O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. As curiosas histórias por trás de 10 icônicos arranha-céus

As curiosas histórias por trás de 10 icônicos arranha-céus

As curiosas histórias por trás de 10 icônicos arranha-céus
As curiosas histórias por trás de 10 icônicos arranha-céus, Torre Velasca. Image © José Tomás Franco
Torre Velasca. Image © José Tomás Franco

Enquanto houver edifícios, a humanidade continuará a procura por construir o seu caminho para o céu. De pirâmides de pedra aos arranha-céus de aço, sucessivas gerações de arquitetos criaram maneiras cada vez mais inovadoras de aumentar os limites verticais da arquitetura. Seja em pedra ou aço, cada tentativa de atingir alturas sem precedentes representou um vasto empreendimento em termos de materiais e trabalho - e quanto mais complexo o projeto, maior a chance das coisas darem errado.

Ryugyong Hotel. Image © José Tomás Franco Robot Building. Image © José Tomás Franco CCTV Headquarters. Image © José Tomás Franco Cayan Tower. Image © José Tomás Franco + 21

Ryugyong Hotel / Baikdoosan Architects

Ryugyong Hotel. Image © José Tomás Franco
Ryugyong Hotel. Image © José Tomás Franco

Considerado como uma declaração gloriosa para e pela República Popular Democrática da Coreia (RPDC) - Coreia do Norte - o Hotel Ryugyong deveria ter sido o hotel mais alto do mundo. Quando os trabalhos começaram na torre, em 1987, abundou a especulação sobre o que motivou sua construção: alguns acreditavam que era uma resposta à conclusão de um hotel maciço em Singapura por um empreendedor sul-coreano, enquanto outros consideravam o projeto uma resposta à realização dos Jogos Olímpicos de Inverno, de 1988, na Coreia do Sul. Seja qual foi a verdadeira motivação para construir o Ryugyong, uma era certa, ser decididamente impressionante.

Torre John Hancock / Henry Cobb, I.M. Pei & Partners

John Hancock Tower. Image © José Tomás Franco
John Hancock Tower. Image © José Tomás Franco

Com seu revestimento de vidro azul reflexivo, que se mistura quase perfeitamente ao céu em um dia claro, a torre de John Hancock foi projetada para ser tão discreta quanto possível - para um arranha-céu, pelo menos. Situado ao lado da histórica Trinity Church de Boston, o arranha-céu monolítico foi intencionalmente colocado de uma forma que não ofuscaria o seu vizinho. Infelizmente, essas boas intenções foram prejudicadas por uma série de questões de engenharia, a pior de todas envolvendo muitas de suas grandes janelas de vidro que, espontaneamente, se soltaram e despencaram nas ruas circundantes.

Torre F&F / Pinzon Lozano & Asociados Arquitectos

F&F Tower. Image © José Tomás Franco
F&F Tower. Image © José Tomás Franco

A forma espiral da Torre F & F, na Cidade do Panamá, começou como uma experiência puramente teórica nos escritórios de Pinzon Lozano & Asociados Arquitectos. Embora não originalmente destinada à construção real, o conceito chamou a atenção de um potencial cliente que posteriormente se uniu com Pinzón Lozano para desenvolvê-lo em um design prático. Isto resultou em 52 pavimentos retorcidos em uma hélice em torno de um núcleo de concreto. Os alinhamentos distorcidos permitem quatro pequenas varandas de escritório em cada nível. Os pisos, no topo do arranha-céu, encolhem gradualmente em direção à base da torre que coroa todo o edifício.

Tour Montparnasse / Cabinet Saubot-Jullien, Eugène Élie Beaudouin, Louis-Gabriel de Hoÿm de Marien, Urbain Cassan, A. Epstein and Sons International

Tour Montparnasse. Image © José Tomás Franco
Tour Montparnasse. Image © José Tomás Franco

No tecido urbano uniformemente baixo do centro de Paris é impossível não perceber a abrupta aberração que é a Tour Montparnasse. A partir do momento em que seu projeto foi proposto, em 1959, a cidade se revoltou contra o que eles sentiam ser uma incongruência horrível no centro histórico da cidade. A permissão para começar a construção não foi concedida por nove anos inteiros, mesmo com o apoio pessoal do, então presidente, (e entusiasta arquitetônico) Georges Pompidou. A pré-fabricação extensiva permitiu que o arranha-céu crescesse seis pavimentos por mês e a construção foi terminada em 1973 - mais de uma década depois de ter sido iniciado.

Sede CCTV / OMA (Rem Koolhaas e Ole Scheeren)

CCTV Headquarters. Image © José Tomás Franco
CCTV Headquarters. Image © José Tomás Franco

Em 2002, Rem Koolhaas foi forçado a tomar uma decisão: se concentrar em propostas para o novo World Trade Center, em Nova York, ou para a nova sede da CCTV (China Central Television), em Pequim. No debate político polêmico que cresceu em torno do primeiro, Koolhaas sentiu que tal atmosfera não poderia produzir uma arquitetura realmente valorosa, escolhendo concentrar sua atenção em Pequim. A política o seguiu, entretanto, e ele foi criticado por projetar um monumento que, para muitos, era uma máquina de propaganda para o governo chinês. Em vez de diminuir a controvérsia, Koolhaas e seu parceiro Ole Scheeren criaram uma estratégia formal radical que estimulou um debate ainda maior. Era, de acordo com OMA, um "arranha-céu em laço" - duas torres que levantam-se de um bloco e que conectam-se no alto. Como seu layout torna impossível um núcleo convencional, a estrutura é composta por uma rede diagonalmente cruzada de tubos de aço, com áreas sob alta tensão visivelmente suportadas por concentrações mais densas de estruturas. Durante a construção, as duas seções tiveram que ser unidas pela manhã para minimizar os efeitos da expansão térmica em seu alinhamento.

Chrysler Building / William Van Alen

Chrysler Building. Image © José Tomás Franco
Chrysler Building. Image © José Tomás Franco

Quando a década de 1920 chegou ao fim, Walter Chrysler, proprietário e fundador da Chrysler Motors Corporation, se aproximou do arquiteto William Van Alen requerendo o projeto para a nova sede da empresa em Midtown Manhattan. Ele tinha um pedido simples: tornar o novo edifício mais alto que a Torre Eiffel, que até então era a estrutura mais alta do mundo, situação que permaneceu por quase quarenta anos. O deslumbrante arranha-céu Art Deco resultante desta ordem, com sua brilhante coroa de aço, janelas de reflexivas e motivos decorativos automotivos, foi um ícone duradouro do "Roaring Twenties" no qual foi concebido. Antes do início do trabalho no Edifício Chrysler, Van Alen ficou alarmado ao descobrir que seu rival profissional, H. Craig Severance, já estava limpando o terreno para construir uma torre no centro da Wall Street, que também estava sendo projetada para ser a mais alta do mundo. O que se seguiu foi uma série de mudanças de projeto e de construção a medida que cada arquiteto se esforçava para superar o outro: as dimensões foram esticadas, coberturas foram adicionados e, no última momento, Severance colocou um mastro de 15 metros no topo do seu arranha-céu que parecia ser a palavra final na competição não oficial. Uma vez que 40 Wall Street foi terminado, Severance, juntamente com a maior parte do mundo, assumiu que tinha vencido a competição.

No entanto, Van Alen tinha um truque na manga - ou mais precisamente, dentro do pináculo de sua torre. Sem o conhecimento de Severance e do público em geral, uma torre tinha sido secretamente construída dentro da coroa de aço do Chrysler Building, cuja existência estava escondida até que o edifício do seu rival tivesse atingido a sua altura final. Nesse ponto, a torre de 56 metros de altura foi içada pela coroa e montada no lugar, elevando a altura total do edifício para 319 metros e ganhando o título de Edifício mais Alto do Mundo. Porém, o Edifício Chrysler só manteve este título por 11 meses, após isso o perdeu para o Empire State Building nas proximidades. Sua torre clandestina continua sendo uma característica célebre de uma das maiores obras de arte do mundo Art Deco.

Torre Cayan / Skidmore, Owings & Merrill (SOM)

Cayan Tower. Image © José Tomás Franco
Cayan Tower. Image © José Tomás Franco

Tendo projetado o edifício o mais alto do mundo em Dubai, SOM foi encarregado de construir o arranha-céu retorcido mais alto do mundo na mesma cidade. Como o Turning Torso da Suécia - o antigo portador do título - a Torre Cayan gira exatamente 90 graus do nível do solo até o último pavimento, com a entrada voltada para a Marina de Dubai e os apartamentos mais altos com vista sobre o Golfo Pérsico. As placas de piso da Torre Cayan são maiores do que as da torre sueca, no entanto, toda a estrutura se retorce 1,2 graus entre cada pavimento.

Citigroup Center / Hugh Stubbins and William LeMessurier

Citigroup Center. Image © José Tomás Franco
Citigroup Center. Image © José Tomás Franco

Embora o telhado de 45 graus do centro de Citigroup chame atenção no skyline de Manhattan, são os nove pavimentos sob pilotis em sua base que fazem deste arranha-céus original. Ao invés de apoiar seus cantos, as enormes colunas estão no centro de cada uma das quatro faces do edifício, permitindo níveis superiores de balanço sobre uma igreja na esquina do terreno. Uma série de vigas de aço invertidas dirigem o peso da estrutura para estes pilares e para o solo; Um amortecedor de massa sintonizado nos pavimentos superiores, um dos primeiros do mundo, neutraliza a tendência da torre em balançar com o vento.

Torre Velasca / BBPR

O Torre Velasca tem uma característica única: ela consegue se misturar e se destacar ao mesmo tempo. Situado entre as cúpulas históricas e campanários de Milão, é praticamente impossível não perceber o arranha-céu; Efetivamente, o fato de que ele foi construído na década de 1950 pode levar a acreditar que foi feito com desconsideração modernista para o tecido urbano estabelecido. Uma inspeção mais detalhada da forma incomum e pesada e dos detalhes estéticos da Torre Velasca revela, no entanto, uma referência intencional à tradição arquitetônica milanesa.

Torre Velasca. Image © José Tomás Franco
Torre Velasca. Image © José Tomás Franco

Robot Building / Sumet Jumsai

O arquiteto tailandês Sumet Jumsai ganhou fama internacional por seus edifícios extravagantes; Em 1997, seu projeto para o edifício de Chang - mais conhecido como o edifício do elefante - conseguiu o apelido de 'maior edifício em forma de elefante do mundo." Uma década antes, quando incumbido para criar a sede para o banco da Ásia, Jumsai produziu um desenho que se assemelhava inequivocamente a um enorme robô.

Formalmente, o edifício do robô é uma pilha simples de caixas com reveses exigidos por regulamentos de construção. Enquanto a sua massa não é digna de nota, não se pode dizer o mesmo de sua ornamentação: um par de pára-raios se assemelha a antenas futuristas, enormes círculos de metal fixos nas fachadas laterais parecem parafusos e grandes janelas circulares formam os olhos do robô e suas pálpebras. Adicionando ao sentido total de irrisório, os olhos são projetados com uma música feita pelo compositor tailandês Jacques Bekaert intitulada "sinfonia do robô."

Robot Building. Image © José Tomás Franco
Robot Building. Image © José Tomás Franco

Referências

  1. Ryugyong Hotel: [1], [2], [3], [4], [5]
  2. John Hancock Tower:[1], [2]
  3. F&F Tower:[1], [2]
  4. Tour Montparnasse:[1], [2], [3], [4], [5]
  5. CCTV Headquarters:[1], [2], [3], [4]
  6. Chrysler Building:[1]
  7. Cayan Tower:[1], [2], [3], [4]
  8. Citigroup Center:[1], [2]
  9. Torre Velasca:[1], [2]
  10. Robot Building: [1]

Sobre este autor
Luke Fiederer
Autor
Cita: Fiederer, Luke. "As curiosas histórias por trás de 10 icônicos arranha-céus" 13 Fev 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/804648/a-historia-por-tras-de-10-arranha-ceus-que-foram-construidos> ISSN 0719-8906