1. ArchDaily
  2. Kazuyo Sejima

Kazuyo Sejima: O mais recente de arquitetura e notícia

Quem já ganhou o Prêmio Pritzker?

O Prêmio Pritzker é o reconhecimento mais importante que um arquiteto(a) pode receber em vida. A honraria é outorgada todos os anos a arquitetos e arquitetas cuja obra construída "tenha produzido significativas contribuições para a humanidade ao longo dos anos", segundo explica a própria organização responsável pela premiação. Por esta razão, o júri presta homenagem a pessoas e não a escritórios, como já aconteceu em 2000 (Rem Koolhaas ao invés do OMA), 2001 (Herzog & de Meuron), 2010 (SANAA), 2016 (Elemental) e 2017 (RCR Arquitectes), premiando seus fundadores (como no caso do SANAA), o então, um deles (Elemental).

"É como seu eu habitasse os edifícios que estou projetando": entrevista com Toyo Ito

Analisando a obra construída do arquiteto japonês Toyo Ito (n. 1941)— particularmente alguns de seus projetos mais impressionantes como a Mediateca de Sendai (1995-2001), a Serpentine Gallery de Londres (construída em 2002 em colaboração com Cecil Balmond), o Edifício TOD Omotesando (Tóquio, 2004), a Biblioteca da Universidade de Arte de Tama (Tóquio, 2007) e a Taichung Metropolitan Opera House (2009-16)—é possível observar um altíssimo grau de inovação em suas estruturas e nas organizações espaciais não hierárquicas de seus edifícios. Embora todas esses projetos pareçam ser bastante diferentes entre si, há algo que os une—que é o compromisso do arquiteto em romper com os limites entre o interior e o exterior, dissipando barreiras físicas e integrando seus programas através de um espaço contínuo e fluido. Neste sentido, é possível perceber que o arquiteto, vencedor do Prêmio Pritzker de 2013, busca não apenas construir edifícios, mas explorar e desenvolver continuamente um sistema de espaços integrados em sua arquitetura. Dito isso, é de se imaginar que enquanto ele permaneça sentado em sua prancheta, estaremos sempre a descobrir novos desdobramentos de uma obra em constante processo de evolução.

Tod's Omotesando Building_interior. Imagem © Nacasa & PartnersSilver Hut. Imagem Cortesia de Toyo Ito & Associates, ArchitectsSendai Mediatheque. Imagem Cortesia deToyo Ito & Associates, Architects'Minna no Mori' Gifu Media Cosmos. Imagem © Kai Nakamura+ 13

O arquipélago das artes no Japão: obras de Sou Fujimoto, Ryue Nishizawa e Kazuyo Sejima

Naoshima, Teshima e Inujima são as três principais ilhas de um arquipélago no Mar Interior de Seto, no Japão. O que as diferencia dos demais arquipélagos japoneses – que são muitos, característica daquele país insular – é a concentração de obras de arquitetura de qualidade excepcional, projetadas por alguns dos maiores nomes da arquitetura mundial. Tais projetos fazem parte do Benesse Art Site Naoshima, um complexo dedicado às artes idealizado pelo magnata Soichiro Fukutake ainda na década de 1980, composto por dezoito museus, galerias e instalações a céu aberto.

Pavilhão Naoshima / Sou Fujimoto. Image © Haruo MikamiAbóbora Amarela / Yayoi Kusama. Image © Haruo MikamiNovo Terminal de Balsas de Naoshima / Sanaa. Image © Haruo MikamiNovo Terminal de Balsas de Naoshima / Sanaa. Image © Haruo Mikami+ 47

La Samaritaine / SANAA + LAGNEAU Architectes + Francois Brugel Architectes Associes + SRA Architectes

© Jared Chulski© Jared Chulski© Jared Chulski© Jared Chulski+ 56

Kazuyo Sejima é nomeada presidente do júri internacional da Bienal de Veneza 2021

O Conselho de Administração da Bienal de Veneza de 2021, nomeou Kazuyo Sejima como presidente do júri internacional, encarregada de premiar o Leão de Ouro para a Melhor Participação Nacional, o Leão de Ouro para o Melhor Participante, bem como, o Leão de Prata para um jovem participante promissor. Além disso, o conselho também selecionou quatro outros membros para o júri, do Peru, Líbano, Gana e Itália. A cerimônia de premiação acontecerá em Veneza na segunda-feira, 30 de agosto de 2021.

Lamia Joreige Artes Mundi CUT por Polly Thomas. Imagem cortesia de La Biennale Architettura 2021Molinari 2 - Foto Alberto Cristofari. Imagem cortesia de La Biennale Architettura 2021Lesley Lokko © Murdo McLeod. Imagem cortesia de La Biennale Architettura 2021Sandra Barclay - Jean Pierre Crousse. Imagem cortesia de La Biennale Architettura 2021+ 6

Após uma década em obras, projeto do SANAA para o La Samaritaine em Paris será inaugurado

Após superar muitos obstáculos, a renovação da loja de departamentos La Samaritaine, dedenvolvida pelo escritório japonês SANAA, está pronta para abrir suas portas ao público. A remodelação da famosa loja parisiense restitui seu valor histórico ao trazer uma contribuição contemporânea à arquitetura do Segundo Império.

© Simón García | arqfoto© Simón García | arqfoto© Simón García | arqfoto© Simón García | arqfoto+ 8

SANAA vence concurso internacional para o novo Museu Marítimo de Shenzhen

A proposta concebida pela dupla de arquitetos do SANAA e chamada de “The Cloud on the Ocean”, acaba de ser escolhida como a grande vencedora do Concurso Internacional de Arquitetura para o projeto do novo Museu Marítimo de Shenzhen, na China. Para o desenho do museu, os arquitetos Kazuyo Sejima e Ryue Nishizawa buscaram inspiração na paisagem natural, nas montanhas e o no mar, criando um edifício moderno e profundamente enraizado na cultura local.

Cortesia de International Architecture Design Competition for the Shenzhen Maritime MuseumCortesia de International Architecture Design Competition for the Shenzhen Maritime MuseumCortesia de International Architecture Design Competition for the Shenzhen Maritime MuseumCortesia de International Architecture Design Competition for the Shenzhen Maritime Museum+ 5

Um passeio em Tóquio: documentário de Beka & Lemoine apresenta a vida de Ryue Nishizawa

Questionando “como o ofício da arquitetura, o ambiente construído e a paisagem cultural em que vivemos afetam a nossa imaginação e compreensão de mundo”, o último documentário de Beka & Lemoine é uma espécie de passeio em companhia de um dos arquitetos japoneses mais famosos da atualidade: Ryue Nishizawa. De carona em seu antigo Alfa Romeo, eles vagueiam pelas ruas de Tóquio. Após receber o mais importante prêmio no festival de cinema DocAviv 2020, o documentário em preto e branco chamado Tokyo Ride estreará, em breve, nos dos principais festivais de cinema de arquitetura da Europa e da América do Norte.

Cortesia de Beka & LemoineCortesia de Beka & LemoineCortesia de Beka & LemoineCortesia de Beka & Lemoine+ 21

Kazuyo Sejima, Toyo Ito e Sou Fujimoto criam arquiteturas caninas para exposição na Japan House SP

A Japan House São Paulo inaugura, no dia 19 de janeiro, a exposição Architecture for Dogs: Arquitetura para cães com curadoria do designer japonês Kenya Hara. A mostra apresenta, por meio do trabalho de renomados arquitetos, casas de cachorros em um pioneiro exercício de escala que leva em conta as atuais relações da sociedade com esses animais de estimação.

Projeto Paramount por Konstantin Grcic. Image © Hiroshi YodaProjeto Beagle House - Interactive Dog House por MVRDV . Image © Hiroshi YodaProjeto Pointed T por Hara Design Institute. Image © Hiroshi YodaProjeto Mount Pug por Kengo Kuma. Image © Hiroshi Yoda+ 15

Kazuyo Sejima: "Projetar um edifício não é apenas um exercício de escala, mas principalmente de detalhe"

A cofundadora do escritório japonês de arquitetura SANAA, Kazuyo Sejima, apresentou mais detalhes do seu novo projeto para a futura Galeria Nacional de Budapest na ocasião de sua participação no Hay Festival Segovia, realizado na cidade homônima na última sexta-feira na zona metropolitana de Madri. A ganhadora do Prêmio Pritzker de 2010 (junto ao seu sócio Ryue Nishizawa) assinalou que o conceito deste projeto segue a linha de outros três icônicos museus realizados anteriormente pelo seu aclamado escritório de arquitetura: o Museu de Arte Contemporânea do século XXI em Kanazawa (2004), o New Art Museum na cidade de Nova Iorque e o Louvre de Lens, na França (2012).

No contexto da décima terceira edição do Hay Festival realizado na cidade de Segovia, Laszló Baán, diretor do Museu Húngaro de Belas Artes, revelou seu plano ambicioso, apresentando os detalhes do Projeto em Budapest, um masterplan de 100 hectares em pleno coração da capital, o qual contará com o projeto de outros dez museus, incluindo a Casa da Música Húngara projetada por Sou Fujimoto, a ampliação do jardim zoológico, o museu de belas artes e a própria Galeria Nacional de Budapest, concebida pelo SANAA para abrigar um acervo que vai da arte do século XIX até a contemporaneidade.

Louvre Lens / SANAA

© Julien Lanoo© Julien Lanoo© Julien Lanoo© Julien Lanoo+ 30

  • Arquitetos

  • Localização

    99 Rue Paul Bert, 62300 Lens, França
  • Área

    28000.0 m2
  • Ano do projeto

    2012
  • Fotografias

    Julien Lanoo

Kazuyo Sejima nomeada a mais nova jurada do Prêmio Pritzker

A arquiteta japonesa Kazuyo Sejima, co-fundadora do escritório SANAA, foi nomeada a mais nova jurada do Prêmio Pritzker de Arquitetura.

Sejima, vencedora do Pritzker de 2010 ao lado de seu sócio Ryue Nishizawa, ajudará a eleger o vencedor ou vencedora do Pritzker 2018, 40ª edição da maior honraria do campo da arquitetura. 

Kazuyo Sejima: habitar entre o material e o abstrato

Kazuyo Sejima nasceu em Ibaraki, Japão, en 1956. É sócia fundadora do escritório SANAA, junto com Ryue Nishizawa. Trabalhadora incessante, construiu uma sólida trajetória profissional em diversos países.

A escala do necessário calibra uma incessante busca pela persistência experiencial do espaço (micro e coletivo) através do etéreo das formas, das figuras, dos materiais e seus limites. Sua arquitetura propõe habitar entre o material e o abstrato. 

Museu Sumida Hokusai de Kazuyo Sejima, pelas lentes de Laurian Ghinitoiu

Localizado em Sumida Ward, Tóquio, onde Sumida Hokusai (Katsushika Hokusai) nasceu e passou a maior parte de sua vida, este museu - projetado por Kazuyo Sejima e concluído em novembro de 2016 - é um templo para a obra do artista japonês, que inclui A Grande Onda de Kanagawa e Fuji Vermelho.

Este projeto, além de celebrar o trabalho de Hokusai, também foi concebido como um chamariz cultural. Nesta série de fotografias, Laurian Ghinitoiu aponta suas lentes para este novo marco cultural da capital do Japão.

© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu+ 41

Como pronunciar corretamente o nome destes 22 arquitetos famosos

Não há dúvida de que uma das melhores coisas da arquitetura é a sua universalidade. De onde quer que você venha, o que quer que você faça, arquitetura de algum modo tocou sua vida. No entanto, quando inesperadamente temos que pronunciar o nome de um arquiteto estrangeiro ... as coisas podem ficar um pouco complicadas. Esta é uma situação que a pronúncia errada pode fazer você parecer menos profissional do que você é. (Se você for realmente azarado, isso poderia acabar fazendo você parecer estúpido na frente de seus filhos e do mundo inteiro.)

Para lhe ajudar, compilamos uma lista de 22 arquitetos cujos nomes são um pouco difícil de pronunciar, acompanhada de gravações em que seus nomes são pronunciados impecavelmente. Ouça e repita quantas vezes for necessário até acertar e você estará preparado para qualquer situação potencialmente embaraçosa.

Museu Sumida Hokusai de Kazuyo Sejima, pelas lentes de Vincent Hecht

Nesta série fotográfica, Vincent Hecht direciona suas lentes para o recém-inaugurado Museu Sumida Hokusai, projetado por Kazuyo Sejima, Pritzker de 2010 e sócia do escritório SANAA. Localizado no bairro de Sumida, em Tókio, a estrutura angular de quatro pavimentos abriga uma coleção de mais de 1.800 obras de renomado pintor Katsushika Hokusai, que viveu em Sumida há mais de 200 anos.

© Vincent Hecht© Vincent Hecht© Vincent Hecht© Vincent Hecht+ 21

4 formas de se vestir como um arquiteto

1. Tudo preto.
2. Preto com um pouco de cinza.
3. Preto com um pouco de branco.
4. Combinação de diferentes tons de preto. 

Entre intervenções genéricas e arquitetura de relações: Uma jornada pela costa do Japão

Neste artigo, escrito por Christian Dimmer e ilustrado com as fotografias de Max Creasy,apresentamos uma análise da paisagem arquitetônica da costa do Japão após o terremoto e tsunami que devastaram Aomori, Iwate e Miyagi.

Poucos desastres foram tão complexos e tiveram implicações tão profundas quanto o terremoto, o tsunami e o vazamento nuclear que atingiram o nordeste do Japão em 11 de março de 2011. Ao passo que mais de 500 quilômetros de costa foram devastados, o desastre se desdobrou também em centenas de cidades que foram diferentemente afetadas dependendo de  suas condições topográficas, suas morfologias urbanas, memória coletiva de desastres passados e laços sociais com as comunidades. 

Ritsumeikan University / Munemoto Lab + Shinsaku Munemoto Architects & Associates.. Imagem© Max CreasyN Village / Zai Shirakawa Architects. Otsuchicho Namiita Coast. Imagem © Max CreasyInterior: Ritsumeikan University Munemoto Lab  + Shinsaku Munemoto Architects & Associates. Imagem © Max CreasyIrony Stations, MotoYoshiChoo (Miyagi ) / Hirokazu Tohki, Shiga University.  Imagem © Max Creasy+ 19