Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Informal – além do hype / ateliermob

Numa das entrevistas que fomos fazendo ao longo dos últimos meses, a primeira pergunta de um jornalista, habituado a entrevistar e escrever sobre o que se entendeu chamar “arquitectura portuguesa”, imediatamente após visitar connosco o Monte Xisto, foi: “o que fazem aqui?”

O direito a ter uma casa - As políticas de habitação em Portugal durante o século XX e o sonho do 25 de Abril / ateliermob

Derrubada a monarquia, uma das primeiras medidas de fundo de reorganização da sociedade, tomada pelo governo republicano, foi dirigida às questões da habitação. Até 1910, as classes trabalhadoras viviam em habitações arrendadas com contratos precários. Os despejos eram fáceis e recorrentes. A Lei do Inquilinato, publicada cinco semanas após a implantação da República, tornou os despejos mais difíceis e regulou o aumento das rendas – até aí um mercado totalmente liberal. Os primeiros governos republicanos – houve 45 governos em 16 anos –, sobretudo os liderados por Sidónio Pais, foram muito activos a planificar uma intervenção no plano da habitação a custos controlados. Mas em 1922, o governo empossado quis romper com as políticas dos seus antecessores e propôs um programa de austeridade em que abdicava do plano de construção de novos bairros operários. Quatro anos depois, dar-se-ia o golpe militar que abriria caminho à ditadura de Salazar.

Publicação: Homeland, News From Portugal, Arquivo 2014

Compilação de todos os textos entrevistas, artigos e estudos que integraram os três números do jornal “Homeland News From Portugal” – participação portuguesa na Bienal de Veneza deste ano – o livro “Homeland, News From Portugal, Arquivo 2014”, publicado pela NOTE, já está disponível na livraria A+A, na Garagem Sul do Centro Cultural de Belém ou pela página da NOTE.

TCA Think Tank cria um "pavilhão parasita" durante um workshop em Veneza

Projetando sombras complexas e envolvendo os visitantes em espaços que se parecem com labirintos, o Parasite Pavilion foi construído como parte do evento Synergy & Symbiosis que aconteceu na Bienal de Veneza 2014 e reunia o melhor da UABB Shenzhen e da Bienal de Hong Kong de 2005 a 2014. Baseado no pavilhão Bug Dome - um experimento similar realizado em 2009 em Hong Kong, construído por Weak! Architects como um ícone da "arquitetura ilegal" - esse novo pavilhão é o produto de um intenso workshop de cinco dias que contou com a colaboração de arquitetos da Europa, Austrália e China. Saiba mais sobre o pavilhão e o workshop, a seguir.

Reflexões sobre a Bienal de Veneza 2014

Fundamentals, o título da Bienal de Veneza de 2014, fechou suas portas há algumas semanas. A partir do momento em que Rem Koolhaas revelou o título da Bienal deste ano, em janeiro de 2013, convidando os curadores nacionais a responder diretamente ao tema "Absorbing Modernity 1914-2014", houve um pressentimento de que esta bienal seria, de algum modo, especial. Tendo rejeitado convites para dirigir a Bienal no passado, o fato de Koolhaas ter agido não como curador, mas também como coordenador temático do esforço internacional, foi significativo. Esse comunicado levou Peter Eisenman (um dos primeiros tutores e defensores de Koolhaas) a dizer em uma entrevista que "[Rem está] declarando seu fim: o fim de sua carreira, o fim de sua hegemonia, o fim de sua mitologia, o fim de tudo, o fim da arquitetura."

Exposição “Homeland | News From Portugal” retorna ao país de origem

A Bienal de Veneza terminou em novembro, mas a representação portuguesa não se deteve a isso. No dia 09 de dezembro, Homeland retorna a Portugal com uma exposição no Centro Cultural de Belém - CCB que resume o exercício de reflexão e trabalho prático desenvolvidos ao longo dos seis meses da Bienal. “HOMELAND | News from Portugal” é uma exposição que se encaixa no processo delineado para o jornal: criar algo de concreto, construtivo e crítico em Portugal.

Trazendo a Modernidade Arquitetónica até Casa / Pedro Gadanho

O texto a seguir faz parte do jornal Homeland: News from Portugal, publicação que representa Portugal na 14ª Bienal de Veneza de 2014.

Projetar para Crises: Uma tática arquitetônica para a ampliação das possibilidades arquitetônicas / ADOC

O texto a seguir faz parte do jornal Homeland: News from Portugal, publicação que representa Portugal na 14ª Bienal de Veneza de 2014.

Projeto Monte Xisto: Requalificação de um bairro informal em Matosinhos / Paulo Moreira

O texto a seguir faz parte da terceira edição do jornal Homeland: News from Portugal, publicação que representa Portugal na 14ª Bienal de Veneza de 2014.

All quiet on the western front / José António Bandeirinha

O texto é parte da segunda edição do jornal Homeland: News from Portugal, publicação que representa a participação portuguesa na 14a. Bienal de Veneza de 2014.

O rural era verde; veio uma cabra e o comeu

O texto a seguir faz parte da segunda edição do jornal Homeland: News from Portugal, publicação que representa Portugal na 14ª Bienal de Veneza de 2014.

Reabilitar a reabilitação e continuar inovando / José Aguiar, Vitor Ribeiro, Miguel Reimão Costa

Reabilitar a reabilitação e continuar inovando

Lições dos anos sessenta: Cabeça Padrão, José-Augusto França e Fernando Távora                                                                                                                        

Hackeando a Bienal: "Project Source Code" usa realidade aumentada para criar uma exposição invisível

Este ano na Bienal de Veneza, nem todas as exposições são visíveis. O escritório Ozel Office, de Los Angeles, "hackeou" a Bienal com a ajuda de outros grandes escritórios: Asymptote Architecture, Greg Lynn Form, Neil M. Denari Architects, Murmur, e Oosterhuis Lenard. Juntas, essas firmas criaram um subversivo anexo digital à Bienal, acessível apenas através de um portal virtual que revela um mundo de modelos flutuantes e objetos em movimento ativados por elementos físicos do pavilhão central, que tem curadoria do próprio Koolhaas.

Segunda edição de “Homeland, News from Portugal” disponível em .pdf

A segunda edição de “Homeland, News from Portugal” já está disponível, tanto na Bienal de Veneza, como também em .pdf na página oficial do jornal português. A publicação, que representa Portugal na exposição “Absorbing Modernity”, foi o meio escolhido pela curadoria – liderada por Pedro Campos Costa – para substituir os tradicionais pavilhões nacionais.

"Mouthful of Meetings": o choque entre o Norte e o Sul na Bienal de Veneza

Mouthful of meetings” é um debate que acontecerá na Bienal de Veneza 2014 com foco em sustentabilidade socioeconômica e projetos atuais em países em desenvolvimento. O evento é organizado por South of North, uma colaboração entre arquitetos escandinavos que trabalham com projetos sem fins lucrativos em países em desenvolvimento. Entre os participantes do debate estarão escritórios da Escandinávia e da África, que analisarão projetos recentes socialmente comprometidos com essas regiões em desenvolvimento. Saiba mais sobre o evento, a seguir.

OMA cria uma sala de cinema de 360° na Bienal de Veneza

O OMA transformou recentemente o palco F do Corderie, na Bienal de Veneza, em uma sala de cinema de 360° com quatro telas. Complementando as exposições, esse espaço receberá a projeção de filmes aos finais de semana até o final da Bienal, em novembro.

"Places of Power": Pavilhão da Áustria na Bienal de Veneza 2014

O século XX foi um período de significante instabilidade política, com duas Guerras Mundiais e a ascensão e queda de uma enorme super-potência, a União Soviética, além de inúmeros outros conflitos. De algum modo, a "modernidade" pode ser caracterizada pela rápida criação e cristalização de um grande número de nações desde o estopim da Primeira Grande Guerra cem anos atrás. 

Excavating the Sky: A paisagem síria contemporânea na exposição Monditalia

Dos dias 12 a 15 de agosto, arquitetos, cineastas e ativistas da Síria e do mundo árabe se reuniram no Arsenale, na Bienal de Veneza 2014, para o evento “excavating the sky” que foca na Síria e na produção de sua paisagem contemporânea, de antes da Primeira Guerra Mundial até os dias de hoje. O evento acontece no contexto da exposição Monditalia e um dos seus elementos principais é um "pavilhão deslocado" na Síria - um poço recentemente escavado que proporciona água para uma comunidade de 15 mil pessoas.