea Lois e Richard Rosenthal (CAC), localizado em Cincinnati, Estados Unidos. Embora sua volumetria pesada o faça parecer como um elemento escultórico independente e impenetrável, o Centro Rosenthal é, de fato, concebido para trazer a cidade para seu interior - para além das suas paredes e para cima, em direção ao céu. Este dinamismo inerente adapta-se bem a uma galeria que não possui uma coleção permanente, e está situado no coração de uma próspera cidade do Meio-Oeste.

© Paul Warchol © Helene Binet © Paul Warchol © Roland Halbe + 37

Exposição "Museu do Louvre Pau-Brazyl"

Foram reunidos artistas e pesquisadores para pensar formas de expor e de debater a proposta, mesmo que ficcional, de criação de uma sede do Museu do Louvre no Brasil, com todos os efeitos e significados dessa associação. A exposição surge da relação entre os dois Louvres: o museu parisiense e o edifício de Artacho Jurado.

O prédio, localizado na avenida São Luís e projetado nos anos 50, é um ícone da cidade, e um dos primeiros edifícios a comportar apartamentos de diferentes tamanhos e térreo e mezanino abertos para o espaço público, através de galerias comerciais em funcionamento até hoje.

São esses espaços que o Museu do Louvre Pau-Brazyl irá ocupar com instalações, objetos, fotografias, vídeos, ações e performances.

Portuguesa Marta Mestre assume como curadora do Instituto Inhotim

O Instituto Inhotim, dono de um dos maiores acervos de arte contemporânea do mundo, confirmou a contratação da portuguesa Marta Mestre como sua nova curadora. Ex-curadora do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Mestre se desligou da instituição carioca ano passado e substitui Rodrigo Moura em Brumadinho, Minas Gerais.

ArtRio promove ciclo de palestras sobre arte contemporânea

A terceira Feira Internacional de Arte do Rio de Janeiro traz em sua programação um interessante ciclo de palestras que acontecerá entre 05 e 08 de setembro, cuja temática aborda, sob diversos aspectos, o vasto campo das artes visuais. A programação do ciclo de palestras pode ser vista logo abaixo. A entrada é gratuita.