1. ArchDaily
  2. Intervenção Urbana

Intervenção Urbana: O mais recente de arquitetura e notícia

Nitsche Arquitetos intervém em empena no entorno do Minhocão

© João Nitsche© João Nitsche© Pedro Mascaro© João Nitsche+ 16

Cinco anos após a realização da Empena Viva, Nitsche Arquitetos volta a ocupar artisticamente os arredores do Minhocão. Ao realizar a intervenção Eclipse, a partir de um gesto simples, a equipe pretende ilustrar os processos socioeconômicos e temporais que são colocados pelas dinâmicas urbanas de São Paulo.

Arquitetura da liberdade: práticas projetuais urbanas a partir da relação do corpo com o existente

A arquitetura e urbanismo são possibilidades de materializar o porvir. No entanto, como desenhar um futuro comum, mas manter o porvir aberto a significações e em constante movimento a partir dos sujeitos que dele se apropriam? Como a(o) arquiteta(o) pode entender-se parte do movimento de revalorização dos espaços coletivos? Como usar dessa ferramenta para distribuir poder: construir uma democracia direta e um comportamento livre a partir da participação na vida cotidiana? Como reconhecer a relação como ferramenta de construção de uma arquitetura da liberdade?

Intervenções pontuais na estrutura industrial do SESC Pompéia. Foto © Pedro Kok Viaduto Júlio de Mesquita Filho: baixio, alargamento residual resultante da infra-estrutura rodoviarista, cicatriz da cidade formal, moderna. Foto © Marcella ArrudaLygia Pape, "Espaços Imantados", 1995. Fotografia: Paula Pape. © Projeto Lygia PapeIntervenção que cria um espaço a partir de um elemento que convida a múltiplos movimentos. Polytope, Ludmila Rodrigues, https://www.tinamustao.com/2018/11/29/polytope/+ 8

6 Projetos de pequena escala e grande impacto social

O campo da arquitetura tem o potencial de, por meio do espaço construído, impactar as relações humanas em uma infinidade de maneiras. No caso particular dos projetos de pequena escala, o desafio de lidar com a mediação entre o espaço e as pessoas é aliado àquele de transpor a espaços reduzidos ideias capazes de impulsionar seu uso pelas pessoas. 

Centro para Mulheres em Masai / C-re-aid. imagem: © Laia GarcíaPavilhão Chá, Chocolate, Café / knitknot architecture. Imagem: © Josema Cutillas100 Salas de Aula para Crianças Refugiadas / Emergency Architecture & Human Rights. Imagem: © Martina RubinoA Embaixada Verde / Steffen Impgaard. Imagem: © Kirstine Mengel+ 7

Viver em comunidade: 13 projetos que promovem o uso compartilhado dos espaços

Com o crescimento populacional, adensamento das cidades e aumento do preço dos imóveis, arquitetos e urbanistas têm buscado alternativas de novas configurações espaciais para a ocupação e habitação nos centros urbanos. A profusão de moradias e espaços de trabalho compartilhados é um dos exemplos de como o campo da arquitetura está se adaptando às novas formas de viver em sociedade. 

Intervenção TransBorda / Estúdio Chão. Imagem: © Renato MangolinSinergia Cowork Palermo / Emilio Magnone + Marcos Guiponi. Imagem: © Marcos GuiponiCasa Três Gerações / BETA office for architecture and the city. Imagem: © Ossip van DuivenbodeCo-working utopic_US Conde de Casal / Izaskun Chinchilla Architects. Imagem: © Imagen subliminal+ 14

Ocupação Conexidade / Estúdio Chão

© Diego Padilha© Diego Padilha© Diego Padilha© Renato Mangolin+ 29

  • Arquitetos: Estúdio Chão
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  20500
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018

BIG projeta a primeira cidade da Toyota no Japão

O BIG acaba de divulgar seu mais recente projeto, a Toyota Woven City, primeiro empreendimento imobiliário da empresa no Japão. Localizado aos pés do monte Fuji, o projeto, desenvolvido em colaboração com a Toyota Motor Corporation, é a primeira incubadora urbana do mundo voltada para o desenvolvimento de estratégias de mobilidade.

Cortesia de BIG - Bjarke Ingels GroupCortesia de BIG - Bjarke Ingels GroupCortesia de BIG - Bjarke Ingels GroupCortesia de BIG - Bjarke Ingels Group+ 20

Intervenção TransBorda / Estúdio Chão

© Renato Mangolin© Renato Mangolin© Renato Mangolin© Renato Mangolin+ 19

Adjaye Associates e Daniel Boyd se unem para projetar a nova Sydney Plaza

A cidade de Sydney selecionou o escritório Adjaye Associates e o artista aborígine contemporâneo Daniel Boyd para projetar um novo edifício, praça, e obra de arte pública. O projeto busca descobrir a história perdida do lugar onde está inserido, reconciliar culturas e definir identidades.

O que é urbanismo tático?

O urbanismo tático, prática que vem ganhando destaque nos últimos anos, tem se mostrado uma estratégia atrativa para coletivos ativistas, arquitetos, urbanistas e designers ao redor do mundo por propor, a baixo custo e numa micro-escala, intervenções urbanas pontuais na intenção de promover o direito à cidade. Essa maneira de se pensar espaços públicos na cidade busca atuar por uma lógica não-hierárquica, na qual a sociedade civil (em colaboração ou não com o Estado e/ou empresas privadas) propõe alternativas ao processo tradicional de projeto na esfera urbana.

Restauro de antiga igreja na Coreia conecta Deus, natureza e seres humanos

A Igreja Changtteul é um antigo local de culto em Gyeonggi-do, Coreia do Sul, cujo nome remete à imagem de "uma moldura contendo uma janela". Nesse sentido, o caráter do edifício é definido por sua série de janelas, proporcionando aos visitantes uma experiência única de luz e paisagens emolduradas.

Os arquitetos Hanyoung Jang e Hanjin Jang, do estúdio minorormajor, utilizaram as janelas de Changtteul como metáfora para seu partido projetual. A dupla explora o elemento arquitetônico a partir de duas perspectivas: a "janela entre o homem e Deus" e "a janela entre o homem e a natureza".

© studio minorormajor© studio minorormajor© studio minorormajor© studio minorormajor+ 20

Translações sonoras: a construção de paisagens auditivas na cidade

Translações Sonoras é uma instalação urbana desenvolvida pelos arquitetos Mathias Klenner e Sofía Balbontín, acadêmicos da Faculdade de Arquitetura, Design e Construção da UDLA, em conjunto com estudantes de arquitetura da Universidad Austral de Chile.

A intervenção explora as diversas paisagens sonoras de Valdivia e seu entorno próximo, vinculando territórios e comunidades através da translação em tempo real de múltiplas sonoridades invisibilizadas em direção ao centro da cidade.

Conheça a proposta detalhada segundo as palavras de seus autores, a seguir.

Mountain / Zhaohong Zhang

© Li Zhou© Li Zhou© Li Zhou© Li Zhou+ 26

Intervenção no Pavilhão Mies van der Rohe explora a potencialidade reflexiva de seus espaços

Dificilmente poderíamos associar a figura de Mies van der Rohe à filosofia zen, muito menos se tratando do projeto do Pavilhão de Barcelona. Ainda assim, o artista estadounidense Spencer Finch está tentando precisamente estabelecer esta conexão através do seu projeto de intervenção chamado de "Fifteen stones (Ryōan-ji)".

Finch é o mais recente artista convidado pela Fundação Mies van der Rohe a "explorar novos pontos de vista e reflexões através de intervenções no icônico Pavilhão de Barcelona, potencializando-o como um espaço experimental e inspirador para artistas e arquitetos". Assim, Finch será o mais novo artista a integrar um seleto grupo daqueles que já interviram no pavilhão de Mies, somando-se a artistas e arquitetos como SANAA, Jeff Wall, Ai Wei Wei, Enric Miralles, Andrés Jaque e Anna & Eugeni Bach, entre outros.

© Anna Mas© Anna Mas© Anna Mas© Anna Mas+ 10

Prefeitura de São Paulo abre consulta pública para Projeto de Intervenção Urbana no Anhembi

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento – SMUL, abriu uma consulta participativa para o projeto de lei que tem como objetivo fixar os parâmetros de parcelamento, uso e ocupação solo da Zona de Ocupação Especial – ZOE do Anhembi.

A definição desses parâmetros será seguida pelo detalhamento dos mesmos através de um Projeto de Intervenção Urbana – PIU, mas já permite o prosseguimento dos processos de alienação da área de um milhão de metros quadrados.

Intervenção em escola de Madri exercita a criatividade e a capacidade imaginativa das crianças

O arquiteto espanhol Nacho Gias, em colaboração com o designer gráfico Fernando Carbayo, apresentaram o Playground, uma intervenção em uma quadra de futebol de uma escola em Torrelodones, Madri. A obra pretende fomentar a criatividade e a capacidade imaginativa das crianças enquanto elas inventam seus próprios jogos, guiados por percursos, pontos de encontro e pistas dentro do próprio campo.

O Colectivo MU e o urbanismo na escala humana em Bogotá

Colectivo Microurbanismo [MU] foi fundado há pouco menos de um ano com o objetivo de recuperar, reorganizar e revitalizar o espaço público em Bogotá através de ações temporárias e participativas. Segundo seus criadores Sharon Figueroa e Camilo Amezquita, isso suscita outras maneiras de abordar questões relevantes na cidade, como a mobilidade, proximidade, acessibilidade, equidade, apropriação, cultura, harmonia, habitabilidade, segurança, paisagem e a dotação de equipamentos públicos.

As intervenções realizadas por MU são descritas como pequenas apropriações ou acupunturas urbanas que tratam distintas temáticas frente a condicionantes específicas da cidade, devolvendo o espaço aos cidadãos em um ato de celebração do público ou propiciando a crítica sobre uma problemática relacionada ao espectro do cívico. "Com este propósito se desenvolveram intervenções de pequena escala elementais desde seu planejamento, atraentes no estético e social, realizáveis desde sua factibilidade, ágeis na execução, amáveis com os habitantes e geradoras de alto impacto na população", enfatizam seus criadores.

Além disso, o coletivo centra-se em várias estratégias de implementação como o urbanismo tático, o conhecimento de projetos concretos formulados através de políticas públicas e a experiência de outros atores do espaço público reforçando o caráter participativo a diferentes escalas em suas intervenções.

 18 x 18. Image Cortesía de Sharon Figueroa  / Camilo Amézquita (Colectivo Microurbanismo)17 x 17. Image Cortesía de Sharon Figueroa  / Camilo Amézquita (Colectivo Microurbanismo)Propuestas urbanas para el peatón. Image Cortesía de Sharon Figueroa  / Camilo Amézquita (Colectivo Microurbanismo)Calles de juego. Image Cortesía de Sharon Figueroa  / Camilo Amézquita (Colectivo Microurbanismo)+ 23

Cinco cidades que criaram seus "highlines" em vias de transporte abandonadas

A revolução industrial deixou marcas profundas nas cidades, definindo em grande parte a aparência e o funcionamento das cidades até os dias de hoje. Vias férreas serviram durante décadas à expansão econômica e territorial das cidades, entretanto, com o surgimento do automóvel na primeira metade do século passado e hegemonia do rodoviarismo na segunda metade, a grande maioria das ferrovias urbanas foram abandonadas, tornando-se apenas o registro concreto de eras passadas.

Por décadas desocupadas, comunidades de diversas cidades ao redor do mundo passaram, nas últimas décadas, a ver com outros olhos estas relíquias do transporte ferroviário. O The Guardian compilou cinco cidades que transformaram suas ferrovias abandonadas em espaços públicos, parques e áreas de lazer - veja-as a seguir.

FGMF Arquitetos realizará Workshop no CURA no final de Julho

WORKSHOP | ÂNCORAS DE URBANIDADE
os equipamentos urbanos como deveriam ser

LOURENÇO GIMENES é Arquiteto e Urbanista pela FAUUSP, com mestrado pela mesma instituição e sócio do escritório FGMF Arquitetos.

RESUMO
A oficina promoverá a intervenção em equipamentos urbanos que, graças a um pobre desenho arquitetônico, não cumprem seu papel de qualificar a vida urbana. As intervenções terão a premissa de transformar a paisagem e o uso do tecido urbano ao seu redor através da arquitetura, desenho urbano e arte.

PÚBLICO + PARTICIPAÇÃO
· Oficina indicada para Arquitetos, Urbanistas, Designers e Engenheiros. Encorajamos também a participação de Artistas, Geógrafos, Economistas, Sociólogos e Ativistas Urbanos de